sexta-feira, 29 de maio de 2020

Damares Alves diz que “a Igreja será vista de outra forma” por ajuda durante pandemia

Segundo ministra, sociedade verá instituição religiosa de outra forma depois do fim da Covid-19.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CORREIO DO POVO

Ministra foi uma das convidadas do terceiro encontro da 1ª Jornada Virtual de Estudos em Direito e Religião. (Foto: Reprodução / CP)

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, foi uma das convidadas do terceiro encontro da 1ª Jornada Virtual de Estudos em Direito e Religião.

O webinário, promovido pelo Instituto Brasileiro de Direito e Religião (IBDR), discute semanalmente comportamento humano observado diante da Covid-19. O tema do evento desta vez foi “A vocação social da Igreja Cristã em tempos de pandemia”.

Damares afirmou que o cenário no país seria ainda mais crítico se não fosse pela atuação da Igreja junto ao Estado durante a crise do novo coronavírus. “Como ministra, lidero ações voltadas aos vulneráveis. Depois da pandemia, a sociedade vai nos olhar como Igreja de outra forma”, diz ela, também pastora.

Segundo a ministra, deputados federais e senadores que defendem a taxação de impostos a entidades evangélicas e católicas na dentro da reforma tributária “irão repensar algumas práticas no Congresso Nacional”. “Essa pandemia veio para derrubar a ideia de que Estado, mesmo laico, e Igreja não podem trabalhar juntos”, reiterou.

Repatriação

Como exemplo, Damares falou sobre a repatriação de brasileiros que não conseguiam voltar do exterior em virtude das dificuldades motivadas pela Covid-19. “Nossos aviões não podiam buscá-los porque aeroportos estavam fechados. Eles teriam que dormir na rua. Não podiam ficar nem em hotéis. Contatamos filiais das igrejas nos países, que abrigaram nossos brasileiros. Trouxemos 21 mil pessoas”, lembrou.

A ministra citou, ainda, que instituições religiosas socorreram pessoas que moram no interior do Brasil e não têm agências bancárias em suas cidades a fim de receberem o auxílio emergência de R$ 600 destinados pelo governo federal. “Embarcações de igrejas cristãs serviram como bancos em locais que o acesso é por rio em que municípios maiores fecharam suas entradas”, contou.

Segundo a ministra, o Brasil deverá rever as políticas públicas na área social pós-pandemia. “Nem o cadastro dos mais de 2,5 mil abrigos de idosos do país o governo federal tinha”, revelou.

Ela garante que “denominações religiosas que não serão reveladas” fornecem alimentos e equipamentos a lares de idosos e abrigos de crianças “em silêncio”. Damares defendeu a liberdade religiosa e a manutenção da igreja como serviço essencial durante a pandemia.

O quarto e último webinário será em 2 de junho.

terça-feira, 26 de maio de 2020

Secretário de Estado dos EUA diz que lê a Bíblia todas as manhãs: “O Senhor me capacita”

Mike Pompeo diz que mantém uma Bíblia aberta em sua mesa e tenta dedicar um pouco de tempo às Escrituras todas as manhãs.


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, em reunião com o ministro Ernesto Araújo. 
(Foto: Ministério das Relações Exteriores do Brasil)

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, revelou que lê dois livros todas as manhãs — a Bíblia e o relatório da inteligência americana. Em entrevista ao pastor Greg Laurie, ele afirma que não é fácil justapor os dois.

“Consigo sintetizá-los, sabendo que o Senhor me dá capacidade de trabalhar, de ser diligente”, disse Pompeo em entrevista exibida no domingo (24). “Espero que Ele me dê sabedoria e perseverança para enfrentar esses desafios de forma que proteja o povo americano”.

Ler a Bíblia todos os dias “me lembra que o Senhor está olhando para este mundo, que o Senhor está nos observando”, destaca Pompeo.

O secretário de Estado dos EUA disse ainda que quando está estressado ou se preparando para uma reunião, ele confia que Deus está vigiando todos na sala.

Em discurso na Conferência Mundial da Associação Americana de Conselheiros Cristãos, em outubro do ano passado, Pompeo disse que se baseia na “sabedoria de Deus” para ajudá-lo em seu trabalho no governo.

“Mesmo tendo acabado de dizer isso, eu sei que algumas pessoas da mídia vão começar a criticar quando ouvirem que peço orientação a Deus em meu trabalho”, disse Pompeo.

“Mas vocês devem saber, por mais que eu queira reivindicar originalidade, que não é uma ideia nova. Adoro esta citação do ex-presidente [Abraham] Lincoln. Ele disse, citação: ‘Eu me ajoelhei muitas vezes pela convicção irresistível de que eu não tinha mais para onde ir’”, acrescentou.

Pompeo, que foi diretor da Agência Central de Inteligência (CIA) entre 2017 e 2018, disse que aprendeu a não ser apenas um líder, mas ser um “líder cristão” — algo que ele aprendeu com sua “experiência com Deus” e “fé pessoal em Cristo”.

“As Escrituras nos chamam a sermos ‘transformados pela renovação das nossas mentes’. Eu preciso que minha mente seja renovada com a verdade todos os dias. E parte dessa verdade, como meu filho me lembra, é ser humilde. Provérbios diz: ‘Com o humilde está a sabedoria’”, disse.

O ex-diretor da CIA disse aos conselheiros que eles precisavam se lembrar que são “servos imperfeitos servindo a um Deus perfeito, que constantemente nos perdoa todos os dias”.

“Ele continua nos usando para fazer um trabalho superior”, afirmou Pompeo. “E meu trabalho no Departamento de Estado, assim como para aqueles que trabalham ao meu lado, é servir a América todos os dias”.

sábado, 23 de maio de 2020