domingo, 5 de abril de 2020

Vacina contra Covid-19 desenvolvida por cientistas em Israel está 'nos estágios finais'

Os testes em humanos poderão ser aplicados em pessoas “jovens e saudáveis” a partir de 1º de junho.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO JERUSALEM POST

Médico do serviço de emergência médica em Israel coleta amostras para testes de coronavírus. (Foto: Yonatan Sindel/Flash90)

Pesquisadores israelenses disseram que estão a dias de terminar a produção do componente ativo de uma vacina contra o coronavírus que pode ser testada em humanos a partir de 1º de junho.

“Estamos nos estágios finais e, dentro de alguns dias, manteremos as proteínas — o componente ativo da vacina”, disse o Dr. Chen Katz, líder do grupo de biotecnologia do Instituto de Pesquisa MIGAL Galilee, ao site The Jerusalem Post.

Os testes em humanos serão feitos em “indivíduos jovens e saudáveis” e provavelmente serão expandidos para a população em geral. Katz acredita que a vacina será disponível primeiramente em Israel.

A MIGAL anunciou no final de fevereiro que concluiria a produção da vacina em três semanas e iria comercializá-la em três meses, mas Katz explicou que o processo foi adiado porque demorou mais do que o esperado para receber a construção genética que eles solicitaram da China, devido ao fechamento das vias aéreas e redirecionamento do produto.

Os pesquisadores passaram os últimos quatro anos desenvolvendo uma vacina contra o vírus da bronquite infecciosa (IBV), que causa uma doença brônquica que afeta aves. A eficácia da vacina foi comprovada em ensaios pré-clínicos realizados no Instituto Veterinário.

Após os cientistas sequenciarem o DNA do novo coronavírus, os pesquisadores descobriram que o coronavírus das aves tem alta similaridade genética com o humano e que usa o mesmo mecanismo de infecção. Segundo Katz, isso aumentou a probabilidade de alcançar uma vacina humana eficaz em um período muito curto de tempo.

O cientista ainda explicou que, por ser oral, “a qualidade desse tipo de vacina deve estar mais próxima das regulamentações alimentares do que das farmacêuticas, ou em algum lugar intermediário. Esperamos que não precisemos passar pelo processo completo de purificação, como na indústria farmacêutica, porque isso pode nos atrasar”.

O grupo, financiado em parte por uma doação de 30 milhões de shekels (43 milhões de reais) do Ministério da Ciência e Tecnologia de Israel, está trabalhando com o Ministério da Saúde para garantir que a vacina seja segura para testar seres humanos.

Segundo Katz, cerca de 100 equipes de pesquisa em todo o mundo estão atualmente focadas no desenvolvimento de uma vacina ou tratamento para o novo vírus, sendo várias delas em Israel.


Equipe do Instituto de Pesquisa MIGAL Galilee está desenvolvendo uma vacina para o Covid-19. (Foto: MIGAL)

Na terça-feira (31), outra empresa, o Instituto Israelense de Pesquisa Biológica (IIBR), disse à Reuters que havia começado a testar um protótipo da vacina Covid-19 em roedores em seu laboratório de defesa bioquímica.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu ordenou que o IIBR se juntasse à luta contra a pandemia de coronavírus em 1º de fevereiro, o que facilitou seu sigilo ao cooperar com cientistas civis e empresas privadas.

Em comunicado, o gabinete de Netanyahu disse que o diretor do IIBR, Shmuel Shapira, o havia informado de “progresso significativo” no protótipo da vacina e que o instituto “agora está preparando um modelo para iniciar um teste com animais”.

O diretor de inovação do IIBR, Eran Zahavy, descreveu a organização de um teste com animais como “um grande desafio” porque “esta doença não está afetando os animais”.

Shapiro também observoy que muitas experiências bem-sucedidas em animais nem sempre são bem-sucedidas quando testadas em seres humanos. “Não basta apenas detectar anticorpos neutralizantes no animal. Você realmente quer vê-los ficando doentes e melhorando com esta vacina”, disse ele.

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Ciro Gomes defende prisão de pastores e padres que se manifestem contra isolamento no Ceará

Político prediz números estratosféricos de casos de Covid-19 no Brasil e defende prisão de pessoas contrárias ao distanciamento social.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO PODER 360

O político de esquerda, Ciro Gomes. (Foto: Reprodução/O Globo/Márcia Foletto)

O ex-candidato à presidência da República, Ciro Gomes disse que pastores e padres devem ser presos por descumprirem quarentena no Ceará.

Em uma entrevista pela Internet, Ciro criticou os que defendem o fim do distanciamento social e propagou números estratosféricos que podem atingir o país caso não seja feita a quarentena. Ele diz que se nada for feito “podemos chegar a 1 milhão e 40 mil mortos no Brasil”.

Em ataques ao governo federal, Ciro Gomes defende que aqueles que não cumprirem a quarentena e que fizerem manifestações públicas, como carreatas, devem ser contidos pela polícia.

“Aqui no Ceará quem fizer [carreata], e já inclusive com ordem do Ministério Público, fazendo esse tipo de exposição do povo à morte, vai para cadeia”, disse.

O político acrescentou duas funções sociais que deveriam ser presos. “Pastores, padres, ou seja quem for, felizmente não estamos precisando, só tivemos que conduzir coercitivamente para a delegacia um”, disse Ciro, não deixando claro se quem foi levado para a delegacia foi um pastor ou um padre.

“A gente tem que discutir com o nosso próprio governo [federal] coisas que são óbvias”, disse ele, estimulando aqueles que tiverem dúvida a procurar informações oficiais emitidas pela Organização Mundial de Saúde.

Segundo Ciro Gomes, “só o Brasil está na contramão”.

terça-feira, 31 de março de 2020

Bolsonaro diz que irá recorrer da decisão da Justiça de fechar igrejas

O decreto presidencial que incluía as igrejas na lista de atividades essenciais foi suspenso pela Justiça.



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO UOL

Presidente Jair Bolsonaro durante coletiva de imprensa em Brasília. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro disse neste domingo (29) que o governo irá recorrer da decisão da Justiça que suspendeu o decreto presidencial sobre a abertura de templos religiosos durante o período de isolamento social por causa do novo coronavírus.

A afirmação foi feita em resposta a uma mulher que pedia a abertura das igrejas, enquanto Bolsonaro visitava um comércio em Ceilândia, região administrativa mais populosa do Distrito Federal.

“O meu decreto a Justiça derrubou em 1ª Instância, vamos recorrer agora”, disse o presidente, destacando a importância de evitar aglomerações nos templos.

“Os pastores são responsáveis por não aglomerar muita gente. As igrejas são um refúgio espiritual. É só ter responsabilidade para não encher”, acrescentou Bolsonaro.
Na última quinta-feira (26), Bolsonaro editou um decreto que incluiu templos religiosos na lista de atividades essenciais durante o período de isolamento social. 
Sendo assim, as igrejas poderiam funcionar seguindo as restrições impostas por governos estaduais e municipais para conter a proliferação do vírus.

No dia seguinte, a Justiça Federal suspendeu a validade dos decretos presidenciais após uma ação do MPF (Ministério Público Federal).

O juiz federal substituto Márcio Santoro Rocha, da 1ª Vara Federal de Duque de Caxias, determinou que o governo federal e a Prefeitura de Duque de Caxias “se abstenham de adotar qualquer estímulo à não observância do isolamento social recomendado pela OMS [Organização Mundial da Saúde]”, sob pena de multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

O recurso deve ser apresentado pela Advocacia-Geral da União (AGU) ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região.

Rocha disse que não está “a impedir o exercício da atividade religiosa”, que continua podendo ser livremente “desempenhada em casa, com os recursos da internet”, mas que “o direito à religião, como qualquer outro, não tem caráter absoluto, podendo ser limitado em razão de outros direitos”.

domingo, 29 de março de 2020

Atleta cristão doa US$5 milhões para combater o coronavírus nos EUA

Drew Brees é cristão e disse que este é o momento de cada um fazer o que está ao seu alcance para combater a pandemia.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITH WIRE

Drew Brees joga pelo All Saints, do estado da Louisianna. (Foto: Getty Images/Al Bello/Staff)

O quarterback do New Orleans Saints, Drew Brees e sua esposa, Brittany, prometeram doar US$ 5 milhões ao estado da Louisiana (EUA) para ajudar no combate à pandemia do coronavírus.

O atleta também está alavancando seu relacionamento com várias empresas "para preparar e entregar mais de 10.000 refeições por dia em toda a Louisiana, pelo tempo que for necessário para crianças e idosos em programas de refeições para famílias carentes".

"Vamos fazer a nossa parte, manter a esperança e superar isso juntos", escreveu ele em um post publicado na última quinta-feira (26) no Instagram.

Brees é cristão e não perde a oportunidade de usar suas redes sociais e outras plataformas para compartilhar o amor de Jesus.

Em 2019, ele apareceu em um vídeo, promovendo uma conhecida campanha nos EUA para incentivar crianças a levarem suas Bíblias à escola. O atleta chegou a ser duramente criticado por ateus e outros ativistas em favor do “Estado Laico”.

No vídeo de 22 segundos publicado por um canal do YouTube “Bring Your Bible”, da organização cristã ‘Focus On The Family’, Brees abriu compartilhando seu verso favorito, II Coríntios 5:7: “Porque vivemos pela fé, não pela vista”. Ele então disse: “Quero encorajá-lo a viver sua fé no Dia de Trazer Sua Bíblia à Escola e compartilhar o amor de Deus com os amigos. Você não está sozinho."


Contexto

No estado da Louisiana, agora existem mais de 2.300 casos confirmados de coronavírus, e quase 1.000 deles estão na cidade de Nova Orleans. Pelo menos 83 pessoas morreram com o vírus.

O governador John Bel Edwards (D) disse na última terça-feira: “Ainda é impossível saber exatamente quanto tempo a pandemia do COVID-19 afetará a Louisiana, mas o que sabemos é que temos mais casos per capita do que nunca, exceto Nova York. e Washington".

Segundo o Dr. Joshua Denson, médico pulmonar e de cuidados intensivos do Centro Médico Tulane, em Nova Orleans, a rápida disseminação da infecção no estado da Louisiana provavelmente veio das celebrações da festividade ‘Mardi Gras’ (um tipo de “carnaval”), em Nova Orleans.

"Alguém trouxe isso para cá", explicou, "e então começou a se espalhar lentamente".

No início deste mês, o técnico do Saints, Sean Payton, revelou que havia sido diagnosticado com o COVID-19. Em um tweet, ele disse que experimentou apenas sintomas leves e não sofreu nenhum desconforto respiratório.

sexta-feira, 27 de março de 2020

Quatro pacientes de coronavírus saem da UTI após tratamento com hidroxicloroquina

As pessoas estavam internadas em estado grave na UTI do Hospital Igesp, em São Paulo.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO UOL E OLHAR DIGITAL

Substância é esperança para tratamento da Covid-19. (Foto: Reprodução/Bigstock)


Após usarem por uma semana a hidroxicloroquina, quatro pacientes que estavam internados em estado grave em uma UTI do Hospital Igesp, em São Paulo, receberam alta.

O coordenador da UTI do Hospital, Dante Senra, explicou que, no total, 12 altas foram dadas a pacientes com coronavírus e altamente suspeitos e que acredita que o hospital seja o primeiro a utilizar o medicamento.

A substância, utilizada no tratamento de doenças como artrite, lúpus e malária, tem se mostrado efetiva em limitar a replicação do novo coronavírus in vitro e provocar melhoras em pacientes tratados com o remédio.

Dante ainda explicou que não há comprovação do efeito do uso do medicamento e, portanto, não dá para garantir que os pacientes foram curados porque fizeram uso da substância.

De acordo com o médico Dante não há comprovação do efeito do uso do medicamento, com isso, não dá para garantir que os pacientes foram curados porque fizeram uso da substância.

As autoridades do Ministério da Saúde pedem que as pessoas não utilizem a substância para prevenir o Covid-19, já que só pode ser administrada sob orientação médica.

A hidroxicloroquina pode provocar diversos efeitos colaterais, como cegueira e problemas cardíacos.

Caráter experimental


O secretário executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, informou que a eventual liberação dos remédios terá caráter experimental e valerá apenas para pacientes internados em estado grave. Ele reiterou que os dois componentes têm efeitos colaterais fortes e não podem ser estocados para serem usados em caso de eventual gripe.

“Hoje, (os medicamentos) são usados em pesquisas clínicas, com autorização dos comitês de ética dos hospitais, em associação com outros medicamentos. Caso o Ministério da Saúde libere a prescrição, poderá ser usado para pacientes graves, internados em hospitais. Não é para ser usado por quem está gripado e acha que se tomar esse medicamento e não vai ter complicações”, destacou Gabbardo.

Nos últimos dias, foi divulgado um estudo realizado na França em que a cloroquina — usada para tratar a malária — e a hidroxicloroquina — prescrita para casos de artrite reumatoide e lúpus — diminuíram a contagem viral.

Na sexta-feira (20), o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou que o governo norte-americano estuda a utilização dos medicamentos no tratamento do novo coronavírus.

Sobre a autorização do presidente Jair Bolsonaro para que o Exército amplie a produção dos medicamentos, o secretário-executivo disse que a medida tem caráter preventivo no caso de um eventual aumento da demanda futura. No Brasil, o produto é fabricado em laboratórios privados, das Forças Armadas e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Esses medicamentos já são fabricados no Brasil e existem nas farmácias. Em função da possibilidade da utilização para casos graves de coronavírus, estamos pensando na necessidade de ampliação da produção. É isso que o presidente autorizou: que o Exército possa ampliar a produção de medicamentos”, explicou.

Ele lembrou que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) restringiu a venda dos remédios com a retenção de atestado apenas para pessoas com as três doenças tratadas pelos medicamentos: malária, lúpus e artrite reumatoide.

quarta-feira, 25 de março de 2020

“Estamos aprendendo a ser igreja em vez de fazer igreja”, diz pastor da cidade de Wuhan

O pastor Huang Lei contou que com o isolamento em razão do coronavírus, os cultos de sua igreja passaram a ser diários.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA PORTAS ABERTAS (EUA)

Pastor Huang Lei contou que a pandemia do coronavírus acabou tornado a realização de cultos online diária. (Imagem: Youtube)

Cristãos do mundo inteiro deixaram de se reunir fisicamente com suas igrejas no último final de semana e realizaram cultos online em razão da pandemia do coronavírus. Mas para milhões de cristãos perseguidos em todo o mundo, os cultos regulares em templos nunca foram uma opção. No entanto, eles encontram maneiras de ainda assim continuar cultuando a Deus.

O pastor Huang Lei lidera uma igreja na China em Wuhan, o epicentro do surto de coronavírus. Como um dos poucos líderes cristãos que ficou em Wuhan durante o surto, o Pastor Lei está falando sobre o que ele viu como resultado da pandemia.

A crise o forçou a olhar as coisas de maneira diferente, com nova visão. Sua igreja agora realiza apenas cultos online. O pastor Lei compartilha como a crise está gerando mais orações e aprofundando a comunidade.

"A epidemia não reduziu nossas reuniões. Estamos aprendendo a ser igreja, em vez de fazer igrejas", diz ele.

“Primeiro, temos mais de 50 grupos. Quase todos estão reunidos via internet. Oramos, estudamos a Bíblia, compartilhamos, testemunhamos, louvamos e adoramos. Entre eles, temos mais de 30 grupos que passam duas horas por dia, das 7h às 9h, para orar, adorar, compartilhar e testemunhar juntos. Isso é muito mais frequente do que nossas reuniões normais”, contou.

O pastor continuou contando que agora os cristãos estão em jejum e oração constantes, se revezando.

“Portanto, a epidemia não reduziu nossas reuniões. É o contrário. E há 24 horas de jejum e oração. E estamos fazendo uma oração a cada hora também. Então, acho que depois disso, muitos dos irmãos estarão mais dispostos a participar da comunicação com outros irmãos. Para encorajar um ao outro e compartilhar um com o outro”, explicou.

Pastor Lei também contou que as reuniões online estão encorajando muitos idosos - considerado grupo de risco da doença - que antes sentiam-se desmotivados e ficavam sozinhos em casa.

"É claro que agora temos mais tempo livre, todo mundo fica em casa, e isso nos deu a chance de fazer isso. Mas, normalmente, temos a reunião do grupo semanalmente e agora fazemos isso diariamente, às vezes até mais. Então, somos muito gratos por isso. E ouvimos dizer que nossos idosos e deficientes são gratos ao Senhor e são muito encorajados por esta oportunidade de reuniões on-line”, contou..

“Antes disso, eles se sentiam alienados, ficando em casa sozinhos, como se estivessem abandonados. Agora eles estão felizes com esta conexão mais forte entre irmãos. E eles estão mais conectados. Pouco a pouco, começaram a participar ativamente da reunião de oração on-line”, acrescentou.

Pastor Lei destacou que a pandemia acabou aproximando ainda mais os fiéis da igreja por ele liderada.

“Quanto aos líderes e diáconos do grupo, realizamos reuniões on-line cerca de duas vezes por semana. Os diáconos costumavam se reunir uma vez por mês e agora dobramos os encontros. Eu acho que isso está nos aproximando mais do que nunca. Oramos, compartilhamos informações e tomamos decisões juntos. O vírus não pode nos parar”, relatou.

“E outra coisa é que estamos orando com os ministros em Wuhan duas vezes por semana. Queremos nos conectar com ministros de toda a China por meio disso. Então essa é a situação por enquanto”, acrescentou.

terça-feira, 24 de março de 2020

Trump ora com pastores pelo combate à pandemia do coronavírus

Trump conversou com os pastores por meio de uma teleconferência, organizada por uma instituição cristã dos EUA.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS


Em uma teleconferência, pastores oraram por Trump e integrantes do governo, em meio ao combate à pandemia do coronavírus. (Foto: EVAN VUCCI/AP Photo)

O presidente dos EUA Donald Trump, o vice-presidente Mike Pence e o secretário Ben Carson conversaram e oraram com centenas de pastores em uma teleconferência na tarde da última sexta-feira (20). Na ocasião, Trump lhes pediu especificamente que orassem pela "resistência" e pela "saúde do país”.

Enquanto isso, o vice-presidente Pence elogiava os pastores pelo trabalho vital que as igrejas estão fazendo ao longo desta provação.

"Vocês estão colocando as mãos e os pés em sua fé", disse o vice-presidente aos pastores.

O secretário Ben Carson também encorajou o grupo, dizendo: "Deus ainda tem Sua mão sobre esta nação".

A teleconferência de uma hora foi organizada pelo Conselho de Pesquisa da Família (FRC) e seu presidente, Tony Perkins a liderou.

O momento teve orações pelo presidente Trump, por Pence e Ben Carson, mas também teve diálogos sobre as maneiras com as quais as igrejas podem se unir de maneira criativa durante esse período, incluindo a realização de cultos de “unidade”.

Quanto a Trump, Pence e Carson, eles incentivaram as igrejas a cumprirem as diretrizes federais durante este período crítico de 15 dias.

Durante a teleconferência, Perkins orou pelo presidente, por todo o governo e pelo povo dos Estados Unidos.

“Pai, nós Te agradecemos pelo nosso presidente, pelo nosso vice-presidente, por todos os líderes nesta administração e como somos orientados nas Escrituras a orar por nossas autoridades, Senhor, fazemos isso com muita vontade e júbilo, em razão da liderança que o Senhor nos deu. O foco que eles têm tido nas prioridades é essencial para a saúde da nossa nação”, orou Perkins. “Pedimos que o Senhor continue dando ao presidente grande sabedoria e energia nesta crise”.

Além disso, o pastor Carter Conlon, da Times Square Church, em Nova York, orou pelo vice-presidente Pence e Paula White orou pelo secretário Ben Carson. O áudio da chamada será enviado a 15.000 pastores em todo o país, como parte do ministério "Watchmen On The Wall" da FRC.

Direcionamento

As observações do presidente Trump permaneceram fiéis ao que ele vinha transmitindo nos briefings diários sobre o coronavírus.

Já o vice-presidente Pence disse aos pastores que ele se sentia inspirado por muitas igrejas que cumpriam as diretrizes do governo federal e pediu aos pastores que enviassem as dicas e conselhos da administração a todos os fiéis. Ele ficou especialmente agradecido por muitas das igrejas que estão se mobilizando para administrar bancos de alimentos.

"Está fazendo uma enorme diferença enorme", disse Pence aos pastores e líderes. "Vocês estão mostrando a grandeza do caráter da América".

Ele agradeceu às igrejas que estavam suspendendo os cultos com muita cautela e pelo sacrifício financeiro envolvido, considerando que elas conduzem suas operações com base no dízimo e nas ofertas. Pence disse que faria sua parte para tentar incentivar os americanos a continuarem dizimando, apesar de não estarem presentes nos cultos.

"Ajudaremos a ecoar isso em nossos briefings", disse Pence aos pastores. "Faremos um lembrete e encorajamento gentil para os americanos continuarem apoiando esses ministérios, mesmo que não estejam nos bancos nas manhãs de domingo".

De fato, após o telefonema de sexta-feira, Pence fez exatamente isso no briefing diário de coronavírus de sábado.

Pence fez a maior parte das conversas por telefone, já que ele foi encarregado de liderar a força-tarefa de combate ao coronavírus. Ele encorajou os pastores com um versículo da Bíblia que se destacou na semana passada, depois de ouvi-lo durante um sermão que assistiu online em sua igreja. A passagem compartilhada foi de Lamentações 3: 22:23 que diz: “Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis. Renovam-se cada manhã; grande é a tua fidelidade!”

sábado, 21 de março de 2020

Trump anuncia medicamentos que podem ser úteis no tratamento do coronavírus

Duas substâncias foram citadas pelo presidente dos EUA como possíveis medicamentos para o tratamento de pessoas infectadas.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO US NEWS

Trump anunciou medicamentos que podem ajudar no tratamento do coronaví)rus. (Foto: EVAN VUCCI/AP Photo

Em um briefing da força-tarefa sobre coronavírus da Casa Branca, o presidente dos EUA, Donald Trump pressionou a 'Food and Drug Administration' (FDA) - agência federal do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos - a reduzir a burocracia para desenvolver vacinas e terapias para prevenir e tratar infecções com o coronavírus "o mais rápido possível".

Embora uma vacina seja um processo longo, disse ele, o tratamento pode se mover mais rapidamente.

"Temos duas com as quais estamos realmente em boa forma, e isso é para entrega imediata", disse Trump.

Um dos medicamentos mencionados por Trump, chamado cloroquina (ou hidroxicloroquina), já foi aprovado como antimalárico. Ele disse que, como a substância existe há muito tempo, seria mais fácil obter aprovação para seu uso no tratamento do coronavírus.

"Portanto, sabemos que se as coisas não saírem como planejadas, não vão matar ninguém", disse Trump.

Ele disse que os medicamentos estarão disponíveis "quase imediatamente" para uso de prescrição, caso sejam liberados.

Trump também mencionou o remdesivir, um antiviral usado no tratamento do Ebola e já está sendo testado para o tratamento de coronavírus na China.

Em teste

O FDA aprovou o "uso compassivo" para um "número significativo" de pacientes, disse Trump. O processo permite que a agência colete dados de pessoas fora dos ensaios clínicos que usam voluntariamente os medicamentos não aprovados para fins de tratamento.

"Se tratamentos reconhecidamente seguros na Europa, Japão ou outras nações forem eficazes contra o vírus, usaremos essas informações para proteger a saúde e a segurança do povo americano", disse Trump.

O comissário da FDA, Stephen Hahn, disse que os EUA "aprenderam com os colegas de todo o mundo sobre isso".

Hahn disse que a curto prazo, a agência está analisando medicamentos que foram aprovados para outras doenças.

"O presidente nos pediu para acelerar isso", disse ele.

O vice-presidente Mike Pence apresentou perguntas sobre a falta de equipamento de proteção para os profissionais de saúde depois que os Centros de Controle e Prevenção de Doenças divulgaram orientações de que os hospitais podem usar bandanas ou lenços se estiverem sem máscaras.

Pence disse que as empresas concordaram em aumentar drasticamente a produção de máscaras. Ele acrescentou que a força-tarefa conseguiu identificar "dezenas de milhares" de ventiladores médicos (equipamentos que ajudam na respiração) que podem ser usados ​​no tratamento de pacientes.

"Continuamos confiantes de que teremos os ventiladores médicos de que precisamos quando o coronavírus atravessar a América", disse Pence.

Os casos nos EUA superaram os 10.000, de acordo com a Universidade Johns Hopkins. As autoridades de saúde relatam mais de 150 mortes.

sexta-feira, 20 de março de 2020

Max Lucado diz que 'Deus está falando com o mundo' em meio à pandemia de coronavírus

O pastor e escritor diz que cada um precisa perguntar a Deus o que Ele quer comunicar em sua vida e ministério diante da pandemia.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Max Lucado: “Lembrete para que voltemos nossos corações ao Senhor e continuemos orando”. (Foto: Reprodução/Christian Post)

"Nunca vivemos um tempo como este. Isso é sem precedentes”, disse Max Lucado, pastor da Igreja de Oak Hills, em San Antonio, Texas, ao The Christian Post. “No entanto, a Bíblia nos diz que os tempos foram bizarros antes. Você abre sua Bíblia e lê sobre pestilência, medos, tempos sombrios. A Bíblia está escrita para tempos como este.”

Ele incentivou todo crente a perguntar: “‘Senhor, o que você está me dizendo durante esta crise?”.

Lucado enfatizou que Deus está "conversando com o mundo" através da pandemia de coronavírus.

"Acredito que a mensagem [de Deus] é pessoal e global", enfatizou o pastor. “Alguns de nós precisam ouvir algo individualmente. Por exemplo, eu senti que o Senhor estava me dizendo: 'Max, não dependa da economia'. Pode ser que Deus esteja dizendo às pessoas: 'Não confie em entretenimento para sua realização'”.

"Quem previa estádios esportivos vazios? Parece um romance de ficção científica”, continuou ele. “Pode ser que alguns de nós precisem ouvir o Senhor dizendo: ‘Pare de transformar um ídolo nessas fontes de prazer. Venha a mim para satisfação’”.

“Vá ao Senhor, pergunte o que Ele está dizendo e depois diga: 'Como podemos ser usados ​​por você? Como podemos servir aos outros?", aconselhou. “Não é fácil por causa do distanciamento social. Mas podemos enviar mensagens de texto e ligar para as pessoas, entregar presentes para alguém, podemos ser criativos, especialmente com os vulneráveis.”

Escolher a fé

"Acho que é um momento em que precisamos alimentar nossa fé", continuou ele. “Se você alimentar nossa fé, seus medos morrerão de fome. Se você alimentar seus medos, sua fé morrerá de fome. Nossa tendência é alimentar nossos medos. Temos que fazer coisas intencionais para alimentar nossa fé.”

A escolha da fé sobre o medo, em meio ao ataque de manchetes negativas, disse o autor, começa com o gerenciamento do pensamento.

"Quando ligo o noticiário hoje à noite, ouvirei alguém dizer que as coisas estão piorando. Se não me proteger, deixarei isso criar uma sensação de ansiedade que encherá meu coração, e depois transmitirei isso ao mundo”, explicou Lucado.

“Achamos que só porque temos um pensamento, temos que pensar. Nós não. Não precisamos recebê-lo. Existem muitas mentiras por aí e falsidades distribuídas no momento, na forma de exagero, como 'Nunca vamos passar por isso' e outras declarações exageradas. Precisamos nos proteger contra essas coisas porque elas podem nos sugar.

O autor da Bíblia Lucado Encouraging Word salientou que em 2 Coríntios, o apóstolo Paulo exorta os crentes a “capturar todo pensamento para torná-lo obediente a Cristo”.

“Isso significa que ouvimos esse pensamento e depois oramos: 'Sei que parece que as coisas estão piorando, mas Senhor, você está no controle e não vou me render a isso. Eu entrego meu medo a você'', disse ele.

"Em vez de permitir ansiedade em meu coração, a fé entra em meu coração, de modo que, mais tarde, o que eu digo é: 'As coisas estão difíceis, mas acredito em um Deus bom e Ele está no trono.' [Assim] eu me torno alguém que transmite esperança em vez de medo”, disse Lucado.

Tempos de crise

Nas Escrituras, Jesus fornece o exemplo perfeito de como responder em tempos de crise, disse Lucado.

"Se você quiser saber como Jesus responde a uma calamidade global, podemos ver como Jesus respondeu ao fato de que 5.000 homens, mulheres e crianças não tinham comida e como ele os alimentou", disse ele. “Quer ver como Jesus responde ao espectro maligno da morte? Podemos ver como Ele responde quando Lázaro morreu ressuscitando-o dentre os mortos.”

O livro mais recente de Lucado (“Jesus: O Deus que conhece o seu nome”) analisa profundamente a vida de Cristo e o que Ele significa para nós hoje. É tanto para os novos cristãos que querem "caminhar pela vida de Cristo e entender a beleza dessa pessoa real que viveu nesta Terra" quanto para os crentes experientes que "querem se aprofundar e explorar diferentes aspectos da vida de Cristo", disse Lucado.

"O livro ajuda as pessoas a entender por que valorizamos a Cristo", disse ele. “A razão pela qual Deus se tornou carne é nos revelar o coração de Deus. Quando vemos Jesus, vemos o coração de Deus."

"Todos eles revelam o coração de Cristo que é compassivo, odeia a religião que afasta as pessoas de Deus e ama as pessoas", diz.

Como muitas igrejas ao redor do mundo, a igreja de Lucado, no Texas, suspendeu os cultos no campus em resposta ao coronavírus. Em vez disso, Lucado realizou nas últimas semanas um breve serviço dominical no Facebook e continuará a fazê-lo "pelo tempo que for necessário".

Em tempos de calamidade, os cristãos devem se esforçar para "manter nossas Bíblias e corações abertos" mais do que nunca, destacou Lucado.

"Temos situações como essa na história e isso acontecerá novamente", disse ele. "Não sei se isso é uma indicação de que estamos perto do fim do mundo como o conhecemos, mas poderia ser. Ninguém sabe. Mas é um lembrete para que voltemos nossos corações ao

quarta-feira, 18 de março de 2020

Organização cristã envia equipes e leitos a hospitais da Itália, isolada pelo coronavírus

Mais de 2.100 pessoas morreram devido ao vírus, tornando a Itália o país mais atingido depois da China. Quase 28.000 foram infectadas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Profissional de saúde se prepara enquanto recebe recomendações para atendimento de infectados na Itália. (Foto: AP Photo)

A Itália está promovendo 10.000 estudantes de medicina para ajudar os hospitais que lutam para lidar com o surto de coronavírus. Enquanto isso, o ministério fundado e liderado pelo evangelista Franklin Graham, chamado Bolsa do Samaritano, está enviando ajuda ao país.

Mais de 2.100 pessoas morreram devido ao vírus, tornando a Itália o país mais atingido depois da China. Quase 28.000 foram infectadas.

A crise sobrecarregou os hospitais do país, forçando o governo a construir instalações externas para acomodar o crescente número de pacientes doentes.

Na cidade de Bergamo, no norte da Itália, uma das regiões mais atingidas, as famílias enterraram seus entes queridos na última terça-feira (17), com o número de novos casos ocorrendo nesta semana.

O país inteiro está em quarentena, impedindo que 60 milhões de italianos saiam de casa, a menos que seja para emergências alimentares ou médicas. Todas as reuniões públicas foram proibidas.

O pastor Franklin Graham destacou que enviar esta ajuda é atender ao chamado de Deus para compartilhar o amor de Cristo.

"Este é o trabalho que Deus nos chamou e queremos compartilhar o amor de Cristo e a verdade de que 'Deus é nosso refúgio e força, uma ajuda muito presente nos problemas'. O missionário britânico C.T. Studd declarou: 'Alguns querem viver ao som da igreja ou do sino da capela, mas eu quero administrar uma loja de resgate dentro de um quintal do inferno' ", publicou Graham no Facebook.

A organização cristã postou em seu Twitter na última terça-feira: "Nosso DC-8 [avião] está a caminho do norte da Itália com um hospital de emergência de 68 leitos para cuidar dos infectados pelo # COVID19. Por favor, junte-se a nós na oração por todos os que foram afetados pelo #coronavírus".

Edward Graham, o filho mais novo de Franklin Graham, também é líder da Bolsa do Samaritano. Ele postou em seu Twitter: "A Itália está encurralada. Estamos voando para servir o Nome de Jesus nas linhas de frente do COVID-19. Por favor, ore por nossa equipe e funcionários do hospital que ajudarão o povo italiano durante um período de crise".

segunda-feira, 16 de março de 2020

Trump pede orações em razão do coronavírus: “Nenhum problema é grande demais para Deus”

Após reconhecer a gravidade da situação, Trump também destacou a importância da fé em momentos difíceis como estes.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Trump faz pronunciamento oficial sobre coronavírus no jardim da Casa Branca. (Foto: AP Photo/Evan Vucci)

O último domingo (15) foi proclamado pelo presidente dos EUA, Donald Trump como um Dia Nacional de Oração pelos cidadãos afetados pelo coronavírus. O anúncio foi feito na sexta-feira anterior, como um tipo de convocação e convite à unidade.

“É minha grande honra declarar o domingo, 15 de março, como um Dia Nacional de Oração. Somos um país que, ao longo de nossa história, buscou a Deus proteção e força em tempos como esses. Não importa onde você esteja, encorajo você a se voltar para a oração em um ato de fé. Juntos, vamos facilmente prevalecer!”, declarou Trump em uma publicação no Twitter.

Já no domingo, o presidente proferiu um discurso, no qual destacou a importância da fé em momentos de dificuldade e pediu que o país se mantenha unido para superar a pandemia.

“Nos tempos de maior necessidade, os americanos sempre se voltaram para a oração para ajudar a guiar-nos através de provações e períodos de incerteza. Enquanto continuamos a enfrentar os desafios únicos impostos pela pandemia de coronavírus, milhões de americanos não conseguem se reunir em suas igrejas, templos, sinagogas, mesquitas e outras casas de culto”, disse.

“Mas, neste momento, não devemos deixar de pedir a Deus mais sabedoria, conforto e força, e devemos orar especialmente por aqueles que sofreram danos ou que perderam entes queridos. Peço que você se junte a mim em um dia de oração para todas as pessoas que foram afetadas pela pandemia de coronavírus e que orem para que a mão curadora de Deus seja colocada nas pessoas de nossa Nação”, acrescentou.

Após reconhecer a gravidade da situação, Trump também destacou que por maior que seja o problema, nada é grande demais para Deus.

“Como seu Presidente, peço que ore pela saúde e bem-estar de seus colegas americanos e lembre-se de que nenhum problema é grande demais para Deus lidar. Todos devemos levar a sério as sagradas palavras encontradas em 1 Pedro 5: 7: ‘Lancem sobre ele toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês’”, lembrou.

“Oramos para que todos os afetados pelo vírus sintam a presença da proteção e do amor de nosso Senhor durante esse tempo. Com a ajuda de Deus, vamos superar essa ameaça”, destacou.

Trump também pediu orações por todos aqueles que estão trabalhando com seus conhecimentos técnicos para combater o vírus.
“Incentivo todos os americanos a orarem por aqueles que estão na linha de frente da resposta, especialmente os destacados profissionais médicos e autoridades de saúde pública de nossa nação que estão trabalhando incansavelmente para proteger todos nós do coronavírus e tratar os pacientes infectados; todos os nossos corajosos socorristas, Guarda Nacional e indivíduos dedicados que estão trabalhando para garantir a saúde e a segurança de nossas comunidades; e nossos líderes federais, estaduais e locais”, disse.

O presidente voltou a citar a Bíblia em outro momento de seu discurso para destacar que a fé e o discernimento deve acompanhar as decisões nestes dias difíceis.

“Estamos confiantes de que Ele lhes dará a sabedoria necessária para tomar decisões difíceis e tomar ações decisivas para proteger os americanos em todo o país. Ao chegarmos a nosso Pai em oração, lembramos as palavras encontradas no Salmo 91: ‘Ele é meu refúgio e minha fortaleza: meu Deus; nele eu confiarei’”, lembrou.

Situação


A disseminação do vírus tem mobilizado a população mundial a se adaptar a novas práticas que envolvem mais cuidado com a higiene e também a evitar locais com grandes concentrações de pessoas - o que em muitos países envolve a realização de encontros e eventos religiosos em igrejas, sinagogas e mesquitas.

Assim como em diversas outras partes do mundo, no Brasil, muitas igrejas realizaram seus cultos online. As que mantiveram os cultos presenciais, distribuíram alcool gel e deram recomendações específicas aos fiéis.

sexta-feira, 13 de março de 2020

Americanos doam helicóptero para expandir trabalho missionário na selva brasileira

Ethnos360 diz que conseguiu dinheiro para comprar um helicóptero R66 que usará para a evangelização de dez grupos indígenas.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA AFP E ETHNOS360

O helicóptero será usado para levar missionários a aldeias onde não há pista de pouso. (Foto: Facebook / Missão Novas Tribos do Brasil)

Criada em 1943, a Missão Novas Tribos (hoje Ethnos360) enviou seus primeiros missionários para a Bolívia. Na época, os missionários ouviram "Você não voltará vivo", mas isso não os deteve.

Aquele trabalho, iniciado pelos primeiros missionários, gerou a igreja Ayoré na selva amazônica. A família daqueles que mataram os cinco primeiros homens se tornou parte da família de Deus. ⠀

Audrey Bacon, esposa de um deles, tranquilizou os familiares dizendo: "Valeu a pena a morte de meu marido ao ver você conhecer Jesus Cristo".

Hoje, passados quase 80 anos, a semente da vida dos cinco missionários que nunca voltaram está em outro patamar e com trabalhos realizados em dezenas de países.

Agora a Ethnos360, com base na Flórida, acaba de informar em seu portal que conseguiu recursos para comprar um helicóptero R66 que usará para a evangelização de dez grupos na selva brasileira.

O helicóptero é considerado pelo grupo como uma “provisão miraculosa”. “[Ele] foi ofertado a nós e é o primeiro helicóptero no Brasil a ser usado para o trabalho missionário”, diz a Missões Novas Tribos do Brasil.

“Com ele iremos dar assistência à 7 equipes missionárias e em breve será estendido para mais equipes. As viagens que antes eram feitas em horas e até em dias, agora poderão ser feitas em 30min, o socorro chegará mais rápido e o Evangelho levado para ainda mais longe!”, afirma.

No vídeo para arrecadar fundos, o piloto da Ethnos360 Jeremiah Diedrich descreve a região onde pretende chegar, próxima à fronteira com o Peru, como “o local mais escuro, denso e difícil de alcançar em toda a América do Sul”.

O grupo, que observa uma interpretação literal da Bíblia cristã, tem como missão levar o cristianismo a todas as pessoas cujas “culturas e idiomas lhes isolaram do Evangelho”.

A Ethnos360 explica que não há estradas para a maioria das aldeias tribais remotas. Caminhadas que podem levar uma semana ou mais requerem apenas alguns minutos em um avião. "É uma ambulância; é um táxi, é um ônibus escolar, é uma mercearia para os missionários", diz Larry Dye, piloto e instrutor da Ethnos360 Aviation.

ONG condena ação

A ONG Survival International condenou nesta quarta-feira o projeto de uma organização americana de missionários que pretende usar um helicóptero para evangelizar tribos isoladas na Amazônia brasileira.

Segundo a Survival International, o projeto coloca em risco indígenas isolados e não contactados, que poderão ser infectados por doenças com efeitos devastadores.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro nomeou o antropólogo e pastor evangélico Ricardo Lopes Dias para liderar o programa federal de proteção de tribos não contactadas da Fundação Nacional do Índio (Funai).

segunda-feira, 9 de março de 2020

Gari que estudava com livros achados no lixo se torna doutor em Teologia

Cícero Rodrigues Ferreira havia parado de estudar tempos atrás, porém o interesse pela Bíblia o fez voltar a se dedicar.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO G1

Cícero recolhia livros que encontrava no lixo para estudar. (Foto: Valdiana da Silva Rodrigues)


Um gari da cidade do Crato (CE) encontrou no lixo uma forma de mudar de vida e se tornou um exemplo de superação. Desde os 18 anos de idade, Cícero Rodrigues Ferreira - conhecido como Ferreirinha - encontrava livros no lixo que recolhia e os levava para casa para estudar.

Ferreirinha sentiu que seu esforço foi recompensado quando recebeu no final do ano passado o seu diploma de Teologia.

Hoje com 39 anos, dos quais 21 foram dedicados à limpeza pública, Cícero contou que há quatro anos incluiu em sua rotina as salas de aula, trabalhando como professor em instituições de ensino de Crato, Juazeiro do Norte, Iguatu e Icó.

Cícero contou que se sente orgulhoso e “realizado” pela trajetória.

“Eu inspiro outras pessoas”, afirmou.

Há seis anos, ele foi promovido dentro da limpeza pública e deixou de varrer e recolher o lixo das ruas para cuidar da parte administrativa do serviço, emitindo ofícios, memorandos e fazendo registro de horas-extras. Tudo por causa dos estudos.

Breve histórico

Ferreirinha é o mais velho de quatro irmãos e teve uma infância pobre, em uma casa de apenas um cômodo, no bairro Alto da Penha, no Crato. Seus pais não tiveram oportunidade de estudar, mas sempre incentivaram as crianças a terem outro destino.

Com influência da música internacional Cícero aprendeu inglês ainda na adolescência e começou a dar aulas no ensino secundário.

Já aos 18 anos, ele conseguiu seu primeiro emprego na coleta de lixo do Crato. Mesmo com uma jornada de trabalho cansativa, que ia das 5h às 18h, Ferreirinha assistia aulas à noite para concluir seus estudos do Ensino Médio. Porém, durante um tempo, acabou largando os estudos e dedicando-se somente ao trabalho.

Mas o desejo de aprender mais sobre a Bíblia e amadurecer sua própria fé cristã protestante o fez voltar a estudar. Em 2015, Cícero estudou Teologia no seminário do Crato. Depois de três anos, conseguiu o bacharelado.

“Sempre gostei de Teologia Sistemática, que vai organizando os pensamentos” explica Ferreirinha.

Mestrado

Com o Ensino à Distância (EAD), o gari iniciou então seu mestrado em Teologia. Estudando por volta de cinco a seis horas por dia, conseguiu cumprir as 18 disciplinas e conquistou seu diploma. No tempo do mestrado, Cíceiro se mostrou autodidata e aprendeu o idioma grego sozinho.

“Isso nasceu da necessidade. O Novo Testamento foi escrito em grego, como também sou professor, tive que entender os escritos originais”, conta.

Hoje, Cícero também compreende a escrita do hebraico.

Após aprender o idioma grego, Ferreirinha começou seu doutorado, concluído também à distância, há dois anos e meio.

Agora, Cícero é doutor em Teologia, com ênfase em Psicologia Pastoral e está apto a lecionar 16 disciplinas. Apesar disso, :

“Mas ainda me considero gari, com muito orgulho. Meu registro está como gari”.

sábado, 7 de março de 2020

"Sem Jesus, eu não seria quem sou", diz campeão de boxe Evander Holyfield

Holyfield destacou que tem que buscado encorajar homens para que sejam cada vez mais dispostos e compartilhar sua fé em Jesus.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN HEADLINES

Evander Holyfield é tetracampeão mundial de boxe. (Foto: Esther Lin / Showtime)

Mencione o nome Evander Holyfield e as primeiras coisas que podem vir à mente da maioria das pessoas são: campeão de boxe, o incidente com Mike Tyson ou talvez até manchetes de tabloides que noticiaram a vida pessoal do tetracampeão mundial de boxe dos pesos pesados.

No entanto, há muito mais do que parece quando se trata de Evander Holyfield.

Nascido em Atmore, Alabama, Holyfield - também apelidado de “The Warrior” (“O Guerreiro”) - superou muitos obstáculos em sua vida, motivo pelo qual ele dá toda a glória a Deus.Quando o site americano ‘Christian Headlines’ perguntou a ele por que ele decidiu ser tão sincero sobre sua fé, Holyfield não precisou pensar duas vezes.

Ele respondeu: "Porque sem Jesus, eu não seria quem eu sou”.

Holyfield explicou que sua mãe e avó o criaram com muito amor e sempre o incentivando a invocar o nome de Jesus.

"Elas [avó e mãe] ficavam me lembrando: 'você precisa pedir a Jesus para ajudá-lo'", contou.

Sua fé em Deus e uma família que demonstrou o exemplo de confiar em Jesus estabeleceram o fundamento de sua vida que lhe permitiu não apenas superar obstáculos e adversidades, mas também permanecer positivo.

Não importa quais obstáculos ele tenha encontrado - nem mesmo suas dez derrotas a que ele se refere como "contratempos" - Holyfield insiste que ele tentou permanecer positivo porque Deus deveria se refletir em suas ações. Ele disse: "Tenho um propósito de testemunhar de Deus e preciso fazer isso da melhor maneira possível."

Ao longo dos anos, Holyfield compartilhou como sua fé em Jesus Cristo nunca falhou com ele. Ele deseja compartilhar esta mensagem com outros homens para incentivá-los a serem sinceros sobre sua fé também. Para isso, ele está trabalhando em um ministério evangélico chamado “Promise Keepers”, criado para para que homens se encorajem mutuamente através da comunhão.

"Os homens devem se unir para serem capazes de se abrir e serem verdadeiros, sinceros ... porque você precisa ser sincero para superar as coisas", destacou.

Holyfield diz que nunca se cansa de responder a perguntas das pessoas sobre o infame incidente, no qual Mike Tyson mordeu sua orelha enquanto ambos lutavam, disputando o cinturão.

O atleta usa isso como uma oportunidade para compartilhar uma parte pertinente do Evangelho.

Simplesmente, "Deus quer que você perdoe", ele disse.

Ele está firme em sua convicção de que Jesus tem um papel importante sobre seu caráter e sua identidade, o ajudando a perdoar e agradece até mesmo pelas adversidades.

"Eu não seria quem eu sou se não tivesse passado pelo que passei", afirmou.

quinta-feira, 5 de março de 2020

Mike Pence é zombado por orar com equipe sobre o coronavírus na Casa Branca

O vice-presidente dos Estados Unidos, que é cristão, está comandando a Força-Tarefa do Coronavírus na Casa Branca.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Vice-presidente dos EUA, Mike Pence, em momento de oração com a Força-Tarefa do Coronavírus. (Foto: Casa Branca/D. Myles Cullen)

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, recebeu uma nova rodada de críticas nesta semana depois que a Casa Branca divulgou uma foto de um momento de oração com a força-tarefa do coronavírus.

A Casa Branca publicou uma foto tirada em 26 de fevereiro, mostrando Pence orando com membros da Força-Tarefa do Coronavírus da Casa Branca, da qual foi designado para liderar diante do surto global do chamado COVID-19.

A imagem provocou zombaria e críticas de ativistas da esquerda americana.

Hemant Mehta, que escreve para o blog “Friendly Atheist” (“Ateu Amigável), escreveu: “Não é uma piada quando as pessoas dizem que os republicanos estão tentando parar um vírus com oração”.

“O que poderíamos esperar? Ciência? Razão? Algo sensato?”, Mehta perguntou. “Claro que não. Se esse vírus realmente se tornar uma pandemia, estaremos à mercê de pessoas iludidas o suficiente para achar que seus pedidos a Deus vão resolver o problema”.

A Dra. Angela Rassmussen, virologista da Universidade de Columbia, também criticou a oração. “Ainda tenho que participar de uma reunião científica que começa em oração”, escreveu ela.

Thomas Chatterton Williams, colunista da New York Times Magazine, compartilhou a foto no Twitter e com o comentário: “Estamos muito ferrados”. Ele ainda mencionou “despreparo e incompetência epidemiológicos”.

Ser encarregado de liderar a resposta ao coronavírus nos EUA é uma grande responsabilidade do vice-presidente, que em muitas ocasiões foi ridicularizado por sua fé.

Em resposta a onda de críticas, o pastor Steve Gaines, ex-presidente da Convenção Batista do Sul, disse que a sabedoria humana é limitada. “Que Deus levante mais políticos que, assim como Mike Pence, admitam suas limitações, se humilhem e clamem a Deus em oração por ajuda”, disse no Twitter.

Cathy Young, colunista da revista Reason, sugeriu: “Se eles realizassem uma sessão de oração muçulmana, vocês seriam totalmente indiferentes com isso”.

O pastor Franklin Graham, filho do evangelista Billy Graham, chamou a imagem de “tocante” e “poderosa”. “Vamos nos juntar a eles pedindo a Deus Sua sabedoria, direção e ajuda na resposta a esse vírus”, twittou Graham.

terça-feira, 3 de março de 2020

Pastores mantêm culto em igreja incendiada após destruição de aldeia cristã, na Nigéria

Em 23 de fevereiro, mais de 100 terroristas do Boko Haram mataram pessoas e incendiaram pelo menos cinco igrejas em Adamawa.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO BARNABAS FUND

Os anciãos da igreja nigeriana realizam o culto de domingo em meio às cinzas de sua igreja incendiada apenas 
dois dias após um devastador ataque ao Boko Haram. (Foto: Reprodução / Barnabas)

Quatro anciãos da igreja nigeriana realizaram o culto de domingo em sua igreja incendiada em 23 de fevereiro, dois dias depois que os militantes do Boko Haram sequestraram algumas das mulheres da igreja e incendiaram o prédio.

O tumulto dos terroristas destruiu igrejas, casas, escolas e empresas, na vila cristã de Garkida, em 21 de fevereiro.

Militantes fortemente armados invadiram a igreja durante uma reunião do grupo feminino e sequestraram algumas das mulheres cristãs e deixaram o prédio queimado.


Páginas da Bíblia queimada espalhadas pelo chão da igreja em ruínas. (Foto: Reprodução / Barnabas)

Um líder cristão local disse que, apesar de sua angústia e choque, os pastores decidiram continuar se reunindo para mostrar que a “igreja não é um prédio destruído, mas os cristãos, pois são o corpo de Cristo, a verdadeira igreja”.

No dia do ataque, os jihadistas se aproximaram da vila no estado de Adamawa "em cerca de nove caminhões e mais de 50 motocicletas carregando pelo menos duas pessoas em cada uma", disse uma testemunha ocular local a Barnabas.

O ataque durou cerca de seis horas, durante as quais duas outras igrejas também foram incendiadas, um mercado local saqueado, um centro de saúde incendiado e duas ambulâncias destruídas.

O ex-chefe de Estado nigeriano, general Yakubu Gowon, participou de uma reunião de oração pela paz no domingo, 23 de fevereiro.

“Senhor, como seu povo, trazemos a confissão do derramamento de sangue, assassinatos e ataques desnecessários dos terríveis insurgentes do Boko Haram, do banditismo e da enxurrada de sequestros e todo tipo de maldade em várias partes do país. Senhor, imploramos por seu perdão, misericórdia e limpeza da terra”, orou.

O número de ataques de grupos militantes islâmicos aumentou bastante desde abril de 2019. Os cristãos na Nigéria estão em alerta máximo, pedindo oração urgente contra o ataque dos ataques do Boko Haram contra eles.

domingo, 1 de março de 2020

Após ter prédio confiscado, igreja passa a se reunir em container no Tajiquistão

A igreja liderada pelo pastor Bahrom Kholmatov teve seu prédio confiscado, enquanto ele esteve preso sob falsas acusações.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA PORTAS ABERTAS (EUA)

Cristão lê a Bíblia no Tajiquistão. (Foto: Portas Abertas - EUA)

No final de 2019, o pastor Bahrom Kholmatov, do Tajiquistão - preso em 2017 por “extremismo”, incluindo depoimentos de que os vizinhos não conseguiam descansar em suas casas devido ao canto alto vindo da igreja por ele liderada - seria libertado seis meses antes de cumprir sua pena.

Ele saiu a tempo de comemorar o Natal de 2019 com sua família e os membros de sua igreja, mas se entristeceu ao saber que o prédio de sua igreja havia sido confiscado. Agora, os fiéis se reúnem em um container de 40 toneladas.

Enquanto ele esteve na prisão, a missão Portas Abertas acompanhou a família do pastor e recentemente, recebeu uma carta de Bahrom, agradecendo aos cristãos de diversas nações que oraram por ele durante esse período difícil. Na carta, ele também fala sobre a atual situação de sua igreja, que teve seu templo confiscado enquanto ele cumpria pena na prisão.

“Queridos irmãos e irmãs em Cristo Jesus. O período de 2017 a 2019 foi de testes para nossa fé e um tempo de andar com Deus, não apenas para minha família, mas para muitas igrejas cristãs em nosso país. Esses desafios nos ensinaram a nos unir mais e confiar no Senhor durante as dificuldades”, iniciou o pastor em sua carta.

“Durante minha prisão, muitos cristãos de todo o mundo se solidarizaram conosco - evidenciados pelas cartas que recebi com suas palavras de conforto e apoio em oração”, acrescentou.

Pastor Bahrom destacou que quando soube que havia tantos cristãos orando por ele e sua família, isso lhe deu forças para não esmorecer na cadeia.

“Muitos cristãos oraram por mim e por minha família. Suas orações nos ajudaram a permanecer fortes, através de todas essas dificuldades para crescer espiritualmente e nos transformar na natureza de nosso Senhor Celestial! Obrigado de todo o meu coração! Glória a Deus!", disse.

“Deus se mostrou através de muitos irmãos e irmãs. Minha família e eu estamos muito felizes pelas orações e pelos cuidados físicos [Portas Abertas] me prestaram”, afirmou.

O pastor também pediu orações para que sua igreja consiga um prédio para se reunir e realizar seus cultos de adoração.

"No início do ano passado, minha igreja foi atacada por pessoas iníquas e o prédio da igreja foi confiscado pela Corte. Nossa igreja agora está se reunindo dentro de um container de 40 toneladas. Oramos agora por um novo edifício para nossa igreja. Também pedimos que vocês participem em oração e nos apoiem nisso. Deus abençoe todos vocês!", finalizou.

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Exército de Salvação constrói apartamentos para sem-teto a partir da oferta de um menino

O projeto recebeu o nome de Malachi Justin em reconhecimento à atitude do menino, que hoje tem 10 anos.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO PREMIER

Malachi Justin e o prédio construído com doações iniciadas a partir da oferta do menino de 10 anos.
 (Foto: Reprodução/Premier)

Um centro de 5 milhões de libras esterlinas para abrigar pessoas sem-teto foi inaugurado em Ilford, East London. O local foi construído inspirado no pedido e na oferta de um menino, que na época estava com 5 anos de idade.

Malachi's Place é uma joint venture financiada pelo Exército de Salvação e pelo Conselho de Redbridge. O edifício é composto por 42 apartamentos independentes, acabados e decorados para oferecer moradias seguras e confortáveis.

O projeto recebeu o nome de Malachi Justin, um do garoto de dez anos, em reconhecimento à sua contribuição para combater a falta de abrigo para aqueles que dormem nas ruas de Ilford.

Quando o primeiro dente de leite de Malaquias caiu aos cinco anos de idade, ele deu seu dinheiro de fadas de cinco libras (equivalente a menos de R$ 30) ao Exército de Salvação local, junto com uma carta pedindo para gastá-lo com ajuda a pessoas sem-teto.

Depois disso, foi iniciada uma campanha onde foram arrecadados mais £ 350.000 (equivalente a quase R$ 2 milhões) com angariação de fundos de caridade locais.

O Exército da Salvação superou esses 2,5 milhões de libras em financiamento e custos de operação pelos próximos cinco anos. O Conselho de Redbridge forneceu o terreno gratuitamente e financiou mais 2,5 milhões de libras para pagar pela construção.

O capitão John Clifton, líder do Exército de Salvação em Ilford, disse: "A doação e nota de Malaquias realmente nos desafiaram a fazer mais pelas pessoas forçadas a dormir duro em Ilford. É nossa ambição vê-lo replicado em outras partes do país."

Pelo menos 15 pessoas morreram em Ilford nos últimos três anos. Todas essas pessoas eram conhecidas pelo Exército de Salvação e usavam o abrigo noturno existente, localizado no salão do Exército de Salvação. Em todo o país, o número de sem-teto aumentou 165% nos últimos dez anos.

O líder do Conselho de Redbridge, o conselheiro Jas Athwal, disse: "Não há absolutamente nenhuma razão pela qual as pessoas na sociedade moderna devam encarar a perspectiva de dormir duro. É por isso que continuaremos nossos esforços para eliminar o sono duro no bairro londrino de Redbridge."

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Chamado de “pastor”, jogador Fred testemunha a sua fé: “Gosto de estudar a Bíblia”

BrazilTrainingPressConferenceRUHWWx2n2Xyx

WILL R. FILHO

O volante Frederico Rodrigues de Paula Santos, mais conhecido no mundo do futebol como Fred, não tem apenas o talento com a bola como bom testemunho, mas também a sua fé em Deus. Por causa disso, o atleta é chamado carinhosamente de “pastor”, um apelido que lhe trás muita alegria.

“Eu sou um cara muito grato por tudo o que Deus tem feito por mim, então estou sempre mostrando isso nas redes sociais. Acabou que ficou esse apelido de ‘pastor Fred’. Achei isso legal, espero que continue assim”, disse ele em uma entrevista para o UOL.

O jogador afirmou que não abre mão de falar sobre a sua fé publicamente e que está feliz com a reação positiva do público. “Considero [a religião] importante para nossa vida e gosto de expor o que penso nas redes sociais”, disse ele. “Sou muito feliz com isso e com a reação da torcida”.

Fred joga atualmente no Manchester United, mas o seu grande objetivo é atuar na Seleção Brasileira na Copa de 2022, já que na Copa da Rússia o jogador ficou impossibilitado fisicamente de entrar em campo.

“A gente trabalha no clube para ter a chance de representar nosso país. Todos jogadores são assim e comigo não é diferente. Eu procuro fazer meu melhor para que o Tite possa estar de olho e, futuramente, eu volte a defender meu país. Quero ser convocado novamente”, afirmou.

Ao comentar o apelido de “pastor”, Fred disse que surgiu espontaneamente. “Ainda não sei exatamente, mas acho que foi um torcedor que falou. E para mim foi bem bacana, porque sou muito religioso e gosto de postar reflexões sobre isso nas redes sociais. Aí acabou pegando, o apelido, pelo carinho que a torcida tem por mim”,

O jogador também comemorou o batismo recente da sua esposa. Ambos são evangélicos e testemunham a fé em Cristo publicamente. “Gosto de estudar a Bíblia, minha esposa foi batizada agora”, disse ele.

sábado, 22 de fevereiro de 2020

Produtores culturais evangélicos são indicados para diretoria da Ancine

As indicações, feitas pelo presidente da República, devem passar por aprovação no Senado.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GLOBO E TERRA

Veronica Brendler e Edilásio Barra. (Foto: Reprodução/Omelete)

O Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (21) trouxe os nomes da diretora do Festival Internacional de Cinema Cristão (FICC) Veronica Brendler e do colunista social Edilásio Barra, o pastor Tutuca, como indicação para integrarem a diretoria da Ancine (Agência Nacional do Cinema).

As indicações, feitas pelo presidente da República Jair Bolsonaro, foram encaminhadas pra o Senado para aprovação.

Evangélica, Veronica Brendler publicou em suas mídias sociais uma mensagem de agradecimento ao presidente Bolsonaro pela indicação:

“São 27 anos de atuação no setor artístico, desde a TV, o teatro, assessoria de imprensa, sessões fotográficas, organização de eventos audiovisuais (festival de cinema, feira, mostras de cinema, encontros de cineastas), produção audiovisual, enquadramentos e capacitação de projetos culturais, entre outros, acredito que posso somar muito para o cinema brasileiro”, descreveu.

O pastor e colunista social Edilásio Barra, o Tutuca já trabalha como diretor interino do órgão desde 31 de janeiro, quando foi nomeado por Bolsonaro para o cargo.

Antes, ele vinha atuando como superintendente de desenvolvimento econômico da entidade, tendo responsabilidade sobre os editais financiados pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA).

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

Nova lei exige que igrejas sigam os ensinamentos do Partido Comunista na China

O novo regulamento entrou em vigor neste mês e exige que as igrejas apoiem a liderança comunista e sigam os princípios desta ideologia.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA BITTER WINTER

Igrejas menores na China estão sendo forçadas a se unirem a denominações legalizadas pelo governo. (Foto: GospelHerald)

Os novos regulamentos que entraram em vigor na China este mês exigem que igrejas e outras organizações religiosas "apoiem a liderança" do Partido Comunista e "sigam" os ensinamentos do governo.

Além disso, todas as igrejas e organizações religiosas devem ser "examinadas e aprovadas" antes de poderem adorar legalmente.

Os novos regulamentos, apelidados de "Medidas Administrativas para Grupos Religiosos", foram aprovados em 2019 e entraram em vigor em 1º de fevereiro. A agência ‘Bitter Winter’, que relata violações da liberdade religiosa na China, lançou a primeira tradução em inglês das novas regras.

“Uma organização religiosa só pode ser reconhecida como tal quando examinada e aprovada pelo departamento de assuntos religiosos do governo do povo, e registrada no departamento de assuntos civis do governo do povo, de acordo com os regulamentos nacionais de administração de políticas sociais”, afirma o artigo 3 do novo regulamento. "Sem a aprovação do departamento de assuntos religiosos do governo do povo, ou o registro no departamento de assuntos civis do governo do povo, nenhuma atividade religiosa em nome de organizações religiosas é permitida."

O artigo 5 diz que as igrejas e outras organizações religiosas "devem apoiar a liderança do Partido Comunista da China" e "aderir à direção da sinicização das religiões na China".

"Sinicização" é um termo que significa que todas as religiões devem refletir a cultura e tradições chinesas, conforme definido pelo governo. O artigo 5 também diz que as organizações religiosas devem "incorporar os valores centrais do comunismo".

Os novos regulamentos enfatizam que o objetivo das igrejas e outras organizações religiosas é apoiar o governo - e não necessariamente adorar a Deus. Por exemplo, o Artigo 17 diz que as organizações religiosas “devem divulgar as diretrizes e políticas do Partido Comunista da China” ao clero e aos cidadãos religiosos “a fim de instruir e direcionar o clero e os cidadãos religiosos a apoiarem o governo do Partido Comunista da China.

Enquanto isso, de acordo com o Artigo 22, a doutrina religiosa de igrejas e organizações deve refletir - e não entrar em conflito com - a sociedade chinesa.

“[As organizações religiosas] devem fornecer interpretações para doutrinas e cânones que atendam aos requisitos do desenvolvimento e progresso da China moderna e de acordo com a gloriosa cultura tradicional chinesa”, diz o artigo 22.

Segundo a lista atualizada da Missão Portas Abertas sobre perseguição religiosa, a China está na posição 23 entre os 50 piores países para se viver como cristão. Porém a intolerância religiosa motivada pelo comunismo tem crescido a cada ano.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2020

Arqueólogos descobrem templo cananeu em cidade bíblica destruída por Josué

Um templo cananeu foi descoberto na antiga cidade de Láquis, destruída pelos israelistas sob a liderança de Josué.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO JERUSALEM POST

Ruínas do templo cananeu em Láquis, antiga cidade bíblica em Israel. (Foto: The Fourth Expedition To Lachish)

Um templo cananeu e muitos artefatos foram descobertos em uma cidade que, segundo a Bíblia, foi destruída pelos israelitas quando eles entraram na terra de Israel depois de 40 anos no deserto.

A descoberta lança luz sobre as ruínas de uma estrutura que remonta ao século 12 a.C. em Láquis, anunciou a Universidade Hebraica de Jerusalém na segunda-feira (17) no jornal do Council for British Research in the Levant.

A equipe foi liderada pelo professor Yosef Garfinkel, do Instituto de Arqueologia da universidade, e pelo professor Michael Hasel, da Southern Adventist University, uma faculdade adventista do sétimo dia no Tennessee (EUA).

Em Josué 10:31,32, a Bíblia diz que “Josué, e todo o Israel com ele, avançou de Libna para Láquis, cercou-a e a atacou. O Senhor entregou Láquis nas mãos dos israelitas, e Josué tomou-a no dia seguinte. Atacou a cidade e matou à espada todos os que nela viviam, como tinha feito com Libna”.

Entre as principais descobertas, havia um fragmento de cerâmica com a palavra hebraica samekh, que representa a gravura mais antiga conhecida da palavra, artefatos de ouro e estatuetas de culto, incluindo estatuetas representando o ídolo Baal, mencionado dezenas de vezes na Bíblia.

O local de Láquis foi identificado pela primeira vez em 1929 por William Foxwell Albright, considerado o pai fundador da arqueologia bíblica, disse Garfinkel ao jornal The Jerusalem Post.

“A cidade era um grande centro cananeu, como sabemos de fontes históricas”, disse ele. “Não há outro local tão proeminente nesta região. É o lugar certo, e o nome ‘Láquis’ foi encontrado em algumas inscrições achadas lá”.

A equipe de Garfinkel começou a escavar o local em 2013.

“Descobrimos o templo e dedicamos três ou quatro anos a ele, porque é muito raro encontrar locais cananeus em Israel”, disse Garfinkel. “Esse tipo de estrutura só foi descoberto em Megido, Nablus e Hazor. Mas é a primeira vez que revelamos um templo simétrico tão grande e monumental”.

A construção em forma de quadrado apresenta um composto na frente, marcado por duas colunas e duas torres que levam a uma grande sala, bem como um santuário interno com quatro colunas de apoio e várias “pedras em pé”, que poderiam representar os diferentes ídolos. Além disso, apresenta numerosas salas laterais.

Confirmação bíblica

Uma das perguntas que a equipe buscou esclarecer em Láquis estava ligada ao período do Reino de Judá.

“A Bíblia diz que Roboão, neto de Davi, fortificou 15 cidades, incluindo Láquis”, disse Garfinkel. “Os primeiros pesquisadores que examinaram o local não conseguiram descobrir fortificações do período, levando muitos estudiosos a duvidar da validade da descrição apresentada no livro bíblico de 2 Crônicas”.

No entanto, a equipe de Garfinkel conseguiu localizar a fortificação a partir do período relevante, descobrindo também casas, pisos e cerâmica dentro da cidade, cuja datação foi confirmada por carbono, por volta do final do século 10 a.C.

“Foi por isso que fomos a Láquis. Era nosso objetivo”, disse Garfinkel.

Sua equipe também conseguiu localizar algumas inscrições no local pela primeira vez em 40 anos, juntamente com uma rica coleção de objetos, como punhais e machados adornados com imagens de pássaros, caldeirões de bronze, jóias, escaravelhos e uma garrafa banhada a ouro com o nome do faraó egípcio Ramsés II.

O Livro de Josué declara que a cidade cananéia foi destruída pelos israelitas. Garfinkel encontrou traços de destruição, pela primeira vez, pelos egípcios por volta de 1550 a.C. e depois mais duas vezes, até que Láquis sucumbiu definitivamente por volta de 1150 a.C.

“A Bíblia diz que a cidade foi destruída pelo povo de Israel”, disse Garfinkel ao Post. “Mas não fala especificamente sobre um palácio, um templo ou o que havia na cidade”.

“Sabemos que a destruição das tribos cananéias foi um longo processo que levou cerca de cem anos. No local, encontramos vestígios de destruição em dois níveis, um que remonta ao final do século 13 a.C. e outro até meados do século 12. Portanto, há cerca de 50 anos entre os dois eventos. Qual das duas destruições foi realizada por Josué é que continua sendo uma grande questão”, disse Garfinkel.

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Mãe e avó, cristã se torna tradutora da Bíblia na língua Korafe para ajudar irmão surdo

Korafe é uma língua papua falada na província de Oro, região onde as pessoas vivem principalmente de uma maneira tribal.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO THE PNG EXPERIENCE

Cyndi Guvama, tradutora da Bíblia em Korafe. (Foto: Reprodução / Stephanie Ernandes)

Cyndi Guvama começou a trabalhar na tradução da Bíblia em Korafe quando terminou a escola, seguindo a orientação de seu irmão mais velho, que é surdo. Ele trabalhou por 43 anos ajudando a equipe na tradução do Novo Testamento.

Os Guvamas têm seis filhos e Cyndi e seu marido ensinam em uma escola cristã em uma área isolada, da Papua Nova Guiné, de acordo com um relatório de Stephanie Ernandes no blog PNG Experience.

"É uma área remota; você tem que andar de barco ou de canoa para chegar onde eu moro”, observa Cyndi no blog.

Em 2006, o irmão mais velho de Cyndi começou a trabalhar na tradução do Antigo Testamento. “Meu irmão continuou trabalhando sozinho. Os outros tradutores foram embora. Ele queria traduzir o Antigo Testamento e depois me perguntou se eu poderia voltar para trabalhar com ele. Eu senti que precisava acompanhá-lo no trabalho”, conta.

“Às vezes é muito difícil trabalhar em casa e com todas as crianças. Minha primogênita é casada. Eu tenho 3 netos dela. O segundo garoto é casado e eu tenho um neto dele. Meus terceiro, quarto, quinto e sexto filhos ainda estão na escola. Preciso dar tempo para encontrar dinheiro para pagar as roupas e os uniformes da escola”, explica.

Na área em que vivem, costumam enfrentar uma estação seca de junho a agosto. “Enfrentamos uma seca muito grande. Às vezes ficamos sem comida e água. Durante esse período, precisamos caminhar quase dois quilômetros para encontrar água. Isso atrasa o trabalho de tradução”, diz.

“Às vezes trabalhamos sem comida, mas quando faço pequenos jardins, Deus sempre nos provê. Eu sempre digo às crianças que, não importa quão pouco tenhamos, temos fé que ainda vamos viver”, testemunha.

“Enquanto trabalhava com a equipe de tradução, vejo que Deus ajuda muito. Embora não tenhamos dinheiro, digo às crianças que tenham fé que Deus sempre nos ajudará. Oro e peço a Deus que me ajude a continuar, mesmo quando não houver material suficiente para fazer o trabalho de tradução. Então continuo trabalhando nisso com o que tenho”, conta.

Cyndi recentemente ganhou um laptop e um programa chamado Paratext que economizarão tempo em seu trabalho.

“Oro em meu coração para que Deus me ajude a participar do Curso Paratext no centro de treinamento. Eu preciso de suas orações. Por favor, ore também para que Deus forneça os recursos de que precisamos, como energia - energia solar para carregar os laptops”, pede Cyndi.

“Às vezes, precisamos emprestar uma bateria de carro de nossos amigos para carregar os computadores. Eu sei e espero que Deus continue a providenciar que completemos o Antigo

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Cientistas plantam sementes da época de Jesus com nomes bíblicos

Os frutos de tâmaras amadureceram na época de Jesus e suas sementes foram encontradas no deserto da Judeia.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO AH E THE GUARDIAN

Sementes de tâmaras. (Foto: Guy Eisner/Science Magazine)

Um punhado de sementes de frutos de tâmaras de 2.000 anos foram plantadas e cultivadas com sucesso no sul de Israel, revelaram pesquisadores.

Eles encontraram 32 sementes de tamareiras em diversos sítios arqueológicos localizados no deserto da Judeia. De acordo com oes pesquisadores, os frutos haviam amadurecido na época de Jesus Cristo, e, ainda assim, suas sementes puderam ser plantadas.

"Passei horas e horas no departamento de arqueologia colhendo as melhores sementes. Muitas delas tinham buracos onde os insetos haviam perfurado ou se desfizeram, mas algumas estavam realmente intactas e eu escolhi as melhores”, explicou Sarah Sallon, diretora do Centro de Pesquisa em Medicina Natural Borick da Organização Médica Hadassah em Jerusalém. Ela também é líder da pesquisa.

Das 32 sementes cultivadas pelos cientistas, seis brotaram. Como Sallon é judia, elas receberam nomes judeus encontrados no Antigo Testamento: Adão, Jonas, Uriel, Boaz, Judith e Ana.

Ao analisar as cascas de todos eles, foi possível perceber também que os grãos datavam de épocas diferentes — desde o século 1 a.C. até o século 4.

A pesquisa ainda revelou que essas antigas sementes de tâmara são maiores do que as que temos hoje em dia. De acordo com a líder do estudo, "as sementes de hoje ainda são cerca de 30% menores do que as cultivadas na Judeia há 2.000 anos".

Novos frutos

Não é a primeira vez que a equipe consegue cultivar sementes antigas: em 2008, eles relataram que germinaram uma semente de palmeira da Judéia de 1.900 anos de Masada - um local antigo estendido por Herodes, o Grande, no primeiro século aC, que vista para o mar morto. Essa planta, um homem, recebeu o nome de Matusalém, em homenagem ao personagem mais antigo da Bíblia.

Mas o novo estudo vai além - não apenas envolvendo mais sementes, mas esclarecendo o modo como os agricultores da Judeia podem ter cultivado as famosas plantas.


Pé de tâmara. (Foto: Reprodução/Wikimedia Commons)

E com as sementes recém-germinadas, incluindo as fêmeas, a descoberta pode dar mais frutos: a equipe diz que espera aplicar o pólen de Methuselah a Hannah (Ana) - que deve produzir uma flor nos próximos dois anos - com o objetivo de produzir tâmaras.

Os fragmentos de cascas datados de radiocarbono deixaram após a germinação para revelar que Hannah e Adam datam de algum lugar entre o primeiro e o quarto séculos aC. Judith e Boaz foram datadas de um período de 200 anos a partir de meados do século II aC, e Uriel e Jonas foram datadas de algum lugar entre o primeiro e o segundo séculos dC.

Enquanto algumas sementes levaram apenas algumas semanas para brotar, outras levaram meio ano. "Estávamos começando a desesperar e, de repente, eles surgiram", disse ela.

A análise genética revelou que, quanto mais velhas as sementes antigas, mais "oriental" parecia sua composição genética: Adam e Methuselah são os mais próximos das variedades do Golfo.

Isso, disse Sallon, pode refletir o tipo de árvores que cresceram naturalmente na Judéia na época, ou podem ter sido trazidas do Mar Vermelho da Arábia - uma antiga rota comercial.

Hannah e Judith estão mais próximas das variedades iraquianas modernas - algo que Sallon disse que pode estar relacionado ao retorno dos judeus do exílio na Babilônia no final do século VI aC, muitos dos quais haviam trabalhado em plantações datadas da Babilônia e podem ter trazido plantas de volta com eles.

Enquanto isso, Uriel, Boaz e Jonah tiveram uma alta contribuição genética das variedades a oeste do Egito e eram mais geneticamente semelhantes às variedades modernas do Marrocos. "A ocupação romana [da Judeia] era do primeiro século e é possível que naquela época eles estivessem trazendo variedades de datas do norte da África", disse Sallon.

domingo, 9 de fevereiro de 2020

“O Brasil está em um despertar espiritual”, diz líder da JOCUM no The Send

Andy Byrd, um dos líderes da JOCUM, falou sobre o potencial missionário do Brasil em sua ministração no The Send.


FONTE: GUIAME, LUANA NOVAES

Andy Byrd, um dos líderes da JOCUM, durante ministração no The Send Brasil. (Foto: The Send)

O missionário Andy Byrd, um dos líderes do Jovens Com Uma Missão (JOCUM), incentivou a Igreja Brasileira a se engajar na obra missionária, durante ministração no The Send neste sábado (8).

“Brasil, você é ungido para tocar o mundo todo”, disse Byrd a milhares de pessoas no Estádio do Morumbi. “Brasil, você já é a segunda nação que mais envia missionários em todo o mundo. Mas quantos aqui creem hoje que o Brasil vai enviar mais missionários do que qualquer outra nação na história?”

“Brasil, chegou a sua hora! A colheita está pronta e, no Brasil, os trabalhadores estão se levantando”, declarou o missionário.

Byrd citou dados de agências missionários, que indicam que mais de 3 bilhões de pessoas pelo mundo não tiveram a oportunidade de ouvir o Evangelho em suas localizações. Diante disso, ele desafiou: “Será que é o Brasil que vai ter a herança do último grupo de pessoas não alcançadas em toda a Terra?”

Ele também citou os dados do último Censo do IBGE, indicando que há 60 milhões de evangélicos no Brasil. “O Brasil está num despertar espiritual”, observou. “Você é fruto e também é catalisador para isso. Será que o Brasil pode dar 1% do seu povo, da sua nova geração, para as nações da Terra?”

“Se o Brasil fizesse isso, teríamos hoje 600 mil novos missionários. Hoje só existem 420 mil missionários em todo o mundo. Somente o Brasil, poderia mandar mais missionários do que todas as outras nações da Terra juntos. Essa é a sua hora de levar o Evangelho para lugares onde ele nunca foi antes”, completou.

Em ministração mais cedo, Andy Byrd orou e profetizou mudanças na Igreja Brasileira: “Quando Jesus vem, as mídias sociais não são mais seu deus, a popularidade não é mais seu deus. Quando Jesus vem, Jesus é o Senhor”.

“Nós declaramos, Brasil, o fim da vida dupla! Não vivemos mais de um jeito no domingo, e outro na segunda. Não somos mais de um jeito quando ninguém vê, e de outro quando todo mundo vê. Nós declaramos guerra contra a vida dupla hoje”, disse o missionário.

“Hoje nós declaramos que, na Igreja, a competição vai se encerrar. Igreja Brasileira, nós declaramos, a divisão está quebrada. Nós declaramos sobre a Igreja: a fofoca, a murmuração e a crítica estão encerradas. Declaramos hoje uma igreja unificada no Brasil. Nós declaramos hoje um Evangelho puro, uma vida de santidade”, acrescentou Byrd.

Clique aqui e acompanhe a transmissão do The Send ao vivo.