quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

O Êxodo aconteceu? Estudioso israelense visita o Egito e aponta evidências

Com pesquisas que duram 10 anos, Joshua Berman do Departamento Bíblico Zalman Shamir da Universidade Bar-Ilan confronta arqueólogos que não acreditam no Êxodo.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO JPOST


Ilustração do Êxodo do Egito (Ilustração: Edward Poynter / Wikimedia Commons)

Nas últimas semanas, milhões de judeus se reuniram em sinagogas em todo o mundo para ler sobre o Êxodo do Egito, um dos episódios que marca a história e identidade judaicas ao longo dos milênios.

Parte de estudiosos da Bíblia e especialmente arqueólogos, se não a maioria dos pesquisadores, porém, são céticos de que a narrativa reflita eventos históricos com alguma precisão. Eles apontam a falta de evidências arqueológicas no Egito ou em outros locais mencionados na história, bem como a falta de registros fora da própria Bíblia.

No entanto, de acordo com o Prof. Joshua Berman, do Departamento Bíblico Zalman Shamir da Universidade Bar-Ilan, alguns de seus colegas estão cometendo um erro fundamental: eles estão procurando evidências do Êxodo no Egito, em vez de procurar marcas da cultura egípcia na Torá, os Cinco Livros de Moisés.

“A Torá é infundida com a cultura egípcia e sua resposta a ela”, disse Berman.

“O que eu acho incrivelmente fascinante é o quão familiar a Torá está com a cultura egípcia, sugerindo que os israelitas estavam de fato no Egito, e eles estiveram lá por um longo tempo, mas também que a forma como a Torá se envolve com este material é o que hoje gostaríamos de ver. Chamam de apropriação cultural – um povo usando a propaganda de seus opressores e tornando-a sua”, disse ele.

Evidências na Torá

“O Senhor nos libertou do Egito com mão poderosa, com braço estendido e poder tremendo, e por sinais e portentos”, diz um versículo no livro de Deuteronômio que descreve o Êxodo.

A expressão “mão forte e braço estendido” aparece várias vezes na Bíblia, mas apenas no contexto do Êxodo. Berman disse que isso não é por acaso, pois esses elogios também foram usados ​​no Egito.

“Quando olhamos para inscrições do período do Novo Reino, entre 1500 e 1200 a.C., aproximadamente o período da escravização, essas expressões são rotineiramente usadas para descrever faraós e suas vitórias em batalha, por exemplo: ‘O faraó derrotou os líbios com mão poderosa'”, disse ele.

A imagem foi empregada para se referir ao Faraó naquele tempo específico. Isso torna improvável que os israelitas ou um autor bíblico mais recente estivessem cientes disso séculos depois, disse Berman.

Outro elemento para apoiar a teoria de Berman é um baixo-relevo representando o que foi considerado a maior conquista de Ramsés II, a batalha de Cades, onde obteve uma grande vitória contra os hititas no que os especialistas descrevem como a maior batalha de carruagens da história.

Ramsés II, que reinou no século 13 a.C., é supostamente o rei do Egito apresentado no Êxodo. O baixo-relevo foi esculpido no templo dedicado ao faraó em Abu Simbel, perto da fronteira com o Sudão.

“Depois de sua vitória, imagens de seu acampamento de guerra apareceram por todo o Egito”, disse Berman. “No centro disso, havia o acampamento do trono, feito de duas câmaras, incluindo uma menor, onde o próprio Ramsés se sentava.”

“O que os estudiosos notaram é que a câmara esquerda tem as dimensões de dois para um, e a câmara direita tem as dimensões de um para um”, disse ele. “Essas são exatamente as dimensões do Tabernáculo na Torá.”

Tabernáculo

O Tabernáculo é o santuário portátil construído pelos israelitas durante suas peregrinações no deserto, conforme descrito no Livro do Êxodo.

“A alegação é que foi modelado após o campo de batalha de Ramsés”, disse Berman.

Outra conexão entre a batalha com os hititas e a história do Êxodo foi que os hititas são descritos como fugindo para um rio.

Além disso, após a vitória, as tropas de Ramsés cantam uma canção de louvor dedicada a ele.

“No Êxodo, os israelitas também cantam uma canção de louvor a Deus, e as palavras são muito semelhantes”, disse Berman. “Por exemplo, Ramsés é descrito como consumindo seus inimigos como palha, como palha, e os israelitas também dizem que Deus consumiu seus inimigos como palha. Não há outros textos com esta imagem no antigo Oriente Próximo.”

Nomes

O uso de nomes de clara origem egípcia na Torá também sugere a estreita conexão com a cultura egípcia, disse ele.

“Miriam, por exemplo, significa 'amada do Deus Amon'”, acrescentou.

Sobre a ausência de provas da escravização e fuga dos israelitas no Egito, Berman disse que os egípcios nunca registraram derrotas e momentos negativos, “da mesma forma que hoje ninguém escreve no currículo que foram demitidos”.

Berman disse que, embora seja verdade que muitos pesquisadores não acreditam que o Êxodo aconteceu, há também um vasto campo que apoia totalmente a noção de que aconteceu. Ele acrescentou que muitas vezes essas duas escolas também refletem diferentes crenças políticas.

Ele tem pesquisado pessoalmente o tema nos últimos 10 anos.

No ano passado, ele finalmente conseguiu realizar seu sonho de visitar o Egito e os diferentes locais que comprovam o que aprendeu.

Na segunda-feira, ele partiu para o Egito mais uma vez, liderando uma viagem kosher especial de 10 dias para visitar os mesmos locais.

“Achei que seria legal trazer judeus religiosos para ver onde seus antepassados ​​foram escravizados”, disse ele antes da viagem.

terça-feira, 18 de janeiro de 2022

Cristãos das ilhas mais remotas do mundo anseiam pela tradução da Bíblia em sua língua

O povo das Ilhas Marquesas, no Pacífico Sul, está aguardando a Bíblia completa em seu idioma desde 1996.



FONTE: GUIAME, ETERNITY NEWS


O povo das Ilhas Marquesas está aguardando a Bíblia completa em seu idioma. (Foto: YouTube United Bible Societies).

Os cristãos das ilhas mais remotas do mundo estão ansiosos para receber a tradução completa da Bíblia em seu idioma. As Ilhas Marquesas, um grupo de 12 ilhas vulcânicas, estão localizadas no meio do Oceano Pacífico Sul, a cerca de 1.500 km do Tahiti.

O Evangelho chegou às Ilhas, conhecidas por seus picos montanhosos, penhascos e belas baías, no século 19 por missionários protestantes. O cristianismo faz parte da identidade do povo das Ilhas Marquesas e eles se orgulham de seu idioma e sua cultura única, que inclui a arte de tatuagem e esculturas de madeira.

Em 1995, o Novo Testamento e os Salmos foram traduzidos para a língua marquesa, seguido de uma revisão em 2015. Já a tradução do Velho Testamento iniciou em 1996 e está em andamento até hoje. Durante todos esses anos, os marquesanos têm aguardado a primeira Bíblia na íntegra em seu idioma.

“Nós, ilhéus das Marquesas, somos cristãos há mais de 150 anos, mas ainda não temos a Bíblia completa em nosso idioma”, disse Jacques Mendiola, de 74 anos, ao Eternity News.

Mulheres com o Novo Testamento na língua marquesa. (Foto: YouTube/United Bible Societies).

O cristão Jacques, um professor aposentado que vive na ilha de Hiva Oa, faz parte da equipe local de tradução, que trabalha com o apoio da Sociedade Bíblica do Pacífico Sul.

“Sou grato a Deus pela oportunidade de ajudar no projeto da Bíblia marquesana nos últimos anos, traduzindo o texto e melhorando seu estilo de linguagem. Somos gratos pelo apoio da Sociedade Bíblica do Pacífico Sul neste importante trabalho”, afirmou ao Eternity News.

Jacques, que tem nove filhos e 20 netos, diz estar feliz em ajudar a preservar sua língua para as gerações futuras. Para o tradutor, a Bíblia inteira em marquesano irá ajudar os cristãos das Ilhas a entender a Palavra de Deus de forma mais profunda.

“Apesar da minha ascendência mista, sinto-me totalmente marquesano e a minha língua materna é a marquesa. Quando leio a Bíblia em francês, é difícil de entender devido ao meu conhecimento limitado da língua francesa”, explicou ele.

“Quando meus netos lerem a Bíblia em francês e descobrirem que não conseguem entendê-la completamente, eles poderão recorrer à Bíblia marquesana. Esta tradução servirá de base para o idioma e ajudará os jovens a dominá-lo”.

Atualmente, o trabalho de tradução do Velho Testamento está prestes a ser concluído. Entretanto, a verificação final foi adiada devido a pandemia do Covid-19.

Jacques (no meio, sentado) com os outros membros da equipe de tradução. (Foto: YouTube/United Bible Societies).

quinta-feira, 13 de janeiro de 2022

Morre o líder mundial da Assembleia de Deus, George Wood, aos 80 anos

George Wood lutava contra um câncer no estágio 4, que começou no esôfago e se espalhou para outros órgãos.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA AG NEWS


George Wood foi presidente da Assembleia de Deus dos EUA. (Foto: AG News)

O ex-superintendente geral da Assembleia de Deus dos Estados Unidos, George Oliver Wood, morreu nesta quarta-feira (12), após uma luta de quatro meses contra um câncer no estágio 4.

Wood recebeu o diagnóstico de câncer em 30 de agosto de 2021, dois dias antes de seu aniversário de 80 anos. Ele passou por quimioterapia para tratar o câncer no esôfago, que acabou se espalhando para o fígado e as vértebras.

Os tratamentos foram interrompidos devido aos efeitos colaterais.

Wood assumiu em 2007 a posição de superintendente-geral do Concílio Geral das Assembleias de Deus nos Estados Unidos (AG) e, em 2008, tornou-se presidente da Assembleia de Deus, a maior denominação pentecostal do mundo.

Ele deixou o cargo em 2017, aos 75 anos, após uma década como líder global da Assembleia de Deus.

Durante a década de sua liderança, a denominação evangélica experimentou um notável crescimento nos EUA. AG dos EUA cresceu para um número recorde de membros, 3.240.258 — número que era 2.863.265 uma década antes. O número de igrejas AG dos EUA subiu para um recorde histórico de 13.023, em comparação com 12.362 em 2007.

A igreja também se tornou uma das denominações com maior diversidade étnica na América, com 42,3% dos membros representando minorias étnicas. Além disso, a porcentagem de mulheres ministras na Assembleia dos EUA aumentou de 19,2% para 24,3%.

Wood começou seu ministério como diretor de vida espiritual e vida estudantil na Universidade do Evangelho em Springfield, no Missouri, de 1965 a 1971. Nos próximos 17 anos, ele atuou como pastor da Igreja Newport Mesa em Costa Mesa, na Califórnia.

Em 1988, ele se tornou superintendente-geral da AG no Distrito Sul da Califórnia, até que, em 1993, passou a atuar como secretário-geral da AG entre 1993. Ele atuou na função até 2007, quando assumiu a posição de superintendente-geral.

Wood e sua esposa, Jewel, comemoraram 56 anos de casamento em 27 de dezembro. Eles criaram dois filhos. Son George Paul Wood é editor executivo do Influence, o jornal da AG para líderes ministeriais. Sua filha, Evangeline Hope Zorehkey, vive no condade de Ozark (EUA).

segunda-feira, 10 de janeiro de 2022

“Nascemos de novo pelas mãos de Deus”, diz sobrevivente de tragédia em Capitólio

Até agora, foram confirmadas 10 mortes e dezenas de pessoas ficaram feridas.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE IG E METRÓPOLES


Momento em que um pedaço da parede do cânion de Furnas se desprendeu, em Capitólio, Minas Gerais. 
(Foto: Captura de tela/CNN News)

O acidente ocorrido no último sábado (8), em Capitólio, por causa de um pedaço da parede do cânion de Furnas que se desprendeu e atingiu as embarcações, já conta com 10 mortes e dezenas de feridos até agora, conforme o Corpo de Bombeiros de Minas Gerais.

O deslizamento aconteceu por volta das 12h30, no condomínio Escarpas do Lago, tradicional ponto turístico de Capitólio e atingiu quatro barcos. Sobreviventes agradecem a Deus pela vida.

Um deles é o jornalista Alexandre Campello, editor da TV Assembleia de Minas Gerais, que agradeceu pelas mensagens e orações de todos e disse que sua família “nasceu de novo”.

Campello estava numa das lanchas com sua esposa Ana Martins, dois filhos pequenos, sobrinhos e outros familiares. De acordo com informações do IG, todos sobreviveram ao acidente, mas ficaram feridos e precisaram de cuidados médicos.

“Nascemos de novo pelas mãos de Deus”

“Passando para agradecer todas as orações e palavras de carinho diante da tragédia que vivenciamos em Capitólio. Graças a Deus, passado o susto e o devido atendimento de emergência, posso dizer que estamos todos bem”, escreveu em seu Facebook.

“Apesar das fraturas, nenhum de nós teve sequela mais grave. Nascemos de novo pelas mãos de Deus. Muito obrigado a todos”, continuou.

Kelly Rosa, de 40 anos, por sua vez, viveu um livramento por causa de uma parada para ir ao banheiro. “Estávamos na lateral (da rocha), chegamos no local do acidente uns dez minutos depois do ocorrido”, ela contou.

“Antes do cânion há uma parada chamada Lagoa Azul (um tipo de pier com serviços) e nosso lancheiro não queria parar porque era um lugar muito cheio. Meu marido, porém, ficou com muita vontade de ir ao banheiro, e pediu que ele parasse”, relatou.

Graças a Deus fizemos essa pausa de 15 minutos, ou estaríamos no lugar no momento exato em que tudo aconteceu”, ela disse.

Outros relatos

Outra sobrevivente, Daniele Teixeira Cardoso, disse que viu os barcos passando por cima das pessoas. “Nunca pensei que eu fosse passar uma situação dessas, coisa de filme. Assustador, é um troço desesperador, a luta pela vida”, relatou a servidora pública.

“Quando a gente percebeu que as pedras estavam caindo, a gente pediu para o piloto dar a volta e ele conseguiu, mas uma pedra o atingiu e ele desmaiou, foi o que ficou mais machucado”, ela disse.  

Sobre a tragédia

A região sofreu com um período de chuvas de mais de vinte dias. Conforme o porta-voz do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, o tenente Pedro Aihara, as fortes chuvas podem ter relação com o acidente.

Ele alertou para o risco de outras ocorrências. “É possível que haja novos acidentes, porque a água das chuvas penetra nas rochas, que têm menor resistência à ação da água e de vento”, afirmou.

A área onde ocorreu o deslizamento é um cânion. Ou seja, um vale profundo cercado de rochas que formam uma espécie de paredão natural. Em entrevista à CNN, Aihara afirmou que as visitas a áreas rochosas devem ser evitadas em épocas com altos índices de chuvas.

Ainda de acordo com o tenente, a maneira como a rocha caiu é atípica. “A forma de escorregamento não costuma ser para frente, é como se fosse uma fatia de um pedaço de uma torta escorregando naturalmente. Mas essa estrutura caiu como um dominó. A parte lá de cima que cai numa trajetória perpendicular intensificou o dano que as embarcações sofreram”, ele disse.

Também em entrevista à CNN, o prefeito de Capitólio, Cristiano Silva, disse que “querer apontar um culpado agora é injustiça”, e tratou o episódio como uma fatalidade inédita para a região.

sábado, 8 de janeiro de 2022

Atriz Meagan Good diz que ministrar em Hollywood é seu chamado e “maior alegria”

Com mais de 20 filmes em seu currículo, recentemente ela se juntou a outros famosos como embaixadora de celebridades para a World Vision.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Meagan Good usando sua pulseira "O laço que liga" da World Vision. (Foto: Cortesia da World Vision)

A atriz e cineasta Meagan Good revelou como Deus está usando seus talentos para envolver as pessoas em conversas sobre fé e ministrar àqueles que trabalham na indústria cinematográfica. Durante uma entrevista para o The Christian Post, ela também compartilhou uma oração que faz quando precisa de orientação divina.

Meagan, que tem mais de 20 filmes de Hollywood em seu currículo, recentemente se juntou a outras atrizes famosas como embaixadora de celebridades para World Vision (Visão Mundial), uma organização sem fins lucrativos cristã que opera em quase 100 países em todo o mundo.

A WV projetou a pulseira "The Tie that Binds" (O laço que liga), que está entre os presentes disponíveis no catálogo anual onde itens selecionados são vendidos para ajudar pessoas necessitadas.

“Jesus é a razão para a temporada”, disse Meagan ao CP, detalhando o chamado de Deus em sua vida em Hollywood, onde ela compartilha sua fé com aqueles que podem não se sentir acolhidos pelos fiéis tradicionais.

Junto com seu trabalho humanitário, a atriz disse que usa sua plataforma no entretenimento convencional para ministrar aos não religiosos.

"Gosto do que faço para viver. Sinto-me muito feliz por poder fazer isso. Mas, no final do dia, a razão de eu estar aqui é para servir ao meu Senhor; para ser quem Ele me chamou seja, continuar descobrindo o que isso acarreta”, disse Good em entrevista à CP.

Natural de Los Angeles, que Meagan é casada com o cineasta e pregador DeVon Franklin, disse que não há paz maior do que saber que "você está alinhado".

"Eu sinto que posso estar aqui no setor em que estou. A luz não pode iluminar a luz; a luz pode apenas iluminar as trevas. Portanto, sinto que Deus chamou todos nós para diferentes lugares e diferentes estações, e coisas diferentes por razões diferentes”, acrescentou ela.

Acordo com Deus

Meagan, que atua desde os 10 anos, disse que tudo mudou para ela aos 19.

“Eu estava naquela transição difícil de ator infantil para ator adulto e vendo todos ao meu redor trabalhando. Eu estava tipo, 'Por que não estou trabalhando, Senhor? O que está acontecendo?' Foi a primeira vez que orei e disse: 'Espere um pouco, nem sequer perguntei se é isso que devo fazer. Nem mesmo perguntei se tenho a sua permissão. É isso o que você tem para a minha vida?'’”, contou Meagan.

"Essa foi a primeira vez que eu realmente coloquei no altar. Eu pensei, eu quero fazer isso. Mas eu quero o que Você quer para mim mais do que o que eu quero para mim", disse ela a Deus.

A atriz também disse a Deus que estaria disposta a fazer qualquer coisa que Ele quisesse, apesar da dor que sentiria se tivesse que deixar de atuar.

"Foi a primeira vez que senti Deus dizendo: 'Sim, é isso que você deve fazer. No entanto, não é sobre isso e não é sobre você. É sobre a plataforma que vou apresentar a você e é sobre você usá-la para Me glorificar e é sobre você andar em quem Eu te chamei para ser’”, testemunha Meagan, revelando que a jornada de fé dela tem sido "muito interessante".

“Eu sei, como cristã, sou muito inovadora. E para alguns cristãos [eu] posso ser um pouco controversa”, disse ela ao CP. “O que tive de aprender ao longo dos anos é a maneira que Deus deseja usar-me, e é muito específica para mim, assim como é para todos nós como cristãos. É muito único, como Ele nos chamou - qualquer pacote, qualquer autenticidade, qualquer pensamento ou qualquer experiência ou seja o que for.”

Críticas

Ao longo dos anos, a atriz tem recebido críticas de alguns cristãos por causa das roupas provocantes que escolheu para vestir e dos papéis no cinema que concordou em interpretar. Durante uma aparição no programa de rádio de DL Hughley em 2019, a estrela de "Harlem" de 40 anos revelou que ela nem sempre vai à igreja por causa do que ela descreveu como sendo "agredida" por fiéis em resposta a algumas de suas escolhas de carreira.

Durante sua entrevista com ao CP, ela disse que “ainda está aprendendo” o que significa sua vocação em Hollywood e o tipo de mulher para quem ela deve testemunhar.

“Acho que muitas delas são como eu, que se sentiram menosprezadas, indignos ou não boas o suficiente - muitas vezes na arena da igreja também - e entendendo que essas pessoas são chamadas e qualificadas porque Deus diz que são. Não por causa do que as outras pessoas pensam ou sentem, ou entendem ou não entendem sobre elas”, observou.

Meagan enfatizou que, no final das contas, o ponto principal e o mais importante é: "O que Deus pensa sobre você e quem Deus o chamou para ser?"

“É interessante porque ainda estou abandonando isso em certas temporadas”, disse ela. "Estou constantemente nessa jornada e constantemente nessa caminhada, e é realmente interessante. Mas enquanto você ficar perto Dele, Ele vai te guiar. E isso, para mim, é usar o que Ele me deu”, ela continuou.

“Ele me permitiu ficar aqui”, declarou a atriz. “Há um milhão de garotas lindas e talentosas que são mais bonitas do que eu, mais talentosas do que eu, e Ele me permitiu estar aqui.”

A autora Wait então revelou ao CP uma das coisas pelas quais ela ora regularmente a Deus: “Como você quer me usar Senhor? E o que devo fazer em cada estação? Como glorifico o Reino e como falo de você?”.

Terror

Meagan acrescentou que, mesmo enquanto estava no set de filmes de terror, pelos quais ela também foi julgada, ela se viu “tendo mais conversas sobre Deus nesses sets do que em qualquer outro”.

“Pessoas que não estavam dispostas a ouvir ou falar sobre [Deus] se sentem confortáveis ​​comigo porque eu trabalho o máximo que posso para não criticar e ter a mente aberta. Posso discordar de você ou não acreditar na mesma coisa que você, mas não faço as pessoas se sentirem mal ou desconfortáveis ​​com isso, nem tento desafiá-las ou brigar com elas por isso”, afirmou.

"Eu apenas tento me mover em amor completo e permitir que o Espírito me diga o que eu devo ou não dizer e tento não me mover por conta própria. E você encontra nessas arenas, para mim, eu tenho tantas pessoas voltando para mim e dizendo: 'Você foi meu primeiro encontro com um cristão que me fez sentir confortável o suficiente para ficar curiosa sobre Deus'", concluiu ela.

Meagan encerrou a entrevista compartilhando que sua “maior alegria” na vida é ser uma testemunha de Jesus no set.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2022

Grupo de Alcoólicos Anônimos é censurado por orar no início das reuniões, na Inglaterra

A administração do AA puniu e separou o grupo, e ainda o removeu do site da organização.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CBN NEWS E DAILY MAIL


Os Alcoólicos Anônimos foi criado por cristãos, na década de 1930. (Foto: Wikimedia Commons/Philipp Müller-Dorn).

Um grupo dos Alcoólicos Anônimos (AA), na cidade de Yeovil, Inglaterra, foi censurado por orar o “Pai Nosso” no início de suas reuniões. Os líderes do AA removeram o grupo do site da organização, argumentando que ele havia se tornado muito focado na fé cristã.

Entretanto, John Palmer, tesoureiro do grupo em Yeovil, lembrou que os Alcoólicos Anônimos foi criado por cristãos, na década de 1930, e adotou a “Oração da Serenidade”, para ser recitada ao final das reuniões e a tradição se popularizou em todo o mundo, até os dias de hoje, de acordo com a Christian Concern do Reino Unido.

“AA foi fundada por cristãos para salvar e transformar vidas. Ao longo dos anos, tenho visto o cristianismo sendo corroído e marginalizado da organização como um todo. É triste de ver, e como resultado, acho que AA está tendo menos impacto na vida das pessoas”, afirmou Palmer, de 69 anos, que participou das reuniões na década de 1980, quando era um "náufrago viciado”.

E protestou: “É uma decisão ridícula. Eles nos removeram da seção “Encontre uma reunião” do site da AA, o que impedirá que novos membros nos encontrem. Em outras palavras, estamos sendo fechados”.

A desaprovação do grupo de Yeovil foi levada a uma reunião de administradores da AA, em Somerset, e uma ata foi feita para registrar as críticas dos líderes, que descreveram o grupo Yeovil como “adorável, mas não [funciona] de acordo com as diretrizes de AA”.

A diretoria ainda criticou uma pessoa do grupo por afirmar que “a única forma de recuperação é por meio de Jesus”. “Eles foram contra as tradições, não há nada de errado em falar sobre Jesus, mas isso não é AA. O grupo deve ser mantido separado", escreveram na ata.

Assim como muitos outros AA pelo mundo, o grupo de Yeovil realiza as reuniões em uma igreja. “Você não precisa ser cristão para fazer parte de um grupo de AA, mas se você não pode orar o Pai Nosso em uma igreja sem ser tratado assim, para onde vamos? Não estamos batendo palmas e nem pressionamos o cristianismo nas pessoas”, explicou Palmer.

Andrea Williams, executiva-chefe da Christian Concern, condenou a atitude dos administradores do AA de punir o grupo de Yeovil.

“O poder da mensagem do Evangelho é o que inspirou a criação de AA, após a transformação radical que os alcoólatras experimentaram ao encontrar esperança e cura em Jesus Cristo”, afirmou Williams.

E concluiu: “Separar e punir os cristãos para que eles não possam atrair novos membros para compartilhar a mensagem do Evangelho de esperança é perturbador e ridículo”.

Os primórdios dos Alcoólicos Anônimos surgiu no Grupo Oxford, uma organização cristã fundada por Frank Buchman, um ministro luterano que atuava como missionário.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2022

Ator rejeita papel milionário por causa da fé: ‘Não queria mais xingar ou fumar maconha’

Chris Tucker ficou famoso pela trilogia ‘A Hora do Rush’, em que atuou ao lado de Jackie Chan.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO EINERD E FAITHWIRE


Chris Tucker no tapete vermelho no Celebrity Fight Night XXV em Phoenix, Arizona. (Foto: Reprodução / Gage Skidmore)

Durante anos, Chris Tucker estava ganhando espaço, estrelando sucessos de bilheteria dos anos 90 como "Jackie Brown", "Money Talks" e "A Hora do Rush", um grande sucesso, em que atuou ao lado de Jackie Chan.

O astro, que se tornou uma celebridade e chegou a ser um dos mais bem pagos de Hollywood, ficou ainda mais famoso após participar da bem-sucedida trilogia “A Hora do Rush”. No entanto, após o lançamento do terceiro filme, o também comediante praticamente sumiu das telas.

Chris Tucker em “A Hora do Rush”, ao lado de Jackie Chan. (Foto Divulgação / EiNerd)

Tucker só apareceu em mais dois filmes desde então: “O Lado Bom da Vida”, de 2012, e “A Longa Caminhada de Billy Lynn”, de 2016.

De acordo com o rapper Ice Cube, que atuou com Tucker, ele recebeu uma oferta impressionante para reprisar seu papel na comédia de sucesso de 1995, "Friday”, mas recusou por causa de sua fé.

“Estávamos prontos para pagar a Chris Tucker $ 10 [a] $ 12 [milhões] para fazer 'Next Friday'”, escreveu ele. “Mas ele nos recusou por motivos religiosos. Ele não queria mais xingar ou fumar maconha na frente das câmeras”.

Volta às origens cristãs

Um documentário no canal do YouTube Comedy Hype revelou que Tucker - que já foi o ator mais bem pago de Hollywood - foi criado como pentecostal e frequentava a igreja regularmente. Quando se tornou famoso, ele abandonou sua fé, mas voltou às suas raízes religiosas quando se mudou para Atlanta no final dos anos 1990, voltando a ser um cristão fiel.

Em 2014, ele disse ao canal canadense Straight que voltou ao stand-up comedy por causa de sua fé.

“Ser cristão me ajuda na comédia”, disse ele ao jornal. “Eu tenho que falar sobre outras coisas. Normalmente, a maioria dos quadrinhos fala sobre coisas que são fáceis - talvez xingando ou dizendo algo obsceno. Tenho que cavar mais fundo para encontrar algo que ainda seja engraçado e não atrevido. É mais difícil. Eu gosto do desafio.”

segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Extremistas islâmicos decapitam pastor e obrigam esposa a carregar restos mortais

A cristã precisou carregar a cabeça do marido até uma delegacia onde prestou depoimentos à polícia.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN POST

Cristãos em Moçambique vivem sob pressão dos ataques extremistas. (Foto: Portas Abertas)

Em Moçambique, extremistas ligados ao Estado Islâmico do Iraque e Levante (EI) decapitaram um pastor e entregaram sua cabeça decepada para sua esposa, forçando-a a carregá-la para a delegacia de polícia para prestar depoimento.

Os militantes do EI decapitaram mais de 50 pessoas, incluindo mulheres e crianças nos distritos de Miudumbe e Macomia, na província de Cabo Delgado, nos últimos anos.

As informações foram dadas pelo ICC (International Christian Concern ), na última quarta-feira (15). O assassinato também foi relatado pelo Daily Mail, mas o nome do pastor não foi divulgado.

Conforme o Christian Post, militantes jihadistas do Al-Shabaab atuam na mesma região e vem forçando mulheres e meninas a se casarem com seus combatentes. Algumas foram sequestradas e mantidas em cativeiro até o pagamento do resgate ser efetuado pelos familiares.

Não se acredita, porém, que este grupo denominado Al-Shabab, em Moçambique, tenha qualquer ligação com o grupo terrorista de mesmo nome, com base na Somália.

Decapitação vem sendo praticada pelos terroristas

O norte de Moçambique vive o auge de uma onda de violência que tomou conta da região, quando insurgentes islâmicos passaram a promover assassinatos, decapitações e sequestros de mulheres e crianças em vilarejos.

No dia seguinte ao assassinato do pastor, o presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, afirmou que o número de ataques jihadistas havia diminuído este ano depois que Ruanda e países vizinhos ajudaram a combater a insurgência jihadista islâmica radical.

Mas, de acordo com o ACLED (Armed Conflict Location and Event Data Project), uma organização especializada em coleta, análise e mapeamento de crises e conflitos, o número de ataques subiu disparadamente em pouco tempo.

Perseguição aos cristãos está mais intensa

A província de Cabo Delgado sofreu pelo menos 776 eventos de violência organizada, desde 2017. Em janeiro de 2021, foram contabilizadas 2.578 mortes por violência organizada e 1.305 mortes de alvos civis.

Cabo Delgado, região rica em petróleo, foi invadida pelo movimento jihadista que tem deslocado milhares de pessoas. Em 2018, o grupo terrorista jurou fidelidade ao Estado Islâmico do Iraque e Síria.

Em 2019, o Estado Islâmico confirmou o grupo como afiliado e assumiu a responsabilidade por alguns ataques. Conforme a ONU, estima-se que mais de 745 mil pessoas estejam deslocadas internamente em Moçambique devido ao extremismo islâmico desde 2017.

Moçambique está classificado como o 45º pior país em perseguição na Lista Mundial da Perseguição 2021, da Portas Abertas. Ataques extremistas vêm acontecendo com frequência, matando muitos cristãos, além de escolas invadidas e igrejas queimadas.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2021

Charles do Bronx fala de Jesus no octógono: “Ele está voltando, não fiquem brincando!”

Charles do Bronx agradeceu a Deus ao defender o cinturão pela primeira vez na luta principal do UFC 269.

FONTE: GUIAME


Charles do Bronx agradeceu a Deus no octógono. (Foto: Captura de tela/YouTube/UFC Brasil)

O campeão peso-leve Charles Oliveira, mais conhecido como Charles 'do Bronx', defendeu o cinturão pela primeira vez no sábado (11) em Las Vegas (EUA), na luta principal do UFC 269, após finalizar o americano Dustin Poirier.

Em entrevista no octógono, o lutador brasileiro agradeceu não só à sua equipe e aos fãs, mas glorificou a Deus pelo cinturão, no ginásio T-Mobile Arena.

“Eu tenho a melhor equipe do mundo, o melhor time do mundo. Eu estou pronto. Estou feliz demais. Toda honra e toda glória [a Deus]”, disse Charles apontando para o alto.

Ele continuou: “Como eu falei, não fui eu, foi Ele lá em cima, o homem lá em cima. Esse é o cara, Ele é o verdadeiro. Ele está voltando família, Ele está voltando! Não fiquem em casa brincando não, Ele está voltando!”

Assista a partir do minuto 1:47:

https://youtu.be/5bKyaZ49MSM

Esta foi a 32ª luta da carreira de Charles e a décima luta seguida a ser vencida. Nascido em Guarujá, no litoral de São Paulo, o atleta de 32 anos é campeão dos pesos-leves (70 kg) e também o maior vencedor por finalizações na história do UFC.

Depois da vitória no UFC 269, Charles foi aclamado pela torcida, mas se recusou a receber o crédito pela vitória, em um gesto com as mãos. Mais tarde, no Instagram, ele explicou: “Eu não, sempre foi Jesus!”

Antes de subir no octógono, o brasileiro deu ainda outra declaração de fé, em entrevista à UFC: “A palavra de Deus fala: ‘Mil cairão ao teu lado e dez mil à tua direita, mas tu não serás atingido, porque Eu sou o teu Deus’. É isso o que eu tenho a dizer. Eu estou pronto! Eu vou chocar o mundo mais uma vez”.

Ele também citou um versículo bíblico ao comentar sua chegada ao top 5 da categoria peso-por-peso. “Eita Deus, olha aonde nós chegamos, e é apenas o começo”, disse no Instagram. “Se a sua fé for do tamanho de um grão de mostarda, você pode mover montanhas”.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

SBB lança rádio que toca a Bíblia 24 horas, com participação de Cid Moreira

A Rádio Bíblia SBB teve estreia em 12 de dezembro. A web rádio cristã conta com programação ininterrupta, completamente dedicada à Bíblia.

FONTE: GUIAMEA

A Rádio Bíblia SBB entrou em operação no dia 12 de dezembro. (Foto: Instagram/SBB)

Sempre disposta a tornar o Livro Sagrado mais acessível a todas as pessoas, a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) escolheu uma nova mídia para ressaltar o conteúdo e o poder transformador da Palavra de Deus.

A Rádio Bíblia SBB entrou em operação no dia 12 de dezembro, com a proposta de ser uma rádio web cristã, de alcance mundial, 24 horas por dia no ar.

A programação é diversificada, oferecendo aos ouvintes músicas cristãs, notícias e curiosidades do mundo da Bíblia, programas de incentivo à leitura e audição das Escrituras Sagradas. Outro destaque é o time de apresentadores, que inclui comunicadores do porte de Cid Moreira, Sérgio Azevedo e Cyro César.

O acesso pode ser feito tanto pela internet (radiobiblia.sbb.org.br) e pelo app Rádio Bíblia SBB, disponível inicialmente para o sistema Android.

Em sua fase experimental, a emissora já conquistou ouvintes em diversos países, entre eles, Peru, Estados Unidos, Colômbia, Índia, Lesoto, Belize, El Salvador, República Tcheca e Sri Lanka, além do Brasil.

“Queremos que a Bíblia esteja presente em todos os momentos na vida das pessoas. Uma rádio pela internet nos permitirá ampliar a abrangência de nossas ações nesse sentido, com uma programação ininterrupta, para um público que gosta de ler e ouvir a Bíblia, de histórias sobre ela e seu poder transformador, e que não dispensa música cristã de qualidade”, afirma Erní Seibert, diretor executivo da SBB e um dos apresentadores da rádio.

Ele acrescenta que, diferentemente de outras emissoras cristãs, que privilegiam uma programação musical, a “rádio que toca a Bíblia” dará destaque ao conteúdo bíblico e às iniciativas de impacto social da SBB.

Sem fins comerciais ou lucrativos, a Rádio Bíblia SBB contará com a ajuda de doadores e parceiros na causa da Bíblia para sua manutenção.

Programação

Entre os programas já definidos, estão:

- Mensagens da Bíblia em Áudio: tem a proposta de tocar os corações com a primorosa interpretação de Cid Moreira de vários textos da Bíblia.

- O Fascinante Mundo da Bíblia: desvenda assuntos pouco conhecidos do livro mais lido, procurado e apreciado em todo o mundo. Apresentação: Reverendo Erní Seibert

- A Bíblia ao Alcance de Todos: contribui para divulgar a Bíblia e a sua mensagem, tornando-a mais acessível e relevante para todas as pessoas. Compilação de Lives conduzidas pelo Reverendo Erní Seibert, apresentadas em formato radiofônico, para serem ouvidas na programação da Rádio Bíblia SBB, ou através dos podcasts armazenados no site da rádio.

- O Ano Todo com a Bíblia: A Bíblia tem 1.189 capítulos – 929 no Antigo e 260 no Novo Testamento. Para finalizá-los em 365 dias, seria preciso ler, em média, pouco mais de três capítulos por dia. Neste programa, veiculado em dois horários, às 6h e às 22h, será possível ouvir a palavra de Deus de maneira envolvente e cumprir este propósito, contando com uma voz amiga e agradável na narrativa bíblica. Apresentação: Edson Tauhyl.

- A Bíblia e a Música: A música pode contribuir para transformar corações pela Palavra. O programa se utiliza do relato bíblico em sintonia plena com a música, envolvendo o ouvinte. Nos primeiros 25 programas contará com a participação especial de Cid Moreira, Celso Freitas e Sérgio Azevedo, e ainda com preâmbulo de Daiana Freitas.

- Vidas Transformadas: A Palavra de Deus tem poder para transformar vidas. O programa trará o relato de pessoas que tiveram sua vida transformada pela Palavra. Apresentação: Wilson Versolato.

- Dia a Dia com a Bíblia: A Bíblia aborda diversos assuntos do cotidiano, como medo, novos começos e solidão, sendo uma fonte de ensinamentos. Em três edições diárias, terá dicas e princípios para uma vida melhor. Apresentação: Cyro César

- Notícias do Mundo da Bíblia: Este programa é uma janela para o universo bíblico. Apresenta notícias, novidades e descobertas científicas do mundo da Bíblia. Aborda fatos, histórias e curiosidades sobre a tradução bíblica. Busca responder perguntas e traz respostas sobre temas interessantes para o público. Uma produção cuidadosa que procura trazer à luz textos bíblicos muito antigos, que confirmaram que a Bíblia que temos hoje em mãos foi muito bem conservada durante os séculos, mostrando que é igual àquela usada no tempo de Jesus. Apresentação: Cyro César.

Perfil dos apresentadores

Cid Moreira: jornalista, locutor e apresentador brasileiro. Com sua voz grave e inconfundível apresentou por 27 anos o Jornal Nacional da TV Globo. Também narrou a Bíblia em Áudio, empreendimento no qual obteve sucesso junto ao público brasileiro, com mais de 30 milhões de CDs vendidos. As gravações mais destacadas são: “A Bíblia Sagrada – o Novo Testamento” (2002), “Coleção Novo Testamento” (2004), “A Bíblia em Áudio" (2002 a 2009), esta última em parceria com a SBB.

Rev. Dr. Erní Walter Seibert: doutor em Ciências da Religião, mestre em Teologia e com MBA em Marketing de Serviços, é autor de cinco livros. Tem ainda trabalhos sobre Teologia e Ciências da Religião publicados em várias revistas especializadas, tanto no Brasil como no exterior. Atualmente, ocupa o cargo de diretor executivo da SBB.

Sérgio Azevedo: radialista, especialista em marketing e gestão empresarial, experiente comunicador tanto em rádio como em televisão. Junto a Cid Moreira, desenvolveu vários projetos de marketing e compartilhou múltiplas gravações nestes últimos 20 anos. Dentre estas, a mais proeminente foi a produção da gravação da Bíblia em Áudio, que envolveu mais de 100 profissionais. O projeto consumiu sete anos de trabalho e notabilizou-se pelo Guinness Book como a maior fonte de referência reflexiva e inspiradora no mundo cristão.

Wilson Versolato: possui grande experiência como locutor e apresentador, tendo trabalhado nos principais veículos de comunicação de São Paulo: TV Cultura, SBT, CMT, VH1, TV Gazeta, Rádios Eldorado, Antena1, Musical MPB FM, Cultura AM e FM. Atualmente sua voz é ouvida em todos os países de língua portuguesa, através dos canais Warner Channel, Discovery Channel, HBO e NET TV, além de institucionais, comerciais e vinhetas para rádio e TV, para produtoras de áudio e traillers de filmes para cinema, realizados por meio de sua empresa WPGB Mídia, atuante desde 2002. Ministra palestras e aulas especiais, em cursos de locução do Senac e da Radioficina.

Cyro César: radialista, construiu uma carreira como comunicador de rádio em São Paulo, desenvolvendo um estilo contagiante e carismático no ar. Atuou em grandes emissoras de São Paulo, dentre elas as rádios Antena 1, Record, Rádio Cidade, Manchete e Rádio USP. Foi protagonista da primeira geração de comunicadores que acompanharam a chegada do FM no Brasil, nos anos 80. Na década de 90, acompanhou a implantação das redes via satélite. Com uma sólida carreira acadêmica, é graduado em Produção de Rádio e Televisão, com MBA na área de Marketing & Propaganda, e mestrando em Tecnologia da Inteligência Digital, pela PUC-SP. Integra o grupo de pesquisa Tecno-diversidade, formado pelas instituições PUC-SP e FATEC-SP.

Daiana Freitas: radialista, locutora e comunicadora. Atua no segmento de comunicação como social media e analista de Marketing/Social Media.

Edson Tauhyl: locutor, apresentador, mestre de cerimônia e narrador da Bíblia da SBB (NTLH, ARC, ARA).

Sobre a SBB

A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) foi fundada em 10 de junho de 1948, por igrejas de diferentes denominações religiosas com o objetivo de tornar a Bíblia acessível a todas as pessoas. Com a missão de semear a Palavra que transforma vidas, a SBB atua como organização beneficente de assistência social e desenvolve programas de impacto social em todo o país. Nos últimos cinco anos, mais de 2,76 milhões de pessoas foram beneficiadas por estas iniciativas, desenvolvidas pela SBB em parceria com mais de 2.100 entidades sociais.

Em 2020 foram distribuídas mais de 4,74 milhões de Bíblias impressas completas no Brasil, e no mundo todo mais de 2,047 bilhões de capítulos das Bíblias da SBB foram lidos em aplicativos de forma gratuita. A SBB é responsável por algumas das traduções bíblicas mais apreciadas pelos cristãos brasileiros: Nova Tradução na Linguagem de Hoje, Almeida Revista e Corrigida, Almeida Revista e Atualizada, Nova Almeida Atualizada e Tradução Brasileira. A SBB faz parte de uma organização mundial, as Sociedades Bíblicas Unidas, que está presente em 147 países.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

Encontrada sinagoga do período do Segundo Templo onde Maria Madalena nasceu

De acordo com os Evangelhos, Maria Madalena foi uma das mulheres que viajou com Jesus e testemunhou sua crucificação e ressurreição.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO JPOST


Antiga sinagoga descoberta em Migdal, Galileia. (Foto: Cortesia da Universidade de Haifa)

Uma sinagoga de 2.000 anos foi descoberta no antigo assentamento judaico de Migdal na Galileia, a segunda sinagoga do período do Segundo Templo descoberta na cidade, também conhecida como Magdala.

O local é destaque tanto nos escritos do historiador judeu-romano Flávio ​​Josefo, quanto como local de nascimento de Maria Madalena, segundo consta nos Evangelhos.

“A descoberta de uma segunda sinagoga neste assentamento galileu lança luz sobre a vida social e religiosa dos judeus na área neste período e reflete a necessidade de um edifício dedicado à leitura e estudo da Torá e para encontros sociais”, disse Dina Avshalom-Gorni, uma das diretoras das escavações. “Podemos imaginar Maria Madalena e sua família vindo à sinagoga aqui, junto com outros residentes de Migdal, para participar de eventos religiosos e comunitários.”

De acordo com os Evangelhos, Maria Madalena - também conhecida como Maria de Magdala - foi uma das mulheres que viajou com Jesus e testemunhou sua crucificação e ressurreição.

No primeiro século da era Cristã, Migdal também foi a base principal de Yosef ben Matityahu (Flávio ​​Josefo), que serviu como comandante da rebelião contra os romanos na Galileia antes de se render a eles e, por fim, obter a cidadania romana.

Descoberta

A primeira sinagoga foi descoberta em Migdal em 2009, quando uma escavação feita pela Autoridade de Antiguidades de Israel revelou banhos rituais judaicos (mikvaot), ruas, um mercado e instalações industriais.

Um artefato único estava no meio do salão principal da sinagoga: uma grande pedra retratando o Segundo Templo de Jerusalém, com uma menorá de sete ramificações esculpida em um de seus lados. Representou uma descoberta crucial porque a representação foi gravada na pedra quando o templo ainda estava de pé.

“O fato de termos encontrado duas sinagogas mostra que os judeus do período do Segundo Templo estavam procurando um lugar para reuniões religiosas, e talvez também sociais,” disse o chefe do Instituto Zinman, Prof. Adi Erlich. “A pedra com um relevo da Menorá da outra sinagoga em Migdal sugere que os judeus locais viam Jerusalém como seu centro religioso, e suas atividades locais ocorriam sob essa centralidade.”

A sinagoga recém-descoberta tinha o formato de um quadrado e era construída em basalto e calcário. Apresentava um salão principal e duas outras salas. O hall principal era revestido a gesso branco e apresentava uma bancada de pedra ao longo das paredes, também revestida a gesso. Uma das salas menores apresentava uma prateleira de pedra. De acordo com os especialistas, pode ter sido usado para armazenar os rolos da Torá.

“A sinagoga que estamos escavando agora fica perto da rua residencial, enquanto a escavada em 2009 era cercada por uma área industrial”, disse Erlich. “Assim, as sinagogas locais foram construídas dentro do tecido social do assentamento.”

A escavação foi iniciada como uma escavação de salvamento antes dos trabalhos de construção na interseção Migdal. De acordo com a lei israelense, todos os projetos de desenvolvimento precisam ser acompanhados por essa escavação.

sexta-feira, 10 de dezembro de 2021

Dia da Bíblia: a origem da data e como as Escrituras influenciam o mundo

A Bíblia evidencia a liberdade humana e seu conteúdo pode transformar a sociedade.


FONTE: GUIAME, CRIS BELONI


Bíblias abertas. (Foto: Chris Liu/Unsplash)

O Plenário do Senado aprovou, nesta quarta-feira (8), requerimento para realização de sessão especial para comemorar o Dia da Bíblia, embora a data da sessão ainda não tenha sido definida.

O Dia da Bíblia é comemorado no segundo domingo do mês de dezembro e costuma se espalhar por todos os estados brasileiros, em especial, por iniciativa dos evangélicos. Neste ano, as comemorações vão acontecer no próximo domingo, dia 12.

Além de motivar igrejas e cristãos para celebrar a data, o objetivo de várias campanhas é colocar a Bíblia em evidência, chamando a atenção dos brasileiros para a importância do Livro Sagrado para a vida em sociedade.

Sobre o Dia da Bíblia

De acordo com o senador Carlos Viana (PSD-MG), autor do requerimento, a data celebrada no segundo domingo de dezembro é um dia de celebrações “para agradecer a Deus pelo acesso à sua Palavra”, justificou.

O Dia da Bíblia foi criado em 1549, na Grã-Bretanha, pelo Bispo Cranmer e, no Brasil, a data começou a ser celebrada em 1850, quando os primeiros missionários cristãos evangélicos chegaram da Europa e dos EUA.

Durante o período do Império, a liberdade religiosa era restrita e impedia as manifestações públicas dos protestantes, mas por volta de 1880, essa liberdade foi crescendo e o movimento evangélico, juntamente com o Dia da Bíblia, se popularizou entre os fiéis.

A comemoração passou a integrar o calendário oficial do país em dezembro de 2001, graças à Lei nº 10.335/2001, que institui a celebração do Dia da Bíblia em todo o território nacional, conforme a Agência Senado.

Importância da Bíblia para a sociedade

“Realizar esta sessão especial é uma oportunidade de relembrar a todos a importância de um dos livros mais publicados e impressos na história da humanidade”, disse o senador.

“Em tempos de ódio e de segregação pelas mais diversas questões, a Bíblia traz mensagens de amor por meio das boas novas pregadas por Jesus — da natureza da humanidade e os nossos próprios corações como seres humanos”, escreveu Carlos Viana na justificação do requerimento.

Defendendo a fé cristã

A Bíblia já foi traduzida para mais de três mil idiomas e estima-se que já foram impressos mais de quatro bilhões de exemplares. “Seu conteúdo é inerrante, suas profecias são infalíveis e sua mensagem é sempre atual”, diz o pastor e teólogo Hernandes Dias Lopes.

A coletânea de sessenta e seis livros foi escrita por homens inspirados pelo Espírito de Deus, conforme o teólogo explica. “As nações que cresceram sob sua égide foram nações prósperas. Ela sempre esteve na base dos grandes avanços e conquistas sociais”, ele defendeu.

Além disso, ele acrescentou que a Bíblia inspira as conquistas científicas e a educação dos povos. “Ela valoriza a vida, a família, a ordem, o relacionamento certo com Deus e com os homens. Nenhum indivíduo pode ser verdadeiramente culto sem conhecer este livro dos livros”, enfatizou.

“A Bíblia prova sua importância, pertinência e acuracidade por três razões eloquentes, dentre outras. Primeiro, sua unidade na diversidade. Ela levou mais de quinze séculos para ser escrita, por aproximadamente quarenta escritores, de lugares diferentes, tempos diferentes e culturas diferentes”, disse.

“Não há conflito, entretanto, nem contradição entre seus autores. Ela não precisa ser atualizada nem ressignificada. Sua mensagem é sempre atual e oportuna. Isso a torna singular”, continuou.

“Segundo, suas profecias cumpriram-se, estão se cumprindo e hão de se cumprir literalmente. Deus escreve a história antes de ela acontecer. Deus está no futuro em seu eterno agora. Ela retrata de maneira eloquente que Deus está no trono e dirige os destinos da história”, continuou.

“Terceiro, seu poder transformador. A Palavra de Deus tem vida em si mesma. Ela tem sido um poderoso instrumento nas mãos de Deus para transformar a vida de facínoras em homens mansos, ébrios em homens sóbrios, devassos em homens santos e piedosos”, apontou.

A Bíblia é proibida em diversos países

Mesmo sendo o livro mais lido, mais traduzido e mais distribuído do mundo, a Bíblia pode ser motivo de prisões, torturas e execuções em países onde não há liberdade religiosa.

“A despeito desses apanágios singulares da Bíblia, ela tem sido perseguida ao longo dos séculos. Não poucas vezes, foi confiscada, proibida e lançada às fogueiras”, citou Hernandes Dias Lopes.

Segundo ele, frequentemente, levantam-se pessoas orgulhosas para atacarem as Escrituras. “Todavia, quanto mais a Bíblia é atacada, mais ela cresce; quanto mais ela é criticada, mais seu conteúdo evidencia-se verdadeiro”, exclamou.

“E quanto mais ela é proibida, mais ela é traduzida para outros idiomas e distribuída em larga escala. A Bíblia tem sido a bigorna de Deus que tem quebrado o martelo de todos os críticos. Ela tem saído ilesa e sobranceira de todas as fogueiras da intolerância”, continuou.

“Ela não pode ser destruída pelos homens, porque é a palavra eterna de Deus. Ela não pode ser refutada pelos críticos, porque ela não pode falhar. Ela não pode ser proibida pelas cortes porque ela não está algemada”, disse ainda.

“O próprio Filho de Deus afirmou que a Palavra de Deus é a verdade (Jo 17.17). Ninguém pode lutar contra a verdade e prevalecer”, concluiu.