sexta-feira, 20 de outubro de 2017

"Ele era odiado por causa de sua fé", diz mãe de garoto espancado até a morte na escola

A classe inteira assistiu o adolescente cristão apanhando até cair inconsciente no chão.

Segundo a mídia local, existiu negligência da escola que contribuiu para a morte do menino. (Foto: Reprodução).
Segundo a mídia local, existiu negligência da escola que contribuiu para a morte do menino. (Foto: Reprodução).
Um adolescente cristão foi espancado até a morte em uma escola do Paquistão. A vítima foi assassinada dentro da sala de aula. Masih, que completaria o Ensino Médio foi agredido por outro aluno, Raza Ahmed. Segundo a mãe da vítima, seu filho “era odiado por causa de sua fé”.

Javed Tahir Majeed é o vice-superintendente da polícia da região. Sendo um dos três investigadores do caso, ele contou à Portas Abertas que um colega de classe do jovem Masih, Sabir Ali, disse que ele estava sentado no fundo da sala. Quando se levantou para passar entre os bancos, Raza Ahmed abriu as pernas para bloquear o caminho, afirmando que o cristão não poderia sair.

Ainda de acordo com o aluno, quando Sharoon tentou passar pelas pernas de Raza, começou a receber os espancamentos do agressor. Sabir tentou intervir, mas Raza bateu nele também. “Raza negou que tenha tocado Sharoon, mas a classe inteira testemunhou que ele bateu até Sharoon cair no chão e continuou a chutá-lo até deixá-lo inconsciente. Raza é alto e forte e tem a reputação de brigar também fora da escola”, relatou o policial.

O vice-superintendente ainda ressaltou que existem casos onde uma pequena agressão resulta em morte. “É bem plausível que um golpe na barriga cause a morte”, disse ele. Se de um lado as testemunhas oculares confirmaram que Raza chutou Masih no estômago, do outro, a autópsia diz que “nenhum sinal de trauma físico foi encontrado no corpo”. Foram enviadas para exames químicos partes de órgãos internos.

Perseguição religiosa

Segundo informações da mídia local, existiu uma negligência da parte da escola que contribuiu para a morte do menino. A mãe dele diz que Raza Ahmed havia proibido o filho de beber água na escola dias antes do incidente. Sabe-se que os cristãos que vivem no Paquistão são tratados geralmente com desprezo porque muitos deles vêm da casta considerada inferior (os intocáveis). Os muçulmanos se recusam a comer e beber com essas pessoas.

Segundo o Portas Abertas, o pai de Masih, Ilyasab, disse que no primeiro dia na escola, o professor não havia deixado seu filho assistir à aula porque ele estava sem o uniforme e até o agrediu na frente da classe. O jovem cristão havia dito que não se sentia bem em ir à escola porque todos os alunos o odiavam por causa de sua religião. O pai, então, disse que iria com ele para conversar com os professores e os alunos. No dia seguinte, o menino faltou à escola e foi comprar seu uniforme. No terceiro dia, quando voltou, foi morto antes que seu pai pudesse fazer alguma coisa.

Justiça lenta para os cristãos

Para as pessoas mais carentes, a justiça se torna lenta, no Paquistão, além de inacessível financeiramente. Principalmente para os cristãos, que geralmente não têm nem dinheiro. O pai, Ilyasab Masih, espera justiça: “Eu tenho total fé em Jesus de que justiça será feita”. Sabe-se que existem outros alunos cristãos na escola, além de um dos funcionários. O Paquistão ocupa a quarta posição na Lista Mundial da Perseguição 2017, e muitos incidentes contra os seguidores de Jesus foram registrados somente este ano.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO PORTAS ABERTAS

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Ateu se entrega a Jesus e alcança mais de 10 mil jovens com o Evangelho

Brian se converteu aos 18 anos e desde então se dedica a alcançar vidas para Jesus.

Brian Barcelona prega para jovens em escolas e universidades. (Foto: Reprodução).
Brian Barcelona prega para jovens em escolas e universidades. (Foto: Reprodução).
Os pais de Brian Barcelona se divorciaram quando ele tinha 10 anos, em 2001. Ele se tornou uma criança deprimida. Aos 15 se considerava ateu, mas sua avó nunca deixou de falar de Jesus para ele. "Deus não podia ser real", pensava ele na época. Em 2005, Brian estava confuso e esperava por algo a mais em sua vida que mudou radicalmente quando ele foi à igreja com um amigo da família em 2007.

"Eu estava totalmente fora da presença de Deus", diz Brian. "No entanto, Deus estava perseguindo meu coração". Brian sentiu o poder sobrenatural de Deus naquele dia. "As correntes que carreguei espiritualmente começaram a cair. Correntes de depressão, suicídio, amargura, ressentimento, raiva e luxúria", diz ele.

Brian começou a chorar incontrolavelmente. "Eu não podia ver a liberdade que eu estava experimentando, mas eu podia sentir isso no meu coração". Dois anos depois, Brian, já com 18 anos, foi para uma reunião de jovens. No dia seguinte à conferência, Brian sentiu o Senhor lhe dizer: “Quero um movimento que vai salvar as escolas secundárias da América”. Ele se sentiu sobrecarregado com o que Deus estava pedindo para ele fazer.

No resto do verão, Brian contemplou como ele iria começar. Orou e jejuou quando o primeiro dia de aula se aproximou e ficou nervoso. Depois de falar com a professora que ele havia liderado o clube bíblico do Elk Grove, Brian obteve permissão para falar duas vezes por semana. Ele não tinha treinamento, nenhum recurso e nenhuma experiência. Apenas paixão e obediência.

Crescimento

A reunião começou com três pessoas que acabaram em lágrimas depois que Brian compartilhou sua história. O assunto se espalhou e logo a sala de aula estava cheia. De repente, as vidas começaram a mudar. Os adolescentes foram curados de pensamentos suicidas, trauma de abuso físico e sexual, toxicodependência, crises de identidade e muito mais.

Os corações foram salvos. Famílias inteiras foram curadas. Os números do clube cresceram, e logo outras escolas se juntaram. Agora chamado The Jesus Club, Brian respondeu ao chamado de Deus com um simples ato de obediência, e milhares de adolescentes estão deixando Jesus curar suas vidas. Depois de dois meses, Brian começou a compartilhar no clube duas vezes por semana.

Deus estava fazendo um trabalho incrível quando Brian organizou uma manifestação no teatro da escola. Eles divulgaram com milhares de folhetos e oraram. Cerca de 200 alunos preencheram os assentos e aceitaram o Senhor. "Eu estava começando a entender que a verdadeira questão. Quatro meses depois tivemos 600 estudantes que se reuniam no ginásio e entregavam suas vidas a Jesus.

“Aquele ensino médio nunca foi o mesmo depois disso. Pouco eu sabia que este seria o início de um novo movimento missionário na América", diz Brian. No ano seguinte, Brian foi a uma escola secundária diferente e plantou mais clubes de estudo. Semana após semana, centenas de alunos vieram e responderam ao Evangelho. "Meus olhos agora estavam fixos nos campus da escola secundária da minha cidade, e nada poderia mudar minha fé ao acreditar que Jesus salvaria esses estudantes", diz Brian.

Missões

Em 2010, Brian estava pregando em seis campus do ensino médio. Os vários “clubes de Jesus” espalhados pela Califórnia já contavam com 500 espaços diferentes. Em 2013, Brian organizou projetos de missões para estudantes e hoje milhares de se encontram mas reuniões em escolas secundárias em toda a Califórnia, toda semana. A partir do ano passado, eles receberam uma média de 10 mil alunos semanalmente. “A One Voice é mais do que um movimento ou um ministério, é uma mensagem. Esta mensagem é simples”, diz Brian.

"Toda mensagem precisa de um mensageiro, e essa é a nossa tarefa. Sua comunidade é composta por pessoas de diferentes países, origens, igrejas e ministérios. Juntos, eles trabalham para alcançar estudantes e universidades em toda a América, e em breve o mundo, com a Boa Nova de Jesus. Brian diz que eles foram chamados por Deus para salvar os perdidos e despertar a Igreja para a realidade do campo missionário que está diante dela. "Somos missionários para estudantes. Somos missionários para as escolas. Somos mensageiros para as nações do mundo", finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Cristãos celebram Reforma Protestante e saem às ruas para reavivar a Europa

A Aliança Evangélica da Europa se reuniu para estudar o contexto preocupante da Europa e planejar ações de evangelismo eficientes.

Evangelista Ghiorghi Cazacu durante prega nas ruas do leste europeu. (Foto: Gospel Ministries International)
Evangelista Ghiorghi Cazacu durante prega nas ruas do leste europeu. (Foto: Gospel Ministries International)
A Aliança Evangélica Europeia reuniu-se para a sua Assembléia Geral anual em Praga, República Tcheca, entre os dias de 9 a 12 de outubro de 2017.

Considerando a celebração dos 500 anos da Reforma Protestante, cerca de 100 participantes se reuniram para planejar como os cristãos evangélicos em toda a Europa poderiam sair às ruas e levar a mensagem do Evangelho mais efetivamente, com uma base bíblica sólida e considerando o contexto atual da Europa: a sua cultura secular, pós-secular, pós-moderna, pós-cristandade e pós-comunista.

Neste encontro mais recente, os evangélicos foram confrontados com o cenário preocupante que impera em grande parte dos países da Europa: milhões de jovens que não têm qualquer relação com a Igreja, conflitos que duraram gerações, migrantes / refugiados que chegam do Oriente Médio e África com todo tipo de necessidade, e uma grande quantidade de crianças que não têm qualquer lugar para chamar de casa.


Segurança e Identidade em Deus


Como se Deus quisesse dar o tom do encontro, o primeiro encontro teve de ser transferido de uma sala de um auditório para uma sala consideravelmente menor, obrigando todos os membros e afiliados a se sentarem como estudantes, ansiosos para aprender coisas novas e antigas. Este tom continuou, enquanto Rosalee Velloso liderava o grupo ao considerar de novo as questões antigas, mas ainda relevantes, que Abraão teve de enfrentar em Gênesis 11 e 12.

"Ele desistiria de sua vida estável e próspera em resposta ao chamado de Deus? Qual seria a sua identidade a partir dali? Onde seria o futuro dele?", questionou. "Em tempos semelhantes de turbulência e incerteza hoje, os cristãos evangélicos devem decidir se seguem a tendência da sociedade para as discussões motivadas por emoção, medo, insegurança, construindo muros e barreiras para proteger sua identidade ou para encontrar sua segurança e identidade em Deus, abraçando totalmente seu chamado bíblico".


Ser cristão hoje


Durante o encontro, alguns professores evangélicos de teologia forneceram contribuições de especialistas sobre estas situações contemporâneas. Evert Van de Poll apresentou uma ampla e bem pesquisada descrição dos desafios enfrentados pelos cristãos na Europa.

Thomas K. Johnson discutiu as relações entre evangélicos e católicos romanas e suas implicações para a evangelização.
Johannes Reimer abordou casos atuais de conflito social e descreveu as novas iniciativas da Rede de Paz e Reconciliação do Aliança Evangélica da Europa.

Já David Patty apresentou os esforços diretos de Josiah Venture sobre a evangelização, dirigidos a jovens que tiveram pouco ou nenhum contato prévio com as igrejas.
Premiado durante o evento por seus projetos de evangelismo e ação no Reino Unido, com o projeto "Home For Good" - cuidando de crianças órfãs e respondendo à necessidade dos refugiados - o Dr. Krish Kandiah confrontou o público para perguntar às suas igrejas se eles simplesmente querem continuar servindo as pessoas que sofrem devido aos sintomas de problemas sociais ou se elas estão preparadas para resolver as origens desses problemas.


"Frios na fé"


Ao reconhecer a necessidade de divulgar o Evangelho entre os chamados "membros nominais" - pessoas que são oficialmente membros de uma igreja, mas que não participam (nem mesmo frequentam os cultos) e que não parecem ter uma fé pessoal em Jesus Cristo - os participantes do encontro foram também encorajado a evitar promover qualquer tipo de "competição" com outras igrejas, mas sim buscar trabalhar em unidade para estimular também estas pessoas a crescerem na fé.

Observou-se que as igrejas evangélicas também têm sua própria "periferia nominal". Esta situação exige cuidados pastorais e mais pesquisas sobre por que alguns membros de igrejas evangélicas pararam de frequentar a igreja ou não confessam abertamente sua fé.


Cristãos comprometidos


À medida que os participantes da Assembléia Geral do Aliança Evangélica da Europa deixavam Praga para retornar aos seus países de origem em todo o contineneto, todos voltaram com propósitos estabelecidos:

- envolver-se em esforços para compartilhar as boas novas de Jesus Cristo no evangelismo para pessoas de todos os setores da sociedade em toda a Europa;

- Mostrar o amor de Jesus Cristo de maneiras práticas às pessoas necessitadas em toda a Europa, não somente lidando com os sintomas, mas também abordando as causas profundas desses problemas;

- Se empenhar no estudo sério das necessidades de seus vizinhos e deixar suas zonas de conforto em benefício do próximo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO EVANGELICAL FOCUS

terça-feira, 17 de outubro de 2017

Piloto compartilha a Bíblia em cada corrida: "Por Sua misericórdia não somos destruídos"

Dale Earnhardt Jr. é piloto da Nascar e a cada corrida, sua esposa divulga um versículo da Bíblia que ele carrega no painel de seu carro.

Bilhete com reflexão bíblica que Dale Earnhardt Jr. carregou em seu carro durante uma das corridas. (Foto: Twitter)
Bilhete com reflexão bíblica que Dale Earnhardt Jr. carregou em seu carro durante uma das corridas. (Foto: Twitter)
Não é segredo que a Bíblia ainda é imensamente reconfortante, influente e poderosa. Basta considerar uma fascinante tradição mantida até hoje na famosa categoria norte-americana de corrida NASCAR que Stevie Waltrip, esposa do antigo motorista de corrida Darrell Waltrip, continuou por décadas.

Anos atrás, Stevie começou a escrever versículos da Bíblia para que seu marido colocasse no painel de seu carro durante cada corrida.

Ela explicou a tradição em um recente vídeo da Fox Sports: "Eu só queria que ele tivesse inspiração no carro com ele, então comecei a escrever versos da Bíblia para ele". Mas seus esforços não pararam com o marido.

Eventualmente, o também piloto Dale Earnhardt soube que seu amigo, Darrell Waltrip carregava versos bíblicos em seu carro e ele também pediu a Stevie para escrever alguns trechos da Bíblia que ele pudesse levar consigo. A esposa de Darrell atendeu ao pedido do colega de seu marido e, durante anos, os versículos escritos por ela também ofereceram consolo a Earnhardt durante cada corrida.

"Papai era um homem de muita fé", disse Dale Earnhardt Jr., que hoje também é um famoso piloto da NASCAR, se lembrando de como seu pai passou a se comportar, após ser confortado por aquelas escrituras. "Quando não estávamos correndo no domingo, sempre íamos a igreja".

O ancião Earnhardt simplesmente não queria correr sem aqueles versos escritos por Stevie, os quais ele manteve em seu carro até morrer durante um grave acidente em 2001. Mas mesmo após a morte do piloto, aquela tradição não terminou lá.

Dezesseis anos após a morte de Earnhardt, a tradição bíblica de Stevie continua, como Earnhardt Jr., que agora recebe um versículo da Bíblia para colocar no painel de seu carro a cada corrida que participa.

"Eu não faça nada disso no dia da corrida por superstição", disse ele.

Mas o piloto lembrou que ler cada um daqueles versículos bíblicos nas carridas lhe traz conforto e paz. "Isso me dá força, força emocional e mental. Eu não me sinto seguro sem a Palavra de Deus".

Ao longo do tempo, a tradição também foi adotada pela família do jovem piloto, com a esposa de Earnhardt Jr., Amy Earnhardt, publicando todos os versos de Stevie, para que os fãs também possam se beneficiar da sabedoria bíblica.

"As pessoas sempre me perguntam no Twitter: 'Onde está o verso, Onde está o verso?", disse ela, observando a emoção que as pessoas têm sobre as escrituras sagradas. "Então eles estão ansiosos por isso todas as semanas".

Segundo o próprio site NASCAR.com informou, Earnhardt Jr. carregou em seu carro um bilhete de sua esposa, inspirado em Lamentações 3:22-24 durante a corrida de um domingo recente.

"Por Sua misericórdia, não somos completamente destruídos", diz um trecho do bilhete.

O motorista de corrida falou sobre essas Escrituras, explicando que ele evitou acidentes durante a corrida com danos mínimos ao seu veículo.

"Eu (estava) carregando a escritura de Stevie Waltrip no carro", disse ele. "Ela provavelmente me teve um pouco de sorte lá. Então, nunca dói ter um anjo no ombro ".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO FAITH WIRE

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Jogador é batizado ao lado de equipe, antes de entrar em campo: “Purificado e renascido”

Antes de entrar em campo, o time de futebol americano Philadelphia Eagles se reuniu para assistir o batismo de um de seus integrantes.

Marcus Johnson foi batizado na piscina do hotel antes do jogo de futebol. (Foto: Reprodução/Twitter)
Marcus Johnson foi batizado na piscina do hotel antes do jogo de futebol. (Foto: Reprodução/Twitter)
Antes de entrar em campo, a equipe do time de futebol americano Philadelphia Eagles se reuniu na última quinta-feira (12) para assistir o batismo de um de seus integrantes, o atleta Marcus Johnson.

“Primeira vez sendo batizado! Louvar como igreja é uma coisa linda. Purificado e renascido em nome de Jesus!”, disse Johnson no Twitter, acompanhado de uma foto que mostra os jogadores da equipe assistindo o momento.

Os jogadores do Philadelphia Eagles são conhecidos por expressarem abertamente sua fé cristã. Segundo a ESPN, os atletas “encontrar um terreno comum através da devoção espiritual”. Juntos, eles realizam rotineiramente estudos bíblicos, batismos e outras atividades religiosas.

O atleta Trey Burton batizou cinco companheiros de equipe em outubro do ano passado. Assim como aconteceu no batismo de Johnson, cerca de 15 membros da equipe estavam presentes e oraram por eles.

“Eu não quero ser o cara que bate na cabeça das pessoas com a Bíblia. Isso não é o que eu sou. Isso não é o que realmente significa o cristianismo. O cristianismo é sobre amor, bondade e graça”, disse o quarterback Carson Wentz.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE THE CHRISTIAN POST

domingo, 15 de outubro de 2017

Marco Feliciano critica artistas de esquerda: “hipócritas e desonestos”

Deputado ataca rede Globo e exibições de arte pornográficas

por Jarbas Aragão

Feliciano critica artistas de esquerda: "hipócritas e desonestos"

Em meio ao embate que tomou conta das redes sociais nas últimas semanas, onde vários artistas tentaram justificar a imoralidade de exposições como o Queermuseu e a “performance” do homem nu no MAM, um dos termos mais usado foi que estavam censurando a “arte” deles.

Usando uma antiga tática política, um grupo comandado pelo cantor Caetano Veloso e sua esposa Paula Lavigne, que assumiram o nome de #342Artes, argumentavam que a arte no Brasil estava sendo atacada pelos conservadores e líderes religiosos.

Uma das estratégias do grupo foi gravar vídeos, onde muitos artistas conhecidos pelas suas novelas na Globo, reclamam de sofrerem “censura e difamação”.

Curiosamente, o uso do número 342 é uma derivação de um movimento político encabeçado por Caetano, que refere-se ao número de votos necessários no Congresso para afastar o presidente Michel Temer do cargo. Ou seja, tudo faz parte de uma orquestração mais ampla, dirigida por militantes de esquerda, que despejou milhões nas contas de muitos desses artistas com os benefícios da Lei Rouanet.

Atento a mais essa tentativa de manipular a população, o deputado Marco Feliciano (PSC/SP) resolveu confrontá-los em um vídeo onde não poupa críticas. Usando repetidas vezes o termo “hipócritas”, o parlamentar denuncia a seletividade dos artistas.

“Os notáveis superseres intelectuais, descolados e chamados de artistas, protegidos pela mãe Globo e todos os seus asseclas, estão em campanha para defender exposições de sexo e nudez para nossas crianças”, disparou logo no início do material que publicou em suas mídias sociais.

Em seguida, fez um apanhado de incoerências da rede Globo, que divulgou meias verdades e ocultou imagens ao falar sobre as exposições nos museus. Questionou também a postura de Caetano Veloso, que recentemente tentou censurar a publicação de biografias não autorizadas.

Feliciano apontou ainda para o completo silêncio da classe artística quando movimentos de esquerda tentavam barrar a exibição do documentário sobre o professor Olavo de Carvalho, o Jardim das Aflições.

O pastor aproveitou para mostrar a hipocrisia de artistas como Leandra Leal, que ao mesmo tempo em que faz campanha aberta pela legalização do aborto diz que se importa com as crianças do país ao pedir dinheiro no “Criança Esperança”.

No encerramento do vídeo Feliciano deixou um recado claro: “Estes artistas que defendem a nudez, a tal arte bizarra que de arte não tem nada, é crime mesmo, não merecem o nosso respeito… Deixem as nossas crianças em paz. A nossa família merece respeito”.

Assista:
Fonte:https://noticias.gospelprime.com.br

sábado, 14 de outubro de 2017

Ator cristão denuncia abusos sexuais em Hollywood: "Quero encorajar pessoas desesperadas"

Terry Crews denunciou abusos que ele sofreu de um famoso produtor de Hollywood.

O ator relatou o abuso em sua conta no Twitter. (Foto: Reprodução).
O ator relatou o abuso em sua conta no Twitter. (Foto: Reprodução).
Vários atores conhecidos continuam revelando histórias de abuso sexual protagonizadas pelo produtor de filmes de Hollywood Harvey Weinstein. Dessa vez, o ex-jogador da NFL e ator Terry Crews revelou que ele foi agredido sexualmente na presença de sua esposa, ano passado. Em uma série de tweets, o cristão relatou: "Tudo isso com o Harvey Weinstein está me dando nos nervos. Por que? Porque esse tipo de coisa aconteceu comigo".

Ele continua: "Eu e minha esposa estávamos em um evento de Hollywood no ano passado e um executivo do alto escalão se aproximou de mim e apalpou minhas partes íntimas. Eu dei um pulo e disse: ‘O que você está fazendo?’ Minha esposa viu tudo, nós o olhamos como se ele estivesse louco. Ele apenas sorriu como um idiota", disse Crews.

O ator explicou que queria falar sobre o acontecido anteriormente, mas ele estava preocupado com as consequências de sua reação. “Pensei duas vezes sobre como tudo apareceria. Seria a manchete no dia seguinte”. Apesar de não reagir de imediato, Crews disse que começou a agir nos bastidores ao falar para as pessoas da indústria sobre o que aconteceu com ele.

"Naquela noite e no dia seguinte, falei com todos os que trabalharam com ele sobre o que aconteceu. Ele me chamou no dia seguinte com uma desculpa, mas nunca explicou exatamente porque havia feito aquilo. E eu entendo porque muitas mulheres deixam coisas assim para lá. Quem vai acreditar em você? (Poucos) Quais são as repercussões? (Muitas) Você quer que trabalhar de novo? (Sim) Eu amo o que eu faço. Mas é uma vergonha quando alguém tenta tirar proveito disso", disse ele.

"Aguarde e compare com notícias de outros que foram vitimados. Eu entendo aqueles que permaneceram em silêncio. Mas Harvey Weinstein não é o único. Hollywood não é o único negócio onde isso acontece. Espero que eu venha com minha história para encorajar alguém que se sinta desesperado", terminou.

Declaração importante

Enquanto aplaudiu mulheres que se apresentaram para falar contra o abuso sexual em Hollywood, Dawn Hawkins, diretor executivo do Centro Nacional de Exploração Sexual, disse em uma declaração ao The Christian Post que a voz de Crews era particularmente importante.

"A bravura de Terry Crews para revelar suas experiências é particularmente importante porque a pesquisa mostra que os relatos masculinos de abuso sexual recebem mais desconfiança do que os relatos femininos, e as atitudes sociais geralmente desacreditam os homens. Ao falar, Terry Crews ajuda a dar voz a inúmeros meninos e homens em todo o país que ainda não revelaram suas próprias experiências. É hora de tirar toda a exploração sexual das sombras", disse Hawkins.

Na semana passada, uma investigação do New York Times revelou uma história de alegações de assédio sexual contra Weinstein. Os casos geralmente envolvem ex-funcionários e ocorrem há 30 anos. No domingo à noite, sua empresa de entretenimento o demitiu. Um relatório no New Yorker publicado na última terça-feira também detalhou alegações múltiplas de agressão sexual contra Weinstein, incluindo sexo forçado. Atrizes como Gwyneth Paltrow, Angelina Jolie e outras também se apresentaram para dizer que foram assediadas sexualmente por Weinstein.

"Eu tive uma experiência ruim com Harvey Weinstein na minha juventude e, como resultado, escolhi nunca mais trabalhar com ele", disse Jolie em um e-mail para The New York Times. "Esse comportamento em relação a mulheres em qualquer campo, qualquer país é inaceitável".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Atacante Roger, do Botafogo, dá testemunho: “Glória a Deus, estou curado”

Filha do jogador cantou louvor ao lado do pai ao anunciar cura

por Jarbas Aragão

Resultado de imagem para player
Atacante do Botafogo dá testemunho: “Glória a Deus, estou curado”

Menos de uma semana após ter passado por uma cirurgia para a retirada de um tumor no rim direito, o atacante Roger, do Botafogo, convocou uma coletiva de imprensa. Nesta quarta-feira (11), ele comemorou o resultado da biópsia, que contrariou a possibilidade de ser câncer.

O médico Raphael Rocha, responsável pela operação, explicou: “Evidenciamos um tumor de comportamento benigno. Não faremos nenhum tratamento e a expectativa é que ele esteja curado”.

Roger disse que os últimos dias foram “o momento mais difícil que passou na vida”. “Primeiramente quero agradecer a Deus porque mais uma vez ele mostrou o carinho que tem por todos nós. Doutor, quero agradecer ao senhor, obrigado. Me emociono, pois foi o momento mais difícil da minha vida… Posso dizer que estou curado, e em 30 dias estarei treinando no Botafogo”, avisou.

O atleta disse que todo o processo de detecção da doença foi muito rápido. “Eu tinha jogado domingo. Uma dor ruim do meu lado esquerdo, procurei o médico e quando descobri um tumor no rim. A primeira reação foi de muito choro, de dor até porque não sabíamos como era”, lembrou.

O jogador, que é evangélico, disse ainda que não teve sua fé abalada, mesmo diante da suspeita de câncer: “Vivo a melhor fase da minha vida… Sou um cara privilegiado, tenho uma família linda, sou um atleta de alto nível e seria injusto reclamar com Deus”.

Após a extração do tumor benigno, Roger não precisará fazer quimioterapia e nem radioterapia por ter retirado o tumor ainda em fase inicial.

Nas redes sociais, o atacante publicou um vídeo ao lado da filha Giulia, 11 anos, que é cega de nascença. “Tatá”, como é carinhosamente chamada pela família, cantou parte do louvor “Milagre” de Eyshila. No final, Roger, declarou, emocionado: “Glória a Deus, estou curado”. Com informações de Globo Esporte

Assista:
Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Missionários vão pedalar 200 km para distribuir mil Bíblias no Amapá

O grupo irá percorrer cerca de 200 quilômetros de bicicleta entre Calçoene e Oiapoque para entregar mil Bíblias para os moradores da região.

Os missionários vão enfrentar 200 quilômetros de pedalada. (Foto: Mariana Canto/Pedalando por Bíblias)
Os missionários vão enfrentar 200 quilômetros de pedalada. (Foto: Mariana Canto/Pedalando por Bíblias)
Um grupo de missionários irá percorrer cerca de 200 quilômetros de bicicleta entre Calçoene e Oiapoque para entregar mil Bíblias para os moradores da região, no Amapá.
Entre 11 e 15 de outubro, os missionários pretendem deixar um exemplar em cada casa que não possui nenhuma Bíblia. Os livros que serão distribuídos foram fabricados pela Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), que cobrou apenas o custo de produção.

“Nosso objetivo é levar uma Bíblia para cada casa por onde passamos. Para esse momento, estamos reunido mil exemplares. Nós paramos as pessoas e perguntamos se ela possui uma Bíblia, caso não, a gente faz a entrega gratuitamente”, disse o coordenador do projeto em Calçoene, Fernando Medeiros.

Na primeira etapa do trajeto, o grupo de 10 a 15 voluntários irá pedalar até a comunidade de Carnot, ainda em Calçoene. No dia seguinte, os missionários seguem para Caciporé, em Oiapoque, onde será a segunda parada. O destino final será a sede da cidade fronteiriça.
Além de distribuir as Bíblias, os missionários pretendem ajudar as comunidades onde vão acampar, seja fazendo limpezas e consertos nas casas ou promovendo outras atividades para os moradores.

Objetivo é entregar um exemplar da Bíblia em cada casa. (Foto: Mariana Canto/Pedalando por Bíblias)
A ação faz parte do projeto “Pedalando Por Bíblias” que conta com o apoio da organização Jovens Com Uma Missão (Jocum) e da SBB. Iniciado no Brasil em 1998, a meta é que o trabalho seja realizado até 2050.

A iniciativa foi criada na Austrália, em 1984, com o ciclista Bob Forrest. Na ocasião, ele percorreu 900 quilômetros que separam as cidades de Sydney e Melbourne, na companhia do filho e de um amigo. Até hoje, o “Pedalando Por Bíblias” foi replicado em mais de 20 países.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE G1

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

“Existem cristãos na Coreia do Norte que nunca seguraram uma Bíblia”, diz missionário

Mais de 50 mil Bíblias serão enviadas aos cristãos da Coreia do Norte até o final de 2017, a fim de preencher a grande demanda na nação.

Cristãos orando pelos norte-coreanos em Seul, capital da Coreia do Sul. (Foto: Reuters/Kim Hong-ji)
Cristãos orando pelos norte-coreanos em Seul, capital da Coreia do Sul. (Foto: Reuters/Kim Hong-ji)
Mais de 50 mil Bíblias serão enviadas aos cristãos da Coreia do Norte até o final de 2017 pela organização norte-americana World Help, a fim de preencher a grande demanda na nação.

Segundo o presidente da World Help, Vernon Brewer, ele notou a necessidade de Bíblias na Coreia do Norte quando conversou com missionários do país. “Não há Bíblias o bastante, não importa quantas possamos imprimir e contrabandear para o país. Não há Bíblias suficientes para manter o ritmo da demanda”, disse ele nesta segunda-feira (9) em uma coletiva de imprensa.

“Neste momento, existem cristãos norte-coreanos que nunca sequer seguraram uma Bíblia, muito menos outros materiais cristãos. Eles têm alguns versículos memorizados ou alguns capítulos do Novo Testamento rabiscados em um pedaço de papel, mas eles estão com fome de mais”, acrescentou Brewer.

A World Help lançou uma campanha de doações que pretende financiar o envio de Bíblias aos norte-coreanos. “A igreja clandestina norte-coreana está desesperada pela Palavra de Deus”, destacou. “Ser pego com um exemplar da Bíblia provavelmente leva à cadeia. Mas eles sabem que o risco vale a pena. Eles estão ansiosos para ler as promessas de Deus contidas nas páginas das Escrituras”.

Muitas igrejas domésticas da Coreia do Norte dividem uma única Bíblia entre os membros. Diante disso, Brewer explica que uma doação de US$ 10 (equivalente a R$ 32) pode impactar pelo menos cinco pessoas. As informações sobre o contrabando de Bíblias não foram detalhadas por razões de segurança.

Opressão

O último censo da Coreia do Norte indica que existem 300 mil cristãos no país. No entanto, Brewer ressaltou que o censo é uma estratégia do regime de Kim Jong-un para erradicar os cristãos do país.

“O regime está desesperado para manter um punho de ferro no país”, disse ele. “O aumento de cristãos norte-coreanos que acreditam em um Deus todo-poderoso é mais forte do que o regime, e isso os assusta a ponto de lançarem famílias inteiras em campos de trabalho forçado”.

Acredita-se que cerca de 70 mil cristãos estão presos em campos de trabalho, onde são forçadas a trabalhar longos períodos e são brutalmente torturados. “Um crente pode ser condenado a até 15 anos em um campo de trabalho, apenas para possuir uma Bíblia, cantar um hino ou orar”, disse Brewer.

Embora seja ilegal possuir uma Bíblia ou fazer cultos na Coreia do Norte, Brewer afirma que, por Jesus, vale a pena o risco. “Eu acredito que Deus está desafiando a família World Help e você para responder aos cristãos na Coreia do Norte”, declarou.
FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE THE CHRISTIAN POST

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Cristã tem filha recém nascida degolada por extremistas, no Egito

Azza foi acusada pela polícia local de ter matado a própria filha, após prestar queixa na delegacia.

Azza teve sua filha recém nascida arrancada de seus braços. (Foto: World Watch Monitor).
Azza teve sua filha recém nascida arrancada de seus braços. (Foto: World Watch Monitor).
A polícia egípcia acusou uma mãe cristã do assassinato de seu bebê recém nascido, embora ela diga que a criança tenha sido morta por extremistas que entraram em sua casa e levaram sua filha. Azza Gamal, de 27 anos, estava sozinha em casa com as gêmeas de dois anos, Mariam e Martha, e a filha Mohrael, na noite de 7 de setembro. O marido, Nour Bakhit Khalil, 30, havia saído para visitar sua irmã, que vive nas proximidades. Foi quando a esposa começou a gritar.

A família de Khalil vive em uma casa nos arredores da aldeia de Barba, em Asyut. Eles moram na parte ocidental da aldeia, ao lado de um cemitério cercado de plantas. A casa é pequena, com um andar superior inacabado e um piso térreo que contém uma sala, cozinha, banheiro e dois quartos.

Falando ao World Watch Monitor, Azza explicou que, quando seu marido partiu para visitar sua irmã, ela fechou a porta e só abriu novamente quando ouviu o que ela supunha ser seu marido batendo na porta. Na frente dela, no entanto, estavam três homens com máscaras, usando galabiyas (vestidos) e uma mulher com abya preta (um vestido parecido com uma bata) e niqab (um véu de rosto). Eles a empurraram para dentro e agarraram o bebê de seus braços. Eles então atiraram, gritando "kafirs" (infiéis) e fugiram, levando o bebê com eles.

Ao ouvir sua esposa gritar, Nour correu para casa para ver o que aconteceu e foi informado de que sua filha, Mohrael, havia sido sequestrada. "Eu imediatamente fui à delegacia de polícia para denunciar o sequestro de minha filha", disse ele. "Eles me pediram para buscar a minha esposa e os nossos cartões de identificação e depois voltar para apresentar um relatório. Nenhum deles voltou comigo para investigar o assunto ou procurar minha filha", ressaltou.

Quando Nour chegou de volta à sua casa, recebeu a notícia de que sua filha havia sido encontrada, com a garganta cortada e o corpo dela despejado entre as plantas, a 10 metros de sua casa. Ele voltou para a delegacia de polícia, desta vez com sua esposa, para informar sobre o que tinha visto. A polícia iniciou uma investigação e prometeu que faria o possível para encontrar e prender os extremistas.

"Problemas psicológicos"

No entanto, quatro dias depois, em 11 de setembro, a polícia voltou e atacou a casa. "Os oficiais golpearam minha esposa na cozinha e disseram que ela matou nossa filha e a prendeu", explicou Nour. "Eles alegaram que minha esposa sofre de problemas psicológicos por causa de seu desejo de ter um filho. Somos pessoas simples, não tínhamos inimigos, e não há nenhum problema entre nós e ninguém na aldeia", disse Nour.

Quanto a sua esposa ser acusada do assassinato, Nour chamou isso de "falso e irracional". Ele diz: "Minha esposa é uma mulher muito boa. Ela é uma pessoa religiosa que tem um forte relacionamento com Deus e não pode fazer algo como matar sua filha. Ela e eu ficamos muito felizes quando Deus nos abençoou com essa menina. Mohrael era muito bonita e fofa e um grande presente de Deus para nós”, finalizou.
FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO WORLD WATCH MONITOR

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Cristã cubana dedica a vida a ensinar sobre Deus

Em um vilarejo na região central de Cuba, uma cristã dedicou sua vida para ajudar as pessoas a se aproximarem de Deus


Amarilis* vive no estado de Sancti Spiritus, região central de Cuba. Ela lidera um centro de assistência à infância que fornece ajuda diária e ensino bíblico para crianças entre 1 e 5 anos de idade. Ela se converteu ainda muito jovem e, desde o início, ela tinha um forte sentimento de compromisso com Deus.

Para Amarilis, parecia que crianças de sua idade e até as mais velhas estavam prontas para ouvir suas histórias. Isso a levou a começar um grupo infantil no quintal da frente de sua casa, e contou com o apoio da família.

“Embora minha mãe não fosse cristã, ela sempre me apoiou. Eu me encontrava com esse grupo de crianças todas as sextas-feiras e durante horas falava sobre Deus, lia a Bíblia e nós compartilhávamos nossas histórias. Cada vez mais, crianças se juntavam ao nosso grupo até atingir um total de 40. A maioria delas também ia à igreja comigo todos os domingos”, compartilhou a cristã.

Confirmação do chamado

Isso durou vários anos até que Amarilis sentiu Deus reafirmar a vocação para continuar o trabalho na educação. Ela se tornou professora assistente em uma pré-escola e, aos 14 anos, ministrou seu primeiro curso de treinamento em Educação Cristã. "Eu acho que foi aí então que percebi plenamente que Deus estava me chamando para permanecer no caminho que eu tinha iniciado anos antes”, disse Amarilis a Portas Abertas.

Além de começar a ensinar na escola dominical, ela também continuou liderando o grupo de crianças que criou pela primeira vez em seu quintal muitos anos antes. Além disso, ela iniciou novos grupos em outras vilas da sua região.

*Nome alterado por motivo de segurança.

Pedidos de oração

· Louve a Deus pela vida e testemunho de Amarilis.

· Ore pela nação cubana, pelos cristãos do país e para que o evangelho se propague ali.

· Interceda pelos colaboradores da Portas Abertas que estão no campo. Peça a Deus que lhes dê força e os proteja.

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

domingo, 8 de outubro de 2017

Roberto de Lucena propõe moção de repúdio contra o MAM: "Luta por nossas famílias"

O deputado afirma que é preciso refletir sobre o filtro de idades para equipamentos de cultura.

Roberto é conhecido por apoiar a luta contra a pedofilia. (Foto: Reprodução).
Roberto é conhecido por apoiar a luta contra a pedofilia. (Foto: Reprodução).
O pastor e deputado federal Roberto de Lucena, conhecido por apoiar a luta contra a pedofilia, se pronunciou sobre o caso onde uma garotinha de seis anos não apenas observou, mas interagiu com um homem totalmente nu no Museu de Arte Moderna (MAM), no Ibirapuera, Zona Sul de São Paulo.

Em sua fanpage oficial, ele publicou: “Propus à Câmara dos Deputados uma moção de repúdio à toda forma de expressão que possa expor as crianças à erotização”.

Ele continua: “O episódio recente do MAM - para o qual também protocolei uma representação para que o Ministério Público Federal acompanhe e tome providências - traz a tona uma série de questões que não estão restritas aos museus e sim estão dentro de nossas casas através da televisão e da música”.

O deputado ainda afirma que é preciso refletir sobre o filtro de idades para determinados tipos de exposição. “Precisamos com urgência repensar a questão da classificação etária na cultura e no entretenimento. Da mesma forma, continuo ressaltando que este debate deve ser nos limites do respeito às diferenças e nas formas legais e civilizadas”.

Uma luta pelas famílias

“Não concordo com a violência verbal expressa nas redes sociais e menos ainda com a violência física pela qual os funcionários do museu passaram. Precisamos construir uma agenda positiva para nossas crianças e eu estou nessa luta por nossas famílias e pelo futuro do nosso país”, ressaltou o parlamentar.

FONTE: GUIAME

sábado, 7 de outubro de 2017

Islã é a religião oficial de 27 países; cristianismo em 13

Levantamento prevê que população islâmica ultrapassará a cristã em 2070
por Jarbas Aragão

Islã é a religião oficial de 27 países; cristianismo em 13

O novo levantamento realizado pelo Centro de Pesquisas Pew, sediado em Washington, indica que mais de um em cada cinco países tem uma religião oficial, 43 no total. A maioria, 27, é islâmica. O cristianismo é a religião oficial em 13.

Segundo a pesquisa, 53% dos países não têm religião oficial ou preferida e quatro são francamente hostis à religião (China, Cuba, Coreia do Norte e Vietnã).

A maioria das nações que tem o islã como religião oficial estão no Oriente Médio e no Norte da África. Há dois budistas (Butão e Camboja) e um Estado oficialmente judeu (Israel). Nenhum país tem no hinduísmo sua religião oficial.

Os pesquisadores do Pew explicam que: “Em alguns casos, religiões oficiais têm papéis que são amplamente simbólicos. Mas, muitas vezes, a distinção vem com vantagens tangíveis em termos legais ou fiscais, apropriação imobiliária do Estado ou de outras propriedades, e acesso à apoio financeiro pelo Estado. Além disso, países com religiões estabelecidas tendem a regular mais severamente práticas religiosas, incluindo restrições de local ou banindo grupos de minorias religiosas”.

O cristianismo tem a vantagem de ser “favorecido” em 28 países dos 40 que possuem uma crença preferencial. Mais da metade do total provê fundos ou recursos para programas de educação religiosa que beneficiam a crença em questão, e um terço provê recursos para estabelecimentos religiosos.

Segundo as previsões do Pew, o número de muçulmanos será superior ao dos cristãos até 2070, quando cada uma terá cerca de 32 por cento da população mundial. Com informações Daily Mail

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Feliciano denuncia “arte” que profana símbolos sagrados

Deputado é autor de projeto que proíbe a prática

por Jarbas Aragão

Feliciano denuncia "arte" que profana símbolos sagrados

O deputado federal Marco Feliciano (PSC/SP) está denunciando a performance do artista visual Antonio Obá, que pode ser premiado com R$ 130 mil e uma residência artística na Residency Unlimited, em Nova York.

Sua performance, Atos da Transfiguração: Desaparição ou Receita para Fazer um Santo, na verdade é a destruição de uma imagem sacra em nome da arte.

“Isso não é arte, é crime”, alertou Marco Feliciano no vídeo, citando o artigo 208 do Código Penal Brasileiro, que versa sobre o “vilipêndio de objeto de culto religioso”.

Lembrando que Obá já havia feito algo similar na exibição do QueerMuseu em Porto Alegre, onde colocou várias hóstias em uma mala, tendo escrito sobre elas palavras como “vagina”.

Feliciano acredita que, se fosse um pastor destruindo uma imagem de Nossa Senhora e postando o vídeo, estaria preso, pois a Igreja Católica teria “se levantado contra”. O parlamentar questionou em seu alerta que é preciso que os cristãos do país se manifestem contrários à violência contra símbolos religiosos, algo que parece estar se tornando cada vez mais comum no país.

O pastor Marco é autor do Projeto de Lei 8.615/2017, que proíbe a “profanação de símbolos sagrados”. A proposta dele impede que TV, cinema, DVD e jogos eletrônicos e de interpretação como RPG, por exemplo, promovam o aberto desrespeito a símbolos religiosos. O projeto modifica o artigo 74 da Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990.

O PL está neste momento na Coordenação de Comissões e Permanentes e deve ser encaminhando para tramitação, antes de ser levado ao plenário da Câmara dos Deputados.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

"Nem a guerra, nem o comunismo podem me separar de Deus", diz pastor ex-guerrilheiro

Rubén foi recrutado aos sete anos pela guerrilha e se tornou uma criança violenta.

Imagem ilustrativa. Rubén mudou de uma criança violenta e rude para um pastor perseguido. (Foto: Reprodução).
Imagem ilustrativa. Rubén mudou de uma criança violenta e rude para um pastor perseguido. (Foto: Reprodução).
Desde a infância, Rubén aprendeu a lidar com armas, guerra e morte. Ele nunca imaginou que, anos depois, os planos de Deus para sua vida o levariam a deixar o crime para iniciar uma jornada pastoral e hoje evangelizar não-crentes.

Ele foi uma criança pobre na zona rural da Colômbia, vivendo com uma família sem Deus, pobreza e muita fome. Por estas razões se juntou às guerrilhas. Os criminosos entendem as crianças como pequenos combatentes que obedecem fielmente em troca de comida, dinheiro, proteção e inclusão. "Você vai às guerrilhas pois parece ser a única opção", disse ele.

"Você quer o respeito das pessoas, e é por isso que é fácil ser enganado com armas e uniformes. Você não percebe o engano até que seja tarde demais". O treinamento é difícil. Rubén tinha apenas 7 anos quando recebeu suas primeiras provas. Ele teve que fazer longas caminhadas pela selva, passar dias inteiros sem comida e enfrentava pressão constante.

Rubén se tornou uma criança violenta e rude. "A maioria das pessoas que sofrem experiências traumáticas e violentas se transformam em perpetradores", disse a especialista em trauma Agustina Mantilla. "Isto é ainda mais provável se as experiências forem na infância".

Líder de guerrilha

Aos 10 anos ele era conhecido por ser agressivo. Esta característica o fez digno de posições de liderança dentro da guerrilha. Ele comandava mais de 80 homens armados. Mas, em momentos de silêncio, Rubén lembrava de sua vida antes da guerra. Quando seu avô o levava à igreja e ensinava sobre Jesus e a Bíblia.

Com 12 anos, Rubén foi enviado para fazer trabalhos de inteligência em uma cidade próxima. Ele tinha de extrair informações do exército para planejar futuros ataques. Trabalhava como camponês durante o dia e como espião a noite. Ele trabalhava em uma fazenda onde havia um grupo de pastores que adoravam a Deus juntos. "Isso me mostrou que nem todas as pessoas eram ruins", disse.

Início da transformação

Foi então quando Rubén começou a frequentar os cultos. Sua curiosidade em saber sobre Deus começou a crescer quando ele percebeu que Deus cuida dos pobres. Ele decidiu memorizar o Salmo 41: 1 que diz: "Bem-aventurado aquele que pensa no pobre, no dia mal o Senhor o livrará". Durante esses dias, os guerrilheiros tinham planos de sequestrar um dos homens mais ricos da região. Com um nó em sua garganta, Rubén concordou em participar.

Chegou o dia do sequestro. O plano foi realizado como esperado, mas de repente o grupo foi cercado por tiros. Um dos companheiros de Rubén foi baleado e morto. Ele tentou fugir, mas não teve êxito. Um por um, Rubén e seus companheiros foram colocados de joelhos. O exército conseguiu resgatar o homem rico. "Naquele momento, eu sabia que eles iriam me matar", disse Rubén. "Eu fui o último na fila e não entendi bem o que aconteceu, mas sabia que ia morrer." No meio de sua angústia, Rubén lembrou as palavras do Salmo 41: 1. Ele olhou para o céu e se entregou ao seu destino.

De repente, um novo tiroteio e os soldados do exército foram confrontados por um grande grupo de guerrilha. Rubén fugiu e foi resgatado por seus companheiros. Ele sabia que Deus o salvara. Lágrimas derramaram em seus olhos. Ele estava ferido e coberto de sangue, mas sabia naquele momento que Deus o amava e aceitou. "Eu nunca senti nada assim antes. Meus companheiros me disseram que eu tinha sido salvo pela revolução, mas sabia que Deus me salvara porque Ele me ama e quer algo diferente para mim".

Perseguido

A vida de Rubén mudou radicalmente naquele momento. Tudo o que ele acreditava desapareceu. Os ideais da revolução, o ódio contra os ricos, o uso de armas e violência. Tudo isso pareceu como um vazio sem sentido. O amor de Deus o havia mudado. Ele decidiu entregar sua vida a Cristo e começar a se reunir com outros cristãos.

Aos 13 anos, a história de Rubén tomou um novo rumo. Após sua conversão, ele renunciou completamente à guerrilha e, a partir de então começou a ser perseguido. "Trabalhei na inteligência e tinha muita informação sobre eles. Por esse motivo, eles não podiam me deixar sair facilmente. Desde o dia da minha conversão, eles queriam me matar", lembrou.

Aos 15 anos, ele se tornou pastor. Começou a pregar o Evangelho da paz e da reconciliação. Os discursos de ódio e raiva foram deixados para trás. Aqueles dias acabaram "como as águas que já passaram", diz Rubén. Os seus cultos são atendido por pessoas de várias idades e origens.

FONTE: PORTAL GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO PORTAS ABERTAS USA