quarta-feira, 3 de abril de 2024

Cientista evangeliza com as evidências da ressurreição e leva 107 pessoas a Jesus

O renomado cientista James Tour oferece conversas pelo Zoom para explicar sobre a ressurreição.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE BAPTIST PRESS

O cientista James Tour. (Foto: Reprodução/YouTube/Dr. James Tour).

O renomado cientista James Tour está evangelizando pessoas de todo o mundo através das evidências da ressurreição.

James é judeu messiânico e ensina química, ciência da computação e nanoengenharia na Rice University, nos Estados Unidos.

O cientista aceitou Jesus após um colega cristão compartilhar o plano de salvação, durante a faculdade. Agora, ele oferece conversas individuais pelo Zoom para explicar sobre a ressurreição a quem quer saber mais sobre Cristo.

A chamada de vídeo dura cerca de 30 a 40 minutos, onde James explica todas as evidências da morte literal e da ressurreição corporal de Jesus.

O professor usa a ilustração de uma ponte para mostrar como o pecado criou um abismo entre Deus e os homens.

“Eu sempre canalizo isso direto para a ressurreição de Jesus Cristo. O último versículo que compartilho é Romanos 10:9: 'Se você confessar com a sua boca que Jesus é o Senhor, e crer em seu coração que Ele ressuscitou dos mortos, você será salvo’”, contou ele.

James ressaltou que a ressurreição é a base para as outras doutrinas fundamentais da fé cristã.

“Não precisamos convencê-los da Trindade. Não precisamos convencê-los do nascimento virginal. Não precisamos convencê-los da história da Arca de Noé. Nada disso. Isso nunca está em jogo para mim. São essas duas coisas – o senhorio de Jesus e a ressurreição de Jesus Cristo”, afirmou.

Pregando em uma conversa de 30 minutos

O cientista James Tour. (Foto: Reprodução/Baptist Press).

Toda semana, o cientista conversa com pessoas diferentes, muitas delas com um nível alto de educação.

“Vejo pessoas passarem a acreditar na ressurreição física de Jesus Cristo com base nesta conversa de 30 minutos”, testemunhou James.

E observou: “Acho que a razão pela qual eles passaram a acreditar é a verdade, é porque a verdade da ressurreição já estava escrita em seus corações. Já está aí. Estou apenas os levando a um ponto de confessar o que já está lá”.

Através das conversas online, James Tour levou 107 pessoas a Cristo no ano passado. Ele revelou que tem um desejo ardente de alcançar as almas.

“Como Raquel gritou, dê-me filhos ou eu morro. Senhor, dá-me filhos, ou eu morro”, declarou ele.

Quando uma pessoa aceita Cristo após a conversa, o professor faz uma oração com ela baseada em Romanos 10:9.

Para cada recém convertido, James dá uma lição de casa: 5 minutos de estudo bíblico e meditação todas as manhãs, começando pela leitura do evangelho de João.

Conversão de James Tour

James Tour cresceu familiarizado com a cultura judaica e não entendia o verdadeiro conceito de pecado e sacrifício de Cristo.

Na faculdade, o judeu conheceu vários 'cristãos nascidos de novo' e essa expressão soou estranha para ele.

Um amigo que se disponibilizou a ajudá-lo a entender como a morte de Jesus preenche a lacuna criada pelo pecado, desenhou um homem na beira de um penhasco com a representação de Deus do outro lado e um grande abismo entre eles.

Mais tarde, ele leu o capítulo 53 de Isaías e viu como o Messias veio e se entregou pela humanidade.

Em 7 de novembro de 1977, James contou que estava sozinho em seu quarto e reconheceu que Jesus foi quem morreu na cruz para o salvar.

De acordo com o God Reports, ele foi nomeado “Cientista do Ano” pela revista R&D em 2013 e foi classificado como um dos 10 melhores químicos do mundo na última década, pela empresa canadense Thomson Reuters em 2009.

Contudo, mais do que qualquer uma de suas realizações, James afirmou que o que mais significa para ele é que: “Sou um judeu que acredita que Jesus é o Messias”.

segunda-feira, 1 de abril de 2024

Elon Musk mostra 1ª pessoa com chip implantado no cérebro controlando computador

Noland Arbaugh agora consegue controlar o mouse usando seus pensamentos.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE THE GUARDIAN

Noland Arbaugh ao lado de um engenheiro da Neuralink. (Captura de tela: Vídeo X/Neuralink)

A Neuralink, startup de chips cerebrais de Elon Musk, transmitiu ao vivo seu primeiro paciente com um chip implantado e ele estava jogando xadrez online.

Noland Arbaugh, um homem de 29 anos, disse que ficou tetraplégico após um acidente, durante um mergulho, há 8 anos. “Não tenho sensação ou movimento abaixo da área da lesão, abaixo dos ombros”, ele afirmou.

Após ter o chip implantado em seu cérebro, Elon Musk explica que, agora ele pode controlar um mouse de computador usando seus pensamentos.

“A cirurgia foi super fácil”, disse Arbaugh no vídeo transmitido na plataforma de mídia social X de Musk, referindo-se ao procedimento de implante. “Eu literalmente tive alta do hospital um dia depois. Não tenho deficiências cognitivas”, afirmou.

https://t.co/OMIeGGjYtG— Neuralink (@neuralink) March 20, 2024

‘Um bom ponto de partida’

Conforme notícias do The Guardian, Kip Ludwig, ex-diretor de programa de engenharia neural do Instituto Nacional de Saúde dos EUA, disse que “o que a Neuralink mostrou não foi um avanço”.

“Ainda estamos nos primeiros dias pós-implantação e há muito aprendizado tanto do lado da Neuralink quanto do sujeito para maximizar a quantidade de informações para controle que pode ser alcançada”, acrescentou.

Mesmo assim, Ludwig disse que foi um desenvolvimento positivo para o paciente o fato de ele ter conseguido interagir com um computador de uma forma que não conseguia antes do implante. “É certamente um bom ponto de partida”, disse ele.

Primeiros experimentos foram feitos em macacos

Musk havia planejado a inauguração dos testes em humanos para 2020, depois adiou para 2022, mas teve problemas depois de ser investigado por violações de bem estar animal enquanto fazia testes com macacos. Ele negou ter havido qualquer tipo de sofrimento animal.

Na ocasião, o Guiame publicou sobre a morte de 15 macacos após testes com chips cerebrais. A startup foi acusada de maus tratos e sofrimento extremo dos animais durante os experimentos.

quarta-feira, 27 de março de 2024

Entenda a diferença entre a Páscoa dos cristãos e o Pessach dos judeus

Conforme explica o hebraísta Getúlio Cidade, a vontade do homem prevaleceu sobre o que foi determinado por Deus nas Escrituras.

FONTE: GUIAME, CRIS BELONI


Coroa de espinhos. (Foto representativa: Piqsels/Domínio Público)


Resumidamente, a diferença entre a Páscoa celebrada por judeus e cristãos está no nome e na data, conforme explica o escritor e hebraísta, Getúlio Cidade, em entrevista ao Guiame.

“No original hebraico da Torá, a festa é chamada de Pessach que significa ‘passagem’, em alusão à passagem do anjo da morte por cima das casas dos israelitas, que tinham sido marcadas com o sangue do cordeiro”, lembrou.

“No aramaico, essa palavra sofreu uma pequena variação para ‘Paskha’ que, mais tarde, quando o catolicismo foi oficializado por Roma, deu origem à palavra em latim, que foi o termo empregado pela Igreja e que permanece até hoje, traduzido em português por Páscoa”, continuou.

‘O lado pagão da Páscoa’

Conforme aponta o hebraísta, em outras línguas, o nome da Páscoa revela um lado pagão dentro do cristianismo: “Nos países de língua inglesa e na Alemanha, o nome para a festa deriva diretamente de uma crença pagã na deusa da primavera e da fertilidade. Dentre seus vários nomes, na cultura anglo-saxônica, é conhecida por ‘Eostre’. Daí, o nome ‘Easter’, diferentemente de ‘Passover’ [nome inglês específico para a Páscoa hebraica]”.

Getúlio continua: “Em alemão, essa deusa é conhecida por ‘Ostara’ e, daí, o nome da festa chamar-se ‘Ostern’. Trata-se da mesma divindade — a deusa da fertilidade — cuja existência antecede em muito ao império romano, sendo reverenciada desde a Babilônia. Ela aparece inclusive em vários textos da Bíblia com nomes diferentes como ‘Astarote’, sendo motivo de idolatria dos israelitas”.

Ele também explica que, por representar a fertilidade, está intimamente ligada ao coelho, um animal extremamente fértil, e ao ovo, pois acreditava-se que ela desceria do céu em um ovo gigante. Embora o ovo de chocolate seja uma inovação relativamente recente que data do fim do século XIX, o ovo em si para representar a Páscoa tem origem nesse paganismo muito antigo.

Getúlio Cidade. (Foto: Divulgação)

Por que as datas da Páscoa e do Pessach são diferentes?

Getúlio explica: “A resposta é simples, porém, desconhecida da esmagadora maioria cristã. A data bíblica de Pessach foi estabelecida por Deus na Torá, em Êxodo 12, onde Ele ordena que se observe o sacrifício do cordeiro à tarde do dia 14 de Nisan [mesmo dia em que Jesus, o Cordeiro Pascal, foi crucificado]”.

“Dos dias 15 ao dia 21, é celebrada a Festa dos Pães Asmos. Portanto, a celebração de Pessach consiste no dia da preparação (14) mais sete dias de asmos. O primeiro e o sétimo dias são considerados de santa convocação, feriados sem trabalho, como o Shabat”, continua.

Conforme o hebraísta menciona, a data de celebração da Igreja foi desvinculada de Israel por ocasião do Concílio de Niceia, em 325 d.C., o que foi ratificado pelo imperador em uma carta aberta, em que demonstrava sua vontade em desvincular a celebração da Páscoa do povo judeu, por ter sido este, segundo ele, responsável pela morte do Senhor.

“Assim, por mera imposição humana, estipulou-se que a Páscoa seria celebrada no primeiro domingo após a lua cheia que ocorre imediatamente após o equinócio de primavera no Hemisfério Norte, o que a torna uma festa móvel, diferentemente do que preconiza a Torá”, disse.

“Essa é a explicação da diferença de datas e mostra como a vontade do homem prevaleceu sobre o que foi determinado por Deus nas Escrituras”, sintetizou.

‘Cristãos estão alheios às datas de Deus’

O fato de Jesus ter morrido no dia 14 de Nisan e ressuscitado no dia 17, quando se celebra a Festa das Primícias, mostra o cuidado de Deus em fazer cumprir seu plano de salvação no período que Ele designou para uma das Festas mais importantes da Torá.

“Isso deveria, por si só, ser motivo de atenção e celebração pelos cristãos da Igreja gentílica. No entanto, cristãos do mundo inteiro estão alheios a essas datas e comemoram a morte e a ressurreição do Senhor em datas impostas pelo homem e que nada têm a ver com o que foi designado por Deus”, concluiu.

segunda-feira, 25 de março de 2024

Kate Middleton revela câncer e encoraja pessoas com a doença: “Não perca a fé e esperança"

Após semanas de especulação sobre seu estado de saúde, a princesa se pronunciou e disse que está passando por quimioterapia.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CNN BRASIL

Kate Middleton revelou que está com câncer. (Foto: Reprodução/X/The Prince and Princess of Wales).

A princesa Kate Middleton anunciou que está com câncer, em vídeo publicado na rede social X, nesta sexta-feira (22).

Ela revelou que começou o tratamento de quimioterapia, após ter passado por cirurgia no abdômen no início deste ano. Não foi informado o tipo de câncer que a monarca foi diagnosticada.

“Em janeiro, fui submetida a uma grande cirurgia abdominal em Londres e, na época, pensava-se que minha condição não era cancerosa. A cirurgia foi bem-sucedida. No entanto, os testes após a operação revelaram a presença de câncer”, afirmou Kate, no vídeo.

Middleton comentou que o diagnóstico foi um choque para toda a família e que ela tem recebido apoio de seu esposo, o príncipe William.

“É claro que isso foi um grande choque, e William e eu temos feito tudo o que podemos para processar e gerenciar isso de forma privada, pelo bem de nossa jovem família”, disse.

E acrescentou: “Como você pode imaginar, isso levou tempo. Levei tempo para me recuperar de uma grande cirurgia para iniciar meu tratamento. Levamos tempo para explicar tudo a George, Charlotte e Louis de uma forma que seja apropriada para eles, e para tranquilizá-los de que vou ficar bem”.

A princesa concluiu sua declaração tranquilizando os seus seguidores, destacando que está bem e irá se concentrar em sua recuperação.

“Estou bem e ficando mais forte a cada dia, me concentrando nas coisas que vão me ajudar a curar; em minha mente, corpo e espírito”, observou.

Kate Middleton ainda deixou uma mensagem de encorajamento para outras pessoas que estão lutando contra o câncer.

“Para todos que enfrentam esta doença, seja qual for a sua forma, por favor não percam a fé nem a esperança. Você não está sozinho”, declarou ela.

A message from Catherine, The Princess of Wales pic.twitter.com/5LQT1qGarK— The Prince and Princess of Wales (@KensingtonRoyal) March 22, 2024

Especulações sobre sua saúde

O pronunciamento da princesa de Gales acontece após semanas de especulação sobre seu estado de saúde, que não aparecia em público há meses.

Em comunicado, o primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunak, afirmou que Kate conta com o apoio e o amor de sua nação, enquanto ela continua com o tratamento.

“Ela demonstrou uma enorme coragem com a sua declaração de hoje. Nas últimas semanas, ela foi submetida a um intenso escrutínio e foi tratada injustamente por certos setores da mídia em todo o mundo e nas redes sociais”, disse Sunak.

E concluiu: “Quando se trata de questões de saúde, como todo mundo, ela deve ter privacidade para se concentrar em seu tratamento e estar com sua amorosa família”.

quinta-feira, 21 de março de 2024

O simbolismo de Purim

Uma das lições de Purim é que a última palavra sempre pertence a Deus, não importa quão grandes trevas nos cerquem.

FONTE: GUIAME, GETÚLIO CIDADE

(Foto: Captura de tela/YouTube/Mighty Oracle)

No próximo dia 24 de março, celebra-se a Festa de Purim, cuja história está repleta de mistérios e lições aplicáveis ainda hoje, além de conter diversos simbolismos para os cristãos.

O livro de Ester é uma história tão empolgante que parece mais um roteiro de cinema. Inclui um concurso de beleza, uma trama de assassinato contra o rei, um homem maligno com sede de poder que arquiteta um plano genocida para exterminar todos os judeus do império, e dois personagens heroicos que nos transmitem lições impactantes para uma vida de fé e coragem.

Os personagens de ontem representam os de hoje

Ester é um tipo da Noiva do Messias que comparece perante o Rei para interceder por toda uma nação, colocando sua própria cabeça em risco, não amando mais a si mesma que a seus próximos. Mordecai é um tipo de judeu piedoso que não se dobra diante de outros deuses e aguarda a manifestação do Messias para salvar todo Israel. Hamã é um tipo do inimigo de Deus, o espírito do anti-Cristo que se levanta para aniquilar seu povo.

O decreto para destruição do povo de Israel, há mais de 2.500 anos, na Pérsia antiga, era a situação impossível enfrentada pelos judeus no exílio. É nesse ponto que entram em cena Mordecai e Ester, separados por Deus para operar um grande livramento. Os personagens de ontem representam os de hoje e nos trazem ensinamentos valiosos ao longo das eras.

A vida de Mordecai demonstra a lei da semeadura e nos leva a refletir sobre a necessidade de nunca desanimar em fazer o bem, pois, em seu devido tempo, colheremos (Gálatas 6:9). Ele poupou a vida do rei ao expor a trama para matá-lo não porque pensava que seria promovido ou honrado, mas porque era a coisa certa a ser feita. É movido por um espírito íntegro e correto que caminha lado a lado com sua devoção a Deus. Seu reconhecimento pelo rei não veio atrasado, mas no perfeito tempo para livrá-lo da morte por seu inimigo, trazendo junto a si uma sentença reversa de honra. Mordecai é uma inspiração para todo aquele que se acha injustiçado. Quem faz o bem, cedo ou tarde, será recompensado.

“Para tal tempo como este”

Ester é bela e formosa e, como representante da Noiva do Messias, remete-nos às palavras de Paulo: uma Noiva sem mácula e sem rugas (Efésios 5:27), o que aponta para sua integridade e pureza. Em vez de se orgulhar de sua beleza, Ester exuberava um espírito humilde, porém corajoso, e intercessor, pronto para sofrer o dano se necessário fosse.

Ester se mostra obediente a seu pai adotivo, Mordecai, e é bem-sucedida. Primeiro, seguindo a ordem de Mordecai para esconder sua identidade judaica. Ao agir assim, ela desvia de si toda atenção contrária. Segundo, quando Mordecai a insta a comparecer diante do rei Assuero para interceder por seu povo. Ela fica indecisa e temerosa, pois isso podia lhe custar a vida. Entretanto, diante das palavras inesquecíveis de Mordecai em Ester 4:14 e que resumem a história de Purim, ela decide obedecer, pois compreende que foi “para tal tempo como este” que foi alçada à posição de rainha.

Isso nos leva a refletir sobre nosso papel de nunca nos omitirmos. Se seguimos a Palavra de Deus e obedecemos à sua voz, precisamos sempre nos posicionar do lado correto, em prol de seus mandamentos e contrário a toda situação de injustiça e pecado. Ester estava em uma posição confortável, mas, ao ser confrontada por Mordecai, percebeu que, se nada fizesse, não apenas sofreria um dano maior. Seria culpada diante de Deus por omissão e esse é um pecado do qual pouco é falado (Tg. 4:17).

À semelhança de Ester, todos também fomos colocados em posições dadas por Deus, não importa o que isso signifique aos olhos dos homens. No momento certo, precisaremos revelar nossa real identidade, como fez Ester, e nos posicionar ao lado dos valores eternos da Palavra de Deus, contrário ao pecado e ao mal. Se virmos o mal prosperar e nada fazemos do que está ao nosso alcance a fim de contrapô-lo, seremos devidamente cobrados por Deus.

Uma mensagem de esperança

Outra lição de Purim é que a última palavra sempre pertence a Deus, não importa quão grandes trevas nos cerquem. Não importa quão terrível seja a situação, ou quão desalentador seja um diagnóstico médico, ou quão caótica seja uma situação familiar. Deus é capaz de reverter qualquer que seja a circunstância em nosso favor, de elevar-nos de uma queda a grandes alturas. A última palavra não pertence ao inimigo, mas a Deus somente. Ele é o Amém em nossas vidas.

Purim nos faz lembrar, ainda hoje, que o espírito de Hamã prossegue buscando oprimir e aniquilar o povo eleito. No entanto, também nos mostra a bela face de Ester, a Noiva do Rei, pronta a entrar em sua presença com ousadia a fim de interceder poderosamente por Israel, a Oliveira em que foi enxertada, e por sua salvação. Não com um coração altivo, mas com um espírito manso e humilde, com jejum e com fé, capaz de ganhar o favor do Rei para que Ele possa operar mais um livramento, na hora mais escura dos tempos do fim. Que possamos ser essa Noiva como Ester, pois, para tal tempo como este, chegamos ao Reino de Deus, a fim de que se cumpra em nós seus santos propósitos.

A mensagem de Purim é, antes de tudo, uma mensagem de esperança. Instiga-nos a acreditar que, ainda que as circunstâncias nos sejam contrárias, Deus é poderoso para reverter qualquer mal. Ele é capaz de transformar maldição em bênção, de converter as trevas mais densas em luz.

Getúlio Cidade é escritor, tradutor e hebraísta, autor do livro A Oliveira Natural: As Raízes Judaicas do Cristianismo e do blog www.aoliveiranatural.com.br

* O conteúdo do texto acima é uma colaboração voluntária, de total responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a opinião do Portal Guiame.

Leia o artigo anterior: A lei da bênção e da maldição

sábado, 16 de março de 2024

“Não devemos temer as guerras mundiais, elas apontam as profecias”, diz pastor

O pastor Joel Engel lembra que os dias que antecedem a volta de Cristo serão marcados por guerras e tribulações.

FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES

Soldado das Forças de Defesa de Israel na base militar das Colinas de Golã. (Foto: Israel Defense Forces)

Em um mundo assolado por tensões políticas e ameaças de guerra, o pastor Joel Engel alerta para a urgência de anunciarmos a mensagem da volta de Jesus Cristo, em uma pregação ministrada na terça-feira (12).

“Hoje o mundo está se encaminhando para a Terceira Guerra Mundial. Vemos todo o armamento nuclear da Rússia e suas ameaças. As pessoas estão com medo, pois a qualquer momento alguém pode apertar o botão”, destacou Engel, referindo-se às crescentes tensões militares e ameaças nucleares, especialmente entre as potências mundiais.

O pastor destacou a promessa bíblica da segunda vinda de Jesus, ressaltando que Ele retornará para estabelecer um governo teocrático baseado nos princípios divinos.

“Jesus não virá para governar através de sistemas políticos humanos, mas sim para instaurar a justiça de Deus sobre a Terra. Seu governo será teocrático, e não democrático — pois as leis virão de Deus”, afirma.

Diante da promessa da volta do Messias, Engel questiona: “Você está preparado para a volta de Jesus?”

O pastor destaca que estarmos preparados para o retorno de Jesus é essencial, pois os dias que antecedem a volta de Cristo serão marcados por guerras e tribulações, conforme descrito nas Escrituras Sagradas.

Não temas!

“Os dias que antecedem a volta de Jesus, serão dias de guerras e tribulações. As nações se voltarão contra Israel — um movimento que já estamos vendo hoje. Não há nada de bom nisso, mas isso apressa a volta de Jesus. Porque quando houver a maior pressão e a maior guerra da história, Jesus aparecerá nas nuvens e virá com grande poder e glória”, explica.

Por isso, ele ressalta: “Não devemos temer os conflitos que precedem a volta de Jesus, pois eles são sinais do cumprimento das profecias”.

Embora a situação mundial possa parecer sombria, o pastor lembra que é importante manter a fé e a esperança na promessa da presença constante de Jesus ao lado de seus seguidores.

“Estamos em constante batalha espiritual. Em todo tempo estamos em guerra e a primeira delas acontece dentro de nós”, observa. “Mas aqueles que permanecerem fiéis terão a certeza da vitória final ao lado de Cristo”.

Diante da iminência de conflitos e da incerteza global, o pastor incentiva os cristãos a anunciarem a mensagem da volta de Jesus e a se prepararem para o cumprimento das profecias.

"Estejamos prontos, pois a volta de Jesus está próxima e nenhum inimigo ficará de pé diante da sua glória", finaliza.


Veja a pregação completa:




quarta-feira, 13 de março de 2024

‘Jovens estão trocando facas por Jesus’, diz evangelista de gangues no Reino Unido

A evangelista Karen Saunders compartilha o Evangelho com jovens de gangues envolvidos com esfaqueamentos nas ruas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO PREMIER

Mais de 700 outdoors DSYF estão em todo o Reino Unido. (Foto: Instagram/dsyfofficial)

O Reino Unido vive assustadores episódios de esfaqueamento ao ar livre, com dezenas de pessoas, especialmente adolescentes, sendo atacadas enquanto caminham nas ruas.

Os incidentes têm se tornado tão recorrentes que celebridades, como o ator Idris Elba, fazem campanha “Não pare o seu futuro” (DSYF, sigla em inglês) pelo fim dessa grave violência juvenil, praticada por membros de gangues.


As estatísticas mostram a gravidade da situação. Segundo a Premier Christianity, há duas semanas, Darrien Williams, de 16 anos, foi assassinado a facadas em Bristol. No ano passado, 42 vidas de jovens foram perdidas desnecessariamente devido a esfaqueamentos, entre elas Elianne Andam, de 15 anos, foi atacada em setembro a caminho da escola.

Há uma probabilidade duas vezes maior de adolescentes serem fatalmente esfaqueados agora do que há uma década.

Manchetes de jornais

Crescendo em Abbey Wood, no sul de Londres, a evangelista Karen Saunders, do Centro Missionário da Church Army em Greenwich, conta que testemunhou em primeira mão o atrativo das gangues e o impacto dos crimes com facas:

“Mal passa um dia sem outro esfaqueamento estampar as manchetes – e não apenas em áreas urbanas como Abbey Wood; o flagelo do crime com facas se estende por todo o Reino Unido, de Bristol a Brighton; Bodmin a Birmingham”.

Essa triste realidade está mobilizando vozes em torno da questão. Idris Elba tem gravado mensagens para pedir o fim do crime com facas, resultando no anúncio recente do governo do Reino Unido de que a venda de facas zumbis (facas ornamentadas inspiradas em filmes e séries de TV de zumbis, geralmente com fio serrilhado) será proibida a partir de setembro de 2024.

“É um passo na direção certa, mas, para ser sincera, não sei se resolverá o problema. Na área onde trabalho e moro, facas são comuns, carregadas por crianças a partir dos oito anos de idade. Muitas são obtidas ilegalmente; algumas simplesmente pegam uma faca da cozinha porque sentem a necessidade de estar armadas, de poder se defender, e em alguns casos, simplesmente para parecerem descoladas”, diz Karen Saunders.

“Mas carregar uma faca não é seguro e não é um mecanismo de defesa; na verdade, você tem 70% mais probabilidade de se tornar vítima de sua própria arma. Isso significa que se você for a infeliz vítima de um ataque, carregar uma faca o tornará mais vulnerável e não menos”, alerta a evangelista.

Oração e Bíblia

Karen relata que, como evangelista pioneira do Exército da Igreja, ela visita escolas e centros juvenis para oferecer apoio emocional e prático àqueles cujas vidas são afetadas por gangues, drogas e crimes com facas. Ela está envolvida com cerca de 200 a 300 jovens por semana, oferecendo a eles uma alternativa, um estilo de vida diferente.

“A vida em Abbey Wood é difícil para eles. Eles veem como é fácil ganhar dinheiro com o crime e é difícil convencê-los de que o caminho que Cristo oferece é superior; que possuir relógios e carros caros é um pequeno substituto para o amor de Deus. Mas é isso que eu faço. Esse é o desafio que enfrento todos os dias”, diz a evangelista.

Segundo Karen, seu trabalho está focado em visitar as escolas para compartilhar o poder de Jesus com os grupos de jovens, além de demonstrar o comportamento cristão a eles.

“Em alguns casos, sou a única adulta constante nas suas vidas, preenchendo uma lacuna que outras agências, como os serviços sociais, não têm recursos para preencher”, explica.

“Às vezes, é difícil compartilhar minha experiência nas escolas porque elas são multirreligiosas, mas para aquelas sem um forte vínculo religioso, posso oferecer o poder da oração, além de apoio adicional através dos grupos que conduzo toda semana. Nestes grupos, nós lemos a Bíblia juntos e oramos; construindo resiliência e autoestima através da palavra do Senhor”, diz a evangelista.

Vislumbres de esperança

Karen conta que recentemente um jovem disse que sabe que não irá traficar drogas nem carregar uma faca durante o resto da vida porque “Jesus tem um caminho diferente para mim”.

“São esses momentos que fazem meu trabalho valer a pena, onde posso ver como viver o Evangelho faz a diferença no dia a dia”, alegra-se a evangelista.

Ela relata que em Eltham, um de seus colegas, Nick Russell, viu quatro jovens estabelecerem um relacionamento pessoal com Deus e desistirem de carregar facas.

O seu trabalho relacional com os jovens, baseado no amor e no cuidado pelos jovens, combate a sua profunda desconfiança, a baixa autoestima crônica, o medo, a raiva e a agressão, e permite que eles confiem em sua própria capacidade de ter sucesso no mercado de trabalho, na educação e formação profissional.

Nada substitui o amor de Deus

“Nosso objetivo é levar esses jovens à fé e afastá-los de uma vida de crime antes mesmo de chegarem a esse ponto”, diz Karen.

E continua: “É difícil quando os jovens têm familiares que já estão envolvidos em atividades ilegais, mas isso me inspira ainda mais. Toda semana reservo um tempo para construir relacionamentos, ler a Bíblia e orar com os jovens que encontro, mostrando a eles que existe outro caminho”.

Karen lembra as palavras de Paulo em 1 Coríntios 13:13 sobre a fé, a esperança e o amor, sendo o amor o maior de todos. E diz: “É esse amor que carrego comigo todos os dias; isso me inspira a fazer o trabalho que faço”.

“A fé dá esperança aos jovens, sabendo que Deus está sempre com eles. Quando os jovens da minha região abandonam a educação, é fácil para eles caírem no crime, mas com a ajuda do Exército da Igreja esse não tem de ser o resultado”, esclarece.

“Recentemente, conduzimos um projeto para treiná-los em mecânica de motores, aprendendo um ofício que poderia levar a oportunidades de emprego e a uma vida cheia de propósito, apoiada pelo amor de Deus e pela comunidade cristã mais ampla”, exemplifica.

Um problema mais amplo

Karen diz que é fácil ver o crime com faca como um problema urbano, mas basta olhar as notícias para perceber que ele está em toda parte.

“O [jornal] The Telegraph informou recentemente que o crime com facas está aumentando principalmente nas áreas rurais, por isso, embora o meu trabalho esteja centrado em Abbey Wood, há necessidade de pessoas como Nick e eu em todo o Reino Unido”, justifica.


“Este é provavelmente o maior problema que nosso país enfrenta hoje. Como cristãos, devemos olhar para a área que nos rodeia – rural ou urbana – e encontrar dentro de nós o poder para chegar aos jovens e oferecer a eles o nosso amor e esperança, e um caminho frutífero que não envolva crime”, diz.

Ela diz que tanto escolas quanto grupos de jovens e igrejas têm algo para dar, algo para contribuir e algo pelo que orar.

“O poder de Deus está dentro de todos nós, e a capacidade de compartilhar esse poder é o dom mais importante que temos para compartilhar.”

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2024

Atleta é censurado ao falar o nome de Jesus em entrevista pós-jogo

CJ Stroud agradeceu a Jesus em uma entrevista à NBC depois de receber a vitória do time.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CBN NEWS

CJ Stroud. (Foto: Reprodução/X/Charlie Kirk)

CJ Stroud, jogador de futebol americano, foi censurado durante uma entrevista pós-jogo logo após mencionar o nome de Jesus.

O atleta de 22 anos, foi entrevistado pela rede de TV americana “National Broadcasting Company” (NBC). Depois que a repórter pergunta ao jogador sobre a vitória do Houston Texans, ele responde: “Toda glória ao meu Senhor e Salvador Jesus Cristo”.

No dia 18 de janeiro, o ativista Charlie Kirk compartilhou na plataforma X um vídeo onde mostra a versão original da entrevista ao lado do clipe exibido pela NBC.

“CJ Stroud é um quarterback incrível e um cristão devoto. Mas a NBC tem tanto medo que ele mencione o nome de Jesus Cristo no ar que editou sua entrevista pós-jogo. Quem for responsável por isso deveria ser demitido”, escreveu Charlie.

CJ Stroud is an amazing quarterback and a devout Christian.

But NBC is so afraid of him mentioning the name of Jesus Christ on air that they edited his post-game interview.

Whoever is responsible for this should be fired. pic.twitter.com/S3qrlzlce2— Charlie Kirk (@charliekirk11) January 18, 2024

Depois do ocorrido, CJ conversou com Charlie e disse que “não está zangado” com a censura.

“Eu gostaria que não fosse assim. Eu oro pelas pessoas e acredito que Deus nos chamou para amarmos uns aos outros nos bons e maus momentos, nos erros ou no sucesso”, afirmou ele.

E continuou: “Eu só quero demonstrar amor. Não somos perfeitos como pessoas. Sigo o Senhor, mas não sou perfeito e tento ser luz em tempos sombrios. Deus nos chamou para isso”.

‘Abordagem desrespeitosa’

CJ cresceu na igreja e está disposto a compartilhar sobre Jesus com outras pessoas:

“Só quero que as pessoas sintam o amor de Deus como eu senti. Então, não sinto nenhuma má vontade em relação a isso”.

O ex-jogador de futebol americano Donovan McNabb descreveu a censura da NBC como “fraca” e “desrespeitosa”. Em seu podcast “The Five Spot” ele afirmou que a NBC deveria “se avaliar”.

“Você é um meio de comunicação que deveria mostrar o que esses jovens são. Essa é a oportunidade deles, CJ Stroud está fazendo isso”, disse ele.

“É por isso que ouvimos muitos atletas dizerem: 'Posso usar minha plataforma para alcançar milhões de pessoas'. A NBC precisa corrigir isso, porque essa definitivamente não é a direção que precisa ser tomada neste momento”, concluiu McNabb.

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2024

Como Billy Graham se tornou o “pastor dos presidentes”

O evangelista foi chamado à Casa Branca para ministrar aos presidentes diversas vezes, e se tornou o capelão de alguns.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE BILLY GRAHAM EVANGELISTIC ASSOCIATION

Billy Graham com George HW Bush, Jimmy Carter e Bill Clinton na inauguração da Biblioteca Billy Graham. (Foto: BGEA).

O falecido evangelista Billy Graham, considerado um dos maiores pregadores das últimas décadas, também ficou conhecido como o “pastor dos presidentes”.

Desde a Segunda Guerra Mundial, todos os presidentes dos Estados Unidos se encontraram com o evangelista, segundo o Billy Graham Evangelistic Association (BGEA).

Para Graham, os líderes de sua nação eram pessoas como as outras, que necessitavam do amor de Deus e do Evangelho.

Por diversas vezes, ele afirmou: “Quer a história de Cristo seja contada num enorme estádio, na mesa de um líder poderoso, ou partilhada com um companheiro de golfe, ela satisfaz uma fome comum. Em todo o mundo, sempre que encontro pessoas cara a cara, fico ciente desta necessidade pessoal entre os famosos e bem-sucedidos, bem como entre os solitários e obscuros”.

Billy foi chamado à Casa Branca para ministrar e aconselhar os presidentes centenas de vezes, e acabou se tornando um capelão muitos deles.

Johnson e Nixon foram os que mais o procuraram, e chegaram a oferecer altos cargos no governo à Graham, que recusou imediatamente, com educação.

O primeiro presidente que o evangelista se encontrou foi Harry S. Truman, em 1950. “Um congressista ligou para Billy e perguntou: ‘Você gostaria de conhecer o presidente?’ Sem qualquer informação sobre o protocolo, ele concordou e foi com três colegas e falou com o Presidente Truman”, contou o BGEA.

Harry disse a Billy Graham que vivia de acordo com o Sermão da Montanha, e, ao final, os dois oraram juntos.

O primeiro presidente que se encontrou com Graham foi Harry Truman, que serviu de 1945 a 1953. (Foto: BGEA).

Chamado para aconselhar

Durante o governo de Dwight D. Eisenhower, o evangelista foi chamado para aconselhar o presidente.

“Eisenhower foi o primeiro presidente que realmente pediu meu conselho em profundidade quando estava enviando tropas para Little Rock”, lembrou Graham.

Eisenhower chegou a declarar: “Billy Graham é um dos melhores embaixadores que nosso país tem, mas ele me disse: 'Eu sou um embaixador do céu’”.

Pouco antes de Dwight faleceu, Graham foi convidado para visitá-lo no hospital. Lá, o pregador falou novamente sobre a mensagem de salvação em Cristo e os dois oraram. Depois disso, o presidente disse que estava pronto para morrer.

Billy Graham sentado com o presidente Dwight D. Eisenhower. (Foto: BGEA).

O presidente seguinte, John Kennedy, pediu para conhecer Billy quatro dias antes de sua posse, e o convidou para passar um dia em Palm Beach.

“Dirigimos no Lincoln conversível branco de JFK. Durante nossas conversas, percebi que ele estava preocupado com a condição moral e espiritual da nação”, relatou Graham.

O próximo presidente, Lyndon B. Johnson, foi um dos mais próximos do evangelista. Durante sua administração, Graham foi a Casa Branca por mais de 20 vezes e foi convidado várias vezes para ir ao rancho da família Johnson.

Em uma carta para o pastor, Lyndon agradeceu por sua amizade: “Minha mente voltou para aquelas ocasiões solitárias na Casa Branca, quando sua amizade ajudou a sustentar um presidente em uma hora de provação”.

Lendo a Bíblia com Nixon

Billy Graham e Richard Nixon. (Foto: BGEA).

Antes mesmo de Richard M. Nixon assumir a presidência dos EUA, ele e Graham já eram amigos pessoais desde 1950.

Como sua fé de origem quaker, Nixon pedia ao pastor que orasse e lesse a Bíblia com ele em todas as vezes que o visitava.

“Nixon era uma pessoa reservada e complexa, mas, abaixo da superfície, Billy o considerava caloroso e compassivo, bem diferente das caricaturas populares”, comentou a BGEA.

No último ano da presidência de Nixon, Graham não conseguiu visitá-lo. Mais tarde, uma pessoa na Casa Branca contou que o presidente havia ordenado: “Não deixe Billy Graham chegar perto de mim, não quero que ele seja manchado com Watergate”.

Boa reputação entre os presidentes

O presidente Gerald R. Ford também nutriu uma amizade com o pregador das multidões. Certa vez, ele defendeu Graham das falsas acusações de se envolver na política.

“Ouvi comentários de algumas fontes de que Billy mistura política com religião. Nunca senti isso e não creio que milhares e milhares de pessoas que o ouvem tenham sentido isso. Billy apareceu no Salão Oval em diversas ocasiões enquanto eu era presidente. Eram encontros de velhos amigos. Eles não tinham significado político ou outro”, declarou.

Jimmy Carter, que sucedeu Ford, falou o mesmo sobre o caráter de Graham. “Billy e Ruth Graham vieram nos visitar na mansão do governador na Geórgia e na Casa Branca. Sua reputação está acima de qualquer censura ou suspeita”.

Amizade com Reagan

Billy Graham com o presidente Ronald Reagan e sua esposa Nancy. (Foto: BGEA).

Segundo a BGEA, Billy Graham foi amigo íntimo de Ronald W. Reagan. Em 30 de março de 1981, após a tentativa de assassinato do presidente, Billy voou imediatamente para Washington para consolar e orar com a famaília.

“Foi através de Billy Graham que me vi orando ainda mais do que diariamente e na posição que ocupei, minhas orações cada vez mais foram para me dar a sabedoria para tomar decisões que serviriam a Deus e seriam agradáveis ​​a Ele”, testemunhou Reagan.

Em relação a George HW Bush, Graham afirmou que foi o presidente mais aberto para conversar sobre questões espirituais.

“Ele diz claramente que recebeu Cristo como seu Salvador e que é um crente nascido de novo”, disse o pregador, na época.

Ensinando sobre oração

Bush declarou que Billy o ensinou sobre a importância de ter uma vida de oração. “Billy Graham tem sido uma inspiração em minha vida. É minha firme convicção que ninguém pode ser presidente sem compreender o poder da oração, sem fé. E Billy Graham me ajudou a entender isso”, comentou ele.

O evangelista também visitou o presidente Bill Clinton no Salão Oval da Casa Branca. Bill disse que viu Graham pela primeira vez aos 12 anos durante uma cruzada evangelística no Arkansas, e ficou impressionado com a atitude do pastor em não concordar em segregar racialmente o público.

“Billy e Ruth Graham praticaram o ministério de serem amigos de presidentes de ambos os partidos sempre completamente privados, sempre completamente genuínos”, elogiou Clinton.

Conversão de Bush

Barack Obama se encontrou com Billy Graham em sua casa em Montreat. (Foto: BGEA).

Em sua autobiografia, George W. Bush revelou que se rendeu a Jesus após uma conversa privada com Billy ao longo da costa do Maine em 1985.

Ele afirmou que as palavras do pregador plantaram o grão de mostarda em sua alma e o levaram a comprometer seu coração a Cristo.

Já Barack Obama foi o primeiro presidente a visitar Graham em sua própria casa em Montreat, durante as férias presidenciais em abril de 2010. Os dois conversaram e oraram juntos.

No governo de Donald Trump, Graham o conheceu durante a celebração de seu aniversário de 95 anos, em 7 de novembro de 2013. Trump e sua esposa Melania participaram do evento e assistiram a uma exibição do curta-metragem evangelístico “The Cross”.

segunda-feira, 5 de fevereiro de 2024

Casal viaja de kombi pelo Brasil para evangelizar caminhoneiros nas estradas

Paulo e Erli largaram tudo e iniciaram o projeto missionário “Forasteiros de Cristo”, que leva o amor de Deus através da moda de viola.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE OLHAR CONCEITO

Paulo e Erli largaram tudo e iniciaram o projeto missionário “Forasteiros de Cristo”. (Foto: Instagram/Os Forasteiros de Cristo).

Guiados por Deus, um casal do Mato Grosso largou tudo para viajar de kombi pelo Brasil e pregar o Evangelho aos caminhoneiros nas estradas.

Em 2022, Paulo Roberto Ramalho, de 62 anos, e a esposa Erli Terezinha dos Santos, de 56 anos, iniciaram o projeto missionário “Forasteiros de Cristo”.

Membros da Igreja Batista Nacional, percorrem milhares de quilômetros pelo país e param em postos de gasolinas para falar do amor de Deus através da música.

Erli contou que a missão começou logo após o marido voltar para Jesus e ela se converter. “Meu esposo trabalhou quase 40 anos na música secular, foi cantor de banda e de dupla. Ele ficou 30 anos longe dos caminhos do Senhor. Com ele, também fui para a igreja”, disse ela, em entrevista ao portal Olhar Conceito.


Paulo passou a servir no ministério de louvor, viajando para cantar em igrejas, e a ideia do projeto missionário entre os caminhoneiros surgiu.

“Fizemos um evento em um posto de gasolina com caminhoneiros e o pessoal da nossa igreja, acho que floresceu em nosso coração trabalhar com eles, estar ali no posto, levar uma palavra de carinho, falar do amor de Deus”, comentou Erli.

Em outubro de 2022, Paulo e a esposa deixaram seus empregos, alugaram sua casa em Rondonópolis, compraram uma kombi e fizeram sua primeira viagem missionária, percorrendo as estradas de Rondônia, Mato Grosso, Goiás e Paraná.

O casal usa o louvor em moda de viola para compartilhar a Palavra de Deus com os motoristas. “Achamos que a música é a forma mais fácil de abordá-los, porque eles estão sempre correndo, às vezes chegam tarde para jantar”, relatou Erli.

E acrescentou: “Acontecem os momentos de louvor, de desabafos, testemunhos, não chega a ser um culto. Fazemos culto quando conseguimos uma parceria com o posto de gasolina. Mas geralmente trabalhamos solo, eu, ele e a viola”.


Segundo a missionária, muitas pessoas já foram tocadas por Deus durante as ações, incluindo andarilhos que os abordaram.

Certa vez em Campo Grande (MS), durante um momento de louvor em um posto, um caminhoneiro teve um encontro poderoso com Jesus.

“Deus deu uma palavra para meu esposo em relação a um dos caminhoneiros. Não sabíamos o que ele estava passando, era uma situação familiar. Ele pode abrir o coração para gente, e vimos que realmente vimos que Deus fez aquele momento. Entendemos que era ali que deveríamos estar”, testemunhou a cristã.