quinta-feira, 30 de março de 2017

Muçulmana vai a igreja para ridicularizar pastor e se converte: “Conheci o amor”

A jovem alimentava um ódio profundo por cristãos, mas foi surpreendida quando ouviu a mensagem do Evangelho.

Imagem ilustrativa. Muçulmana foi surpreendida quando ouviu a mensagem do Evangelho. (Foto: iStock)
Imagem ilustrativa. Muçulmana foi surpreendida quando ouviu a mensagem do Evangelho. (Foto: iStock)
Cada vez mais muçulmanos estão tendo experiências profundas com Jesus Cristo através de sonhos, que resultam em inúmeros testemunhos de conversão nos países mais opressores do Oriente Médio.

O caso mais recente é de uma jovem muçulmana que foi criada por uma família conservadora na Turquia. Em meio a sua educação rigorosa e sua devoção islâmica, ela alimentava um ódio profundo por cristãos.

Certo domingo, ela decidiu visitar a igreja do pastor Matta com a intenção de ridicularizar o líder cristão, após assistir alguns de seus vídeos na internet. No entanto, algo aconteceu e seus planos maliciosos foram abandonados.

A mulher ouviu o Evangelho e as palavras do pastor tocaram seu coração. "Tudo o que eu ouvi me mostrava o amor que eu sempre procurei, e as palavras de fé e coragem acabaram com os meus medos", disse ela a organização Christian Aid Mission.

Mesmo tendo sido tocada pelo Evangelho, ela continuou hesitante em se unir a outros cristãos na igreja. Foi quando Jesus apareceu a ela em sonho.

"No meu sonho, Jesus me levou à igreja e me disse: 'O que você ainda está esperando? Siga o meu caminho'", ela contou mais tarde ao pastor Matta. "Eu vi todos vocês lá esperando por mim, sorrindo para mim”.

Dias depois, a jovem ousadamente compartilhou sua nova fé em sua página no Facebook. "Esta jovem ainda usa seu véu, mas não pára de espalhar o Evangelho às pessoas", disse o pastor.

Cristãos convertidos na Turquia enfrentam ainda mais perigo agora. Segundo a organização Portas Abertas, há três tendências notáveis no país neste momento: a presença do islamismo radical, o conflito étnico e a mudança do cenário político.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

quarta-feira, 29 de março de 2017

Ateus protestam contra projeto que pode tornar a Bíblia um livro oficial, nos EUA

Um deputado do Arkansas (EUA) propôs que a Bíblia seja adotada como o livro oficial do Estado, afirmando a ligação histórica das Escrituras com a formação da sociedade norte-americana.

Bíblia em inglês. (Foto: Barabbas Road Church)
Bíblia em inglês. (Foto: Barabbas Road Church)
A Sociedade dos Pensadores Livres do Arkansas (ASF) vai se opor a qualquer esforço para fazer da Bíblia o livro oficial do estado. A informação foi confirmada pela própria presidente da organização ateísta, Anne Orsi disse ao jornal 'Talk Business & Politics'.


Uma resolução foi aprovada sem oposição na Câmara do Arkansas há duas semanas para tornar Bíblia um símbolo oficial de seu estado. A resolução não é juridicamente vinculativa, mas Orsi disse que a medida é uma clara violação da separação entre a Igreja e o Estado.

"Ela flagrantemente viola a Primeira Emenda", disse Orsi. "Eu não penso que ela promova algo sobre Arkansas ... é algo divisivo. Não une o estado do Arkansas ... há muitas pessoas neste estado que foram feridas pela religião, especialmente pelo cristianismo".

A Associação ateísta foi formada em 1996, tendo como seu principal objetivo manter a separação entre a Igreja e o Estado, segundo informou Orsi.

O deputado Dwight Tosh, de Jonesboro, apresentou a resolução no plenário da Câmara. Ele disse que pensa que a maioria dos cidadãos do Arkansas acredita que a Bíblia é o "livro que traz a verdade consigo".

"Este livro representa o que buscamos: a verdade", disse ele. "Nossa sociedade é baseada em princípios cristãos e a Bíblia desempenhou um papel importante nisso".

O projeto de lei não foi arquivado em conjunto, o que significa que o Senado provavelmente não vá considerar a proposta. Tosh disse que ele pode levar a proposta à próxima sessão para permitir que os senadores votem sobre ela.

O deputado afirmou já estar ciente que sua proposta poderia enfrentar muitos desafios legais, mas destaca que recebeu amplo apoio de ambas as partes (republicanos e democratas). A deputada Vivian Flowers, de Pine Bluff, por exemplo, disse ao 'Talk Business & Politics' que a resolução não era legalmente obrigatória e muitos cidadãos do estado leram e apreciaram a Bíblia.

Apesar de ser um costume entre os estados norte-americanos, adotar objetos e até mesmo animais como símbolos oficiais, nenhum deles ainda conseguiu adotar um livro oficial.

O Tennessee, por exemplo tentou adotar uma lei que designa a Bíblia como o livro oficial do estado, em 2016. O governador Bill Haslam vetou a legislação, dizendo na época que o livro é um "texto sagrado", e não precisa ser banalizado por uma designação.

Já a câmara de West Virginia estão considerando um projeto de lei para fazer da Bíblia o livro oficial de seu estado. Tem havido esforços semelhantes em estados como Mississippi, Louisiana, entre outros. Porém os esforços nesses acabaram sendo infrutíferos.

A prática de adotar símbolos oficiais para os estados tem sido uma prática comum nos EUA, desde 1893. Na época, cada estado designou uma flor oficial. Especialistas jurídicos têm debatido nos últimos anos se a adoção de qualquer texto religioso viola a separação entre Igreja e Estado, uma vez que é apenas um gesto simbólico. Orsi disse que é inapropriado para qualquer órgão governamental promover qualquer religião.

Se houver mais tentativas de promover a Bíblia como o livro do estado, a ASF pedirá aos legisladores que se oponham.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA KATV

terça-feira, 28 de março de 2017

Há uma grande diferença entre Alá e Jesus, diz extremista islâmico após conversão

Bashir Mohammad defendia a milícia islâmica Frente Al-Nusra, na Síria. Hoje, ele se define como um "jihadista que se voltou para Jesus".

Bashir Mohammad defendia a milícia islâmica Frente Al-Nusra, na Síria. (Foto: Patrick Kingsley/The New York Times)
Bashir Mohammad defendia a milícia islâmica Frente Al-Nusra, na Síria. (Foto: Patrick Kingsley/The New York Times)
Há menos de quatro anos, Bashir Mohammad, de 25 anos, defendia a milícia islâmica Frente Al-Nusra na guerra civil da Síria. Hoje, ele se define como um "jihadista que se voltou para Jesus".

Mohammad cresceu em uma família muçulmana na região curda de Afrin, no norte da Síria. Na adolescência, ele foi encorajado por seu primo a se aprofundar um pouco mais nas mensagens proferidas por pregadores jihadistas e passou a seguir as interpretações radicais do Islã.

Mais tarde, ele se juntou às forças curdas que atuavam na guerra civil da Síria e ficou impressionado com as mortes que testemunhou. "Quando vi todos aqueles cadáveres, passei a acreditar em todas as coisas que eles me ensinaram nas palestras. Isso me fez buscar a grandeza da religião”, ele contou ao site The New York Times.

Mohammad foi convidado por um amigo para se juntar a Frente Al-Nusra, grupo extremista ligado à al-Qaeda. No extremismo islâmico, ele testemunhou torturas e viu prisioneiros sendo esmagados por seus colegas com uma escavadeira.

“Eles costumavam nos dizer que essas pessoas eram inimigas de Deus e, então, passei a olhar positivamente sobre essas execuções”, disse Mohammad.

Por um tempo, Mohammad foi doutrinado na filosofia do grupo e presenciou o genocídio em ambos os lados da guerra. “Fui a Nusra em busca do meu deus. Mas depois que vi muçulmanos matarem muçulmanos, percebi que havia algo errado”, confessa.

O primo que incentivou Mohammad a se aprofundar nos ensinamentos jihadistas se tornou um cristão convertido e voltou a influenciar o jovem sírio. Quando a esposa de Mohammad, Hevin Rashid, ficou gravemente doente em 2015, o casal recebeu ajuda de seu primo através de um grupo de oração.

Intrigado, Mohammad procurou um missionário evangélico chamado Eimad Brim, que o evangelizou e acompanhou seu processo de conversão. Ele e sua esposa se sentiram amados dentro da igreja e tiveram experiências profundas com Deus.

Sua saída do grupo jihadista tornou Mohammad um novo inimigo dos ex-colegas fundamentalistas. Ele teme não estar seguro, mas deposita sua confiança em Deus. "Há uma grande diferença entre o deus que eu costumava adorar e Aquele a quem eu adoro agora", disse Mohammad. "Antes eu adorava com medo. Agora tudo mudou”.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

segunda-feira, 27 de março de 2017

Evangélicos podem se unir em torno de Bolsonaro, diz especialista

“Nosso jeito de fazer política é católico”, afirma a antropóloga Christina VitalEvangélicos podem se unir em torno de Bolsonaro, diz especialista

Nas últimas eleições presidenciais, a candidatura do Pastor Everaldo (PSC) à presidência apesar da votação baixa, acabou sendo um marco na história política dos evangélicos. Pela primeira vez alguém usando um título eclesiástico se lançava na conquista do cargo mais alto do executivo.

Há décadas líderes religiosos são eleitos para postos no legislativo. Agora estudiosos acreditam que poderão se consolidar mais projetos políticos construídos por setores evangélicos.

Christina Vital, antropóloga da Universidade Federal Fluminense (UFF), autora do livro Religião e Política: medos sociais, extremismo religioso e as eleições de 2014, defendeu à agência de notícias DW que deverá haver uma “moderação” no tom para as próximas eleições presidenciais, ano que vem. 

“Para vencer é preciso moderar e falar para a sociedade de um modo mais geral”, garante. 

“Temos uma formação cultural e um jeito de fazer política cujo referencial é católico. Quando os evangélicos se apresentam na política, em todo o tempo eles estão lidando com esse elemento cultural”, explica a especialista. 

Para ela, a eleição de Marcelo Crivella a prefeito do Rio de Janeiro é um exemplo disso. “O senador tinha uma fala acolhedora e pautada na gestão eficiente. Ele fez alianças muito amplas com diferentes setores da sociedade”, resume. 

Mas um dos pontos principais é que ele não fez uma apresentação religiosa de sua candidatura, embora não negasse sua vinculação religiosa. Com isso conseguiu conquistar os eleitores não evangélicos. 

Vital acredita que possa haver uma “unidade evangélica” em torno da candidatura do deputado federal Jair Bolsonaro. “Sua candidatura visa produzir uma unidade evangélica em torno de seu nome. A novidade é que as lideranças evangélicas de diferentes denominações têm tentado aparar essas arestas e esta competição institucional em nome de “um bem maior”, analisa. 

Segundo a antropóloga, existem outras barreiras a serem vencidas. “Temos uma formação cultural e um jeito de fazer política cujo referencial é católico. Quando os evangélicos se apresentam na política, em todo o tempo eles estão lidando com esse elemento cultural.” 

Olhando-se para os números, embora seja sabido que evangélicos nem sempre votam em evangélicos, é preciso lembrar que eles são mais numerosos na Classe C e hoje possuem o maior número de eleitores, cerca de 54% do eleitorado. 

Isso pode mudará mudar o perfil dos políticos no próximo pleito, uma vez que essa camada da sociedade “formada num seio religioso privilegia o empreendedorismo, a meritocracia, as conquistas individuais e tem aspirações burguesas”. 

Outro aspecto a ser levado em conta é o perfil conservador da maioria da população brasileira. Com informações Valor


Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

domingo, 26 de março de 2017

Lula critica a Lava Jato e diz que Deltan Dallagnol fica 'sentado na Bíblia'

Durante um evento realizado pelo PT em São Paulo, Lula chamou Deltan Dallagnol de "moleque" e sugeriu que o procurador "não entende nada de política".

Lula está sendo investigado por tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. (Foto: Folha de S. Paulo)
Lula está sendo investigado por tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. (Foto: Folha de S. Paulo)
"O que a Lava Jato tem feito pelo Brasil". Este foi o tema de um seminário realizado recentemente pelo PT, no qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aproveitou criticar fortemente a operação investigativa e chegou a chamar Deltan Dallagnol (chefe da força-tarefa que investiga o esquema de corrupção na Petrobras) de "moleque", sugerindo que o procurador "não sabe nada de política".

Lula atualmente é réu em cinco processos, sendo que três deles são provenientes da Operação Lava Jato. Ele também afirmou que Dallagnol - membro da Igreja Batista, em Curitiba - fica 'sentado na Bíblia'.

"Fomos criados para mudar a história deste país e para agir corretamente. Quem comete erro paga pelo erro que cometeu. A instituição é muito forte. E aquele Dallagnol sugerir que o PT foi criado para ser uma organização criminosa... O que aquele moleque conhece de política? Ele nem sabe como se monta um governo. Não tem a menor noção. Ele acha que sentar em cima da Bíblia dele dá a solução de tudo", disse Lula durante o seminário, que se realizou em São Paulo.

O discurso de Lula no evento durou cerca de 10 minutos e o ex-presidente chegou a chorar, quando disse que fez um esforço para comparecer ao seminário, pois estava abatido em razão de uma virose.

O evento contou com a presença de cerca de 200 pessoas, entre dirigentes petistas, juristas, jornalistas, sindicalistas e políticos de outros partidos.

Lula passou a criticar ainda mais a Operação Lava Jato e o procurador, depois que Deltan apresentou resultados das investigações e apontou o ex-presidente como o "comandante máximo" da organização criminosa que promoveu desvios na Petrobras.

Apesar da acusação de que Lula seria o chefe de uma organização criminosa, Dallagnol não denunciou o ex-presidente por este motivo, mas sim por corrupção e lavagem de dinheiro. De qualquer forma, incomodado com a acusação de Deltan, Lula foi à Justiça, pedindo R$ 1 milhão de indenização por danos morais.

A Advocacia-Geral da União, que defende Dallagnol contra a ação de Lula, disse que o ex-presidente tem usado de "retaliações indevidas" contra o procurador, o que pode comprometer “a independência e o funcionamento adequado do Ministério Público”..

Dallagnol ainda não respondeu aos ataques mais recentes de Lula contra ele. Já com relação ao processo movido pelo ex-presidente, o procurador afirmou que “é natural que pessoas investigadas reajam”.

“E quando essas pessoas são poderosas econômica e politicamente, as reações tomam vulto. Não nos surpreendemos, encaramos com naturalidade”, disse Deltan na época.


Declarações sobre a Bíblia

Esta não foi a primeira vez que Lula incluiu a Bíblia em sua fala para se defender de acusações ou atacar alguém. Recentemente, o ex-presidente falou das Escrituras Sagradas, durante um depoimento na 10ª Vara Federal, em Brasília.


Quando questionado sobre ter sido apontado pelo ex-senador Delcídio Amaral como o mandante da tentativa de comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobrás, Lula reclamou que seu nome "estava sendo dito em vão".

"De vez em quando eu fico pensando [que é] para as pessoas lerem a Bíblia para não usar tanto o meu nome em vão", respondeu Lula sobre a acusação.

Já em setembro de 2016, Lula afirmou em um de seus discursos aos militantes do PT que "só Jesus Cristo ganharia dele", quando se fala em perseguição.

"Eu tenho uma história pública aqui no Brasil e acho que só ganha de mim aqui no Brasil, Jesus Cristo. Pense num cabra conhecido e marcado nesse país", afirmou na época.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO ESTADÃO

sábado, 25 de março de 2017

Viciada em redes sociais se reconcilia com Deus após um ano sem internet

Esther Emery conta que chegava a acordar durante a noite para ver o que estava se passando nas rede sociais. Mas um bom "jejum de internet" a fez se reconectar com Deus.

Emery lembra como ela se reconciliou com sua fé em um livro chamado "What Falls from the Sky". (Foto: Reprodução).
Emery lembra como ela se reconciliou com sua fé em um livro chamado "What Falls from the Sky". (Foto: Reprodução).
Esther Emery costumava viver quase literalmente navegando na internet, conectada 24 horas por dia, 7 dias por semana. Ela chegava a acordar no meio da noite para dar aquela olhadinha nas redes sociais. Mas chegou um momento em que a mãe de três filhos sentiu que algo estava errado em sua vida.

Foi quando seu casamento e seu trabalho como diretora de teatro em Boston, Massachusetts começaram a desmoronar. Ela mesmo se identificava como viciada em redes sociais. Por isso, em busca de paz de espírito, ela decidiu fazer uma mudança drástica: Ela mudou sua família para Idaho em 2009 e se desligou da internet, dando um fim também em seu celular.

Ela então encontrou o elemento perdido em sua vida: Deus. "Minha experiência de um ano sem internet foi que fez com que as coisas mais difíceis e verdadeiras saíssem do espaço vazio e do silêncio", disse.

"Eu percebi através do meu ano sem internet que para mim, uma experiência de verdadeiro silêncio e experiência com Deus são quase sinônimos", disse ela. "Era quase como se eu não tivesse que orar, eu tinha que ficar quieta, e isso se tornou uma forma muito natural de conexão com o que importa e com todo esse elemento da presença de Deus", ressaltou.

Esperança

Emery lembra como ela se reconciliou com sua fé em um livro chamado "What Falls from the Sky" (O que cai do Céu, em tradução livre). "Se você está se sentindo mal-humorado, se você está se sentindo desgastado, sentindo-se desesperado, se você está se sentindo como se nada fizesse sentido. Ou se você sente que está correndo o mais rápido que puder de algo que você tem medo. Então esta história é para você. Acredite comigo que a cura é possível", diz ela em um vídeo do YouTube.

"A esperança é possível, você pode se pôr em silêncio e nesse silêncio encontrará um poço que nunca se esgota, a esperança de salvação, a esperança de cura na simplicidade de olhar para cima", diz ela.

Antes de se reconectar com Deus, Emery admitiu que não conseguia o suficiente para se sentir satisfeita na internet. Em uma entrevista com o Boise State Radio, ela disse: "Eu estava conectada 24 horas por dia e acordava durante a noite para ver o que estava acontecendo e para ter certeza que eu tinha alguma conexão com o mundo exterior", finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

sexta-feira, 24 de março de 2017

"Se você foi chamado por Deus, não tem escolha", diz missionário atuante na Ásia

Dan passou sete anos sem ver resultado algum. Hoje, 18 anos depois de sua ida ele registra mais de 10 mil cristãos na região.

Dan explicou que não havia um bom método de evangelismo quando ele começou. (Foto: Reuters).
Dan explicou que não havia um bom método de evangelismo quando ele começou. (Foto: Reuters).
O missionário Dan (nome alterado por motivos de segurança) serve em uma área do sudeste da Ásia, um lugar onde ninguém gostaria de ir. Nem mesmo o grupo missionário com o qual ele trabalhou não queria acompanhá-lo. "Durante minha designação, eu sabia que eu não estava autorizado para ir", disse o estudante do Seminário Gateway.

“Então eu fui para uma escola de idiomas para um lugar diferente e, finalmente, poderia provar que todos os motivos que me davam para eu não seguir meu chamado eram inválidos", disse. Finalmente ele foi liberado para seguir como missionário, mas ele não receberia qualquer apoio para estar lá. Apesar disso, Dan era destemido e foi assim mesmo.

"Eu tive que encontrar um emprego, porque os trabalhadores cristãos não são permitidos lá", disse ele. "Eu também sou o único ‘cara branca’ da região", ressaltou. Na verdade, ele estava em perigo, porque a área era predominantemente muçulmana. Um pequeno passo em falso poderia levar à sua prisão.

No entanto, quando ele estava procurando um lugar para ficar, alguém lhe apresentou um homem que tinha um quarto para alugar. Esse homem, por acaso, era um funcionário do governo. Dan se sentiu mais protegido ao se tornar amigo dele.

Oportunidades
Além disso, houve outras vantagens. "Viver em uma outra região te faz aprender a lingua local de uma forma significativa", disse ele. "Eu estava totalmente imerso na cultura". Com o tempo, ele começou a estabelecer relações que abriram oportunidades de compartilhar o Evangelho. No entanto, ele não viu nenhum resultado por sete anos.

"Se eu fosse falar de Deus para alguém, essa pessoa iria para a casa de sua família para discutir a possibilidade de aceitar a Jesus como o Salvador deles. E a família diria que não", disse ele. "Nenhuma decisão pode ser feita a menos que a família seja consultada", explicou.

Ele viu a mesma coisa acontecer de novo e de novo. "Os primeiros anos foram difíceis", disse ele. "Mas quando você cai no chão, quantas vezes você se levanta? Se você tem um chamado de Deus, você não tem escolha. Você se levanta o tempo todo. Você se levanta o tempo todo", enfatizou.

Métodos e técnicas
Dan explicou que não havia um bom método de evangelismo quando ele começou. Técnicas de evangelismo para trabalhar com uma pessoa de cada vez estavam dando certo nos Estados Unidos, mas não funcionou lá. Ao iniciar um segundo período de trabalho, ele decidiu tentar algo novo.

"Eu iria para uma casa, eu me encontraria com todo o círculo familiar e estabeleceria relações", disse ele. "Essa estratégia fez uma grande diferença. Eu comecei com um grupo e acabou com um grupo. Isso é bíblico. Eu não estava pegando um peixe. Eu estava pegando um monte de peixe", disse.

Dos cinco primeiros cristãos, o número de convertidos cresceu. "Muitos jovens começaram a viajar para experimentar o que eu estava fazendo", disse ele. "Eles ficavam com uma família local e pregava para eles", explanou. Ao longo do tempo, o número de pequenas congregações se tornou 50. Agora - depois de 18 anos no país - há cerca de 500 grupos envolvendo cerca de 10 mil cristãos.

"Nós damos treinamento de liderança para cerca de 300 pessoas ao mesmo tempo", disse Dan. "Há um curso de liderança de base, e um currículo mais profundo". Ele explicou que, embora a maioria na área ainda seja muçulmana, há pouca participação. E as pessoas estão curiosas sobre Jesus.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO BAPTIST PRESS

quarta-feira, 22 de março de 2017

Patinador olímpico é curado de tumor cerebral: "Fui alvo de um milagre espetacular"

Scott Hamilton, de 58 anos, já havia lutado contra um câncer em 1997 e dois outros tumores benignos em seu cérebro, em 2004 e 2010.

Hamilton ficou surpreso ao ouvir que seu tumor não precisava mais de tratamento. (Foto: Reprodução).
Hamilton ficou surpreso ao ouvir que seu tumor não precisava mais de tratamento. (Foto: Reprodução).
Os médicos ficaram perplexos. Não havia nenhuma explicação para o que aconteceu. Como poderia um tumor cerebral encolher sem tratamento? Mas lá estava: o patinador americano aposentado e medalhista de ouro olímpico Scott Hamilton, de 58 anos. Descobriram em seu último exame, no mês passado, que o tumor em seu cérebro - o terceiro na mesma parte de seu corpo - encolheu e perdeu atividade. A informação foi publicada na revista People, edição da última semana.

"É natural que os tumores cresçam, e sem tratamento, eles não têm motivos para morrer", disse o medalhista olímpico de ouro. "Então eu acabei sendo alvo de um milagre espetacular. Eu estava mantendo minha atenção para esse problema, mas agora eu nem preciso mais de tratamento”, disse.

Hamilton já havia lutado contra um câncer testicular em 1997 e dois semelhantes tumores benignos em seu cérebro em 2004 e 2010. E em agosto de 2016, ele foi diagnosticado com um terceiro tumor pituitário. O ex-atleta perguntou aos médicos o que havia acontecido. Incapaz de fornecer uma explicação médica, o cirurgião que teria operado ele respondeu com apenas uma palavra: "Deus".

Poder para curar
Hamilton ficou surpreso ao ouvir o que seus médicos disseram. "Eles basicamente disseram: 'O que quer que você esteja fazendo, continue fazendo’", disse ele. No ano passado, foi relatado que o medalhista estava usando o poder da oração para ajudá-lo a superar sua série de doenças.

"Parece que já virou costume eu descobrir novas doenças que ameaçam a vida", disse Hamilton à revista People em outubro de 2016. Quando sua esposa Tracie descobriu sobre seu terceiro tumor cerebral, Hamilton disse que a primeira coisa que ela fez foi pegar as duas mãos e começar a orar.

O ex-olímpico disse que o que sua esposa fez foi algo que ele nunca poderia esquecer porque sua oração foi tão "poderosa" que "mudou tudo para mim". Disse que confia em sua fé cristã e em tudo que faz e em o que a vida lhe dá.

"Eu fui abençoado além do que eu poderia imaginar", disse ele. Quando Hamilton foi diagnosticado pela primeira vez com um tumor cerebral em 2010, lembrou do que ele disse à esposa: "Deus não me deve um dia. Ele é sempre bom. As bênçãos continuam chegando porque nós as deixamos como pedimos", finalizou.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

terça-feira, 21 de março de 2017

Arqueólogos encontram evidências da vida e morte de Jesus, em Israel

Entre os objetos descobertos estão pregos das crucificações, ossários com inscrições em hebraico, vasos, utensílios de cozinha e restos de lagares para o vinho.

Gideon Avni, diretor da divisão arqueológica da Autoridade de Antiguidades, mostra a Pedra de Madalena. (Foto: Menahem Kahana/AFP)
Gideon Avni, diretor da divisão arqueológica da Autoridade de Antiguidades, mostra a Pedra de Madalena.
 (Foto: Menahem Kahana/AFP)
A Autoridade de Antiguidades de Israel apresentou neste domingo (19) dezenas de objetos datados no século I que permitem aos historiadores uma compreensão mais profunda sobre a vida e a morte de Jesus Cristo.

Entre os objetos descobertos recentemente na região de Jerusalém e na Galileia estão vasos, utensílios de cozinha, restos de lagares para o vinho, ossários com inscrições em hebraico e pregos das crucificações.

"Hoje podemos reconstruir, com precisão, muitos aspectos da vida diária do tempo de Cristo", disse Gideon Avni, diretor da divisão arqueológica da Autoridade de Antiguidades. "A cada semana, são descobertos novos elementos que permitem conhecer melhor este período".

Dentro de um armazém cavernoso onde são guardados alguns tesouros arqueológicos em Israel, há um antigo ossuário que contém o nome de Jesus. Segundo os arqueólogos, Jesus era um nome comum na Terra Santa há 2 mil anos — foram encontrados cerca de 30 ossuário inscritos com este nome.

Ossuários com inscrições em hebraico formam a palavra "Yeshua", que significa Jesus. (Foto: Tsafrir Abayov/AP)
No armazém de 5 mil metros quadrados, que abriga dezenas de jarros e cerâmicas antigas, os estudiosos conseguiram reproduzir uma mesa com achados do tempo de Jesus. Havia jarras e pratos de calcário que costumavam ser usados ​​por judeus da época em Israel, como parte de sua prática para garantir a pureza dos alimentos.

Também foi apresentada um ossuário que pertencia a um descendente do sumo sacerdote Caifás, citado no Novo Testamento por entregar Jesus Cristo às autoridades romanas para ser crucificado.

Também foi exibida a réplica do osso de um calcanhar perfurado por um prego de ferro com fragmentos de madeira, encontrado dentro de um ossuário judaico no norte de Jerusalém, datado no século I. Até o momento, é a única evidência encontrada de uma vítima da crucificação romana, enterrada de acordo com os costumes judaicos.
Vasos de vinho descobertos na região de Jerusalém e na Galileia, onde Jesus viveu. (Foto: Menahem Kahana/AFP)
Descobertas israelenses
Israel é um dos lugares mais escavados do mundo — mais de 300 escavações ocorrem a cada ano, incluindo cerca de 50 expedições de países estrangeiros como Estados Unidos e Japão, segundo a Autoridade de Antiguidades.

A cada ano, cerca de 40 mil artefatos são desenterrados em Israel. Um terço de todas as antiguidades encontradas confirmam a antiga presença de cristãos na Terra Santa, segundo Avni. Hoje, os historiadores sabem quanto tempo durou as viagens de Jesus entre cidades e aldeias e como era a aparência desses lugares na época.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE THE TIMES OF ISRAEL E FRANCE PRESSE

segunda-feira, 20 de março de 2017

Aos 89 anos, Cid Moreira se torna Youtuber e incentiva a leitura da Bíblia

As narrações dos livros da Bíblia - com a voz de Cid Moreira - já estão disponíveis em um canal do Youtube, no qual também é possível ter acesso a estudos bíblicos.

Cid Moreira. (Imagem: Youtube)
Cid Moreira. (Imagem: Youtube)
Famoso por sua voz imponente e suas décadas de trabalho como jornalista e locutor em programas da rede Globo, como Jornal Nacional e Fantástico, Cid Moreira não pensa em aposentar seu vozeirão.

Desde dezembro de 2016, o jornalista está mantendo um canal no Youtube, exclusivamente para leitura da Bíblia e tem incentivado cada vez mais os internautas a se aprofundarem no estudo das Escrituras.

"A Bíblia é o testemunho de acontecimentos históricos de tal magnitude que mudaram o mundo em que vivemos. Revela quem é Deus e quem é Jesus: o homem que dividiu o tempo em antes e depois dEle", destacou Cid Moreira em um vídeo de apresentação.

Chamado de "Canal da Bíblia", o espaço também oferecerá alguns tipos de perguntas e tem acesso a estudos preparados por teólogos, que ajudarão os internautas a se guiarem na leitura bíblica.

"Ao final [do estudo da Bíblia], você terá crescido na fé e na consciência, que são os principais para uma vida mais plena, mais consciente e mais fraterna", explicou.
O canal do Youtube é uma iniciativa do grupo editorial Gol e conta com o apoio da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB).

Lançado no final de 2016, o canal já teve mais de 75 milhões de acessos. Cada vídeo traz um capítulo inteiro de um livro da Bíblia, sempre narrado pelo locutor, que irá completar 90 anos de idade em setembro.

domingo, 19 de março de 2017

Pastor acha diamante em Serra Leoa que vale mais de R$ 330 milhões


Pedra tem mais de 700 quilates, sendo um dos 10 maiores do mundo

por Jarbas Aragão
Pastor acha diamante em Serra Leoa que vale milhões

O diamante de 706 quilates encontrado em Serra Leoa esta semana pode entrar para a história como um dos 10 maiores já descobertos no mundo. Ele foi tirado de uma mina na província de Kono, leste do país. Segundo o presidente Ernest Bai Koroma é digno de nota o fato da pedra não ter sido contrabandeada para fora do país.

O garimpeiro responsável pela sua extração, Emmanuel Momoh, também é pastor evangélico. Ele entregou o diamante a um chefe tribal da região, que a levou até o presidente da república. É a maior pedra preciosa achada no país desde 1972.

Sera Leoa é marcada pelo tráfico dos chamados “diamantes de sangue”, especialmente durante a guerra civil (1991-2002), onde morreram mais de 100 mil pessoas.

Segundo o comunicado, Koroma agradeceu o pastor por não ter feito como a maioria dos garimpeiros e tirado do país a peça. Garantiu ainda que “o processo de comercialização será transparente”.

Esse diamante, após certificado por especialistas, terá seu valor estabelecido. Especialistas disseram ao Daily Mail que ele pode valer £ 50 milhões, cerca de 300 milhões de reais. Não foi divulgado quanto o pastor receberá após a venda.

O maior diamante do mundo é o Cullinan, de 3.106 quilates, encontrado na África do Sul em 1905. Após lapidado, as pedras foram usadas na confecção do cetro real britânico e a coroa imperial, as famosas joias da Coroa Britânica.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

sábado, 18 de março de 2017

Morador de rua é contratado por cristã e muda de vida: "É como a graça, eu não merecia"

Ginger decidiu contratar Victor, um morador de rua, e arrecadou mais de 26 mil dólares por meio de uma campanha na internet.

Ginger o levou para as clínicas, onde recebeu medicação para sua doença. (Foto: Reprodução).
Ginger o levou para as clínicas, onde recebeu medicação para sua doença. (Foto: Reprodução).
Uma cristã do Texas (EUA) não hesitou em obedecer o mandamento bíblico que diz "ame o próximo como a si mesmo" (Marcos 12:31). Ginger Sprouse salvou um homem sem-teto com doença mental e deu-lhe um novo começo na vida.

Durante três anos, Victor Hubbard ficou em uma esquina de Kemah, no Texas, esperando e esperando por sua mãe, para que ela voltasse e o pegasse, informou a KHOU-TV. "Não importa em que temporada eu esteja da minha vida, sempre terei esse amor por ela", disse Hubbard para a TV.

No inverno passado, Ginger, que é mãe, tomou conhecimento de Victor depois que ela foi tocada por seu sorriso caloroso, bondade e graciosidade. A mulher disse que cada vez que passava, Victor dizia: "Como você está hoje? Você está bem, não deixe ninguém te fazer mal”.

O poder do bem
Depois de conhecê-lo mais, ela compartilhou sua história em uma página do Facebook que ela criou, chamado de "This is Victor" (Este é o Victor, em tradução livre). A história do ex-morador de rua tocou os corações de mais de 8 mil usuários do Facebook. Os fãs deram a ele exames médicos, comida e roupas.

Ginger o levou para as clínicas, onde recebeu medicação para sua doença. Ela também cozinhava refeições para ele, cuidava de sua roupa e até mesmo o recebia em sua casa, informou a CBN News.

Ela também contratou Victor como cozinheiro em seu restaurante para mantê-lo fora da rua. Além disso, Ginger criou uma página do GoFundMe (uma espécie de vaquinha online) que superou a meta de 25 mil dólares (o equivalente a R$ 77.775) e agora já tem mais de 26 mil dólares (o equivalente a R$ 80.866). O dinheiro foi doado por 601 pessoas em dois meses.

"Ela veio e ela meio que me salvou", disse Hubbard. "Ela me ajudou, é como a graça de Deus, pois eu não merecia". Mas isso ainda não é a coisa mais linda que aconteceu com Victor. Finalmente, ele também conseguiu se reunir com sua mãe.

"Eu tenho que falar com ela e eu realmente sinto que consegui alguma coisa", disse Victor. Ginger disse que sua vida também foi tocada por Victor. "Ele é uma soma na minha vida. Tão feliz e sorridente para minha equipe", disse ela. "Estou muito orgulhosa".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

sexta-feira, 17 de março de 2017

Mulher faz campanha e alimenta 30 mil necessitados: “Expressão do amor de Cristo"

Utilizando cupons de desconto em supermercados, Lauren teve a ideia de comprar comidas a custo baixo. Com os descontos, ela consegue alimentar 150 pessoas por 20 dólares.

Lauren Puryear decidiu alimentar 30 mil pessoas antes de completar 30 anos. (Foto: Reprodução/Facebook/For The Love Of Others)
Lauren Puryear decidiu alimentar 30 mil pessoas antes de completar 30 anos. (Foto: Reprodução/Facebook/For The Love Of Others)
Muitas famílias americanas realizam compras através de cupons de desconto, a fim de adquirir o máximo de produtos economizando a maior quantidade de dinheiro possível. No entanto, uma mulher resolveu utilizar o método para alimentar milhares de pessoas carentes que vivem nos Estados Unidos.

Com base em seu lema "ame a Deus, ame os outros, sirva o mundo", Lauren Puryear decidiu no ano passado — quando tinha 29 anos de idade — alimentar cerca de 30 mil pessoas antes de completar 30 anos.

Diante disso, ela resolveu utilizar o método “extreme couponing” para acumular cupons de desconto em supermercados e tornar essa meta uma realidade. Em apenas um ano, Lauren conseguiu adquirir cerca de 30.158 itens de alimentos — estando a apenas seis meses de seu aniversário de 30 anos.

Embora já tenha atingido a meta, ela não pretende parar. "Depois que eu consegui cupons de desconto para 50 frascos de molho e 100 caixas de macarrão, eu soube que poderia fazer uma diferença no mundo", disse Lauren. "Eu continuarei alimentando as pessoas no maior número que eu consegui arrecadar. Quem sabe 300 mil?”

Lauren afirma que consegue alimentar até 150 pessoas gastando apenas 20 dólares (equivalente a 60 reais), dependendo do desconto apresentado pelos cupons e dos itens que ela está procurando.

"Os cupons podem ser encontrados no jornal de domingo ou na internet para imprimir. Quando eu consigo recolher o maior número possível, eu os levo para as lojas e consigo pegar os itens de graça", explica Lauren.

Através das compras utilizando o couponing extreme e com a ajuda da organização criada por Lauren em 2012, For The Love Of Others (“Por Amor Aos Outros”), ela viajou a costa leste dos EUA entregando alimentos e itens básicos para abrigos e pessoas necessitadas. Toda sua campanha é baseada em princípios bíblicos.

Lauren viajou a costa leste dos EUA entregando alimentos para necessitados. (Foto: Reprodução/Facebook/For The Love Of Others)
"A For The Love Of Others é baseada na passagem bíblica João 13:34-35, que diz: ‘Um novo mandamento dou a vocês: Amem-se uns aos outros. Como eu os amei, vocês devem amar-se uns aos outros. Com isso todos saberão que vocês são meus discípulos, se vocês se amarem uns aos outros’”, disse ela. “Nossa visão é um mundo no qual cada pessoa tenha o direito de experimentar o amor de Cristo demonstrado através dos outros”.

Enquanto Lauren tem viajado por seu país alimentando os necessitados, ela está trabalhando em uma nova iniciativa para ensinar as pessoas sobre o uso dos cupons de desconto e outras ferramentas relacionadas.

Hoje, ela está ensinando a mesma lição para seu filho de 6 anos, que cresceu envolvido em suas ações sociais. "Ele aprendeu que ajudar os outros deve ser uma parte de nossa vida cotidiana e aprendeu a importância de não jogar comida fora. Espero que ele continue a ajudar os outros durante toda sua vida”, disse ela.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CBN NEWS

quinta-feira, 16 de março de 2017

Ateus querem proibir orações em bases militares dos EUA

Segundo a organização ateísta 'Freedom From Religion', as orações e leituras bíblicas feitas por capelães durante eventos militares ferem a Constituição dos Estados Unidos.

Capelão do Exército ora com soldados do exército dos EUA. (Foto: Zimbio)
Capelão do Exército ora com soldados do exército dos EUA. (Foto: Zimbio)
Será que um capelão militar pode fazer uma oração durante um evento realizado em sua base?
A pergunta pode soar absurda, mas na verdade é um problema que está sendo enfrentado por um comandante da Base da Guarda Nacional da Aeronáutica após uma queixa ter sido arquivada no mês passado pela Fundação (ateísta) 'Freedom From Religion' ('FFRF'), em Madison, Wisconsin (EUA). A organização emitiu a seguinte declaração na época:

"Um oficial preocupado informou à 'FFRF' que as cerimônias na Base Aérea da Guarda Nacional de Pease regularmente têm capelães fazendo invocações [orações]. Estas incluem leituras da Bíblia e referências a um deus cristão. A presença nessas cerimônias é obrigatória para todos os guardas", disse um comunicado da Fundação.

"A 'FFRF' lembra que a Base Aérea Nacional que tais cerimônias são ilegais ao abrigo da Cláusula de Estabelecimento da Primeira Emenda", acrecentou.

A fundação ateísta encaminhou uma advertência à Base Aérea de Pease, emitida por um de seus advogados, que condenou o "endosso da religião" por parte de órgãos públicos.

"Os tribunais federais têm afirmado que a programação de orações ou outros exercícios religiosos em reuniões obrigatórias para funcionários do governo constitui o endosso ilegal governo da religião", escreveu o advogado Sam Grover para o departamento jurídico da base. "Orações em eventos militares também parecem observações razoáveis ​​para endossar a religião em detrimento da não-religião. Este é exatamente o tipo de endosso que é proibido pela Constituição e também cria um ambiente de trabalho hostil para minorias religiosas e aos oficiais não-religiosos".

Além disso, a 'FFRF' enfatiza que essas orações são "desnecessárias e divisivas".

"[A Base Aérea] Deve abster-se de emprestar seu poder e prestígio à religião, uma vez que isso equivale a um endosso governamental, que exclui o aproximadamente um quarto do contingente militar, o qual não expressa qualquer preferência religiosa ou são ateus. (Sem mencionar que tal conduta oficial é insensível, também)", destacou a Fundação

Em resposta a esta exigência da organização ateísta, a Aliança de Capelães pela Liberdade Religiosa, uma organização que fala por quase metade de todos os capelães nas forças armadas, pediu ao Instituto de Primeira Liberdade para aconselhar a equipe de comando da base aérea sobre a constitucionalidade da prática.

A carta enviada pelo Instituto a cada capelão da Base Aérea diz:

"Em nome da Aliança dos Capelães, escrevemos para enfatizar que não há exigência legal para você ceder às demandas da 'FFRF'. Suas demandas parecem basear-se na noção errada de que os capelães militares não podem fazer orações, o que é uma de suas funções. A posição e o argumento legal da 'FFRF' estão incorretos. A lei federal, as regulamentações militares e os precedentes da corte desmentem as alegações especulativas da 'FFRF'. Os capelães uniformizados são claramente permitidos, de fato protegidos, no direito de fazerem orações dentro de suas funções militares", destacou o documento.

Mike Berry, ex-advogado do Corpo de Fuzileiros Navais e agora conselheiro sênior e diretor de assuntos militares do Instituto First Liberty, está representando a Aliança de Capelãoes neste caso.

"Os capelães militares existem para garantir que todos os membros do serviço têm o direito de exercer livremente sua religião", disse o coronel Ron Crews (ret.), Diretor Executivo da Aliança de Capelães e Capelão do Exército dos EUA. "As orações e as leituras bíblicas que eles oferecem na Base Aérea da Guarda Nacional de Pease são uma das muitas maneiras pelas quais cumprem fielmente esse dever, e seu serviço fiel deve ser respeitado, não atacado".

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHARISMA NEWS

quarta-feira, 15 de março de 2017

Estudante cristão supera meta de doações para morador de rua: "Deus me inspirou"

O morador de rua abordou o estudante em uma lanchonete. Karlos ofereceu mais que alimento, mas a oportunidade de trabalhar e ter sua própria renda.

"Eu espero que isso possa influenciar outras pessoas a fazerem o mesmo", diz o estudante. (Foto: Reprodução).
"Eu espero que isso possa influenciar outras pessoas a fazerem o mesmo", diz o estudante. (Foto: Reprodução).
Um jovem cristão, estudante de jornalismo em Fortaleza (CE) iniciou uma campanha para arrecadar R$ 500 com o objetivo de comprar uma carroça de reciclagem (feita com o corpo de uma geladeira) para um morador de rua identificado como “Seu Luciano”. A campanha estava no ar desde janeiro deste ano e tinha atingido apenas 10% da meta. Mas, após a iniciativa ser noticiada no portal de notícias “Diário do Nordeste” (DN), o jovem teve uma surpresa.

A notícia da campanha foi publicada na tarde da última segunda-feira (13). Na noite desse mesmo dia, a meta foi atingida. Karlos Aires diz que o que sentiu: “É um sentimento de extrema alegria. Por dois motivos. Por saber que agora o Seu Luciano vai poder parar de pedir dinheiro e vai ganhar a própria grana para sustentar a família. E também por ver um engajamento tão forte das pessoas. Isso mostra que quando nos unimos por uma boa causa, podemos mudar aquela situação”, comentou em entrevista para o DN.

Agora, além de doar o dinheiro para o “veículo”, o estudante, responsável pela movimentação, deve criar uma poupança para o beneficiado. Até o início da tarde desta terça-feira, o valor arrecadado era de R$ 1.065, além de mais R$ 690 em boletos pendentes. O montante representa 213% a mais da meta.

"Seu Luciano é morador de rua. Ele tem 50 anos, uma esposa e uma filha de 1 ano e 4 meses que moram na rua com ele. Conheci seu Luciano em uma lanchonete e ele me pediu um sanduíche para levar para sua esposa e filha, pois ele havia passado o dia andando", diz a descrição no site Vakinha Online.

"Perguntei a seu Luciano se ele não poderia trabalhar e parar de pedir (ele contou que não gostava de pedir aos outros). Ele disse que daria para trabalhar com reciclagem, mas uma carroça para recolher o material custa R$400. Eu disse que iria promover uma campanha na internet para arrecadar esse dinheiro e comprar a carroça", informa.
Seu Luciano tem 50 anos, uma esposa e uma filha de 1 ano e 4 meses que moram na rua com ele. (Foto: Reprodução).
A Bíblia como inspiração
Karlos conta que a inspiração para realizar a campanha veio da Bíblia. “Eu realmente acredito nisso. Que nós podemos mudar a situação da nossa cidade. Do nosso estado, do nosso país. O sucesso da campanha foi a confirmação de algo que sempre me influenciou muito. O exemplo de um homem que se disponibilizou para fazer boas coisas, Isaías. Deus disse a ele: ‘A quem enviarei, e quem há de ir por nós?’ Isaías respondeu: “Eis-me aqui, envia-me a mim” (Isaías 6:8)”, explica.

“Assim como Isaías disse ‘Eis-me aqui’, eu quero dizer isso todos os dias para Deus. Muitas vezes esperamos que o outro faça, mas Deus nos capacitou para fazer boas coisas. Eu espero que isso possa influenciar outras pessoas a fazerem o mesmo. Ter a atitude de ajudar os menos favorecidos”, pontuou.

O universitário explica como deverá dar os próximos passos. “De primeiro, pensei em criar uma conta poupança e depositar o excedente lá e entregar pra ele. E para aproveitar, queria mediar uma conversa com ele e um profissional da economia para que ele pudesse receber dicas de como investir bem esse dinheiro. Como morador de rua, ele não tem um ambiente seguro pra guardar esse dinheiro e nem para administrar ele. Por isso, pensei na poupança”, disse.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO DIÁRIO DO NORDESTE

terça-feira, 14 de março de 2017

“Ser pastor não dá dinheiro”, diz Malafaia no Conexão Repórter


Pastor mostra seu Imposto de Renda durante entrevista a Roberto Cabrini


"Ser pastor não dá dinheiro", diz Malafaia

O pastor Silas Malafaia foi entrevistado por Roberto Cabrini no “Conexão Repórter” exibido neste domingo (12) logo após o “Programa Silvio Santos”, no SBT. O próprio pastor vinha divulgando a entrevista, afirmando que iria “mostrar tudo”.

O programa foi recheado de pautas consideradas polêmicas, mas quem conhece o trabalho do presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo não se surpreendeu com as colocações.

Na pauta, Cabrini levantou uma questão que tem incomodado o líder religioso. Ao ser questionado sobre o que lhe incomoda, Malafaia disparou: “Dizer que estou sendo acusado de lavagem de dinheiro. Isso é a maior bandidagem”.

Ele manteve o posicionamento que assumiu em seus vídeos postados nas redes sociais desde que seu nome apareceu na Operação Timóteo, realizada pela Polícia Federal.

“O processo tem mais de mil páginas, meu nome aparece em 2 linhas e meia. Eu recebi uma oferta de R$ 100 mil, depositei na minha conta, declarei ao Imposto de Renda e poderia ter usado como usei outras ofertas. Não tem nada ilegal, vou provar com toda essa documentação que sou inocente, não tenho nada a ver com esses canalhas e bandidos, que roubaram mais de 70 milhões, isso é um jogo”, reclama o pastor, que nega qualquer envolvimento com a máfia da mineração.

Falando sobre seu indiciamento, Malafaia não teme ser preso: “Não, não tem uma vírgula de motivo para isso, não tem uma prova de que eu participei de uma Operação para roubar a nação. Isso é uma infâmia, é uma safadeza, querem me denegrir porque eu sou um pastor que tem influência na sociedade”. Em depoimento à PF na semana passada, o advogado que fez a doação inocentou o pastor.

Em outro momento da entrevista, Cabrini tentou polemizar, perguntando ao pastor o que ele faria se um dos seus filhos fosse gay: “Profundamente, sem abrir mão do meu amor, mas diria para ele a verdade, dizer que está errado, porque amar não significa ser conivente. Toda a história da sociedade está sustentada por um homem, a mulher e seus filhos. A prole. Isso aqui é a sociedade, história da civilização. Querem mudar esse status, vamos ver esse resultado nas gerações futuras”.

De modo geral, o programa abordou as posturas públicas de Silas, que causam surpresa em parte da sociedade que não entende os princípios defendidos por ele. Ao mencionar sua campanha de boicote à Disney por causa da exibição do primeiro beijo gay em um desenho animado da empresa, ele reclamou: “O que a Disney quer? Beijo gay? Erotizar crianças é a coisa mais covarde que se tem. A Disney quer colocar o homossexualismo para as crianças… E eu vou me calar? Aí querem me bater. Você vai me desculpar, eu não posso me calar”.

Desde o início do programa, o repórter tentou colocar que Malafaia tem um “império” e que por ter ficado rico é acusado de ser um “mercador de almas, que visa sempre o lucro”. O pastor explicou que ele não é dono da igreja e que as pessoas que contribuem com dízimos e ofertas fazem isso “pela fé” e entendimento das Escrituras.

Cabrini então questionou como funcionaria a “indústria da fé” e se Malafaia possuía os 150 milhões de dólares que a revista Forbes alegou que ele tem. O líder da ADVEC voltou a dizer que isso não procede e deixou claro que todas as suas contas estão abertas e declaradas no Imposto de Renda. Além de mostrar os documentos na TV, sublinhou que não tem dinheiro depositado em nenhum paraíso fiscal.

Para o líder religioso, não há problema em um cristão fiel ser rico. “Deus não é contra a riqueza, Deus é contra a exploração. Deus não é contra o dinheiro, Deus é contra o amor ao dinheiro”, frisou ao repórter.

Rebatendo acusações de ser homofóbico, disse que a homofobia é algo determinada pela psiquiatria e não pelo movimento gay. Sobre suas posturas, enfatizou que “ter opinião não é crime”. Apesar das críticas, continuará se posicionando contra questões como casamento gay e aborto.

Por fim, além de mostrar o trabalho da igreja, Malafaia revelou como funciona a editora Central Gospel e os trabalhos sociais da ADVEC, um aspecto comumente ignorado pela mídia.

https://noticias.gospelprime.com.br

Assista:

segunda-feira, 13 de março de 2017

Atleta cristão quer adotar uma criança de cada continente: "A família de Deus não distingue raças"

Tim Tebow também revelou o que espera de sua futura esposa e afirmou que busca alguém que "ame a Jesus" e também que tenha o desejo de adotar crianças.

Tim Tebow revelou à revista 'People' que sonha em adotar uma criança de cada continente. (Foto: Facebook)
Tim Tebow revelou à revista 'People' que sonha em adotar uma criança de cada continente. (Foto: Facebook)


Mesmo sendo ainda solteiro, o atleta cristão Tim Tebow revelou que tem o sonho de construir uma família - o que inclui "adotar uma criança de cada continente" da Terra.

Em uma entrevista à revista People, Tebow, atualmente com 29 anos de idade, disse que ainda sonha em "sentar-se à mesa todos os dias na companhia de sua esposa e crianças da África, Ásia, Europa, Américas do Sul e do Norte".
"O quão legal isso seria? É uma das minhas coisas favoritas em meus sonhos", disse ele.

O ex-astro da Liga Nacional de Futebol Americano dos EUA (NFL), que agora se tornou um jogador de beisebol da liga menor pelos 'New York Mets', disse também que sua futura esposa teria que compartilhar do mesmo desejo de adotar crianças e ter uma família de etnias variadas.

"Estou procurando alguém que ame a Jesus, que ame as pessoas... alguém que me faz querer ser uma pessoa melhor para ela. Ela [futura esposa] também tem que querer filhos e tem que querer adotar", revelou o atleta. "É claro que quero uma mulher que me atraia".

Tebow também destacou que apesar das diferenças étnicas entre as pessoas de cada nação ou continente, é possível que todos se tornem membros da "família de Deus".

"Eu acho que quando você olha para a família de Deus, ela não faz distinção de cores ou raças", disse Tebow ao People.
"O amor não distingue cores. Quero que meus filhos cresçam com um apreço por cada pessoa, não importa sua aparência. É assim que entendo a unidade: saber que você pode amar as pessoas que não são iguais a você. Quero ensinar essa mensagem aos meus filhos, quero que eles vivam isso", destacou.

Tebow observou ainda que adotar crianças é um de seus planos que acontecerá "no momento de Deus".

"Tudo o que posso fazer é estar pronto para que isso aconteça", disse ele.


Histórico
Tebow nasceu nas Filipinas, no tempo em que seus pais estavam atuando como missionários da Igreja Batista no país.


O atleta sempre teve um coração voltado para ajudar as crianças, particularmente aqueles que enfrentam enfermidades graves são portadores de deficiência física ou mental.

Em 2010, ele lançou a Fundação Tim Tebow, que foi "criada principalmente para mostrar o amor de Deus às crianças em todo o mundo", de acordo com seu site oficial.

Em fevereiro, sua fundação patrocinou o terceiro "Night to Shine" ("Noite para Brilhar"), um baile para pessoas com Síndrome de Down e outras tipos de deficiências, realizado em todos os 50 estados dos e em outras 11 nações.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO GOSPEL HERALD