segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Como a internet está mudando a face do cristianismo

Estudiosos apontam para o surgimento de uma “religião personalizada”


por Jarbas Aragão

Resultado de imagem para hard copy vs soft copy
Como a internet está mudando o cristianismo

A quase onipresença de smartphones e das redes sociais vem mudando o comportamento das pessoas em todo o mundo. Isso também atinge a forma como as pessoas praticam sua religião. Vários segmentos religiosos estão adotando tecnologias on-line para tornar mais fácil as pessoas comunicarem suas ideias e expressarem devoção.

Segundo o reverendo Pete Phillips, diretor do Centro de Pesquisa de Teologia Digital da Universidade Durham, no Reino Unido, “a tecnologia está moldando as pessoas religiosas e mudando seu comportamento”. Pessoalmente, ele já experimentou isso. Lembra que em 2008 os fiéis eram impedidos de deixar os celulares ligados durante os cultos. Hoje, muitos ministérios insistem para que as pessoas os mantenham ligados e cresce o número de igrejas que disponibiliza wi-fi.

Aplicativos como o YouVersion já substituíram as tradicionais Bíblias de capa preta. Ele é o mais popular do tipo, com mais de 260 milhões de usuários em todo o mundo. “Uma das primeiras coisas que os cristãos fizeram com o computador foi colocar a Bíblia em formatos digitais”, explica Phillips. Essas Bíblias digitalizadas agora são baixadas em segundos.

De acordo com a igreja que desenvolveu o YouVersion, as pessoas gastaram mais de 235 bilhões de minutos usando o aplicativo e destacaram 636 milhões de versículos bíblicos. Mas ler a Bíblia nesse formato está, inclusive, mudando o modo como as pessoas veem as Escrituras.

Phillips, que lidera um grupo de pesquisas sobre o assunto, assegura: “Se você pegar pela primeira vez uma Bíblia impressa em papel, pode parecer algo muito grande e complicado. Mas aprenderá que Apocalipse é o último livro e Gênesis é o primeiro, como Salmos bem no meio”. Porém, defende o estudioso, “Na versão digital você não tem nada disso, você não conhece os limites. Não precisa ficar folheando, vai direto para onde pediu para ir, e perde a noção do que vem antes ou depois. ”

Entre as primeiras conclusões de seus estudos, ele destaca que a maneira que as Escrituras são lidas pode influenciar na maneira como são interpretadas. Por exemplo, já ficou evidenciado que o texto lido nas telas geralmente é visto de modo mais literal que o que é lido nos livros.

As características estéticas da leitura afetam a percepção como um todo. “Quando você está diante de uma tela, tende a se concentrar mais na informação”, diz Phillips. “É uma leitura simples, que não combina com a Bíblia. Você acaba lendo o texto como se fosse a Wikipedia, ao invés de enxergar um texto inerentemente sagrado.”


Igrejas na palma da mão

Ao mesmo tempo, outra prática cristã está sofrendo alterações mais drásticas. Impulsionada pela disseminação das mídias sociais e pela descentralização da atividade religiosa, surgem as igrejas na palma da mão.

Para muitos, já não é necessário pôr os pés em um templo. Nos Estados Unidos, uma em cada cinco pessoas que se identificam como católicos e um em cada quatro protestantes raramente ou nunca frequentam reuniões cristãs semanalmente, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center.

Aplicativos e perfis de mídia social que mencionam versículos da Bíblia ou vídeo curtos permitem uma expressão privada de fé, que ocorre entre a pessoa e seu telefone. Essa capacidade de escolher significa que eles podem evitar facilmente o contato com uma doutrina que não os atrai.

“Um novo tipo de cristianismo modificado para a era digital está surgindo”, insiste Phillips. Esta nova forma de religião foi identificada pela primeira vez por sociólogos em 2005, mas foi extrapolada pela popularização da internet. “As pessoas estão procurando uma experiência religiosa mais personalizada”, diz Heidi Campbell, da Universidade Texas A & M, que estuda religião e cultura digital.

Mas isso não ocorre sem problemas. Para os eruditos, as pessoas preferem se apegar nos aspectos morais da Bíblia, em “fazer o bem”, ao invés de se prenderam a questão sobrenatural e a noção que o Universo é controlado por um líder todo-poderoso. Poderia ser classificada como “deísmo terapêutico moralista”, pois valoriza somente porções do ensino milenar.

Os mais jovens acabam desenvolvendo uma visão genérica de Deus ao invés de pensar em um Deus que intervém. “Eles preferem falar sobre Deus que Jesus, porque ele não é específico. Afinal, ele é invisível e parece estar preocupado que todos sejam felizes enquanto seguem suas vidas, mas Jesus. Bem, ele parece entrar e interferir em tudo”, descreve Philips.

Compartilhar versículos da Bíblia nas mídias sociais permite que os fiéis acabem fazendo leituras aleatórias, que não estão ligadas. É algo bem diferente comparado ao ato de sentar-se e ouvir um padre ou pastor escolher o que você vai ouvir todos os domingos.

Não por acaso, os versículos da Bíblia estão sujeitos a “concursos de popularidade”. Por exemplo, anualmente o YouVersion revela quais os textos mais populares, que foram favoritados e compartilhados nas redes sociais. Frequentemente são aqueles que refletem os o crescimento da visão propagada no deísmo terapêutico moralista.

A maioria se referem a coisas como vencer problemas ou lidar com ansiedade e frustração, por exemplo – em vez de promover a glória de Deus. As crenças religiosas “selecionadas” não são novas. Mas está mais fácil do que nunca criar uma fé individualizada. “A Internet e as mídias sociais ajudam as pessoas a fazer isso de maneiras mais concretas”, diz Campbell.

“Nós temos mais acesso a mais informações, mais pontos de vista e podemos criar um ritmo espiritual e um caminho mais personalizado. A vida digital é uma comunicação de duas vias. As pessoas vêm com uma certa expectativa de como a comunidade responde e uma sensação maior de liberdade. As instituições religiosas precisam se adaptar ou perderão espaço”, assevera.

Isso não é novidade, a fé cristã é boa em se adaptar. O cristianismo tem se reinventado por quase 2.000 anos. Dos rolos de pergaminho com apenas parte das Escrituras e reuniões secretas com meia dúzia de seguidores no primeiro século a megatemplos e Bíblia nas redes sociais quase dois milênios depois, as circunstâncias sempre forçaram mudanças. O futuro depende de como a igreja vai responder a isso. Com informações de BBC

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Extremistas islâmicos atacam Kaduna novamente


Os militantes invadiram a região durante a noite, queimando casas e atingindo aos moradores em ataques simultâneos em algumas aldeias; entre as vítimas havia mulheres, crianças e idosos

Apesar do aumento da presença do Exército nigeriano em Kaduna, pelo menos 26 pessoas morreram nessa semana em ataques realizados pelos pastores Fulani (fazendeiros muçulmanos nômades). Entres os mortos estavam 2 policiais. Os militantes invadiram a região durante a noite, queimando casas e atingindo aos moradores em ataques simultâneos em algumas aldeias. Entre as vítimas havia mulheres, crianças e idosos.

O governo do Estado respondeu aos últimos assassinatos deslocando o Comandante do Exército e o Comandante da Polícia, a fim de coordenar um contra ataque. Mas não poupou os líderes cristãos, ativistas, jornalistas e até aqueles que estavam à frente da batalha contra a violência, acusando-os de “incitação ao ódio” e por “tentativa de obter financiamento estrangeiro”. Vários foram levados para interrogatório ou foram brevemente detidos.

Em janeiro, Kaduna já havia sido atacada pelo mesmo grupo extremista, situação em que pelo menos, 800 pessoas morreram, muitas ficaram feridas, cerca de 53 aldeias e fazendas vizinhas foram destruídas, mais de 1.400 casas e quase 20 igrejas foram queimadas, conforme a liderança cristã na região. Ainda há grandes dificuldades humanitárias e muitos deslocados. Ore pela igreja na Nigéria.

Conheça o projeto Ajuda Emergencial para Famílias na Nigéria e faça parte também da nossa luta para estender a mão aos nossos irmãos. Continue orando por eles.

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Bruxas farão feitiço em massa para tirar Trump da presidência

As bruxas pretendem realizar o feitiço em todas as noites de lua crescente, à meia-noite, até que o presidente seja removido de seu cargo.lusnterest

Bruxas farão feitiço em massa para "amarrar" o presidente dos EUA. (Foto: Reprodução)
Bruxas farão feitiço em massa para "amarrar" o presidente dos EUA. (Foto: Reprodução)
Bruxas de todo o mundo estão sendo convidadas a participarem de um feitiço em massa para "amarrar" o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O ritual está previsto para acontecer nesta sexta-feira (24).

Organizado por uma página no Facebook, o evento denominado “Amarre o Trump” tem mais de 4 mil adeptos e pretende realizar o feitiço em todas as noites de lua crescente, à meia-noite, até que o presidente seja removido de seu cargo.

“Este feitiço de amarração é um código aberto e pode ser modificado para se adequar à sua prática espiritual ou sistema de magia preferido — os elementos críticos são a simultaneidade do trabalho e a energia de massa dos participantes", explica a organização.
A página detalha como o ritual deve ser feito e todos os adereços necessários para o feitiço incluindo uma foto “pouco favorável” de Trump, um tarô de torre, um pequeno toco de vela laranja e um prego pequeno.

Enquanto as bruxas se organizam para realizar seus rituais, um grupo de cristãos tem usado a oração para se colocar contra o feitiço.

"Embora este tipo de ataque contra os crentes e servos de Deus não seja novidade, este exemplo se destaca, porque eles estão tentando recorrer à ajuda de liberais não-religiosos. Essas pessoas, principalmente jovens que não concordam com o governo de Trump, podem ser um campo fértil de recrutamento para grupos satânicos”, afirma Kevin Ambrose, da Aliança Nacionalista Cristã.

"Esta é uma declaração de guerra espiritual e exige uma resposta. Por isso, a Aliança Nacionalista Cristã está anunciando um Dia de Oração em cada um desses dias”, anunciou Kevin.

“Suplicamos a todos os guerreiros cristãos que respondam a este chamado lendo o Salmo 23. Nós pedimos que se juntem a nós para orar com força pela nossa nação, pelos nossos representantes eleitos e pelas almas dos perdidos que pretendem usar as armas satânicas contra nós", ele acrescentou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Líderes cristãos fazem campanha contra ministério Billy Graham: “conservador demais”

Cruzada de Franklin Graham enfrenta oposição por sua postura anti-LGBT
por Jarbas Aragão

Resultado de imagem para franklin graham and billy graham
Líderes fazem campanha contra ministério Billy Graham

Diversos líderes cristãos da cidade canadense de Vancouver se reuniram para tratar da cruzada promovida pela Associação Evangelística Billy Graham. Mas, ao contrário do que aconteceu durante décadas, eles estão se opondo ao evento.

Desde a aposentadoria do seu fundador, as cruzadas são realizadas pelo seu filho Franklin Graham, que preside o ministério. Contudo, seu posicionamento favorável a Trump durante a eleição fez com que ele passasse a ser tachado de “radical”.

O prefeito de Vancouver, Gregor Robertson, convocou lideranças católicas e evangélicas para compartilhar suas “preocupações” com a visita de Graham. Reclamou da postura pública do evangelista quando fala sobre muçulmanos, gays, ateus e democratas (partido de Obama e Hillary).

Marcado para acontecer entre 3 e 5 de março, o evento público pretende reunir mais de 25 mil pessoas. O ministério de Graham realiza várias cruzadas e pregações em todo o mundo, sendo geralmente muito bem acolhido pela igreja local. Mas em tempos de discursos politicamente corretos, ele está atraído críticas de vários segmentos cristãos.

Embora muitos líderes evangélicos canadenses tenham demonstrado apoio, a articulação do prefeito parece estar levando vantagem. “O prefeito está preocupado com a segurança. As declarações que [Franklin] Graham faz sobre muçulmanos e gays realmente podem causar problemas”, assegura o conselheiro municipal Tim Stevenson. Além de político, ele é também o primeiro homossexual assumido a ser ordenado pastor pela Igreja Unida do Canadá.

Em uma reunião na última semana, liderada por Stevenson, foi elaborado uma petição para que se mantenha a cruzada, mas com outro pregador. Quatorze líderes cristãos apoiam essa decisão, incluindo o arcebispo católico Michael Miller, diretores de universidades evangélicas e líderes denominacionais de ramos liberais do cristianismo.

Um dos argumentos usados é que o discurso “extremista”, no sentido conservador, gera divisão na igreja. “Ele desumaniza a comunidade LGBT”, reclamou um dos presentes.

Franklin é conhecido por sua postura aberta contra o casamento gay e sua visão crítica do Islã. Recentemente, classificou os transexuais de “estranhos”. Na ocasião, reconheceu que não era uma linguagem polida, mas lembrou que: “Jesus não era muito amoroso às vezes. Ele chamou os fariseus de víboras, serpentes e sepulcros caiados”.

Também vem apoiando a decisão de Donald Trump de proibir a entrada de muçulmanos no país. Justificou-se dizendo que “o Islã é uma religião muito má e perversa”, que declarou guerra com o Ocidente cristão. 

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br Com informações de Vancouver Sun e Christian Today

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Mais de 65 mil cristãos se unem em jejum e oração pelo presidente, na Nigéria

A campanha de jejum e oração terá duração de 7 dias e conta com o envolvimento de sete igrejas nigerianas.

O presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, passa por problemas de saúde. (Foto: Associated Press)
O presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, passa por problemas de saúde. (Foto: Associated Press)
Mais de 65 mil cristãos iniciaram uma campanha de jejum e oração por sete dias pela recuperação do presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari.

A trajetória de oração foi iniciada pela Associação Cristã da Nigéria (CAN) na segunda-feira (20) com dezenas de membros do estado de Katsina, no norte do país.

Segundo o presidente da associação, Nelson Chukwu, as orações serão concentradas em sete igrejas do estado de Katsina.

A campanha de jejum e oração será finalizada no próximo domingo (26) na Igreja Anglicana de São João.

De acordo com Chukwu, a ação dos cristãos refletem no reconhecimento aos benefícios que o presidente tem trazido ao país.

"Estamos orando pela rápida recuperação do nosso presidente por causa das boas obras que ele iniciou no país", disse ele.

Embora a assessoria da presidência continue divulgando que o estado de saúde Buhari é estável, os nigerianos continuam especulando que o presidente está enfrentando problemas.

Tal especulação surgiu após o recente pedido de prolongar sua licença. Atualmente, Buhari está hospedado em Londres, na Inglaterra.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE PULSE

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Psicólogos poderão ter direito de atender homossexuais que buscam mudança de vida

A suspensão visa favorecer o atendimento aos pacientes egodistônicos, ou seja, que sãos homossexuais, mas estão insatisfeitos com sua condição.

Pastor Eurico pontua que o projeto não tem a pretensão de oferecer “cura” para a homossexualidade. (Foto: Leonardo Prado/Câmara dos Deputados).
Pastor Eurico pontua que o projeto não tem a pretensão de oferecer “cura” para a homossexualidade. 
(Foto: Leonardo Prado/Câmara dos Deputados).
A suspensão de uma resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP) está sendo analisada pela Câmara dos Deputados. A ordem atual estabelece normas para profissionais da psicologia no que tange a orientação sexual dos pacientes. A sustação foi sugerida por meio do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 539/16, do deputado Pastor Eurico (PHS-PE).

O projeto irá para fase de análise pelas comissões de Direitos Humanos e Minorias, Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois disso, o processo chegará para votação no Plenário.

O parlamentar ressalta em seu discurso que a atual resolução viola a Constituição Federal pelo fato de invadir a competência do Congresso Nacional de legislar. Ele afirma que a ordem legisla sobre direito da “livre manifestação do pensamento” e atenta sobre o direito da livre “expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação”, além de agredir o “livre exercício da profissão” e colocar em risco os direitos e garantias individuais.

Pastor Eurico pontua que o projeto não tem a pretensão de oferecer “cura” para a homossexualidade, mas de assegurar a competência do Parlamento. “Se quiser restringir direitos e deveres de profissionais da psicologia, o Conselho Federal de Psicologia deve mandar sua proposta para o Parlamento, a fim de debatermos sobre a vedação ou não de determinadas condutas da profissão”, diz.

Impedidos
De acordo com a Resolução 1/99, os psicólogos precisam “contribuir para uma reflexão sobre o preconceito e o desaparecimento de discriminações de homossexuais”. O texto faz com que esses profissionais sejam impedidos de praticar qualquer ato que “patologize” comportamentos ou práticas homossexuais.

Ainda segundo a resolução, fica proibido a participação de eventos que proponham a “cura” da homossexualidade. Os profissionais da área perdem a liberdade de até mesmo se pronunciarem para “não reforçar os preconceitos contra homossexuais como portadores de desordem psíquica”.

Com tantas restrições, o Pastor Eurico avalia que a resolução em vigor atrapalha a pesquisa científica sobre o comportamento dos homossexuais. “Pode o Conselho Federal de Psicologia censurar o profissional de psicologia em eventos e congressos ou proibi-lo de se pronunciar em qualquer meio de comunicação sobre pesquisa e estudo científico sobre parcerias entre pessoas do mesmo sexo?”, indaga o parlamentar.

Ele afirma que é obrigação do psicólogo atender pessoas que passam por sofrimento psíquico, isso sem depender de sua orientação sexual. “Uma sexualidade egodistônica [quando alguém é homossexual, mas está insatisfeito com a condição, por exemplo] pode causar sofrimento psíquico, sendo esta a queixa de diversas pessoas que buscam atendimento psicológico”, ressalta o político.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CÂMARA DOS DEPUTADOS

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Lei que isenta funcionários cristãos da permissão para casamentos gays é aprovada, nos EUA

A lei deve entrar em vigência no dia 14 de julho, permitindo que profissionais como tabeliã cristã Kim Davis não sejam obrigados a incluir sua assinatura nas autorizações para casamentos gays, caso entendam que isto possa ferir seus princípios, sua fé ou crenças religiosas.

Kim Davis chegou a ser homenageada por seu posicionamento. (Foto: IB Times)
Kim Davis chegou a ser homenageada por seu posicionamento. (Foto: IB Times)
Kim Davis, a tabeliã cristã de Kentucky que passou seis dias na prisão por se recusar a emitir licenças para casamentos gays, disse que uma nova lei aprovada em seu estado poderá em breve, proteger a liberdade religiosa de profissionais como ela e pode colocar um fim no processo judicial que ela ainda está enfrentando.

"Sou grato aos legisladores que aprovaram esta lei, ao governador Matt Bevin que decidiu assiná-lo, ao Conselho de Liberdade que me representou e acima de tudo, a Jesus Cristo que me resgatou e é a minha rocha sólida sobre a qual eu estou firmada", disse Davis em um comunicado, compartilhado pela instituição que a tem representado no processo judicial.

"Estou satisfeita que eu possa continuar a servir a minha comunidade do condado de Rowan sem ter que sacrificar minhas convicções religiosas e minha consciência", destacou.
Em 2015, Davis se recusou a incluir sua assinatura na certidão de casamento que autoriza casamentos entre pessoas do mesmo sexo, devido às suas crenças religiosas de que o casamento é apenas entre um homem e uma mulher.

Davis decidiu mais tarde que ela não iria influenciar os outros funcionários que optem por emitir certidões de casamento gay, mas continuou a se recusar a ter o seu próprio nome e assinatura nesses documentos.

A Lei 216 do Senado de Kentucky ("SB 216"), deve entrar em vigência no dia 14 de julho, permitindo que profissionais como Davis fiquem isentos da obrigação de incluir sua assinatura nas autorizações para casamentos gays, caso entendam que isto possa ferir seus princípios, sua fé ou crenças religiosas.

O projeto de lei modifica o regime de licenciamento para casamentos de Kentucky, permitindo a completa remoção de um tabelião do condado do documento de autorização, que é o que Davis solicitava em sua petição.

"Desde o início, Kim Davis solicitou a própria acomodação para suas convicções religiosas. Os legisladores de Kentucky aprovaram e o governador Matt Bevin assinou a lei. O governador anteriormente poderia ter tomado esta decisão, mas recusou-se a fazê-lo. Em vez disso, ele estava disposto violar as convicções religiosas profundamente enraizadas sobre o casamento, a fim de pressionar sua agenda ideológica", disse Mat Staver, fundador e presidente do Conselho de Liberdade.

"Agora que Kim Davis obteve a autorização que ela sempre solicitou, nós notificamos a Corte de Apelações de que o caso tornou-se irrelevante e não são necessários novos procedimentos legais. Estamos muito satisfeitos com este resultado".

O Huffington Post observou que a equipe jurídica que defende os casais homossexuais no caso de Davis não se opôs à ação da funcionário para procurar pôr fim ao processo judicial.
"Nós concordamos que os apelos de Kim Davis devem ser descartados", disse Daniel Canon, um desses advogados. "Uma vez que a nova lei de Kentucky torna-se vigente, todos os casais apaixonados que procuram obter licenças de casamento poderão fazê-lo em condições de igualdade".

Davis foi elogiada por grupos conservadores como o Conselho de Pesquisa da Família por seu posicionamento, que em setembro de 2015 a levou a ser homenageada pela instituição.

"O que secularistas militantes têm medo é o que está sendo aprovado: coragem está gerando coragem. Quando outras pessoas poderiam ter se encolhido de medo, Kim tomou uma posição e hoje, milhões de americanos estão com ela, lutando pela liberdade religiosa, sobre a qual nossa nação foi fundada", disse o presidente do Conselho de Pesquisa da Família, Tony Perkins em um comunicado sobre Davis no momento.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST




segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Força aérea bombardeia campo de refugiados por engano

NIGÉRIA

Os atuais incidentes ilustram como civis inocentes, entre eles muitos cristãos, são afetados pela insurgência causada pelo Boko Haram


Em janeiro, um avião nigeriano da força aérea que estava lutando para banir o grupo extremista Boko Haram do nordeste da Nigéria, acidentalmente bombardeou um campo de refugiados em Rann, uma pequena cidade que fica no estado de Borno, próximo à fronteira com Camarões. Infelizmente, o número de mortos chegou a 115, incluindo colaboradores de ajuda humanitária e refugiados.

Muitos ficaram feridos. De acordo com informações locais, existe um relatório que estima que o número de deslocados que estavam ali na hora do bombardeio seja em torno de 20 a 40 mil. Um dia antes do incidente, pelo menos quatro pessoas morreram e quinze ficaram feridas depois de um ataque a uma mesquita da Universidade Nigeriana de Maiduguri, por um atentado suicida realizado por uma adolescente que havia sido treinada pelo Boko Haram.

Um colaborador da Portas Abertas acredita que: “Os incidentes mostram que, apesar do progresso que o exército nigeriano fez ao desalojar os jihadistas de uma grande parte dos territórios onde eles dominavam, a violência ainda prevalece. A ataque no campo de refugiados em Rann mostra como civis inocentes, entre eles muitos cristãos, são afetados pela insurgência causada pelo Boko Haram. O ataque suicida em Maiduguri também mostra que os extremistas continuam a ser uma séria ameaça à população civil no nordeste da Nigéria. Sendo assim, a igreja que vive nessa região vai continuar em risco e sempre em situação de insegurança.” Ore por essa nação.

Juntos pela África
Os cristãos de alguns países da África Subsaariana enfrentam uma das piores perseguições de sua história. No dia 11 de junho, data escolhida para o Domingo da Igreja Perseguida 2017, juntos faremos mais pelos nossos irmãos dessa região.


Fonte: https://www.portasabertas.org.br

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Refugiado se ajoelha para agradecer a Deus ao reencontrar sua família; assista

O sudanês Dyan teve que passar quatro anos longe de sua esposa, que viajou com os filhos para os EUA, fugindo da guerra. O vídeo do reencontro está comovendo a internet.



O vídeo de um refugiado sudanês reencontrando sua família em um aeroporto do Texas (EUA) está emocionando muitos internautas e já foi visto por mais 1 milhão de pessoas.

A história começou em 2012, quando uma mulher sudanesa apareceu chegou ao aeroporto da cidade de Forth Worth (Texas, EUA), grávida e com seus dois filhos pequenos. O marido dela não conseguiu fazer a viagem, porque foi impedido de sair do campo de refugiados onde estava, após o casal havia perdido seus papéis matrimoniais enquanto fugia da guerra.

O casal tinha que encontrar uma maneira de provar que eles eram casados ​​e que aquelas crianças eram realmente os filhos dele. Após sua esposa conseguir embarcar com os filhos para os Estados Unidos, o homem chamado Dyan, temia nunca mais ver sua família novamente.

Após quatro longos anos, Dyan finalmente resolveu o problema e foi autorizado a viajar para os Estados Unidos e rever sua esposa e filhos - incluindo o bebê que ainda não tinha nascido quando a família foi separada. Agora o caçula está com três anos de idade.

No vídeo, o editor das imagens, Robert Fuqua, compartilhou algumas informações que ajudam a entender melhor a história. Segundo ele, sua igreja se comoveu com a situação da esposa de Dyan e se mobilizou para a ajudar a família a se reencontrar.

"Este vídeo representa o próximo capítulo da história de quase quatro anos do ministério da nossa igreja para os refugiados em um complexo da região norte de Fort Worth. Um ministério que começou com duas de nossas esposas mais velhas, Mary Claire e Molly, que acompanham a mulher sudanesa neste vídeo", contou.

"Agora temos mais de cem voluntários servindo aos refugiados em nossa região. Centenas de outras pessoas participam anualmente, recolhendo doações de casacos, mochilas e muitas oportunidades surgem ao longo do ano para nos envolvermos com essas famílias em jantares e outros encontros", acrescentou.

Robert destacou que o vídeo representa uma prova do que a Igreja pode fazer, apoiando aqueles que necessitam de ajuda e demonstrando o amor de Cristo desta forma.

"Para mim, este vídeo é um testemunho do que pode acontecer quando o povo de Deus responde em obediência simples e sacrificial ao chamado de Deus à Igreja, Sua Noiva, para envolver e abraçar pessoas de todas as línguas e tribos", disse.


Detalhes
Fuqua chamou a atenção para alguns detalhes no vídeo, que talvez passem despercebidos para algumas pessoas, mas que para ele foram tocantes.


"Há detalhes neste vídeo que talvez a maioria das pessoas não, perceba, mas isso para mim sinaliza a 'impressão digital de Deus", afirmou. "Um deles [aos 2 minutos e 33 segundos] é a exibição de um anúncio acima da esteira de bagagens, ao fundo da imagem, quando Dyan abraça sua esposa pela primeira vez em quatro anos".

"Embora muitos anúncios tenha aparecido naquele monitor, naquele momento o anúncio dizia: 'onde os sonhos tomam seu curso", disse.

Falando sobre outro detalhe emocionante no vídeo, Robert destacou a cena na qual Dyan não resiste à emoção e cai de joelhos no chão do aeroporto para agradecer por aquele reencontro.

"Outro momento especial para mim foi quando Dyan caiu para o chão sobrecarregado em gratidão para com Deus, e minha câmera inadvertidamente tornou-se o ponto de vista de seus três filhos. Ao fundo desta cena, você pode ver os maridos de Mary Claire e de Molly, com seus quatro filhos, amigos americanos dos filhos de Dyan, maravilhados diante do milagre pelo qual eles mesmos oraram durante quatro anos", finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITH WIRE

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Ladrões se convertem ao evangelho após roubarem furgão de missionário, na Argentina

Agustín trabalha evangelizando nas favelas e presídios de Buenos Aires. Mas não esperava que um dia fosse testemunhar a conversão daqueles que haviam roubado o carro de seu ministério.

Furgão em chamas. (Foto: OC Register)
Furgão em chamas. (Foto: OC Register)
Seu nome é Agustín, e ele mora na Argentina. Como a maioria dos trabalhadores do ministério cristão internacioanl "Every Home for Christ" ('EHC'), Agustin não tem muito dinheiro e trabalha duro para comprar suas coisas e pagar suas contas. Mas por diversas vezes, ele é confrontado por questionamentos difíceis: 'Compartilhar Evangelho vale mesmo a pena?'; 'Eu deveria continuar com este trabalho?'. Depois do que ele passou, muitas pessoas teriam desistido. Mas Agustín decidiu perseverar e por causa dessa decisão, ele testemunhou como Deus pode tecer os fios emaranhados de devastação, formando um bela peça na Tapeçaria da Graça.

No final do ano passado, quando Agustín e vários outros funcionários da EHC estavam evangelizando uma comunidade atormentada pelas gangues gangues nos arredores de Buenos Aires. Os voluntários do ministério estavam plenamente conscientes do perigo, mas estavam empenhados em compartilhar o Evangelho, com todos os que encontrassem na região: dependentes químicos, prostitutas e até mesmo os membros das gangues que controlam o bairro. No entanto, o que aconteceu aquela noite inesquecível faria com que Agustín questionasse se o risco valia a recompensa.

Dois homens armados surgiram do nada e atacaram a equipe. Embora os voluntários tenham tomado um susto com abordagem, não ficaram surpresos por aquilo ter acontecido. Esse tipo de coisa é comum onde eles vivem. Depois de serem fisicamente agredidos e terem armas apontadas para eles, Agustín e sua equipe entregaram para os criminosos o pouco dinheiro que tinham, seus celulares e as chaves da van do ministério. Após o assalto, os membros do 'EHC' ficaram se sentindo impotentes, enquanto os ladrões se afastavam, deixando-os desamparados em uma área extremamente perigosa.

Embora traumatizado e um tanto desanimado, Agustín agradeceu a Deus por poupar suas vidas e orou para que a van, juntamente com as Bíblias e os materiais evangelísticos que estavam nela, fossem recuperados. A van foi encontrada pouco tempo depois. O veículo tinha sido incendiado para que não pudessem ser encontradas impressões digitais dos criminisos. Mas foi o que ele encontrou no chão, ao lado da van destruída que levou Agustín e sua equipe às lágrimas. As caixas de Bíblias e materiais evangelísticos estavam do lado de fora do carro e não sofreram qualquer dano.

Naquele momento Agustín entendeu o que aconteceu ali: Deus não só protegeu sua vida e as vidas dos membros de sua equipe, mas também protegeu as ferramentas do ministério que são usadas para levar Sua mensagem a vidas que necessitam de Cristo. Com ou sem o carro, Agustin continuaria a espalhar o Evangelho em sua comunidade, entre as almas perdidas e desesperadas.

Enquanto isso, outros funcionários do 'Every Home for Christ' Argentina estavam fazendo um trabalho poderoso, evangelizando detentos em uma prisão de Buenos Aires. Quando Agustín ouviu falar da iniciativa, se inscreveu rapidamente para ajudar. Ele passaria o resto de sua vida compartilhando a mensagem de perdão e graça onde quer que pudesse, nas ruas de Buenos Aires ou nos presídios.
Detento lê Bíblia durante sessão de estudo com missionários. (Foto: Bible Society)

Perdão
Vários meses depois, Agustín estava trabalhando em um discipulado com detentos que já haviam se convertido a Cristo através dos serviços do EHC no local. Um dos presos o ouviu compartilhar a história sobre o roubo da van e o livramento que o voluntário teve naquele dia. Quando o missionário falou sobre as Bíblias e os materiais evangelísticos que ficaram intactos e não foram queimados junto com o carro, o preso sabia que ele tinha que dizer alguma coisa.


"Fui eu", confessou o rapaz para Agustin. "Eu e um dos outros detentos nesta prisão fomos os caras que atacaram você e roubaram sua van".

Agustin ficou chocado e as memórias daquela noite horrível inundaram sua mente. Agora - apenas alguns meses depois - ele estava frente a frente com um dos homens que o atacaram. Com lágrimas nos olhos, o detento pedia que Agustin o perdoasse, explicando que, desde que foram presos, ele e seu cúmplice aceitaram a Cristo e abandonaram suas vidas de crime.

Nesse momento, Agustin foi confrontado com outra difícil escolha: ele poderia perdoar os homens que o agrediram, roubaram sua van e a destruíram? Então ele se lembrou das Bíblias e dos materiais evangelísticos que Deus milagrosamente poupou. Essas mesmas mensagens impressas foram levadas para os presídios e transformaram as vida dos criminosos que os roubaram.

Mais uma vez, Agustín sabia qual seria sua decisão: Ele escolheu perdoar.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOD REPORTS

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Mulher é curada do câncer após ter visão de Deus: “Aprendi a adorar em meio a dor”

Ana Pedrosa passou por uma intensa luta contra o câncer, mas foi milagrosamente curada após uma experiência profunda com Deus em seu quarto.

Ana Pedrosa passou por uma intensa luta contra o câncer, mas foi milagrosamente curada. (Foto: Arquivo Pessoal)
Ana Pedrosa passou por uma intensa luta contra o câncer, mas foi milagrosamente curada. (Foto: Arquivo Pessoal)
Uma forte dor no abdômen levou Ana Pedrosa ao Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, no Ceará. Após um rápido atendimento médico, ela voltou para casa diagnosticada com uma doença inflamatória pélvica, em agosto de 2015.

Ela retornou ao médico, se submeteu a novos exames e foi diagnosticada com fecaloma. Mesmo com novos medicamentos, consultas e exames, sua dor persistia. Em outubro de 2015, Ana foi submetida a uma cirurgia para retirada do fecaloma e foi descoberto um tumor. Na internação, ela sofreu complicações, uma infecção generalizada e teve uma parte de seu intestino retirada, mas recebeu alta em novembro.

“Foi difícil assimilar tudo aquilo que estava acontecendo comigo. Eu não sabia como lidar dar com aquilo”, disse Ana ao Guiame. “Mas em meio a isso, meu coração era grato a Deus, pois eu estava viva”.

Em casa, Ana não conseguia se alimentar, ingerir líquidos e sofreu com a imunidade baixa.  “Nesses dias, Deus usou pessoas para cuidarem de mim, com os curativos e soro com vitaminas aplicadas em casa. Dessa forma eu consegui me recuperar. Aos poucos, fui voltando a andar, a me alimentar e a ficar de pé, para a glória de Deus”, ela relata.

Quando tudo parecia bem, o resultado de um novo exame trouxe a inesperada notícia do câncer. “Meu chão se foi, minhas forças também. A palavra ‘câncer’ abala com o emocional do paciente e de todos os envolvidos em sua vida. Eu corri para a presença de Deus cheia de questionamentos, mesmo não me achando no direito de questionar tudo aquilo”, ela lembra.

Transformação
Depois de um diálogo com Deus, Ana percebeu que sua transformação seria intensa e seu caráter seria tratado. “Ele me respondeu de forma simples: ‘Filha, eu sei o que faço. Irei te revelar o meu amor de verdade, o amor que você não conhece e nem vive. O câncer é a oportunidade de uma transformação completa. Você não sabe o que é amor e, para saber, precisa vivenciar o meu. Confie, estou com você’”.

Naquele momento, Ana tomou uma decisão diante de Deus. “Senhor, eu passo por tudo se o Senhor estiver comigo e, se nesse processo, me fazer viver experiências que eu nunca vivi contigo”.

Ana foi encaminhada para um hospital no município de Barbalha, no Ceará para iniciar seu tratamento. Ela estava prestes a se submeter a uma cirurgia de reconstrução do intestino, mas a operação não tinha cobertura do SUS (Sistema Único de Saúde). No entanto, o valor de 12 mil reais foi arrecadado em uma campanha promovida por seus pastores, familiares e amigos no Facebook.

Eduardo Pedrosa ao lado de sua esposa, Ana, curada do câncer. (Foto: Arquivo Pessoal)
Revelação
Três dias antes de sua cirurgia, Ana estava adorando a Deus em seu quarto, quando sentiu algo em seu coração: “Silêncio!”. Surpresa, ela se calou. “Abri meus olhos e foi como se eu estivesse em outro lugar. Estava numa varanda enorme, atrás de mim havia uma ponte e acima de mim um céu estrelado. Ao meu lado estava meu esposo, Eduardo, e um anjo, com a semelhança de um homem”, ela relata.

“Ele chegou perto de nós e disse: ‘No dia 12 de dezembro, haverá uma guerra nos céus por sua vida. Todos irão receber uma notícia e poderão se desesperar, mas Deus manda dizer para que não se entreguem ao desespero. Adorem! Enquanto vocês adorarem, Deus vencerá essa guerra por vocês e tudo mudará’”.

Em sua visão, o homem continuou: “‘Ana, quando você não conseguir adorar com seus lábios, o seu coração continuará adorando. Eduardo, quando quiser chorar, diga a eles que adorem’. Meu esposo perguntou: ‘Eles quem?’ E ele respondeu: ‘Olhe para trás’. Ao olharmos para trás, vimos pastores, amigos e pessoas da igreja”, Ana lembra.

“Então ouvimos uma única voz cantando: ‘Então louve, simplesmente louve’. Aquela única voz começou a ser seguida por todas as outras. Uma espada começou a brilhar e veio na minha direção. A dor cessou e eu levantei juntamente com meu esposo, sem dor alguma”, continua Ana.

Cinco horas depois de sua cirurgia, o médico procurou Ana, dizendo: “Infelizmente eu não consegui fazer nada por você. A doença se espalhou e seu tratamento será paliativo, não servirá para cura — apenas para que seu pouco tempo seja com vivido com qualidade”.
Naquele momento, Ana se lembrou da visão e passou a adorar a Deus com todas as suas forças. “Deus tirou todos os preconceitos acerca de algumas canções, me fez olhar para dentro de mim e me mostrou o que é adorar em meio a dor”, afirma.

Dias depois da cirurgia, o resultado dos exames não conseguiu detectar o câncer e Ana foi curada de sua enfermidade.

FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Jovem passa sete anos orando pelo futuro marido e tem surpresa inesquecível no casamento

A jovem Tami Acree decidiu comprar uma gravata e orar pelo seu futuro marido. Sete anos depois, ela deu o adereço ao seu noivo, na noite antes do casamento e teve uma grande surpresa.

Caleb (esquerda) e Tami Acree (direita), no dia de seu casamento. (Foto: FaitHit)
Caleb (esquerda) e Tami Acree (direita), no dia de seu casamento. (Foto: FaitHit)
Como muitos cristãos solteiros, esperar e pensar sobre quem Deus escolheu para ser seu cônjuge para toda a vida, a jovem Tami Acree compartilhou sua bela história de amor, que começou há sete anos com a simples compra de uma gravata, antes mesmo dela começar a namorar o rapaz.

"Quando eu era um estudante do segundo ano na faculdade, fui desafiada a comprar uma gravata e pendurá-la em meu quarto para me lembrar de orar pelo meu futuro marido", Acree explicou.

"Durante 7 anos, a gravata ficou pendurada na minha cama ou no meu espelho e, por mais vezes do que posso contar, isso me levou a orar, para que Deus desse encorajamento, maturidade e desenvolvesse espiritualmente meu futuro marido, para ele um dia se tornar o homem de Deus que eu desejava", acrescentou.

Mesmo depois que começou a namorar aquele que se tornaria seu marido posteriormente, Tami não deixou de orar e não tirou a gravata de seu quarto.

Já na noite anterior ao dia de seu casamento, a jovem lembrou o "significado muito especial" e seu desejo de dar aquela gravata ao homem pelo qual ela tanto orou.
"Na noite antes do nosso casamento, eu estava com minhas amigas e fomos colocar dar a gravata a ele. Então percebemos que ela era azul marinho, cinza e rosa. As três cores do nosso casamento!", explicou

A coincidência não foi proposital, acrescentou Acree, mas se somou a uma certeza que ele sempre teve em seu coração.

"(Deus) sabia antes mesmo de eu ter comprado aquela gravata há 7 anos, que Caleb era o homem pelo qual eu estava orando e Ele o orquestrou tudo em Seu tempo perfeito!", contou.

"Eu não a pedi para Caleb usá-la. Eu simplesmente a dei a ele, da maneira que eu sempre quis fazer (antes do casamento)", afirmou.
Testemunho de Tami Acree, publicado no Facebook. (Imagem: captura de tela - Facebook)

Porém a decisão de seu marido em usar a gravata que carregou tanta história emocionou Tami.

"Enquanto eu estava andando em direção a ele na igreja, uma das coisas que eu sempre me lembrarei é ver Caleb usando a gravate que lhe dei uma noite antes de nosso casamento", disse ela.

Tami compartilhou seu testemunho em uma postagem da página "Love What Matters" ("Ame o que Importa") e já teve mais de 47 mil curtidas, 1,5 milhão de comentários e 8 mil compartilhamentos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITH WIRE

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Enfermeira pede demissão para se dedicar a missões: "Deus superou minhas expectativas"

Deisielen Gomes havia acabado de se formar em enfermagem, mas resolveu pedir demissão para se engajar em missões no interior do Paraná.

A jovem começou a desenvolver uma nova atividade: ajudante de pedreiro. (Foto: ASN).
A jovem começou a desenvolver uma nova atividade: ajudante de pedreiro. (Foto: ASN).
O Brasil passa por um grave período de crise econômica. Aquele que tem seu emprego deve cuidar para não abrir mão dele. Mas, e quando Deus convida para um passo maior na fé? Por mais que pareça loucura, foi exatamente o que Deisielen Gomes fez. A jovem de 22 anos abandonou seu emprego para se engajar em missões.

Ela vê nas ações e palavras um meio importante para compartilhar o amor de Cristo. Ela já havia descontado das férias os dias para participar da Missão Calebe (uma iniciativa da Igreja Adventista) em 2016. Mas, agora, em 2017, ela não pôde repetir o ato e resolveu pedir demissão. A jovem liderou a equipe de voluntários que atuou em São Pedro do Ivaí, interior do Paraná.

Em sua nova jornada, a jovem começou a desenvolver uma nova atividade: ajudante de pedreiro. Ela descobriu uma família que precisava de ajuda assim que entrou em contato com a assistência social do município. A família que foi auxiliada havia perdido quase todos os bens ao sofrer um incêndio.

Então, os jovens voluntários que se disponibilizaram a estar nessa nova temporada dos “Calebes” se dispuseram a ajudar a reformar a casa, carregando tijolos todos os dias, terra, materiais de construção, além de fazer amizade com os beneficiados.

“Confesso que estava com medo, preocupada, mas Deus mais uma vez superou minhas expectativas! Hoje tenho certeza que São Pedro do Ivaí não é mais a mesma, e que deixamos a nossa marca”, conta a enfermeira recém-formada.
Jovens voluntários que se disponibilizaram a reformar a casa. (Foto: ASN).
Diversas ações
Além de Deisielen, outras 1.500 pessoas se engajaram na sétima edição da Missão Calebe no norte do Paraná. Foram ao todo 39 equipes e elas realizaram as mais diversas ações para fazer o bem às pessoas: levaram alegria aos doentes com o projeto Doutores da Esperança; reformaram e limparam casas, escolas, praças, Apaes e outras instituições.

Além disso, as equipes também promoveram a Escola Cristã de Férias para crianças das comunidades; visitaram asilos; organizaram feiras de saúde; visitaram autoridades; doaram alimentos; doaram sangue; fizeram mutirão contra a dengue; e, é claro, estudaram a Bíblia com muitas pessoas, das quais 70 se decidiram se batizar.

No projeto cristão, cada jovem que resolve se dedicar a obra acaba se tornando como Jesus, pois aprende a ser um discípulo. “Ele cresce porque coloca em prática o que aprende e tem a oportunidade de reproduzir aquilo que ele sabe na vida de outras pessoas. De tudo o que eles fizeram, as sementes que eles plantaram, o resultado final são vidas transformadas”, afirma o coordenador da iniciativa no norte do Paraná, pastor Giliard Ferreira, que é líder dos jovens adventistas na região.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO SITE NOTÍCIAS ADVENTISTAS

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Menina de 4 anos louva a Deus no hospital e vídeo emociona redes sociais; assista

A pequena Leah sofre de uma doença sanguínea rara, mas mostrou sua alegria através de um louvor. O vídeo já tem mais de 33 milhões de visualizações.

O vídeo que mostra uma menininha louvando a Deus no leito de um hospital tem emocionado milhões de pessoas nas redes sociais.

Leah Chapman-Carroll, de 4 anos de idade, foi diagnosticada em setembro de 2013 com neutropenia congênita grave, uma doença sanguínea rara que impede a produção de glóbulos brancos.

Sua mãe, Lindsay Carroll, registrou o momento em que a pequena Leah cantou e dançou sua música favorita Em um vídeo do Facebook que se tornou viral, Leah Carroll, de quatro anos de idade, é vista em sua cama de hospital cantando e dançando ao longo de sua música favorita — "Overcomer" (“Vencedor”), da cantora gospel Mandisa.

“Você pode estar por baixo por um momento, sentindo como se fosse impossível. Aí é quando Ele te lembra que você é um vencedor”, cantou a garotinha em um vídeo que teve mais de 33 milhões de visualizações.

No post, que foi publicado no dia 5 de fevereiro, Lindsay escreveu: "Minha filha superou dois transplantes de medula óssea e passou os últimos 322 dias longe de sua família, no hospital, devido a complicações. No entanto, ela tem a alegria do Senhor e um amor pela música”, disse ela.

“Overcomer’ é uma de suas canções favoritas”, continuou a mãe. “Ela [Leah] é uma luz para todos que a conhecem. Espero que ela traga um sorriso para seu rosto também”.

A cantora Mandisa também compartilhou o vídeo em sua página no Facebook e pediu que seus seguidores orassem pela menininha. "Leah, você é uma vencedora no sentido mais verdadeiro da palavra. Ver a alegria do Senhor em seu doce rosto me inspirou tanto! Eu estou orando por você, e acredito que muitos dos meus amigos aqui vão se juntar a mim. Continue confiando em Jesus e lute, preciosa".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE FOX NEWS INSIDER

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Trump pretende derrubar barreira entre Igreja e Estado

O presidente dos EUA quer estabelecer o fim da chamada Emenda Johnson que, desde 1954, determina claramente os limites enfrentados pelas igrejas americanas.

Donald Trump durante evento National Prayer Breakfast, em Washington. (Foto: Carlos Barria/Reuters)
Donald Trump durante evento National Prayer Breakfast, em Washington. (Foto: Carlos Barria/Reuters)
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pretende realizar mais uma mudança na política do país — estabelecer o fim da chamada Emenda Johnson que, desde 1954, determina claramente os limites enfrentados pelas igrejas americanas.

“Vou destruir completamente a Emenda Johnson. Permitirei que representantes da fé falem livremente e sem medo de represálias. Vou fazê-lo, lembre-se”, disse Trump durante o Café Nacional de Oração, em Washington, sem indicar quando a alteração será aplicada.

A norma que recebe o nome de seu principal redator, o então senador Lyndon Johnson, determina que igrejas e outras organizações sem fins lucrativos “são completamente proibidas de participar, direta ou indiretamente, ou de intervir em qualquer campanha política em favor ou oposição a qualquer candidato para cargos públicos eletivos”.

Na teoria, as igrejas podem realizar atividades políticas de caráter geral e falar de forma genérica sobre questões sociais e políticas. No entanto, seus líderes religiosos não podem citar nomes ou preferências partidárias.

Na prática, líderes religiosos afirmam que a Emenda Johnson está sendo manipulada para violar a liberdade de expressão e de religião, principalmente quando temas como aborto ou casamento gay são tratados nos púlpitos.

"Hoje, o IRS [órgão responsável pela coleta de impostos e aplicação de multas] pode usar a Emenda Johnson para dizer aos pastores sobre o que eles podem ou não podem pregar. Esta lei tem como objetivo censurar o sermãos desses ministros, caso o IRS rotule seus sermões como de teor político, por exemplo", disse a Aliança em Defesa da Liberdade (ADF, na sigla em inglês).

Segundo o consultor sênior da ADF, Erik Stanley, embora a Emenda Johnson "nunca tenha sido destinada a afetar realmente as igrejas", tem sido utilizada para "intimidar" os pastores e censurar o que eles dizem no púlpito.

"A isenção fiscal não pode ser baseada em uma exigência de que uma igreja ou qualquer outra organização sem fins lucrativos desista de suas liberdades constitucionalmente protegidas, incluindo a liberdade de expressão", acrescentou. "Os americanos não precisam que o IRS seja seu árbitro".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE O GLOBO

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Irã celebra revolução islâmica, ameaçando Israel e os EUA

38º aniversário foi marcado por desfiles militares e ameaças aos “inimigos”
por Jarbas Aragão
Irã celebra revolução islâmica, ameaçando Israel e os EUA

Os iranianos foram às ruas comemorar o 38º aniversário da revolução de 1979, que o transformou em uma república islâmica, submetida à lei religiosa sharia. Ao longo do dia estão sendo realizados comícios maciços, que parecem ter um único tema: ameaçar Israel e os Estados Unidos.

Os manifestantes reunidos na capital Teerã cantavam sues tradicionais slogans antiamericanos e antissionistas. Houve um imenso desfile militar, onde foram exibidos foguetes e drones. Um dos principais alvos das manifestações é Donald Trump, que tenta proibir a entrada de iranianos nos Estados Unidos. Diferentemente de Barack Obama, o novo governo não está satisfeito com os movimentos do Irã em sua nova corrida armamentista nem sua tentativa de construir bombas atômicas.

Em 11 de fevereiro de 1979 os seguidores do Ayatollah Ruhollah Khomeini derrubaram o Shah Reza Pahlavi, governante apoiado pelos EUA. Desde então não há mais relações diplomáticas entre os dois países. Bandeiras americanas e imagens de ex-presidentes americanos (e do atual) foram pisoteadas por alguns participantes como sinal de protesto. Fotos, desenhos e bonecos de lideranças americanas e israelenses com palavras de ordem e ameaças de “aniquilação” eram comuns, bem como bandeiras da Palestina e de grupos terroristas islâmicos. Há relatos que bandeiras de Israel foram queimadas publicamente.

Além de pisoteadas, bandeiras de Israel e EUA foram queimadas

Algumas pessoas jogaram bolas e dardos visando fotos de Trump e do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. Havia muitos gritos de “Morte à América” e “Morte a Israel”.

Centenas de milhares de manifestantes marcharam em direção à praça Azadi, onde o presidente se dirigiu à população. Populares gritavam palavras de ordem contra os Estados Unidos e Israel. O presidente Hassan Rouhani afirmou que o Irã “responderá com força a qualquer ameaça” e que “Os iranianos vão resistir a seus inimigos até o fim”.

Muitos oficiais de alto escalão participaram da cerimônia de Teerã, incluindo Qassem Soleimani, general que chefia a Força Quds da Guarda Revolucionária Iraniana, que se concentra em operações estrangeiras como a guerra na Síria. Com informações de Times of Israel e Daily Mail

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Produtor da ESPN deixa carreira para atender ao chamado de Deus: "É um passo de fé"

Após 16 anos trabalhando na emissora de esportes, Jason Romano disse que não pode mais ignorar tudo o que Deus tem feito em sua vida e quer fazer tudo o que for possível pelo Reino.

Jason Romano trabalhou na ESPN por 16 anos e agora quer se dedicar a apoiar igrejas na divulgação de suas iniciativas nas redes sociais. (Foto: Bowling Green State University)
Jason Romano trabalhou na ESPN por 16 anos e agora quer se dedicar a apoiar igrejas na divulgação de 
suas iniciativas nas redes sociais. (Foto: Bowling Green State University)
Um produtor de longa data da 'ESPN' (canal de esportes) e especialista em mídia anunciou que deixará a empresa e emissora de esportes para se dedicar ao seu ministério em tempo integral - uma decisão que ele tomou depois de sentir que "Deus o incomodou" para "a dar um passo de fé".

"Durante cerca de dois anos, senti que Deus me incomodou para segui-Lo mais intensamente e estou apenas tentando atender a esse chamado", disse Jason Romano ao site cristão 'Faithwire', em uma entrevista por e-mail. "Estar atento ao momento certo é muito importante, é claro, e em dezembro uma grande oportunidade surgiu em meu caminho".

Então, Romano, que trabalhou como produtor de talentos e gerente de mídias sociais da ESPN nos últimos 16 anos, disse que ele e sua esposa tiveram longas conversas e fortes momentos de orações antes de decidir que "era hora de dar um passo de fé".

Romano afirma que é exatamente isto que ele está fazendo agora. Ele contou que sempre sonhou em trabalhar em uma empresa como a ESPN, mas agora está vendo que tanto conhecimento adquiridos nesses anos de atuação na emissora estão possibilitando a realização de outros grandes projetos.

"Era o meu sonho trabalhar na ESPN por tantos anos, mas confesso que estava muito além dos meus sonhos de criança ver até onde minha carreira me trouxe", disse Romano ao 'Faithwire', refletindo sobre seu sucesso profissional. "A parte mais gratificante é a equipe. Trabalhando com o melhor dos melhores. Estar com eles dia após dia foi uma honra e um privilégio".


Nova fase
Agora, Jason está deixando tudo para trás para seguir o chamado inteiramente novo.


"Estou começando meu próprio negócio de consultoria de mídia para ajudar igrejas, atletas e outras empresas com suas mídias sociais e digitais", disse ele. "Eu também vou ser o apresentador de um novo podcast sobre fé e esportes que deve estrear em algum momento nos próximos meses".

Romano revelou sua mudança de carreira em um post no Facebook na quinta-feira, agradecendo a seus colegas e expressando sua emoção sobre o que está por vir. Foi nesse post que ele também detalhou mais sobre suas razões para deixar para trás a carreira que ele veio a conhecer e amar, expressando sua esperança de fazer mais por Deus.

"Dois anos atrás, comecei a ver Deus abrindo as portas em minha vida para fazer mais por Ele. Ele começou a fazer um trabalho em meu coração e eu não podia ignorar isso. Eu tentei fingir que não estava lá, mas não posso ignorar isso por mais tempo", confessou.

"Agora, quando eu começar o terceiro trimestre da minha vida, quero contar uma história diferente. Uma história de redenção, uma história de esperança e de fé. Chegou a hora de começar um novo capítulo", acrescentou.

Jason Romano afirmou que não quer chegar ao fim de sua vida sabendo que desperdiçou as chances de fazer mais pelo Reino de Deus.

"Eu não quero olhar para trás em minha vida e me entristecer porque poderia ter feito mais por Deus. Eu não quero olhar para trás e ter o arrependimento de não sair da minha zona de conforto", destacou. "Agora é que o tempo para dizer 'sim' ao meu chamado e assumir esse risco. Agora é a hora de voar".

Romano disse ao Faithwire que ele está esperando causar um grande impacto na vida das pessoas com as quais ele compartilhar o que Jesus tem feito em sua própria vida. Seu último dia na ESPN foi esta sexta-feira, 10 de fevereiro.

"Esse é o legado que espero poder deixar para trás", disse ele.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITH WIRE