quarta-feira, 20 de janeiro de 2021

Mais de 150 milhões de pessoas ouviram o Evangelho com pregações online em 2020

As pregações foram transmitidas em diversos países do mundo com a organização do Ministério Pulse, fundado nos EUA. Centenas de milhares de pessoas se entregaram a Jesus.



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Grupo de jovens assiste a pregação online em Hong Kong. (Imagem: Pulse)

Depois de um ano buscando unidade e compartilhando a mensagem de Jesus Cristo, um ministério está relatando que foi capaz de alcançar mais de 150 milhões de pessoas com o Evangelho por todo o mundo em 2020 e que mais de 100 mil delas declararam publicamente e se entregaram a Jesus como seu salvador.

O ministério ‘Pulse’, um movimento de evangelismo fundado nos EUA está se preparando para avançar em 2021, capacitando mais cristãos a compartilhar a esperança de Cristo com uma nova geração.

O fundador Nick Hall disse ao programa "The Prayer Link" da CBN News, que apesar de caótica, a atmosfera política atual dos EUA está realmente criando um cenário no qual os jovens estão realmente se aproximando de Deus.

"O que estou ouvindo dos jovens crentes é realmente um desejo de se unirem em torno da necessidade de compartilhar Jesus, de compartilhar o Evangelho", explicou ele. "Existem todos os tipos de opiniões sobre todos os tipos de coisas, todos os tipos de ideias e ainda há uma coisa que muda tudo. Então, eu estou vendo pessoas orando, jejuando e realmente acreditando nisso: não importa o que aconteça, nós sabemos que Deus está no controle e precisamos confiar Nele, agora mais do que nunca".

Hall disse que o Pulse respondeu aos acontecimentos desafiadores de 2020, como a pandemia e um cenário político-social marcado pela tensão, compartilhando as boas novas e espalhando o Evangelho.

“Nosso ministério está respondendo como sempre faríamos: queremos pregar o Evangelho. Queremos chamar a Igreja para onde nossa esperança se encontra. Tenho visto muito nos últimos 12 meses, crentes se preocupando com uma tonelada de questões e, sim, há coisas em que podemos nos unir", disse ele.

"Podemos nos unir para levantar a voz pela justiça e pelos feridos e vulneráveis. Só acho que quando falamos alto sobre questões secundárias, como política e períodos eleitorais, às vezes ficamos mais apaixonados pela campanha do que por Jesus e pelas almas perdidas", lembrou.

Ele observou que o ministério está procurando novas maneiras de se envolver com as pessoas porque Jesus é o que lhes trará esperança e cura.

“Nossa equipe está realmente tentando levar a Igreja a orar, a se unir, a curar e realmente se mobilizar porque em meio a um tempo instável, em meio à incerteza, temos a mensagem certa do Evangelho. E agora mais do que nunca, as pessoas estão abertas a essa mensagem. Agora, mais do que nunca, precisamos compartilhá-la e devemos procurar oportunidades para alcançar pessoas que precisam de Jesus”, destacou.

O papel da Igreja na sociedade

Hall também acredita que a igreja deve continuar a tratar de questões como injustiça racial e discriminação.

"Há muitas pessoas que não entendem. Eu encorajei em minha própria casa e minha própria igreja a entender que agora é a hora de a Igreja se levantar com uma mensagem de retidão e justiça", disse ele. "É um momento para ouvirmos e aprendermos e, especialmente em nossas igrejas locais, devemos ouvir vozes que representam diferentes populações de pessoas que estão fora da família de Deus".

"Eu entendo as complexidades e as tensões. Estou em Minneapolis, marco zero do caso da morte de George Floyd, dos posteriores tumultos e protestos acontecendo bem aqui. Mas quando uma parte da família se machuca, todos nós devemos sentir. E esta questão de justiça racial e discriminação é uma questão que assola nossa nação por muito tempo. A Igreja não pode se dar ao luxo de ficar em silêncio agora. Se não estamos falando contra certos erros, então como temos o direito de falar sobre eles. Este é o tempo para a luz de Cristo se levantar", acrescentou.

Apesar das complicações geradas pela pandemia do coronavírus e medidas que levaram ao fechamento das igrejas, o Pulse ajudou mais de 100.000 a iniciar um relacionamento com Jesus Cristo.

"Esta é uma era digital e, em meio à Covid-19, crise racial e caos político, nós, como igreja, temos a oportunidade de responder e acho que para nossa equipe em meio a isso , temos sido capazes de realizar algumas reuniões massivas", disse Hall.

“Nos últimos 12 meses, de março a maio do ano passado, tivemos mais de 150 milhões de pessoas ouvindo o Evangelho e mais de 100 mil pessoas respondendo publicamente à mensagem, aceitando a Jesus. Estes são eventos digitais, eventos de divulgação, que acontecem via Zoom em todo o mundo e pela televisão. Eu apenas penso que nunca houve uma fome pelo Evangelho como esta", acrescentou.

Clamor

Hall disse que sua oração para 2021 é por avivamento.

“Acho que precisamos de reavivamento. Precisamos que Deus se mova, nos mude como igreja. Deus sempre começa em Sua casa”, declarou ele. “Mais do que precisamos de uma mudança na Casa Branca ou na casa do nosso vizinho, que tendemos a nos distrair muito. Deus sempre gosta de começar em Sua casa ... nós somos Seu povo. Precisamos de Deus para abrir os céus e nos deixar sermos impactados".

"O arrependimento precisa começar conosco e precisamos chegar a Deus para que Ele nos incendeie pelo que importa, que queime pelas Escrituras, que Sua Palavra esteja viva em nós e desde o avivamento. Esta é uma oração por um despertar. Eu acredito que agora é a hora para o mundo ver uma declaração clara do Evangelho e que Jesus é aquele que eles estão procurando".

segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

Centenas de recrutas da polícia se entregam a Jesus durante culto de oração, em Uganda

Evangelismo aconteceu na Escola de Treinamento da Polícia de Kabalye e foi liderada pelo Pr. Samuel Kasigwa.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO UG CHRISTIAN NEWS

O pastor Samuel Kasigwa compartilha o Evangelho na véspera de Ano Novo com milhares de recrutas da 
Polícia em treinamento em Kabalye. (Foto: Reprodução / UGCN)

Um culto de oração realizado em 31 de dezembro na Escola de Treinamento da Polícia de Kabalye em Masindi, distrito, teve vários novos recrutas da polícia abraçando o Evangelho e declarando seu compromisso com Jesus Cristo.

O pastor Samuel Kasigwa, que liderou as orações, disse ao Uganda Christian News no domingo que os recrutas se reuniram para glorificar a Deus por meio de ações de graças, louvor e adoração, e refletiram sobre o que Ele os permitiu alcançar no ano passado.

“Foi incrível e massivo e milhares aceitaram Jesus Cristo como seu Senhor e salvador pessoal”, disse o pastor Kasigwa.

“Há um lugar para todas as pessoas na cruz do calvário e no reino de Deus, não importa a profissão, posição ou título de alguém, e Cristo morreu por todos nós”, acrescentou ele, citando Lucas 3: 12-14.

Os recrutas da polícia declararam seu compromisso com Jesus Cristo, diz o pastor. (Foto: Reprodução / UGCN)

O pastor Kasigwa descreveu 2021 como um ano de ganhar mais almas para Cristo.

O centro de treinamento da Polícia foi inaugurado para cursos de treinamento em 2005. Ao longo dos anos, ele construiu capacidade para treinar um máximo de mais de 6.000 estagiários, sem sobrecarregar o corpo diretivo e os instrutores.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Em missão no espaço, astronauta cristão mantém leitura bíblica e diz que isso o fortalece

Além de postar mensagens com citações bíblicas, o astronauta também mantém contato com seus alunos, encorajando-os a realizar seus sonhos.



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CAL POLICY

Victor Glover é astronauta e tem compartilhado como a leitura bíblica o fortalece em sua missão no espaço. (Imagem: YouTube / Reprodução)

Mesmo enquanto orbitava na Estação Espacial Internacional, o astronauta Victor Glover fez questão de não abandonar suas práticas diárias de fé.

Exemplo disso, foi que na noite da última quinta-feira (14), Glover fez a publicação de uma mensagem cheia do Espírito Santo entre as estrelas.

“Eu amo o amanhecer e o entardecer. Você pode ver as faixas de cores? Elas me lembram a escritura do Salmo 30, 'o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã'. Parece mais escuro um pouco antes do amanhecer. Desejo a todos amor e luz. Boa noite do @Space_Station”, publicou.

I love sunrises and sunsets. Can you see the bands of color? They remind me of the scripture in Psalm 30, “weeping may endure for a night, but joy cometh in the morning.” It seems darkest just before sunrise. I wish you all love and light. Goodnight from the @Space_Station. pic.twitter.com/YP9Hb3JZoH— Victor Glover (@AstroVicGlover) January 13, 2021

Junto com seu incentivo para se apegar ao Salmo 30, Glover dedica seu trabalho como um pioneiro na indústria espacial para a próxima geração.

Ele também fez uma videochamada via Zoom com seus alunos da California Polytechnic State University e conversou com eles, encorajando-os, também com seu testemunho pessoal.

“Meus objetivos profissionais estão focados em vocês, em ajudá-los a ter sucesso e me certificar que vocês terão a experiência, os conselhos ou alguém que simplesmente escute vocês”, disse ele.

“Então, quero encorajá-los a continuar fazendo o que estão fazendo porque vocês estão tornando o mundo um lugar melhor”, disse Glover.

Ele continuou: "Os maiores desafios que vocês enfrentarão virão de dentro", compartilhando como ele permanece firmado, mesmo no espaço, lendo sua Bíblia e firme em sua fé.

Falando sobre a vida na estação espacial, Glover disse que é fácil perder coisas devido à microgravidade. Malhar o ajuda a se sentir normal e ele faz pausas no trabalho lendo a Bíblia, o que o faz sentir-se mais fortalecido.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2021

Local do batismo de Jesus está limpo de minas terrestres após 50 anos

Milhares de minas terrestres foram colocadas por militares israelenses durante conflitos com a Jordânia em 1970.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA REUTERS

Minas foram implantadas na área ao longo do rio Jordão na década de 1970. (Foto: Debbie Hill/UPI/Alamy)

Uma igreja perto do local tradicional do batismo de Jesus no rio Jordão fez uma celebração religiosa pela primeira vez em 54 anos no domingo (10), depois que o local foi declarado livre de minas terrestres.

O padre Francesco Patton, guardião da Terra Santa para a Igreja Católica Romana, conduziu frades franciscanos em uma procissão ao santuário, que já foi uma zona de guerra entre Israel e Jordânia.

Embora os dois países estejam em paz desde 1994, sete igrejas foram abandonadas por mais de 50 anos na área de operações de desminagem. A região fica a cerca de um quilômetro do local de batismo Qasr al-Yahud (“O Castelo dos Judeus”) perto de Jericó, que é uma grande atração para os peregrinos cristãos.

A procissão contou com a presença de apenas 50 pessoas devido às restrições da Covid-19.

Os esforços israelenses de desminagem começaram em 2018 e incluíram o apoio do Halo Trust, um grupo de remoção de minas com sede na Escócia, disse um oficial israelense.

O Ministério da Defesa de Israel anunciou que, desde o início de 2021, o “perigo foi completamente removido”.

Depois de visitar o santuário, os frades passaram por placas apagadas dizendo “perigo - minas!” em inglês, árabe e hebraico enquanto desciam ao rio para os rituais católicos.

domingo, 10 de janeiro de 2021

"Nunca haverá um dia em que Jesus não seja vitorioso", diz atleta cristão Tim Tebow

Tim Tebow convocou centenas de milhares de jovens a firmarem uma posição e se tornar servos de Jesus.



FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Tim Tebow atualmente luta contra o tráfico humano e tem buscado alertar sobre essa realidade. (Imagem: 10Tampabay)

O ex-astro da Liga de Futebol Americano dos EUA, Tim Tebow desafiou centenas de milhares de jovens e adolescentes reunidos virtualmente na Conferência Passion 2021 a “tomar uma posição e ser um lutador” por Jesus em uma cultura cada vez mais turbulenta.

“Ouvimos dizer que a colheita é abundante, mas os trabalhadores são poucos”, disse o ativista cristão de 33 anos, na última quinta-feira (7). “Temos centenas de milhares de pessoas assistindo de todo o mundo. Podemos mudar isso. Você poderia imaginar se disséssemos sim para ser um trabalhador para Jesus? Para ser um trabalhador de Jesus? Os trabalhadores não precisam mais ser poucos”.

Tebow fez referência à passagem de João 16:33, em que Jesus diz: “Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo”.

“Há muitas pessoas em busca de paz agora”, disse o ex-jogador de futebol. “Em todo o mundo, elas estão tentando encontrar de várias maneiras. Na verdade, eles já fazem isso há muito tempo e realmente pensam que [ter paz depende de] dinheiro, fama e poder ... tantas pessoas têm procurado por isso, mas nenhuma delas realmente conseguiu”.

Jesus diz que por meio Dele é possível ter paz neste mundo, apesar das tribulações, afirmou Tebow, acrescentando: “Vocês terão problemas. Há muitos problemas agora. ... Vocês não podem contornar isso”.

Mas o trecho que diz “tenham ânimo” é uma ordem e não uma sugestão, disse Tebow.

“Temos que viver com coragem e ânimo, porque Ele venceu”, disse o atleta. “Os resultados disso são permanentes, contínuos, nunca mudam. Nunca haverá um dia em que vamos acordar e esse não será o caso”.

“Nunca haverá um dia em que Ele [Jesus] não seja vitorioso. Portanto, isso significa que nunca haverá um dia em que nós não seremos vitoriosos”, acrescentou Tebow.

O atleta destacou que “nossos melhores dias estão à nossa frente”, porque “o Céu está à nossa frente” e porque “nosso Deus vence”.

“Ele é a nossa conquista. Portanto, a gente sempre consegue ter esperança no meio da adversidade, no meio dos problemas, no meio da tribulação, porque o que Ele fez é permanente, é contínuo, nunca muda. É por isso que temos esperança. É por isso que temos que ter coragem”, lembrou.

“Você vai adotar uma posição?”, Ele perguntou. “Você vai ser um trabalhador? Você vai ser um lutador por Jesus?”.

Lutando por uma causa

Tebow, que atua na luta contra o tráfico humano, enfatizou que existem mais de 40,3 milhões de pessoas em todo o mundo que são traficadas contra sua vontade. Ele revelou que o cantor Tauren Wells ligou recentemente para ele, perguntando como ele poderia emprestar seus talentos para combater o tráfico humano.

“[Eu disse],‘Acho que seria incrível se você pudesse escrever uma música, porque precisamos que as pessoas se unam nessa luta”, lembrou Tebow antes de apresentar o último single de Wells, “All God's Children”. A música fala sobre a realidade do tráfico humano, ao mesmo tempo que capacita todos a aceitarem seu valor em Deus.

Devido às restrições do COVID-19, a Conferência anual Passion, liderada pelo Pastor Louie Giglio, foi realizada virtualmente este ano. O evento anual é voltado para jovens adultos entre 18 e 25 anos e tem como objetivo “glorificar a Deus, unindo os alunos em adoração, oração e justiça para o despertar espiritual nesta geração”.

Acreditando que “adoração e justiça são as duas faces da mesma moeda”, a Passion 2021 também arrecadou mais de 100.000 dólares para ajudar no resgate e no cuidado a sobreviventes do tráfico humano online no Sudeste Asiático.

sexta-feira, 8 de janeiro de 2021

Homem é morto por extremistas no Sudão

A morte causou indignação na população e os líderes do país querer garantir os direitos humanos a todos os cidadãos

Igreja no Sudão. Cristãos são perseguidos e mortos no país
Crédito: Portas Abertas

 No dia 29 de dezembro, milhares de sudaneses participaram do funeral de um homem que foi torturado até a morte, em um centro de detenção no Sudão. O local é administrado por uma força militar de criminosos, que teriam cometido crimes de guerra em Darfur, região oeste do país.

Bahaa el-Din Nouri, de 45 anos, foi sequestrado por homens vestindo roupas brancas e em um veículo sem placa, enquanto estava em um café em Cartum, capital do Sudão. A morte dele provocou indignação em todo o país. Cinco dias depois, o corpo do homem apareceu no necrotério de um hospital na cidade de Omdurman, do outro lado do rio de Cartum. A família se recusou a levar o corpo para o enterro imediato, depois de ver sinais de aparente tortura e pediram uma autópsia para revelar a causa da morte.

O ministro da Cultura e Informação, Faisal Mohammed Saleh, informou que Nouri morreu enquanto era interrogado pelas Forças de Apoio Rápido. O promotor público Taj al-Ser Ali al-Hebr alegou que a autópsia confirmou que o rapaz morreu devido aos ferimentos resultantes da tortura, e tomou "as medidas necessárias" para que os envolvidos na morte de Nouri fossem entregues aos promotores.

O general sudanês, Mohammed Hamdan Dagalo, comandante das Forças de Apoio Rápido, retirou a imunidade para qualquer membro da RSF sob suspeita, para permitir que a investigação dos promotores avançasse sem obstáculos. Dagalo também é o vice-chefe do conselho soberano governante. Nouri não era cristão, mas a preocupação dos líderes do país com os direitos dos cidadãos pode trazer segurança e paz aos seguidores de Cristo no Sudão.

No dia 28 de dezembro, milhares de sudaneses realizaram uma marcha em protesto do necrotério até o cemitério para o enterro de Nouri em Cartum. No caminho, eles pararam na sede da RSF em Cartum e gritaram palavras contra a força paramilitar e pediram que os suspeitos fossem responsabilizados. A Associação de Profissionais do Sudão, que ajudou a liderar protestos em pediu o fechamento de todos os centros de detenção administrados pela RSF.

O Sudão é o 7º país da Lista Mundial da Perseguição 2020, que classifica os 50 países mais violentos contra cristãos. O documento é publicado anualmente pela Portas Abertas, organização que auxilia cristãos perseguidos em mais de 60 países no mundo. O lançamento da Lista Mundial da Perseguição 2021 será na próxima quarta-feira, 13, e para receber o ebook com os 50 países e o Mapa da Perseguição, acesse o link e se cadastre

quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Como é realizada a Lista Mundial da Perseguição?

No dia 13 de janeiro, a LMP 2021 trará novos dados sobre a Igreja Perseguida no mundo


Fonte: Portas Abertas

Cristãos de diversos países encontram oposição em viver como igreja 
e a LMP divulga as nações onde a igreja é mais perseguida

Desde 1993, a Portas Abertas divulga a Lista Mundial da Perseguição (LMP) com os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos. Apesar da situação dos seguidores de Jesus ser investigada desde os anos 1970, a pesquisa passou a ser feita e divulgada para monitorar e medir o nível de perseguição aos cristãos no mundo nos anos 1990.

Ao longo dos anos, a metodologia passou por mudanças para garantir a credibilidade, objetividade, transparência e qualidade acadêmica dos dados. Tanto que desde 2014, a LMP passa pela auditoria do Instituto Internacional pela Liberdade Religiosa (International Institute for Religious Freedom - IIRF).
Como são escolhidos os 50 países da LMP?

Para elencar os 50 países onde os cristãos são mais perseguidos, e os outros onde a situação dos seguidores de Jesus precisa ser monitorada, é feita uma análise global da perseguição. Após esse passo, as informações são investigadas e depois os parceiros e cristãos locais recebem um questionário. Esses passos podem ser alterados caso haja uma situação de perseguição imediata e grave.

Nas avaliações feitas sobre os países, cada um recebe uma pontuação em uma escala de 0 a 100. Esse valor determinará a posição que a nação ocupará na Lista Mundial da Perseguição. 

Veja como acontece a classificação.

Perseguição Extrema
Países que pontuaram entre 81 e 100 pontos.

Perseguição Severa
Países que pontuaram entre 61 e 80 pontos.

Perseguição Alta
Países que pontuaram entre 41 e 60 pontos.

Perseguição Variável
Países com 40 pontos ou menos.

Você pode conferir mais detalhes de como é realizada a pesquisa no artigo Entenda a Lista Mundial da Perseguição, e saber como esses dados possibilitam entender melhor as necessidades dos cristãos perseguidos. A partir daí, são desenvolvidos projetos para que eles sejam discípulos de Jesus onde vivem, apesar da perseguição que enfrentam por causa da fé.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2021

Oficiais interrompem estudo bíblico e prendem seis cristãos na China

As autoridades detiveram o pregador An Yankui e outros cinco cristãos que participavam do estudo bíblico.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Uma igreja é vista ao lado de uma fazenda de lavatório na vila de Gutong, no município de Sansha, 
no condado de Xiapu, na província de Fujian, China. (Foto: Getty Images/China Photos)

Autoridades da cidade chinesa de Taiyuan invadiram uma igreja doméstica, confiscaram livros cristãos e detiveram o pregador e cinco membros durante um estudo bíblico, segundo um relatório.

Quase 40 autoridades foram à casa de An Yankui, que lidera a Igreja de Xuncheng, na capital da província de Shanxi, na noite de quarta-feira, cerca de um mês e meio após uma operação isolada em sua casa, de acordo com a agência de combate à perseguição, International Christian Concern.

As autoridades cercaram os membros da igreja, que estavam estudando a Bíblia, confiscaram as vestes e livros do coro e prenderam o pregador e cinco mulheres, segundo informou o International Christian Concern (ICC).

Os oficiais não detiveram a esposa de An, Yao Conya, porque ela precisava cuidar de seus filhos.

Os oficiais libertaram as cinco detidas por volta da meia-noite da véspera do Ano Novo, mas An permanecerá detido por 15 dias.

Mesmo sofrendo intensa perseguição, a Igreja Early Rain Covenant em Chengdu plantou a Igreja de Xuncheng.

A cidade de Xuncheng, que está sendo visada possivelmente devido à sua associação com o ERCC, foi invadida anteriormente em 15 de novembro e recebeu um aviso de dissolução da polícia.

Contexto

A China tem mais de 60 milhões de cristãos e pelo menos metade deles cultuam em igrejas clandestinas não registradas ou “ilegais”. A China é classificada como um dos piores países do mundo, no que diz respeito à perseguição aos cristãos, de acordo com a lista da Portas Abertas para 2020.

Gina Goh, gerente regional do ICC para o Sudeste Asiático, disse anteriormente que, em um momento em que a religião na China tem que se submeter ao controle do Partido Comunista Chinês e do Presidente Xi Jinping“, não é mais uma surpresa que uma igreja doméstica seja vista como um inimigo do estado e reprimido”.

“A cegueira da China em relação à violação da liberdade religiosa precisa ser continuamente exposta para que Pequim saiba que não pode se safar cometendo esses atos malignos”, disse Goh.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

"Foi milagre", diz pai de menino que se salvou após mais de duas horas no mar

O adolescente Douglas Iúna, de 14 anos, havia desaparecido após entrar na água junto com um amigo, que também ficou quase se afogou.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GAZETA

O jovem Douglas Iúna conseguiu se salvar após boiar e nadar por mais 
de duas horas no mar da Barra do Jucu, em Vila Velha. 
(Foto: Reprodução / TV Gazeta).

“Foi milagre”. Essas foram as palavras usadas pelo pedreiro George Inácio Iúna para definir o livramento que o filho dele, o jovem Douglas Iúna, de 14 anos, teve após boiar por mais de 2 horas no mar da Barra do Jucu, em Vila Velha, e conseguir sobreviver a um afogamento entre o período da tarde é início da noite desta segunda-feira (21).

Pai, filho, eu outros amigos, saíram de Cariacica para pescar na região do foz do Rio Jucu. Enquanto o pedreiro pescava, Douglas e o amigo deles, Régis Ferreira Alves, de 33 anos, saíram para dar uma caminhada à beira da praia pela região. Eles, segundo o pedreiro, decidiram entrar na água, contrariando a recomendação dada por George para que não entrassem no mar.


“Eles resolveram sair para dar uma caminhada e eu ainda falei para que não entrassem na água porque é muito perigoso e revolto. Menos de 10 minutos depois, os outros 2 amiguinhos dele, um deles filhos do rapaz que foi também (Regis), vieram falar comigo que eles tinham se afogado. Na hora cheguei a brigar com eles, ‘vocês não brinquem com isso não’. Aí o outro amigo do meu filho Douglas veio falar também que eles haviam se afogado mesmo. Nessa hora eu pensei que havia perdido meu filho e também meu amigo”, contou o pedreiro à reportagem da TV Gazeta.

Ajuda de morador

Enquanto passava por momentos de aflição sem saber como e onde estavam o filho e o amigo, George Inácio também tentou procurá-los pela faixa de areia, mas sem sucesso. A essa altura, Douglas nadava e boiava para se salvar. Por cerca de 2 horas e meia o adolescente ficou à deriva no mar da Barra do Jucu, porém conseguiu sair da água e caminhar com muita dificuldade até uma casa. Lá ele encontrou o vendedor Mário Eugênio Gomes, que o socorreu e ajudou a avisar a família do jovem.

“Abri o portão e vi o garoto vindo da direção da praia pedindo por socorro. Ele falava ‘me ajuda, me ajuda’ e pedia para ligar para o pai dele. Ele estava com os olhos muito vermelhos, cheio de areia. Aí ele me disse que veio boiando lá da feirinha da Barra. Levei ele para dentro de casa, perguntei se estava com frio, fome ou sede. Oferecia as coisas para ele, depois tomou um banho, se vestiu com uma roupa que demos a ele... Minha mãe tinha feito um bobó de camarão e também demos para ele comer”, contou.

Com o menino já salvo, George ligou para o pai de Douglas, no número do aparelho celular do adolescente, que havia ficado com o George Inácio. Pouco depois, uma ambulância dos Bombeiros chegou à casa do vendedor e prosseguiu com o atendimento ao adolescente. Por precaução, ele foi levado para o Hospital Infantil de Vila Velha, onde passou por exames.

Nesse meio tempo, o pedreiro se deslocou até a casa do homem que havia encontrado o filho dele e lá pode finalmente respirar aliviado. “Ligaram para o telefone dele que estava comigo e disseram que ele estava bem. Depois eu ouvi a voz dele (Douglas) e viemos para cá. Eu acredito em milagre e no poder de Deus. Se não acreditasse, passaria a acreditar a partir de agora, pois para mim isso com o meu filho foi um milagre”, disse George Inácio.

O alívio com o final feliz por encontrar o filho a salvo, contrastava com a preocupação em relação ao amigo. Douglas estava na companhia de Régis, que havia sido localizado até o período em que permaneceram na região da Barra do Jucu.

Buscas pelo amigo

Além de prosseguir com o socorro ao adolescente, os Bombeiros também fizeram buscas enquanto havia condições visuais. Em resposta à reportagem de A Gazeta, a assessoria da corporação informou que os trabalhos iriam prosseguir na manhã desta terça-feira (22), mas felizmente não foi necessário.

A equipe de mergulho realizou buscas até o horário de segurança, mas suspendeu por conta da visibilidade. Posteriormente, o pai da vítima de 14 anos acionou o Ciodes e informou que o filho foi encontrado com vida, na areia. Uma viatura foi deslocada e realizou o atendimento médico do adolescente, orientando a ir à uma unidade de saúde. O adulto ainda não havia sido localizado e as buscas seriam retomadas na manhã de hoje (22). Porém, quando a equipe de mergulho estava a caminho, familiares do homem desaparecido entraram em contato com o Ciodes, informando que haviam visto na televisão, que o trabalho seria reiniciado. Eles relataram que o senhor havia retornado para casa ainda na noite de ontem (segunda-feira) e estava bem sendo. Assim sendo, os militares retornaram à base e a ocorrência foi encerrada”.

Ainda de acordo com os Bombeiros, Régis havia entrado na água ao notar que Douglas estava se afogando. Na tentativa de tirar o jovem da água, ele acabou também desaparecendo.

O ajudante de obras acredita que tenha saído no mar já na Ponta da Fruta, também em Vila Velha. De lá, ele ainda andou mais 2 horas a pé para chegar até um shopping do município, onde conseguiu uma carona com um motorista conhecido para chegar até sua casa, no bairro Castelo Branco, em Cariacica. Quando isso aconteceu o relógio já marcava 1 hora da madrugada.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Arqueólogos recriam piso do templo onde Jesus andou

O Evangelho de João descreve Jesus “caminhando no templo do pórtico de Salomão”.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA REUTERS


Réplica do piso, recriado por arqueólogos, em Jerusalém.
(Foto: reprodução / WionNews)

Arqueólogos recriaram uma réplica do piso do antigo templo judaico em Jerusalém, onde Jesus caminhou. Seus pés pisaram sobre pedras lavradas, ladrilhos de tom de terra com desenhos geométricos, frios e desgastados pelo uso.

Com esse conhecimento, os arqueólogos e pedreiros israelenses, valendo-se ainda de relíquias e textos históricos, recriaram o piso sagrado para que ele possa ser visto hoje.

"Nós até fizemos os arranhões e todos os tipos de marcas que criaram a mesma aparência que costumava ser na época", disse o arqueólogo Assaf Avraham à Reuters perto da réplica de um metro quadrado de altura no Monte das Oliveiras, com vista para Cidade Velha de Jerusalém e locais sagrados.

De acordo com o Novo Testamento, Jesus foi ao templo ainda menino para peregrinar e estudar e, quando um pregador adulto, expulsou os cambistas com indignação. O Evangelho de João o descreve “caminhando no templo do pórtico de Salomão”.

O templo foi projetado pelo rei Herodes, assim como outras grandes estruturas na Judeia da era romana. Os ladrilhos remanescentes dessas ruínas mostraram aos arqueólogos quais materiais foram usados. Foi usado calcário trabalhado à mão e pedra do Mar Morto, bem como mármore importado - e que a incrustação tinha sido ornamentada no estilo “Opus Sectile”.

Flávio Josefo, historiador judeu do período, escreveu que os pátios dos templos eram “assentados com pedras de todos os tipos”, outra indicação de que os azulejos eram de várias cores e texturas.

Recriar o piso foi “um trabalho muito duro” que levou sete meses, disse Avi Tavisal, gerente da equipe de artesãos.

“Mas foi muito interessante e fizemos de todo o coração”, disse ele. “Esperamos que isso seja algo que as pessoas possam vir, ver, tocar e sentir como era 2.000 anos atrás”.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Arqueólogos encontram sala do trono de Herodes, onde Salomé pediu a cabeça de João Batista

O palácio onde a princesa Salomé teria dançado diante da corte de Herodes Antipas, exigindo a cabeça de João Batista, está sendo reconstruído na Jordânia.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO HAARETZ

Local da sala do trono do rei Herodes Antipas em Maquero, na Jordânia, com o Mar Morto ao fundo. (Foto: Prof. Gyozo Voros)

A sala do trono onde Salomé dançou diante do rei Herodes Antipas, pedindo a cabeça de João Batista, foi descoberta em Maquero, uma colina fortificada situada na Jordânia, a 24 quilômetros do rio Jordão.

A descoberta foi feita por arqueólogos durante o processo de reconstrução do palácio construído pelo pai de Antipas, Herodes I, segundo o jornal israelense Haaretz.

A fortaleza de Maquero foi construída há mais de 2.000 anos, em um penhasco com vista para o Mar Morto, nos dias do Segundo Templo em Jerusalém. De acordo com o Talmude, uma coletânea de textos rabínicos, a fumaça das ofertas do sacrifício podia ser vista subindo dos altares do Templo em Jerusalém por todo o caminho em Maquero.

A colina fortificada foi originalmente construída pelo rei Asmoneus, Alexandre Janeu, por volta de 90 a.C., servindo como uma importante posição estratégica militar. No entanto, foi destruída pelo general de Pompeu, Aulo Gabínio em 57 a.C., passando a ser reconstruída por Herodes I em 30 a.C., servindo como uma base militar para controlar os territórios a leste do Jordão.

Com a morte de Herodes, o Grande, a fortaleza foi passada para seu filho, Herodes Antipas, que governou de 4 a.C. até 39 d.C. Foi nessa época que João Batista foi preso e decapitado em Maquero.

Após a morte Antipas em 39 d.C., a fortificação ficou sob o comando de Herodes Agripa I até 44 d.C. Em seguida, ficou sob o controle de Roma, até que, em 66 d.C., rebeldes judeus conquistaram a fortaleza durante a Primeira Revolta Judaica.

Projeto de reconstrução do Palácio de Herodes. (Foto: Prof. Gyozo Voros)

A escavação arqueológica de Maquero foi iniciada em 1968 por Jerry Vardaman, então membro do Seminário Teológico Batista do Sul, e mais tarde diretor do Instituto de Arqueologia Cobb, da Universidade Estadual do Mississippi.

Dentro da área fortificada estão as ruínas do palácio herodiano, incluindo quartos, um grande pátio e um banheiro com fragmentos do mosaico do piso ainda remanescentes.

Mais abaixo, na encosta da colina, estão outras muralhas e torres, representando provavelmente a “cidade baixa”, sobre a qual o historiador Flávio Josefo escreveu. Há também um aqueduto que levava água para as cisternas da fortaleza.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

Refugiados, cristãos chineses têm dificuldade em conseguir asilo em países democráticos

Igreja do Deus Todo-Poderoso é a denominação com maior quantidade de membros fora da China.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO BITTER WINTER


Refugiados da Igreja do Deus Todo-Poderoso. 
(Foto: Reprodução / Bitter Winter)

Os cristãos que fogem da perseguição religiosa na China lutam por asilo nos países democráticos em que chegam.

Devido à pandemia Covid-19 a fuga da China e a entrada em países democráticos ficou mais difícil, mas as comissões administrativas e os tribunais continuam a ouvir casos relativos a refugiados chineses.

O maior número de casos de asilo relacionados à religião envolvendo cidadãos chineses refere-se a membros da Igreja do Deus Todo-Poderoso (CAG), um movimento religioso cristão chinês que é atualmente o grupo religioso mais perseguido na China.

O resultado de seus procedimentos de asilo depende em grande parte de quais COI (Informações do País de Origem) sobre a situação da liberdade religiosa na China e o CAG estão disponíveis. E também como são invocadas pelas comissões e tribunais envolvidos.

As primeiras decisões sobre os requerentes de asilo da CAG foram em sua maioria negativas e baseadas em informações incompletas e muitas vezes errôneas sobre a Igreja.

Houve duas razões para isso. Em primeiro lugar, o COI é baseado em estudos acadêmicos ou em fontes jornalísticas. Este último, mesmo quando publicado no Ocidente, refletia principalmente publicações chinesas oficiais que tentavam justificar a perseguição ao CAG.

Estudos acadêmicos sérios sobre o CAG começaram a aparecer depois que a Igreja estabeleceu comunidades em países democráticos, ou seja, a partir de 2015, e se tornaram significativos após 2017, por sua vez, influenciando alguns meios de comunicação de qualidade.

Em segundo lugar, como Bitter Winter aprendeu repetidamente com advogados envolvidos em processos de asilo, as embaixadas e consulados chineses continuam a fornecer às autoridades dos países onde os refugiados chegam informações hostis sobre o CAG.

Notícias falsas

Mesmo quando produzida por agências governamentais, a maioria das informações sobre o CAG pré-2017 eram inadequados e muitas vezes repetidas notícias falsas espalhadas pela propaganda chinesa. A partir de 2017, porém, a situação mudou.

Embora os acadêmicos tenham criticado o COI produzido em 2014 pelo Conselho de Imigração e Refugiados do Canadá, frequentemente citado em decisões europeias, o Conselho Canadense divulgou o COI novo e atualizado em 2019, após consultar os principais acadêmicos ocidentais que escreveram sobre o CAG.

No mesmo ano, o Ministério de Assuntos Internos italiano publicou seu COI (em italiano) sobre o CAG e sua perseguição na China. Um relatório paralelo do COI do mesmo Ministério destacou como os membros do CAG no exterior são mantidos sob vigilância e identificados por meio de reconhecimento facial, para que possam ser presos caso retornem à China.

Finalmente, em 2020, o Ministério das Relações Exteriores da Holanda publicou um novo COI sobre a China, com uma seção substancial sobre o CAG. Em 2019 e 2020, o Departamento de Estado dos Estados Unidos também examinou a perseguição ao CAG em seus relatórios anuais sobre liberdade religiosa.

Embora um crente CAG possa encontrar detalhes incorretos ocasionais quando a teologia CAG é mencionada, estes documentos de 2019 e 2020 são baseados em um esforço sério e louvável para lidar com a literatura acadêmica sobre CAG agora disponível. Com base nessas COI, deveria ser possível aos refugiados do CAG serem reconhecidos como membros de uma minoria perseguida, cujo “medo de perseguição” razoável e justificado caso retornassem à China lhes conferisse o direito a asilo em países democráticos.

Medo

Algumas decisões reconhecem que não há liberdade religiosa na China e que o CAG é perseguido, mas consideram a história individual do solicitante de asilo do CAG como não acreditável. Refugiados que chegam a um novo país podem às vezes ficar com medo e confusos, e não são capazes de relatar claramente suas histórias. Acontece também que os tradutores oficiais fornecidos pelas comissões podem não oferecer a alta qualidade de tradução que seria necessária em casos tão delicados.

As comissões devem olhar para o quadro mais amplo, em vez de procurar contradições em detalhes menores. Visto que, como confirma o mais recente COI, ser membro do CAG é suficiente para ser detido e encarcerado na China, uma vez comprovado o fato de um solicitante de asilo pertencer ao CAG, o “medo de perseguição” deve ser considerado provado também.

Existem, no entanto, decisões que não reconhecem a existência de uma perseguição religiosa na China ou que o CAG seja perseguido. Alguns parecem confiar mais nas informações divulgadas pelas embaixadas chinesas do que no COI de seus próprios governos (na Itália, uma decisão continuou a citar um COI desatualizado da Universidade de Roma, enquanto outros do Ministério de Assuntos Internos estão disponíveis).

Em casos raros, COIs governamentais e estudos acadêmicos são rejeitados como provenientes de fontes "hostis à China" - o que, claro, desqualificaria quase todos os acadêmicos e organismos internacionais de direitos humanos que lidaram com a China, pois concluíram unanimemente que os direitos humanos não são respeitados há.

Acredita-se na propaganda chinesa afirmando que a liberdade religiosa prevalece no país, junto com as notícias falsas sobre o CAG, e isso apesar do fato de que o COI recente produzido pelos governos conta uma história diferente.

Aqueles que mandam de volta para a China os cristãos da CAG requerentes de asilo devem saber que eles estão mandando-os para a prisão, ou pior.

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Selo usado pelo rei bíblico Jeroboão tem autenticidade confirmada em Israel

Peça foi autenticada após anos de rigorosos testes de laboratório sob a supervisão do Prof. Yuval Goren, da Universidade Ben-Gurion.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO TIMES OF ISRAEL


Selagem de argila de 2.700 anos de um selo do rei israelita Jeroboão II no século 8 aC. (Foto: Dani Machlis / Universidade Ben-Gurion)

A primeira impressão de selo de argila com inscrição de Israel - usada na corte do rei israelita Jeroboão II - foi autenticada após anos de rigorosos testes de laboratório sob a supervisão do Prof. Yuval Goren, da Universidade Ben-Gurion.

A argila inscrita foi comprada sem procedência de um comerciante de antiguidades beduínos na década de 1980 e agora acredita-se que seja do reinado de Jeroboão II do século VIII aC.

"Este selo é um dos primeiros, senão o mais antigo, selo inscrito na Terra de Israel", disse Goren ao The Times of Israel antes da publicação de um estudo científico em hebraico.

O selo oval é quase idêntico a um raro - e agora perdido - selo de pedra de jaspe muito maior que foi encontrado em 1904 por uma escavação arqueológica em Tel Megiddo liderada por Gottlieb Schumacher.

Tanto o selo perdido notável quanto a impressão do selo recém-autenticado são adornados por um leão que ruge com sua cauda levantada, sobre a qual está uma inscrição paleo-hebraica, "l'Shema eved Yerov'am" (pertencente a Shema, o servo / ministro de Jeroboão).

Jeroboão II é historicamente conhecido por ter governado de 788 aC a 748 aC.

Mercado beduíno

Goren disse ao The Times of Israel que tomou conhecimento da impressão do selo há mais de 10 anos. Ele havia sido comprado em um mercado beduíno perto de Beersheba por Yigal Ronen, um ex-professor de engenharia nuclear e um colecionador de antiguidades certificado, por meros 10 shekels israelenses na década de 1980, o equivalente a alguns centavos. Por causa das circunstâncias extremamente estranhas e do preço barato, Ronen inicialmente desconsiderou a possibilidade de que a pequena bula de 23,4 milímetros (1 polegada) por 19,3 mm (0,75 polegada) pudesse ser autêntica e considerou-a uma falsificação ou réplica inteligente, disse Goren.

Cerca de cinco anos atrás, começaram os testes secretos em profundidade da impressão do selo, disse Goren. Ele seguiu um protocolo que ele forjou na última década, que inclui uma série de testes sobrepostos de várias disciplinas científicas.

“Como a tecnologia nunca foi examinada antes, havia muitas suposições, mas ninguém tinha verificado, por exemplo, a consistência da argila, como eles montavam as cordas dentro da bula se ela fosse usada para selar documentos”, disse Goren.


Professor Yuval Goren, da Universidade Ben Gurion. (Foto: Dani Machlis / Universidade Ben-Gurion)

Ele e outros pesquisadores estudaram centenas de bolhas identificadas com segurança em escavações legais para obter um ponto de referência. Ele agora pode, disse ele, localizar mais facilmente um artefato falso se, por exemplo, a argila não fosse do tipo normalmente usada pelos escribas.

Entre os pesquisadores que participaram do novo estudo de vedação estavam a epígrafe da Universidade Ben-Gurion, Prof. Shmuel Ahituv, os geólogos Dr. Avner Ayalon e a Dra. Mira Bar-Matthews do Geological Survey of Israel, e o arqueólogo IAA Orit Shamir, especialista em têxteis.

Goren é especialista em pesquisar a proveniência de artefatos de cerâmica - incluindo impressões de selos e comprimidos cuneiformes - e descobrir a tecnologia usada para criá-los por meio da mineralogia. Para o novo estudo da bolha, ele disse que teve que remover um minúsculo fragmento da argila para examinar a composição mineral.

Para que eram usados ​​esses selos de argila?

Embora seja extremamente raro encontrar um selo do Reino de Israel, como esta nova bula, existem centenas que foram descobertas no Reino de Judá. Alguns, disse Goren, têm sinais de serem selados em papiros, às vezes tecidos e às vezes madeira - talvez caixas, talvez sacos, disse ele.

No entanto, há indicações de que algumas dessas impressões de selos não selaram realmente nada, disse ele, citando o trabalho do arqueólogo Nachman Avigad, que as chamou de "bula fiscal". Esses tokens, disse ele, podem ter sido criados como uma referência de um acordo ou transação oficial.

“Acreditamos que foram demitidos ou cozidos após a retirada do documento e, portanto, preservados”, disse ele. Goren disse que as escavações da década de 1950 em Tel Lachish encontraram um prédio da Idade do Ferro no qual um pequeno jarro tampado cheio de bolhas foi descoberto.

“Por que alguém ficaria com as bolhas”, ele perguntou, respondendo, “porque elas ainda eram usadas como referências mesmo depois que o documento era aberto”.

“Portanto, acreditamos que os selos estavam agindo como as assinaturas de hoje”, disse Goren.

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Jogadores de futebol arrecadam fundos para apoiar cristãos perseguidos

Um leilão online foi realizado para apoiar organizações que ajudam cristãos perseguidos, como a Portas Abertas e Holistic Sports France.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO EVANGELICAL FOCUS

Jogadores como Alisson Becker, David Luiz e Olivier Giroud participaram da ação. 
(Foto: Montagem/Guiame/Getty Images)

Jogadores da Liga Europa fizeram parte de um leilão online para arrecadar fundos para apoiar cristãos perseguidos através da organização Portas Abertas. Entre os atletas, estão brasileiros como David Luiz, zagueiro do Arsenal, e Alisson Becker, goleiro do Liverpool.

Todo o dinheiro arrecadado será usado para apoiar projetos nos Camarões e no Mali, países da África que são severamente afetados pelo terrorismo e perseguição religiosa.

O evento online, chamado “The Goal”, foi realizado em 22 de novembro e incluiu um leilão de várias camisas autografadas por atletas renomados. Até o dia 6 de dezembro, foram arrecadadas cerca de 12.040 libras (equivalente a 81.500 reais). 

A gala de caridade online foi organizada pela French Connect London, uma igreja de língua francesa em Londres, junto com a associação cristã Plus Que Sportifs. O valor foi direcionado à Portas Abertas e Holistic Sports France, que também apoia cristãos perseguidos.

“Obrigado a todos. O valor da gala de 2019 foi muito ultrapassado [este ano]”, disse Joel Thibault, capelão da Plus Que Sportifs e um dos organizadores do evento.

“A perseguição é inaceitável”

O atacante do Chelsea, Olivier Giroud, cedeu diversos itens ao leilão, incluindo a camisa de seu 100º jogo pela Seleção Francesa, uma camisa da final da Copa da Inglaterra 2020 contra o Arsenal e dois pares de chuteiras, também usadas pelo jogador francês.

“Nós que estamos com um certo conforto devemos pensar naqueles que estão sofrendo grandemente, por isso apoio a Portas Abertas e Holistic Sports pelo seu trabalho magnífico”, disse Giroud.

“Graças à minha notoriedade, posso ser uma voz para os que não têm voz. A perseguição aos cristãos, por meio das ações apresentadas nesta gala, me deu calafrios. Fiquei impressionado com os testemunhos. Ter 260 milhões de cristãos perseguidos no mundo é inaceitável, temos que falar sobre isso”, destacou o atleta.

Banner da gala de caridade online para arrecadar fundos para cristãos perseguidos. (Foto: French Connect)

Giroud lembrou quando conheceu Mourad, um treinador de futebol ex-muçulmano, que se converteu ao cristianismo, foi tocado por seu testemunho. “Eu me comprometi a fornecer chuteiras para seus projetos. Admiro a coragem de cristãos como Mourad, que se comprometem a amar o próximo em contextos hostis. Eu me sinto abençoado por estar seguro onde estou”.

Giroud já havia participado de uma gala em apoio aos cristãos perseguidos em maio de 2019 em Londres.

Aurélien Collin, zagueiro do Philadelphia Union — equipe americana de futebol da Major League Soccer — também doou uma de suas camisas e destacou que “a liberdade religiosa é um direito fundamental”.

“São 260 milhões de cristãos são perseguidos em todo o mundo. Já chega! Essa é uma situação que precisa estar em destaque”, disse Collin.

Além dos brasileiros David Luiz e Alisson Becker, o jogador de basquete da NBA, Kevin Durant, e a jogadora de handebol Astride N'Gouan, também participaram do leilão, oferecendo suas camisas.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

Delegado deixa profissão para ser missionário: “Hoje eu tiro as pessoas das prisões”

Tim Leathers deixou de ser delegado e hoje se dedica às missões urbanas ao lado de sua esposa.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO AG NEWS

Tim Leathers deixou de ser delegado e hoje é pastor e missionário. 
(Foto: Facebook/Tami Allen Leathers)

O ex-delegado Tim Leathers, de 56 anos, deixou sua profissão para se dedicar às missões urbanas. Junto com sua esposa, Tami, ele lidera um centro de abrigo para mulheres que foram vítimas das drogas ou estavam presas nos Estados Unidos.

“Passei 15 anos e meio colocando pessoas na prisão. Agora estou tirando as pessoas das suas prisões”, disse Tim ao site AG News.

Depois de se casarem, em 1989, Tim e Tami serviram como pastores de jovens em uma igreja ligada à Assembleia de Deus na cidade de Rock Island, em Illinois. Mais tarde, em 2002, Tim se tornou pastor de uma igreja em Wilton, Iowa, a 40 quilômetros da congregação anterior.

Na pequena cidade de Wilton, com pouco mais de 2.800 habitantes, Tim passou a ingressar na reserva policial. Aos 40 anos, um ano depois de se mudar para Wilton, Tim tornou-se policial em tempo integral — atuando como pastor nas horas livres, menos no turno de domingo.

Apenas um ano e meio depois de entrar na polícia, a cidade nomeou Tim como delegado. Ele continuou pastoreando e viu sua nova posição como uma forma de ministrar fora das paredes da igreja.

“Eu tenho que estar com pessoas feridas todos os dias, pessoas em situações desesperadoras”, diz ele. “Eu adorava ajudar alcoólatras e viciados em drogas”.


Tim e sua esposa, Tami, lideram a Casa de Mulheres LifeHouse. 
(Foto: Facebook/Tami Allen Leathers)

Por muito tempo, Tim e Tami convidaram as pessoas em fase de recuperação para ficarem em sua casa. Isso gerou no coração de Tami o desejo de abrir uma casa transitória para mulheres que tentavam se restabelecer após a dependência de drogas ou prisão.

No ano passado, o casal abriu a Casa de Mulheres LifeHouse após comprar uma casa de quase 560 metros quadrados, que anteriormente servia como um sítio para meninos problemáticos. Tim e Tami têm seu próprio apartamento conectado à casa. 

Tim continua sendo um pastor ordenado pela Assembleia de Deus, mas o casal escolheu atender ao chamado missionário através do ministério de capelania.

Atualmente, quatro mulheres moram na casa, e pelo menos 12 devem fazer parte do programa de um ano. Na LifeHouse, as mulheres participam de aulas ministradas por Tami e fazem cursos profissionalizantes. Pouco a pouco, elas vão retomando suas vidas normais, conseguindo encontrar um emprego e até pagar um aluguel.

“Queremos treinar essas mulheres para que sejam capazes de fazer qualquer coisa, incluindo empregos que são tradicionalmente masculinos”, diz Tim. “Se elas forem autossuficientes, elas não irão voltar ao estilo de vida de onde vieram”.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2020

‘Acima da Constituição está a Bíblia Sagrada’, diz Bolsonaro em convenção de igrejas

O presidente Jair Bolsonaro participou de assembleias gerais da Convenção Estadual das Assembleias de Deus da Bahia (CEADEB), em Salvador.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO A TARDE

Jair Bolsonaro em participação nas 113ª e 114ª Assembleias Gerais Ordinárias da CEADEB, em Salvador. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

O presidente Jair Bolsonaro participou na tarde de sexta-feira (4) de um evento da Convenção Estadual das Assembleias de Deus da Bahia (CEADEB), na sede da convenção em Salvador, no bairro do Costa Azul.

Em sua participação nas 113ª e 114ª Assembleias Gerais Ordinárias da CEADEB, Bolsonaro fez um discurso de cerca de 15 minutos, onde relembrou o episódio em que foi atingido por uma facada durante campanha eleitoral em 2018 e falou sobre os esforços do governo para a retomada da economia durante a crise provocada pela Covid-19.

Em mais um aceno às igrejas, o presidente voltou a destacar que “o Brasil é um país cristão”.

“Batem muito na tecla de sermos um Estado laico, mas com muito orgulho, eu digo que seu presidente é cristão. Acima da nossa Constituição está a nossa fé, está aquele livro conhecido como Bíblia Sagrada. Nós temos a nossa cultura judaico-cristã, nós preservamos a família, queremos o bem do próximo, queremos um país grande, queremos aproveitar todo esse potencial que Deus nos deu para o bem de nossa nação”, declarou.

O pastor Valdomiro Pereira da Silva, presidente da CEADEB, elogiou Bolsonaro por seu “compromisso com o país e com a família, além de manifestar temor a Deus”. Ele concluiu com um pedido: “Mantenha o mesmo sentimento que demonstrou no início da sua campanha: Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”.

Jair Bolsonaro em participação nas 113ª e 114ª Assembleias Gerais Ordinárias da CEADEB, em Salvador. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Bolsonaro chegou acompanhado do general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional do governo, do deputado federal Marco Feliciano (PSC), que também é pastor da Assembleia de Deus em São Paulo, e de parlamentares baianos que são membros da denominação, o deputado federal Alex Santana (PDT) e o deputado estadual Samuel Júnior (PDT).

sábado, 5 de dezembro de 2020

Neste fim de ano, presenteie cristãos na Síria com esperança

Ajude a suprir as necessidades básicas dos seguidores de Cristo


Fonte: Portas Abertas

Jina e Apo são cristãos na Síria que têm sido fortalecidos graças ao amor do próximo

Pensar na época do Natal é pensar em amor, esperança e generosidade. Cristo expressou o amor para conosco enviando Jesus para salvar a humanidade, conforme João 3.16:

"Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna".

Seguindo os ensinamentos que Deus nos deixou, queremos expressar o amor dele ajudando o próximo.

Neste Natal, queremos incentivar você a presentear cristãos perseguidos na Síria. Após nove anos de guerra, o país se encontra em meio a uma grave crise econômica, em que a população não consegue suprir necessidades básicas. Além disso, a guerra afetou os cristãos, que tiveram que se deslocar e acabaram perdendo os empregos. A escassez de alimentos afetou fortemente os seguidores de Jesus que, muitas vezes, comem em menores quantidades para que os alimentos durem para mais refeições.

Jina e o filho Abraão, ou Apo, apelido carinhoso dado pela mãe, são cristãos sírios que têm sido fortalecidos graças ao amor do próximo. O pai de Apo foi sequestrado por extremistas na Síria há sete anos, quando o garotinho tinha apenas um ano. Ele foi levado por extremistas enquanto andava de ônibus.


Após alguns meses do sequestro de Rober, os agressores entraram em contato com a familía, pedindo um resgate de aproximadamente R$ 33.000 mil reais (cerca de U$ 6.000 mil dólares). Mas, como a pobreza no país é alta, Jina levaria muitos anos para conseguir essa quantia.

Dificuldades por causa da COVID-19

Jina conta que a pandemia da COVID-19 aumentou as dificuldades que ela e a família enfrentam, devido à impossibilidade de trabalhar.

"Estou vivendo com a ajuda de Deus e dos irmãos da Portas Abertas. As cestas básicas que recebo do Centro de Esperança são o que têm nos sustentado". 

Queremos encorajar você a levar amor e esperança para famílias como a de Jina e Apo, através da sua doação. A Portas Abertas atua por meio de parceiros locais nos Centros de Esperança, onde diversos projetos são desenvolvidos para ajudar os cristãos a terem as necessidades supridas. Doe e leve presentes de esperança para família sírias.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2020

“Eu não queria que Deus dirigisse minha vida”, diz Franklin Graham sobre sua juventude

O filho do falecido evangelista Franklin Graham confessou que mesmo tendo nascido em uma família cristã, se desviou em sua juventude.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO 'DOUBTING IT'

Franklin Graham é filho do falecido evangelista Billy Graham e realiza cruzadas evangelísticas por todo o mundo. (Foto: Rozette Rago / The New York Times)

Franklin Graham pode ser conhecido como um notável evangelista, que trabalha incansavelmente para compartilhar o evangelho com qualquer pessoa que o ouça, mas apesar de ser filho de um dos maiores pregadores e evangelistas da História (Billy Graham), nem sempre ele foi uma pessoa temente a Deus.

Em uma entrevista com Charlotte Pence Bond em seu podcast, ‘Doubting It’, Graham falou abertamente sobre como, embora tenha crescido em uma família cristã e frequentasse a igreja regularmente, ele não viveu de fato como cristão por um tempo.

Durante a entrevista, Graham falou sobre como, em sua juventude, embora soubesse que Deus deveria estar no centro de sua vida, ele tentou se concentrar em servir a si mesmo.

“Eu simplesmente não queria que Deus dirigisse minha vida. Queria dirigir minha própria vida. Queria me divertir. Ia à igreja porque era o que esperavam que eu fizesse”, disse a Bond em uma entrevista. “Na minha adolescência, estava mais interessado em agradar a mim mesmo. Simplesmente virei as costas para Deus e tentei servir a mim mesmo”.

No entanto, Graham acabou descobrindo que, quanto mais tentava servir a si mesmo, menos feliz ficava. Por fim, a situação se tornou tão insuportável que, em um momento de poderosa reflexão, ele decidiu realmente seguir Jesus.

“Uma noite, eu simplesmente me ajoelhei e disse: 'Deus, eu pequei contra o Senhor e sinto muito", Graham refletiu, observando como ele pediu a Deus para juntar os pedaços de sua vida destruída e usá-los para a glória de Deus. Ele então declarou: "Eu ainda [hoje] cometo muitos erros, mas quando fiz aquela oração foi sincera".

Ele encerrou o segmento com uma mensagem para os jovens: "Eu encorajaria os jovens: comece todos os dias na palavra de Deus", disse ele, passando a anunciar a natureza essencial da oração. "A oração nos permite ir direto ao presença do rei dos reis, o Senhor dos senhores... podemos ir direto a Deus".

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Prestes a ser julgado, líder cristão de Hong Kong cita Bíblia: “Me glorio nas tribulações”

Joshua Wong tem liderado um movimento pró-democracia, que confronta uma lei imposta pela China a Hong Kong.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

O jovem Joshua Wong é um líder pró-democracia de Hong Kong, que foi preso por realizar reuniões em razão 
do movimento que ele lidera. (Foto: Reuters)

Três ativistas pró-democracia de Hong Kong foram detidos sob custódia no dia 25 de novembro após se confessarem culpados de organizar e incitar outras pessoas a participar conscientemente em uma assembléia “ilegal”, cuja pena máxima é de 5 anos de prisão. Dessa forma, a sentença de Joshua Wong, Ivan Lam e Agnes Chow será lida na próxima quarta-feira, 2 de dezembro.

Embora o caso que os levou à detenção tenha acontecido em junho do ano passado, quando manifestantes cercaram a sede da polícia de Hong Kong como parte dos protestos de rua contra o projeto de extradição, as acusações estão sendo feitas de acordo com a Lei de Segurança Nacional, que se tornou retrospectiva.

Pequim impôs essa lei a Hong Kong, que pune crimes, como “secessão, subversão, terrorismo e conluio com forças estrangeiras”, com pena máxima de prisão perpétua.

Em uma entrevista coletiva fora do tribunal, antes de sua detenção, Wong fez menção aos jovens que têm lutado pela democracia em Hong Kong.

"Sob os contínuos ataques contra os dissidentes da cidade, gerações de jovens vão dos protestos às prisões. Para salvaguardar a liberdade para o lugar onde nascemos, todos eles fizeram sacrifícios silenciosos, mas sem arrependimento. Alguns deles foram torturados, forçados ao exílio, ou mesmo suicidaram-se, depois de entoar palavras de ordem de protesto. Esta é a razão pela qual, desde a minha primeira libertação da prisão, prometi chamar mais atenção do público para a justiça carcerária, em particular, para os presos políticos", disse.

"Talvez as autoridades queiram que eu fique na prisão. Mas estou convencido de que nem as grades da prisão, nem a proibição eleitoral, nem quaisquer outros poderes arbitrários nos impediriam de nosso ativismo. O que estamos fazendo agora é explicar o valor de liberdade para o mundo", acrescentou.

A polícia já fez mais de 10.000 prisões relacionadas a protestos, acusando militantes de crimes que variam de tumultos a assaltos e incêndios criminosos, desde que as manifestações começaram no ano passado. O que mais preocupa Wong são os 12 jovens que estão detidos em Pequim há quase 3 meses. Eles foram pegos enquanto navegavam para Taiwan em busca de asilo. Eles foram acusados ​​de repudiar o controle chinês sobre Hong Kong.

Wong, de 24 anos, não se incomoda com as adversidades que terá de enfrentar na luta pela democracia de Hong Kong. Cristão devoto, ele tuitou versículos da Bíblia, de onde tira forças para não desistir da luta pela democracia.

“‘Nos alegramos nos sofrimentos’, diz Romanos 5:3, 4, ‘pois sabemos que os sofrimentos produzem a paciência, a paciência traz a aprovação de Deus, e essa aprovação cria a esperança’”, postou Wong.

O ativista cristão acrescentou: "Uma vez plantadas, as sementes um dia brotarão. Cansados ​​e perturbados como alguns de vocês podem se sentir, por favor, apoiem-se uns nos outros. As grades podem trancar nossos corpos, mas nunca nossas almas inabaláveis. Um dia nossos indomáveis ​​retornarão e nos encontraremos novamente".