terça-feira, 25 de julho de 2017

Jogadores cristãos se destacam na Ucrânia com testemunhos

Um dos casos é de Diogo Rincón, que já jogou no Internacional e Corinthians

por Tiago Abreu

Jogadores cristãos se destacam na Ucrânia com testemunhos
Willy Rangel, por meio da Junta de Missões Mundiais, divulgou o destaque que jogadores cristãos tem alcançado na Ucrânia, tanto por parte da imprensa local, quanto ao público.

Um dos casos é Diogo Rincon, ex-atleta do Internacional e do Corinthians, e que trabalhou por cinco anos (de 2002 a 2007) no Dínamo de Kiev. Em recente visita ao país com atletas brasileiros, falou de seu testemunho com a fé cristã.

Sua visita, de acordo com Rangel, fez parte de um projeto missionário desenvolvido por dois missionários ucranianos chamados Anatoliy Shmilikhovskyy e Lyubomyr Matveyev. De acordo com Willy, a ideia existia há anos, mas ganhou execução em 2017.

“Recebemos um time de cristãos, ex-jogadores profissionais de futebol e alguns que ainda estão jogando. Se eu falar que o trabalho deles aqui na Ucrânia foi impactante, é dizer nada”, disse o missionário que, em seguida, falou do impacto.

“Através desse projeto Deus mexeu com as igrejas locais, impactou a liderança evangélica nacional e abriu portas até então totalmente fechadas para a pregação do Evangelho”, acrescentou.

Na viagem, Diogo teve sua atenção concorrida por vários veículos de comunicação. A sua história com o cristianismo gerou interesse e destaque em reportagens veiculadas pelo país, desde as manchetes e conteúdos dos textos.

Um dos missionários explica. “O auge foi quando a Federação de Futebol da Ucrânia convidou o time brasileiro, e Diogo teve a palavra. Na presença do vice-presidente e dos meios de comunicação, pela primeira vez naquele local foi feita uma oração pública”, contou Anatoly.

“Eu fui impactado quando vi todo mundo abraçado no ‘santo dos santos’ do futebol ucraniano orando e pedindo ao nosso bom Deus por sua misericórdia e pela graça de Cristo”, afirmou.

Além da relação com a imprensa, clínicas de futebol foram produzidas para o público infantil nas cidades de Irpin e Lviv. As clínicas foram dividas em duas partes. Em uma, as atividades práticas e, em outra, a prática e ensinamento de questões cristãs.

“Foi muito marcante o jogo em um presídio. Embora o nível de futebol dos presos fosse bem simples, o testemunho do Diogo foi muito marcante. Depois disso, Deus abriu a porta de cinco penitenciárias para futura pregação do Evangelho”, diz Anatoliy.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Casas de recuperação cristãs podem ser proibidas de evangelizar dependentes químicos

Para serem consideradas 'estabelecimentos de saúde', as comunidades terapêuticas teriam que banir a religião do ambiente de tratamento.

Especialistas se reúnem no I Seminário Internacional sobre Drogas, no Paiuí. (Foto: Opinião Crítica)



Diversos líderes e representantes de comunidades terapêuticas do Brasil e de outros países estiveram reunidos nos últimos dias 20 e 21 (quinta e sexta-feira) em razão do 'I Seminário Internacional sobre Drogas' e decidiram assinar um documento em formato de carta pública, repudiando a conduta do Conselho Federal de Psicologia (CFP) com relação às casas de recuperação (sendo a maioria delas, cristãs).

O fato é que o Conselho Federal de Psicologia está tentando impedir que as comunidades terapêuticas ligadas a alguma entidade religiosa compartilhem seus princípios de fé com os internos.

A proposta da nota de repúdio à medida do Conselho veio da psicóloga paranaense Marisa Lobo, que participou do Encontro e também é uma das coordenadoras da campanha nacional "Maconha Não" - que combate a legalização da maconha e outros tipos de drogas ilícitas no Brasil.

Marisa, que chegou a ter o seu registro profissional cassado pelo Conselho Estadual de Psicologia do Paraná, mas conseguiu recuperá-lo mediante decisão judicial, afirmou que realmente existe uma atitude preconceituosa notável por parte do Conselho Federal de Psicologia contra as comunidades terapêuticas e grande parte deste tipo de conduta se dá pelo fato destas casas estarem ligadas a alguma religião.

"O Conselho persegue mesmo [essas comunidades] por serem cristãs. A última do Conselho agora é querer proibir que as comunidades terapêuticas falem de religião dentro delas. Isso é preconceito porque acham que comunidades terapêuticas só falam de religião. Mas não é isso. Existe sim, um programa terapêutico bem estruturado", afirmou Marisa com exclusividade ao Guiame.

No evento, a psicóloga propôs aos participantes que a nota de repúdio fosse produzida.
Marisa teve o apoio do presidente da Federação das Comunidades Terapêuticas Evangélicas do Brasil, pastor Wellington Soares. Ele também condenou a postura do Conselho Federal.

"Vamos apoiar e assinar essa carta de repúdio ao Conselho Federal de Psicologia contra o preconceito e a discriminação contra as comunidades", disse o presidente da Federação.
Segundo Soares, a conduta do Conselho de Psicologia só vem comprar o retrocesso na política de combate às drogas e no tratamento aos dependentes químicos.

"Em 2011 teve um avanço, mas está havendo um retrocesso por causa da vaidade de governos", destacou o pastor.

Ele ressaltou que o Piauí é um "berço" de ideias para mudar conceitos e valores nesta área. O pastor informou ainda que o Seminário Internacional sobre Drogas tem como objetivo sensibilizar os governos federal, estaduais sobre a possibilidade de buscar nas comunidades terapêuticas uma ferramenta para tratar a dependência química.


Confira abaixo a nota na íntegra, divulgada e assinada pelos líderes de comunidades terapêuticas:

NOTA DE REPÚDIO AO CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA SOBRE SUA POSIÇÃO CONTRÁRIA AS COMUNIDADES TERAPÊUTICAS

Na ocasião do I Seminário Internacional sobre Drogas (SISDPI), realizado no Piauí nos dias 20 e 21 de julho, no auditório do Centro de Formação dos profissionais da Educação Antonino Freire, e realizado pela Casa do Oleiro e Celebrating Freedom (centros de recuperação), com o apoio do Governo do Piauí, através da Secretaria de Justiça, Coordenadoria de Enfrentamento às Drogas, Universidade Aberta do Piauí, Centro de Formação dos Profissionais da Educação Antonino Freire, Ordem dos Advogados do Piauí (OAB-PI), Conselho Estadual de Políticas sobre drogas, Associação dos Servidores da Educação Básica do Estado do Piauí, Associação de Conselheiros e ex-conselheiros tutelares do Estado do Piauí, Instituto Superior de Educação Programus e a Fundation for a Drug Free Word, as entidades representativas e profissionais abaixo relacionados vêm a público manifestar seu REPÚDIO ao CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA (CFP) devido sua militância contrária as práticas das chamadas Comunidades Terapêuticas (CTs).

Entendemos que além de não representar o entendimento acadêmico e interesses de toda categoria profissional de psicólogos no Brasil, ao se manifestar em nota sobre assuntos que são, também, de natureza política, o CFP viola sua competência legal autárquica de Conselho Profissional no que tange à regulamentação e fiscalização do exercício legal da profissão de psicólogo(a), assumindo o papel de órgão militante típico de classes profissionais, sindicatos e organizações não governamentais (ONGs), o que não é da sua seara. Isso por si só é um ponto crucial que, infelizmente, devido aos anos de entrelaçamento com ações semelhantes, passa despercebido aos olhos de muitos.

“Os conselhos profissionais não são entidades sindicais ou associativas que representam perante a sociedade os interesses de seus filiados ou associados. O dever legal dos conselhos profissionais é o de zelar pelo interesse público, efetuando, para tanto, nos respectivos campos profissionais, a supervisão qualitativa, técnica e ética do exercício das profissões liberais, na conformidade da lei. (COSTA; VALENTE, 2008, p. 8). ...Conselhos exercem nos respectivos campos de atuação o poder de polícia das profissões, zelando pela integridade e disciplina profissional em favor do interesse geral da sociedade”(1).

No entanto, embora exista na sociedade uma demanda urgente pelo enfrentamento da dependência química, tendo como referência o Relatório da 4ª Inspeção Nacional de Direitos Humanos(5) publicado em 28 de novembro de 2011, o CFP resolveu ingressar na militância contrário aos interesses da sociedade, que é de enfrentar e vencer o impacto social causado pelo uso abusivo de drogas no Brasil. Para tanto, a sociedade não apenas tem apoiado como financiado modelos de intervenção das Comunidades Terapêuticas, motivo pelo qual o número delas tem crescido face aos relatos de maior sucesso no tratamento das “dependências”.

Alegando, entretanto, a defesa dos “direitos humanos” e violação dos princípios da “Reforma Psiquiátrica” com base num relatório que investigou apenas 68 instituições das 1.963 existentes no país (IPEA)(2), o CFP publicou em 18/03/2015 uma matéria(3) posicionando-se contrário à proposta de regulamentação das Comunidades Terapêuticas, em reunião do Conselho Nacional de Saúde (CNS) realizada nos dias 12 e 13 de março daquele ano. Posteriormente, em 03/06/2015, o CFP publicou outra matéria(4) informando a elaboração e entrega de um documento expressando mais uma vez seu posicionamento contrário as CTs.

Ora, é preciso deixar claro que nos posicionamos em favor da absoluta maioria das Comunidades Terapêuticas, que diferentemente do que alega o CFP de forma generalizada e por vezes preconceituosa, não violam direitos humanos e não contrariam os princípios da Reforma Psiquiátrica. Não compactuamos com quaisquer violações de direitos, todavia, entendemos que “direitos humanos” pode ser, também, um conceito interpretado de forma equivocada ou, no mínimo, tendenciosa, querendo fazer prevalecer determinadas ideologias que desprezam o real sofrimento humano.

Entendemos que os métodos de tratamento utilizados na maioria das Comunidades Terapêuticas, especialmente no que diz respeito ao uso de elementos religiosos e a laborterapia, bem como na transmissão de conhecimentos de ex-acolhidos e disposição hierárquica dos mesmos, consoante ao avanço no tratamento, são todos de caráter voluntário e dispositivos válidos de grande importância, pois fazem parte da constituição de sentido de todo sujeito que vive numa comunidade.

Entendemos que direitos humanos foram criados para dar aos humanos o direito, por exemplo, da liberdade, sendo como eles próprios entendem, humanos de direitos, e não pessoas enquadradas num corpo teórico de leis artificiais que não traduzem no seu modo de vida prático suas grandes necessidades. O que observamos, todavia, é que o discurso sobre “direitos humanos” tem sido utilizado por alguns como dispositivo ideológico para determinar, para o outro, o que seriam essas necessidades, ao invés de lhe oferecer meios para que por si mesmo possa encontrá-las e compreendê-las.

Ao dar a oportunidade para que o sujeito aceite e se submeta ao “tratamento” em uma Comunidade Terapêutica, compreende-se que este é livre para tomar essa decisão, motivo pelo qual entendemos não haver violação de direitos ao serem aplicadas regras que visam o funcionamento da casa e sucesso em sua metodologia, desde que se mantenha respeitado, também, o direito do “usuário” de abandonar o tratamento caso ache necessário.

Dessa forma, pensamos também com respaldo de vasta fundamentação acadêmica, que o incentivo da fé, por exemplo, não implica substituir uma dependência por outra. Tal afirmação é risória e destituída de profundo conhecimento quanto à natureza do sentimento religioso que acompanha, não por acaso, a humanidade desde os primórdios, constituindo grande parte do universo de significado humano, o que alguns chamam simplesmente de Ética. Tal concepção reducionista é artificial e desconectada da realidade, visto que desconsidera o testemunho dos ex-dependentes alegando, isto sim, liberdade, perspectiva de vida, esperança e felicidade, ao invés não prisão.

Quanto à divergência e pluralidade dos métodos, entendemos que apesar de haver a necessidade de regulamentação e fiscalização de questões básicas, as Comunidades Terapêuticas possuem uma metodologia que se caracterizam como “alternativas” e, portanto, não devem ser tratadas como instituições pautadas pelos métodos comuns de intervenção, visto que é justamente pelo desenvolvimento da própria metodologia que as CTs se diferenciam das unidades convencionais de saúde.

Dessa forma, compreendemos também que os princípios da Reforma Psiquiátrica não devem ser tratados como dogmas, criando uma espécie de legalismo institucional que visa enquadrar todos os métodos a um modelo “X” de saúde. Se isso não for observado, corremos o risco de enrijecer o conhecimento, inibindo também o que se mostra eficaz ao invés apenas dos equívocos e reais violações, fazendo surgir um novo modelo manicomial, com nova roupagem, de muros invisíveis e regido pela burocracia.

Isto posto, repudiamos o posicionamento do Conselho Federal de Psicologia contrário às Comunidades Terapêuticas de forma indiscriminada, por entender que despreza a legitimação das boas instituições, competentes e comprovadamente apoiadas pela própria sociedade e experiências positivas das pessoas que fazem uso desse modelo, o que significa o abandono da sua função enquanto órgão voltado para o interesse popular.

Assim, assinamos:

Feteb
Fecontepi -
Casa do oleiro 
Celebrating Freedom
Foundation For a Drug Free World
Branch Hause
Cendrogas
CEPD PI
Assebepi
Youth for Human Rights International

Sérgio Harfouche
Marisa Lobo Franco Ferreira Alves
Sâmio Falcão Mendes
Carlos Augusto
Roger Howard Morrell
Rita Lemos R. Leite
Andréia Valéria da R. Cavalcanti
Lance Godsey
Witson Marcelo R. da Silva
Cesar Augusto Bances Arbanil
José de Ribamar Dias Carneiro
Genival Silva Ibiapina
Silvânia Leal
Isaque Folha
Maria José Sales
José Gouveia de Oliveira
Maria Lila Castro de Carvalho
Lisiane Santos da Mota
Debora Oliveira
Elilian Basílio e Silva


REFERÊNCIAS:

(1) http://www2.camara.leg.br/a-camara/documentos-e-pesquisa/estudos-e-notas-tecnicas/areas-da-conle/tema1/2008-14144.pdf

(2)http://ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/nota_tecnica/20170418_nt21.pdf

(3)http://site.cfp.org.br/cfp-e-cfess-se-mostram-contrarios-as-comunidades-terapeuticas/

(4)http://site.cfp.org.br/cfp-se-manifesta-contrariamente-a-resolucao-que-regulamenta-funcionamento-de-comunidades-terapeuticas/

(5)http://www.global.org.br/blog/lancamento-de-relatorio-de-inspecao-em-68-comunidades-terapeuticas-revela-violacoes-de-direitos-humanos/

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CIDADE VERDE

sábado, 22 de julho de 2017

Jogador recusa contrato de R$ 166 milhões para obedecer a Deus: “Confio no Senhor”

Kirk Cousins se recusou a ser o segundo jogador mais bem pago por média na história da NFL para seguir uma direção de Deus.

Kirk Cousins atua na equipe Washington Redskins na Liga Nacional de Futebol Americano. (Foto: Reprodução)
Kirk Cousins atua na equipe Washington Redskins na Liga Nacional de Futebol Americano. (Foto: Reprodução)
O atleta Kirk Cousins teve a oportunidade de ser o segundo jogador mais bem pago por média na história da NFL (Liga Nacional de Futebol Americano), mas se recusou para seguir uma direção de Deus.

Dirigentes da equipe Washington Redskins ofereceram US$ 53 milhões (equivalentes a mais de R$ 166 milhões) e garantiram um total de US$ 72 milhões para cobrir as lesões.

Enquanto a maioria das pessoas aceitaria prontamente uma oferta como essa, Cousins decidiu seguir uma direção que foi conduzida por Deus.

“Minha fé está dirigindo esta decisão”, disse Cousins à CBS Sports. “Eu sinto que Deus está me levando a tomar esta decisão e está me dando paz”

Tomar uma decisão com base na orientação de Deus não é novidade para Cousins, que acredita que não estaria na NFL sem a ajuda divina.

“Ele me trouxe para Washington (capital dos Estados Unidos). Ele tinha um plano para mim”, afirmou Cousins à CBS Sports.

“Eu não sabia seria futebol ou outra coisa, mas Ele me colocou em Washington por uma razão. Acredito que, com todo o meu coração, eu fiquei contente em ser paciente, dar um tempo para ter certeza e continuar esperando no Senhor”, acrescentou.

Cousins ​​também contradisse os opositores que questionaram sua decisão, afirmando que Deus foi decisivo em seu passado e continuará influenciando o seu futuro.
“[Deus] revelou que Ele fez muito mais em minhas cinco temporadas aqui em Washington do que eu pensaria que fizesse”, contou o jogador.

“Aqui eu sento e as pessoas estão dizendo: ‘Parece que ele está num beco sem saída. Depois deste ano, o que vai acontecer com o Kirk?’ Eu diria a mesma resposta: ‘Estou confiando no Senhor’”, afirmou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE DESERET NEWS

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Adolescente é preso por falar de Jesus a um amigo, no Paquistão

Shahzad Masih, de 16 anos, recebeu a sentença de prisão por "blasfemar" contra Maomé ao conversar sobre sua fé cristã com um amigo muçulmano.

Uma das vítimas mais conhecidas, que firam acusadas de blasfêmia, é Asia Bibi. (Foto: Reuters).
Uma das vítimas mais conhecidas, que firam acusadas de blasfêmia, é Asia Bibi. (Foto: Reuters).
Um menino paquistanês foi acusado de blasfêmia por falar com um colega sobre Jesus, de acordo com o site cristão World Watch Monitor. Shahzad Masih, de 16 anos, que trabalha como limpador hospitalar na cidade de Dinga, foi preso na semana passada depois que seu amigo o acusou de insultar Maomé.

O colega Ishtiaq Ahmed Jalali é membro do Tehreek-e-Tahfuz-e-Islam Pakistan, uma organização islâmica dedicada a Maomé. De acordo com o pai de Masih, surgiu uma discussão entre eles. "Meu filho havia dito que seguimos a Jesus e, em seguida, uma discussão foi formada, até o momento em que um médico interveio e os acalmou", disse ele.

No entanto, outro homem, Nadeem Ahmed, denunciou Masih à polícia e ele foi preso por blasfêmia. Um líder do Tehreek-e-Tahfuz-e-Islam no Paquistão disse a uma emissora de TV no dia seguinte: "Se o menino que cometeu a blasfêmia for absolvido da acusação, cada membro da nossa organização irá atacá-lo", alertou.

O ex-parlamentário do Punjab, Tahir Naveed Chaudhry, líder do maior partido político cristão, disse ao World Watch Monitor que ele investigou pessoalmente o assunto e descobriu que o argumento inicial era sobre as tentativas do colega de Shahzad Masih de convertê-lo ao Islã.

"Quando nosso povo tenta se defender e defender nossa fé, muitas vezes acabamos envolvidos com problemas e, posteriormente, esses casos são apresentados", disse ele. As leis de blasfêmia do Paquistão atraíram a condenação internacional. Essa legislação é frequentemente usada para estabelecer normas contra as minorias religiosas. Uma das vítimas mais conhecidas é Asia Bibi, que está no corredor da morte há muitos anos.

O caso de Bibi
Asia Bibi foi presa pela primeira vez em 2009, sendo condenada à morte em novembro do ano seguinte por supostamente ter blasfemado contra o profeta Maomé, durante uma discussão com colegas de trabalho em uma lavoura, no Paquistão.

Depois que seus colegas se recusaram a beber no mesmo copo usado por Bibi, simplesmente pelo fato dela ser cristã e, portanto, considerada "impura", ela teria respondido: "Eu acredito em Jesus Cristo, que morreu na cruz pelos pecados da humanidade. O que o seu Profeta Maomé já fez para salvar a humanidade?".

Posteriormente ela foi levada à presença de um juiz e condenada por blasfêmia - acusação essa que ela tem consistentemente negado.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Ex-jogadores brasileiros evangelizam presidiários na Ucrânia: "Deus abriu portas"

A visita dos ex-atletas fez com que novas portas fossem abertas para evangelismo e missões no país.

A mídia local da Ucrânia destacou o testemunho de vida do ex-jogador Diogo Rincón. (Foto: Reprodução).
A mídia local da Ucrânia destacou o testemunho de vida do ex-jogador Diogo Rincón. (Foto: Reprodução).
O país do futebol já exportou muitos jogadores para outras nações, dentre elas a Ucrânia. São vários os atletas que deixaram o Brasil para atuar na região da Europa Oriental. É o exemplo de Diogo Rincón, que jogou de 2002 a 2007 no Dínamo de Kiev. O ex-esportista do Internacional e do Corinthians, foi o primeiro jogador nacional a atuar no futebol ucraniano.

Em uma recente visita à Ucrânia, ele e outros atletas brasileiros foram destaque na imprensa local não apenas pela carreira brilhante, mas pelo testemunho que deram sobre o poder transformador do Evangelho. A visita faz parte de um projeto de missionários ucranianos ligados a Junta de Missões Mundiais, Anatoliy Shmilikhovskyy e Lyubomyr Matveyev.

“Recebemos um time de cristãos, ex-jogadores profissionais de futebol e alguns que ainda estão jogando. Se eu falar que o trabalho deles aqui na Ucrânia foi impactante, é dizer nada, pois através desse projeto, Deus mexeu com as igrejas locais, impactou a liderança evangélica nacional e abriu portas até então totalmente fechadas para a pregação do Evangelho”, relata Anatoliy.

Diversos meios de comunicação tentaram entrevistas com Diogo Rincón. Os missionários disseram que se surpreenderam de haver um destaque para o testemunho do jogador em reportagens divulgadas pela mídia. Em seu depoimento, ele disse: “Na minha primeira passagem pela Ucrânia, eu fui servido, agora eu vim para servir. Primeiro, eu vim sozinho, agora voltei com Jesus”.

O jogador continuou: “No primeiro momento, eu ganhei fama, prestígio e prêmios, mas meu coração estava vazio. Hoje eu voltei com Jesus no coração, ele transformou a minha vida”, ressaltou.

Oração pública
O missionário Anatoliy comenta: “O auge foi quando a Federação de Futebol da Ucrânia convidou o time brasileiro, e Diogo teve a palavra. Na presença do vice-presidente e dos de comunicação, pela primeira vez naquele local foi feita uma oração pública. Eu fui impactado quando vi todo mundo abraçado no ‘santo dos santos’ do futebol ucraniano orando e pedindo ao nosso bom Deus por sua misericórdia e pela graça de Cristo”, disse.

Outras ações evangelísticas foram realizadas durante a passagem do grupo pela Ucrânia, como “clínicas de futebol” para o público infantil nas cidades de Irpin, próximo à capital, Kiev, e também em Lviv, oeste do país. O responsável por essas atividades foi o missionário Lyubomyr. Cada clínica era composta por duas partes: prática e pregação dos valores bíblicos.

Outra forma de impactar as vidas foram os jogos amistosos e torneios dos quais o time brasileiro participou. “Foi muito marcante o jogo em um presídio. Embora o nível de futebol dos presos fosse bem simples, o testemunho do Diogo foi muito marcante. Depois disso, Deus abriu a porta de cinco penitenciárias para futura pregação do Evangelho”, relatou Anatoliy.

Outro ponto marcante foi o jogo contra o quartel do exército do presidente da Ucrânia, principalmente em um momento em que o país vive um conflito contra a Rússia. “A oração no estádio pela paz foi muito marcante. A mídia nacional não ficou ao lado do projeto”, pontuou Anatoliy. Já em Lviv, os brasileiros participaram de um torneio de futebol amador, e todos os jogadores foram convidados para um culto, onde cerca de 400 pessoas, a maioria jovens, foram impactadas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA JUNTA DE MISSÕES MUNDIAIS

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Evangélicos são os melhores amigos de Israel, diz primeiro-ministro Netanyahu

A mensagem de Benjamin Netanyahu foi bem recebida pelo grupo 'Cristãos Unidos por Israel', que se reuniu em Washington na última segunda-feira.

Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. (Foto: Times Of Israel)
Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. (Foto: Times Of Israel)
Na última segunda-feira, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse a um público evangélico em Washington que eles são os melhores amigos de Israel em todo o mundo. A declaração foi dada em um discurso notável, exposto em vídeo enviado para a conferência anual da organização 'Christians United for Israel' ('Cristãos Unidos por Israel') - liderada pelo pastor John Hagee.

"Quando eu digo que não temos maiores amigos do que os apoiantes cristãos de Israel, é porque sei que vocês sempre estiveram com a gente", disse Netanyahu à multidão reunida no evento, que se animou em receber a mensagem. "Vocês estão com a gente porque representamos essa herança comum de liberdade que remonta a milhares de anos".

Netanyahu também repetiu uma declaração dada durante um encontro com o presidente Donald Trump, que reafirma os laços de amizade entre Israel e Estados Unidos, porém acrescentando a importância dos evangélicos nesta relação.
"Os Estados Unidos não têm melhor amigo que Israel e Israel não tem melhor amigo que os EUA", continuou Netanyahu. "E Israel não tem melhor amigo nos EUA que vocês".

Em sua mensagem para o público de evangélicos presentes no evento, Netanyahu também descreveu Israel e Estados Unidos como nações "empenhadas em uma grande luta".

"É uma luta de civilizações. É uma luta de sociedades livres contra as forças do islamismo militante", argumentou o primeiro-ministro. "Eles querem conquistar o Oriente Médio, querem destruir o Estado de Israel e então querem conquistar o mundo".

"As pessoas muitas vezes cometem um erro nas discussões convencionais quando costumam dizer que militantes islâmicos odeiam o Ocidente por causa de Israel. É realmente o contrário", continuou ele. "Eles odeiam Israel por causa do Ocidente - porque representamos uma sociedade livre construída sobre a base da herança judaico-cristã. Esta é a sociedade que tanto desprezam. Israel é o baluarte da liberdade no coração do Oriente Médio"

O primeiro-ministro também refletiu sobre o que descreveu como valores compartilhados entre os evangélicos e Israel.
"Israel representa tudo o que vocês representam no lugar mais perigoso e volátil do Oriente Médio. Existe uma sociedade, um governo, um exército que garante seus valores - nossos valores", ressaltou.

Apesar de não citar o nome do presidente Donald Trump em seu vídeo, Netanyahu enfatizou a importância de transferir as embaixadas internacionais de Tel Aviv para Jerusalém - um comentário pontuado menos de dois meses depois de Trump ter renovado uma isenção de seis meses, mantendo a embaixada em Tel Aviv.

"Tel Aviv é uma cidade maravilhosa, mas não é Jerusalém", ele brincou. "A capital de Israel é Jerusalém e a embaixada deve estar em Jerusalém".

A 'Christians United for Israel' fez campanha pela transferência da embaixada antes do prazo de junho, e seu líder, o Pastor John Hagee, alertou que esta é uma questão importante para os mais de três milhões de evangélicos ligados à organização.

Netanyahu enfatizou que, além dos valores compartilhados com os evangélicos, Israel sempre garantiu a prática cristã na região.

"Desde que Israel libertou Jerusalém, garantimos a liberdade de acesso a todas as religiões", disse Netanyahu ao grupo cristão. "É somente sob a soberania israelense que garantimos que o que aconteceu em outros locais sagrados no Oriente Médio não acontecerá aos locais sagrados sob a soberania e o controle do Estado de Israel".

"O único lugar onde você tem liberdade religiosa garantida é Israel", acrescentou Netanyahu. "O único lugar onde as comunidades cristãs no Oriente Médio prosperam, crescem, e não apenas sobrevivem, mas eles têm um futuro. Esse lugar é Israel, porque Israel garante a liberdade religiosa. Israel representa a liberdade que todos estimamos ".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO TIMES OF ISRAEL

terça-feira, 18 de julho de 2017

Pastor é morto a tiros por hindus ao sair de culto, na Índia

Sultan Masih estava saindo de um culto quando foi alvejado por dois homens que estavam em uma moto, com os rostos cobertos.



Segundo seu filho, o pastor era conhecido por não ter inimizade com ninguém. (Foto: Reprodução).
Segundo seu filho, o pastor era conhecido por não ter inimizade com ninguém. (Foto: Reprodução).

O pastor de uma igreja em Ludhiana, na Índia, foi morto a tiros por dois homens que estavam de moto do lado de fora da igreja (que fica em Salem Tabri), por volta das oito horas da noite. Testemunhas disseram que dois jovens armados e com os rostos cobertos dispararam contra Sultan Masih.

O pastor levou um tiro na cabeça e mais duas balas penetraram em seu peito. O ataque foi registrado por câmeras instaladas na igreja. No entanto, a filmagem ficou escura demais para identificar os assassinos. Duas pessoas que presenciaram o crime informaram aos membros da família do pastor e a outros da igreja. Muitos correram para ajudar Masih e tentaram estancar o sangue. Eles o levaram ao hospital mais próximo.

Os médicos do Dayanand Medical College & Hospital (DMC) em Ludhiana declararam a morte do líder logo na chegada. Masih deixou sua esposa Sarbjit, seu filho Ali Shah, 26, e a filha Hanok, 18. A família vive no primeiro andar do prédio da igreja.

Seu filho, Rahul Masih, disse que o pai estava no comando da igreja há 30 anos e não tinha inimizade com ninguém. Uma investigação policial que está em curso confirmou o fato de que o pastor não é conhecido por ter inimigos. Os cristãos locais acreditam que este foi um ataque de ódio baseado na crescente perseguição dos cristãos na Índia.

Protesto
No domingo pela manhã, às 10h30, centenas de cristãos protestaram e bloquearam a GT Road, conhecida como Rodovia Nacional 1, em Salem Tabri por mais de 5 horas. A manifestação terminou por volta das 15h30. Eles se recusaram a liberar o corpo de Masih até que a polícia concordasse em realizar uma investigação policial completa para levar os assassinos à justiça.

O protesto levou a uma paralisação no trânsito e os veículos que viajavam para o lado de Jalandhar tiveram que desviar para outras rotas. Incidentes de perseguição de cristãos na Índia aumentaram ao longo do ano passado, fazendo com que o país ficasse em 15º lugar na lista mundial de perseguição do Ministério Portas Abertas.

A Índia experimentou um enorme aumento de ataques à sua minoria cristã em 2016. Os ataques aos cristãos são liderados por nacionalistas hindus agindo em grande parte com impunidade, sendo uma preocupação crescente desde a eleição do presidente Narendra Modi em 2014. Ataques como o do pastor Sultan Masih marcam uma característica contra os cristãos.  Pouco mais de 2% da população do país é cristã, E quase 80% são hindus.

Uma vez que a eleição de autoridades nacionais e provinciais de Modi permite tacitamente a perseguição de cristãos privados na Índia, os nacionalistas religiosos se sentem na permissão de atacar os crentes em Jesus. Os nacionalistas tentam cada vez mais converter os não-hindus à sua fé dominante, dispostos a usar a violência. Os cristãos enfrentam enormes problemas socioeconômicos, uma consequência de décadas de opressão.

Ataque à liberdade religiosa
Wilson Chowdhry, presidente da British Christian Association, disse: "Este ataque não foi provocado apenas a um pastor cristão, mas a todos os membros de sua congregação. Podemos dizer que é um ataque à liberdade religiosa e ressoa com o ódio que os cristãos enfrentam diariamente em uma nação que está se tornando cada vez mais polarizada sob o governo de Modi”, disse.

"O nome do pastor Sultan Masih é adicionado a uma crescente lista de mártires cristãos em todo o mundo, e vou orando pelo socorro a sua família e amigos. O aumento dos ataques aos cristãos na Índia é motivo de preocupação internacional. No entanto, desde o fim do boicote diplomático de 10 meses de Narendra Mohdi em 2012, a Grã-Bretanha criou fortes laços diplomáticos com ele. Fermentando a falta de vontade para condenar as atrocidades conhecidas dos direitos humanos sob o seu regime”, finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHARISMA NEWS

segunda-feira, 17 de julho de 2017

Refis beneficia igrejas e dá desconto de até 99%

Inclusão de igrejas no novo programa de financiamento foi pedido da bancada evangélica

por Gospel Prime

Refis beneficia igrejas e dá desconto de até 99%

O Congresso aprovou na última quinta-feira o projeto do novo programa de refinanciamento de débitos com a Receita Federal. O parecer do deputado Newton Cardoso Jr. (PMDB-MG) sobre o “novo Refis” foi analisado na comissão especial sobre o tema. Dentre as modificações na proposta original estão aumento no limite no desconto das multas, alteração de prazo de adesão e benefícios fiscais a igrejas, clubes de futebol e universidades.

O texto do programa, chamado de Programa Especial de Regularização Tributária, se originou de uma medida provisória e deve passar ainda pelo Senado antes de ser sancionado. A medida foi editada no final de maio, com expectativa do governo de arrecadar neste ano aproximadamente 13 bilhões de reais. O texto aprovado na comissão traz uma série de modificações à proposta do governo.

A versão final do relatório prevê descontos de 99% em juros e multas para os devedores que, após o pagamento de 20% da dívida ainda este ano, liquidarem o restante integralmente em janeiro de 2018. No original, o limite era de 90%. Para quem parcelar o restante em 145 meses, a redução em multas e juros será de 90%, e para quem dividir o saldo após a entrada em 175 meses terá abatimentos de 85% em juros e multas.

A adesão, que era previstas até 31 de agosto de 2017, agora será de 90 dias após a regulamentação. Com isso, a data limite deverá ficar para segunda quinzena de setembro, segundo o relator.

Igrejas

Para atender a pedido da bancada evangélica da Câmara dos Deputados, o relator incluiu a previsão de remissão de débitos tributários de “entidades religiosas e instituições de ensino vocacional, sem fins lucrativos” com a Receita Federal. O perdão vale para débitos inscritos ou não na Dívida Ativa da União, inclusive aqueles objeto de parcelamentos anteriores ou que são alvo de discussão administrativa ou judicial.

Cardoso Jr. disse que a medida apenas “corrige” um erro, uma vez que essas entidades, na visão dele, deveriam ser imunes à tributação. A Constituição garante que entidades beneficentes de assistência social são isentas de pagar impostos, mas o alcance é limitado a esse tipo de instituição. Segundo o peemedebista, além do apelo da bancada evangélica, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também teria solicitado a medida ao relator.

O novo texto do Refis prevê ainda que essas entidades religiosas e instituições de ensino vocacional que exerçam atividade de assistência social, sem fins lucrativos, “são isentas da cobrança de tributos, inclusive contribuições, da União incidentes sobre o patrimônio, renda ou serviços pelo prazo de cinco anos”.

Fonte: Veja

domingo, 16 de julho de 2017

Pastor é condenado por ensinar a Bíblia aos seus próprios filhos, em Cuba

O pastor Ramon Rigal foi condenado a um ano de trabalhos forçados em Cuba, por se recusar a matricular seus filhos na escola pública e preferir educá-los em casa.

Ramon Rigal. (Foto: ICC)
Ramon Rigal. (Foto: ICC)
Um pastor evangélico em Cuba foi condenado a um ano de trabalhos forçados e prisão domiciliar, após desafiar o governo comunista do país e insistir para que seus filhos fossem educados em casa, podendo assim receber também ensinamentos mais aprofundados sobre a Bíblia.

A organização cristã 'International Christian Concern' (ICC) informou na última quinta-feira (13), que o Pastor Ramon Rigal, líder da Igreja de Deus em Cristo no país, declarou abertamente que sua decisão de não matricular mais seus filhos nas escolas públicas foi baseada em sua fé cristã.

Como o 'Diário de Cuba' informou na semana passada, Rigal havia sido originalmente condenado a um ano de prisão em Guantánamo, mas uma ação recente de sua defesa conseguiu uma alteração da punição, permitindo que ele cumprisse a pena em regime domiciliar.

O pastor disse que seus advogados provaram que ele não cometeu nenhum ato criminoso grave, mas os defensores da liberdade religiosa advertiram que a sentença de trabalhos forçados ainda é uma punição muito séria e exagerada.

"O trabalho de prisão correcional é uma forma de castigo físico forçado, na qual o Estado tipicamente escolhe os locais e as condições de trabalho", disse o pastor Mario F. Barroso, ativista da liberdade religiosa do Instituto Patmos.

"As pessoas condenadas a essa penalidade são levadas a uma fazenda ou algum lugar desse tipo... e acredite, o trabalho que os condenados realizam ali não é nada leve", acrescentou.

Rafael Cardona, correspondente da ICC para a América Latina, disse que é "muito preocupante e desanimador" que um pastor tenha sido punido dessa maneira simplesmente por escolher educar seus filhos em casa, sob os preceitos de sua fé cristã.

"É ainda mais flagrante quando uma dura punição é emitida, apesar de ter uma defesa legal adequada, que prova que nenhuma lei criminal foi violada. No caso do Pastor Rigal, temos que estar cientes de que ele fez múltiplas tentativas de informar ao Estado sobre os conteúdo da educação de seus filhos e incluiu elementos religiosos neste relatório", disse Cardona.

"No entanto, as autoridades cubanas ainda prosseguiram com uma sentença que não parece corresponder à suposta ofensa. Infelizmente, esses tipos de medidas repressivas contra cristãos ocorrem comumente em Cuba. Continuaremos orando pelo Pastor Rigal e sua família", acrescentou.

Em maio (2017), dezenas de pessoas protestaram do lado de fora da Embaixada de Cuba em Washington D.C, em apoio ao pastor, falando contra sua sentença inicial de um ano de prisão.

Os manifestantes tentaram entregar uma petição assinada por cerca de 31 mil pessoas ao governo cubano, mas os funcionários da embaixada os dispensaram no momento.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN POST

sábado, 15 de julho de 2017

Prestes a se enforcar, homem se depara com livro evangelístico e desiste de suicídio

Eduardo estava se preparando para se enforcar quando se deparou com um livro que recebeu de evangelistas. Depois de ler a primeira página, sua vida nunca mais foi a mesma.

Eduardo estava prestes a se enforcar quando se deparou com um livro evangelístico. (Foto: Reprodução/Mundo Cristiano)
Eduardo estava prestes a se enforcar quando se deparou com um livro evangelístico. (Foto: Reprodução/Mundo Cristiano)
Uma campanha evangelística realizada por cristãos em Cuba têm impactado milhares de pessoas no país, incluindo aqueles que foram resgatados da morte física.

Eduardo entrou em depressão desde que sua esposa decidiu atravessar o estreito da Flórida, como parte de uma rede de tráfico de seres humanos para os Estados Unidos.

Morando sozinho no bairro onde passou sua infância, o suicídio passou a ser uma ideia frequente em sua cabeça.
“Eu ia para minha casa devastado. Eu não conseguia dormir. Comecei a ouvir vozes e estava ficando louco”, disse Eduardo ao site Mundo Cristiano.

“Tente procurar ajuda dos babalaôs (sacerdotes da religião iorubá), mas eles nunca podiam me atender. Eu decidi acabar com a minha vida. Eu queria me enforcar e sempre escutava uma voz: ‘Se pendure! Se pendure!’”, acrescentou Eduardo.

Alguns dias antes, Eduardo foi até o lugar onde ele costumava realizar apostas ilegais e foi abordado por alguns homens que estavam lá para evangelizar. Seus colegas se recusaram a receber um livro composto por testemunhos de fé, mas Eduardo levou o material para casa.

Na noite em que marcou para se suicidar em um matagal, Eduardo estava se preparando em sua casa e se deparou com o livro antes de sair. “Eu eu achei um endereço dentro de um pequeno cartão e pensei: ‘Essa vai ser minha última tentativa’”, afirmou.

“Eu fui procurar ajuda com um pastor ou alguém para me aconselhar, por causa da voz que me dizia para eu me matar. A igreja estava toda iluminada. Eu bati na porta e um irmão me atendeu. Entrei na igreja chorando como uma criança”, conta.

O livro ajudou Eduardo a encontrar o caminho para mudar a sua vida e, segundo ele, teve “poder de transformar”. O material faz parte de uma campanha evangelística que impactou a cidade de Havana em fevereiro e março, por meio de ações sociais, culturais e esportivas.

A iniciativa é resultado dos esforços de dezenas de denominações e conseguiu alcançar mais de 55 mil cubanos, como Eduardo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE MUNDO CRISTIANO

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Cristãos são decapitados por não negarem a Jesus em novo ataque terrorista, no Quênia

Os cristãos foram forçados a recitar os dogmas islâmicos, mas acabaram mortos por se recusarem.

Os cristãos foram obrigados a recitarem dogmas islâmicos e morreram ao dizer não. (Foto: Reprodução).
Os cristãos foram obrigados a recitarem dogmas islâmicos e morreram ao dizer não. (Foto: Reprodução).
Membros do grupo extremista Al Shabaab mataram 13 pessoas no último fim de semana, no litoral do Quênia. De acordo com um sobrevivente do ataque, os muçulmanos da aldeia do condado de Lamu ajudaram os militantes islâmicos a identificar locais onde os cristãos moravam. Em entrevista para o site Morning Star News, ele comentou que várias das vítimas foram decapitadas.

Os extremistas mataram quatro cristãos em Kipini, no domingo (9), não muito longe da floresta de Boni, esconderijo dos rebeldes do Al Shabaab, que por sua vez lutam contra o governo na Somália. No início da manhã de sábado, em Jima, eles mataram outros nove em ataques que começaram às 11h.

Na noite anterior, eles haviam matado outras pessoas com machados, decapitando suas vítimas, de acordo com as fontes locais. "Os cristãos foram obrigados a recitar os dogmas islâmicos e eles não podiam fazer isso. Então, foram mortos", disse uma fonte. "Nós pedimos ao governo que investigue e traga esses muçulmanos que estão abrigando os terroristas da Al Shabaab, porque os cristãos que foram decapitados eram fazendeiros", alertou.

Segurança
Aqueles que conseguiram fugir e sobreviver tiveram suas terras danificadas por animais selvagens e ainda estão em grande choque, acrescentou a fonte. "O governo reforçou a segurança na área e esperamos que as vítimas que fugiram possam retornar em breve, pois precisam de aconselhamento sobre traumas emocionais", afirmou.

Os cristãos da região deixaram suas aldeias. "Agora estamos residindo na delegacia de polícia em hindi, por medo de novos ataques", disse um residente da área ao Morning Star News. Muitas pessoas da área ainda estão desaparecidas e temem que o número de vítimas possa aumentar.

Grave crise
Duas outras fontes no condado de Lamu disseram que os cristãos na região costeira do Quênia estão em grave crise à medida que enfrentam escassez de alimentos depois de fugir de suas fazendas. O secretário do Interior, Fred Matiang'i, impôs um toque de recolher de três meses nos condados de Lamu, Tana River e Garissa, em uma tentativa de combater os ataques da Al Shabaab. A medida começou no domingo (9) e estará em vigor até o dia 9 de outubro.

Os rebeldes da Al Shabaab, grupo aliado à Al Qaeda, lançaram vários ataques no nordeste do Quênia, uma vez que as forças do Quênia lideraram uma união africana na Somália contra os rebeldes, em outubro de 2011 em resposta a ataques terroristas contra turistas e outros na costa da região. Os ataques aos cristãos também continuaram. O Quênia ocupa hoje o 18º lugar na lista de perseguição religiosa do Ministério Portas Abertas.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN HEADLINES

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Goleiro Cássio é batizado em igreja evangélica, em São Paulo

Cássio, goleiro do Corinthians, foi batizado na Igreja Voz Da Verdade em Alphaville, no município de Barueri, em São Paulo.

Cássio foi batizado na Igreja Voz Da Verdade em Alphaville, em São Paulo. (Foto: Reprodução/Instagram)
Cássio foi batizado na Igreja Voz Da Verdade em Alphaville, em São Paulo. (Foto: Reprodução/Instagram)
goleiro Cássio, que atualmente defende o Corinthians, foi batizado na igreja evangélica Voz Da Verdade em Alphaville, no município de Barueri, em São Paulo.

“Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá; E todo aquele que vive, e crê em mim nunca morrerá”, disse ele na legenda das fotos da cerimônia, que foram publicadas em sua conta no Instagram nesta terça-feira (11).

Após enfrentar inúmeros problemas em 2016, o goleiro iniciou o ano afirmado que a fé, o aconselhamento pastoral e o apoio de sua noiva foram fundamentais para que ele conseguisse superar adversidades.

Cássio revelou em entrevista ao Globo Esporte que embora a bebida alcoólica não fosse usada por ele como uma "válvula de escape", ele reconheceu que era um hábito que não lhe fazia bem.

“Hoje já não bebo mais nada de álcool, tem um tempinho que abri mão disso. Comecei a frequentar a igreja, tem um pastor que me aconselha. Acho que comecei faz uns dois meses a ir e a ter novos hábitos, isso está me fazendo muito bem”, disse ele, em maio.

“Eu me sinto muito feliz. Desde que comecei a frequentar [a igreja], comecei a me arrepender muito de coisas que tinha feito e demorei a perceber. Isso faz parte do amadurecimento. Para mim, está sendo um momento novo, mas estou muito feliz por tudo que está acontecendo”, acrescentou.

Cássio foi batizado na Igreja Voz Da Verdade em Alphaville, em São Paulo. (Foto: Reprodução/Instagram)
Incentivo
O casal de pastores José Luiz e Rita Moisés, líderes da Igreja Voz Da Verdade, também celebraram a nova fase do jogador nas redes sociais. "Quando estava sendo gerado, Deus já tinha propósito de salvação para tua alma", disseram eles sobre Cássio.

"Cresceu,sofreu, lutou e se tornou campeão mundial. A partir daí, Deus cercou sua vida para fazê-lo mais que vencedor em Cristo Jesus", continuou. "Grandes coisas estão por vir sobre tua vida. Admiro tua postura e caráter de um homem forjado pela vida e moldado por Deus".

No início do ano, Cássio também destacou a importância de sua noiva na caminhada cristã. "Ela está indo à igreja comigo. Hoje tenho uma mudança de hábito. Para mim, essas coisas que estou mudando na vida estão sendo positivas. Tenho de seguir isso. Ela é minha companheira", ele revelou.

"Às vezes, uma mulher leva você para baixo, mas, às vezes, também ajuda a crescer. Ano passado tive a perda da minha avó, sempre foi a chefe da família. Foi bem difícil, coincidiu com minha perda de posição. Demorei uns dois ou três meses para entender tudo isso e começar uma mudança. Tive essa mudança e consegui evoluir", disse o atleta.

Cássio ao lado da noiva, em batismo na Igreja Voz Da Verdade em Alphaville. (Foto: Reprodução/Instagram)

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Policiais pregam o Evangelho para combater a corrupção entre corporações, no México

O grupo formado por cerca de 5.200 policiais acredita que o poder do Evangelho pode afastar os oficiais da corrupção e ajudá-los a combater o crime no México.

Membros da 'Polícia Celestial' se unem para orar, antes de mais uma ação nas corporações. (Foto: Telemetro)
Membros da 'Polícia Celestial' se unem para orar, antes de mais uma ação nas corporações. (Foto: Telemetro)
Um grupo de cerca de 5.200 policiais do México está está se mobilizando para combater a corrupção e têm usado uma ferramenta poderosa nesta árdua batalha: a Palavra de Deus.

Conhecida como "Polícia Celestial", o grupo é formado por policiais federais e locais, além de militares, alguns deles na ativa e tem usado a mensagem bíblica e os testemunhos impactantes dos próprios oficiais para motivar outros policiais a se manterem afastados da corrupção.

Leonel Guillermoprieto, de 37 anos, acredita na eficiência das "Operações Celestiais" para ajudarem a alcançar este objetivo. Estas ações consistem na visita às corporações de todo o país para compartilhar o seu testemunho - bem como o de outros oficiais que o acompanham - e aproximar os policiais da mensagem do Evangelho.

Parte do seu depoimento se baseia em forma como acabou sendo preso, depois de ser corrompido e deixar a Polícia Federal.

"Comecei a ir para a América Central e comprar drogas para enviar à Europa; comecei a juntar muito dinheiro", contou o ex-agente à AFP.

Sua história no crime foi interrompida, quando acabou sendo preso na Guatemala e foi enviado para uma prisão federal nos Estados Unidos, onde cumpriria pelo menos 25 anos de pena.

Na prisão, ele acabou sendo evangelizado e se unindo a um grupo de outros detentos cristãos e, por isso, considera o dia 22 de setembro de 2007 como o início de seu ministério.

"Consideramos a data na qual o fundador, ou seja, eu, me entreguei a Jesus Cristo", disse em uma cafeteria de Tlalnepantla, no subúrbio da Cidade do México, que atualmente está entre as 50 regiões mais perigosas do país.
Leonel conta que passou apenas 15 meses na cadeia (somente o tempo em que aguardou o julgamento), pois segundo ele mesmo conta, um milagre aconteceu: no momento em que ia receber a sentença definitiva do juiz, o promotor - que deveria acusá-lo - começou a defendê-lo.

"Quem me tirou da prisão foi Deus e Ele fez isso para que eu O servisse", disse Leonel, antes de vestir o uniforme da "Polícia Celestial".

Sua organização é estruturada como qualquer outro órgão de segurança: há patentes de comando e seus membros usam uniformes parecidos com os da Polícia Federal do México, mas ao invés de um símbolo de segurança (que geralmente é ilustrado por armas) há uma cruz e uma Bíblia e nenhum deles anda armado, enquanto atuam neste ministério.

Os integrantes do grupo acreditam que a evangelização pode fazer com que os policiais entreguem suas vidas a Jesus e, se estiverem envolvidos com algum tipo de corrupção, abandonem estas práticas criminosas e ajam de acordo com a lei.

"Há pessoas que dizem 'acreditem que com uma Bíblia poderão fazer tudo', e não estamos dizendo para não usarem suas armas, mas sim para as usarem como manda a lei", conta.

O desafio da 'Polícia Celestial' não é nada pequeno. Segundo dados do Instituto de Estatísticas (INEGI), mais de 50% dos mexicanos consideram as organizações policiais - sobretudo as locais - corruptas.


"Há alguém importante"
A violência no México não para de crescer e tem sido assim há mais de 10 anos, desde o início de uma ofensiva militar do governo contra o crime organizado. Neste período, já foram mais de 186.000 mortes, segundo números oficiais.


Segundo Eduardo Aguilera, membro da 'Polícia Celestial' o pequeno número do contingente policial de Tlalnepantla, por exemplo é um fator preocupante. Chega a ser uma proporção de menos de um oficial por bairro.

"Temos 250 policiais ativos para cobrir 265 bairros", disse oficial, que também é chefe de polícia dessa localidade. "É impossível que alguém possa dar segurança total com esses números".

Por isso, Aguilera acredita que sua fé tem um grande papel em ajudar a corporação a diminuir a incidência de crimes.

"Aceitamos esse desafio porque sabemos que não estamos sozinhos. Sabemos que por trás de nós há alguém importante, que é Jesus", afirmou o policial antes de se juntar Leonel e outros agentes para fazer uma oração.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO ESTADO DE MINAS